Kathy Bates

Kathleen Doyle "Kathy" Bates (Memphis, 28 de junho de 1948) é uma atriz e cineasta norte-americana. Ela já recebeu vários prêmios, incluindo um Oscar, dois Prêmios Emmy e dois Globos de Ouro.

Kathy Bates
Bates na San Diego Comic-Con International em 2015
Nome completo Kathleen Doyle Bates
Nascimento 28 de junho de 1948 (72 anos)
Memphis, Tennessee
Nacionalidade norte-americana
Ocupação Atriz
Atividade 1963 - presente
Cônjuge Tony Campisi (1991-1997)
Oscares da Academia
Melhor Atriz
1991 - Misery
Emmys
Melhor Atriz Coadjuvante em Minissérie ou Telefilme
2014 - American Horror Story: Coven
Melhor Atriz Convidada em Série de Comédia
2012 - Two and a Half Men
Globos de Ouro
Melhor Atriz - Drama
1991 - Misery
Melhor Atriz Coadjuvante em Televisão
1997 - The Late Shift
Prémios Screen Actors Guild
Melhor Atriz Coadjuvante
1999 - Primary Colors
Melhor Atriz em Minissérie ou Telefilme
1997 - The Late Shift
Prémios National Board of Review
Melhor Atriz Coadjuvante
2002 - About Schmidt
2019 - Richard Jewell
Prémios Critics' Choice
Melhor Atriz Coadjuvante em Cinema
1999 - Primary Colors
Outros prêmios
Satellite Award de Melhor Atriz Coadjuvante em Televisão
1997 - The Late Shift

Nascida em Memphis, Tennessee, Bates estudou teatro na Universidade Metodista Meridional antes de se mudar para a cidade de Nova York para seguir a carreira de atriz. Ela conseguiu papéis menores no teatro antes de ser escalada para seu primeiro papel no cinema em Procura Insaciável (1971). Ela ganhou uma indicação ao Tony Award de Melhor Atriz Principal em Peça em 1983 por sua atuação em Night, Mother, e ganhou um Obie Award em 1988 por seu desempenho em Frankie and Johnny in the Clair de Lune.

O seu papel como Annie Wilkes no thriller Louca Obsessão (1990) levou-a ao estrelato em Hollywood, fazendo Bates ganhar o Oscar de melhor atriz.[1] Nos anos seguintes, ela atuou como protagonista em Eclipse Total (1995), O Rei da Água (1998), e em papéis coadjuvantes nos filmes Tomates Verdes Fritos (1991) e Titanic (1997).[2] Este último, no qual ela interpretou Molly Brown, se tornou o filme de maior bilheteria até então. Bates recebeu indicações subsequentes do Oscar na categoria melhor atriz coadjuvante por seu trabalho em Segredos do Poder (1998), As Confissões de Schmidt (2002) e O Caso Richard Jewell (2019).

O trabalho de Bates na televisão resultou em 14 indicações ao Emmy, incluindo duas por seu papel principal na série da NBC, A Lei de Harry (2011-12).[3] Ela ganhou o Emmy de melhor atriz convidada numa série de comédia por sua participação na nona temporada de Dois Homens e Meio[4] (2012) e o prêmio de melhor atriz coadjuvante em minissérie ou telefilme por sua interpretação de Delphine LaLaurie na terceira temporada de American Horror Story (2013).[5] Ela também recebeu elogios por sua interpretação da Srta. Hannigan na adaptação para a TV do musical Annie em 1999. Como diretora Bates dirigiu vários episódios da série A Sete Palmos (2001-03) e o telefilme Ambulance Girl (2005).[6]

BiografiaEditar

Nascida no sul dos Estados Unidos, filha de um engenheiro metalúrgico e uma dona-de-casa, Kathy trabalhou nas profissões mais variadas antes de chegar aos palcos e às telas de cinema e televisão. Foi garçonete-cantora num hotel de luxo e é tida como uma compositora muito capaz. Por muitos anos manteve uma empresa de audiolivros.

Formou-se em teatro na Universidade Metodista do Sul e, depois, foi para Nova Iorque, onde trabalhou como caixa da loja de presentes do Museu de Arte Moderna, o MoMA. Fez sua estreia na televisão no início dos anos 70 num episódio da série The Love Boat.

Carreira artísticaEditar

Sua primeira vez na tela do cinema foi na comédia Taking Off (no Brasil, Procura insaciável) de 1971, o primeiro filme estadunidense do diretor tcheco Milos Forman. Em 1976, estreou no circuito off-Broadway na peça Vanities, conseguindo uma indicação ao prêmio Tony, o equivalente ao Oscar do teatro estadunidense, interpretando uma suicida em potencial no drama Night, Mother.

Em 1982, sob a direção de Robert Altman, atuou no drama Come Back to the Five and Dime, Jimmy Dean, Jimmy Dean (no Brasil, James Dean - O mito sobrevive). No ano seguinte, apareceu no filme-catástrofe The Day After (no Brasil, O dia seguinte) e, em 1988, na comédia Arthur 2: On the Rocks (no Brasil, Arthur 2 - O milionário arruinado).

Em 1990, finalmente se consagrou ao receber o Oscar de Melhor Atriz por Misery (no Brasil, Louca obsessão), baseado em livro de mesmo nome do escritor Stephen King, trabalho pelo qual também ganhou o Globo de Ouro e a admiração de público e critica, sendo sempre lembrada por sua atuação sinistra ao dar vida a insana e obsessiva Annie Wilkes, considerada uma das grandes vilãs do Cinema. Por essa atuação se tornou a primeira atriz a ganhar um Oscar por uma performance em um filme de Terror (terro/suspense).

Também participou do drama White Palace (no Brasil, Loucos de paixão), ao lado de Susan Sarandon, e da comédia Dick Tracy, com Warren Beatty e Dustin Hoffman. Um de seus papéis mais admirados é o de Evelyn Couch, do sucesso Fried Green Tomatoes (no Brasil, Tomates verdes fritos), de 1991, onde foi uma das protagonistas ao lado de Jessica Tandy. No mesmo ano pode ser vista no filme At Play in the Fields of the Lord (no Brasil, Brincando nos Campos do Senhor), sob a direção do diretor argentino/brasileiro Hector Babenco.

Sob a direção de Woody Allen, em 1992, atuou em Shadows and Fog (no Brasil, Neblina e sombras), em Diabolique de 1996 e, em 1997, foi dirigida por James Cameron em Titanic, onde interpretou a nova-rica e inafundável Molly Brown. Em 2007 viveu a amarga "Patrícia", mãe da viúva "Holly" na comédia romântica Ps I Love You.

Kathy fez uma pequena participação na nona temporada do seriado de comédia Two and a Half Men da rede CBS. No papel, ela interpreta o fantasma de Charlie Harper, que assombra Alan quando ele está internado no hospital.

Entre outubro de 2013 até janeiro de 2014 interpretou Madame LaLaurie, no seriado American Horror Story: Coven.

Em 2014 Kathy fez uma participação na quarta temporada do seriado de comédia Mike & Molly da rede CBS. Ela interpretou Kay McKinnon, a amiga dos sonhos de Molly (Melissa McCarthy), mas ela é uma grande amiga de sua sogra Peggy (Rondi Reed). No mesmo ano também ao lado de Melissa McCarthy atuou como Lenore no filme Tammy.

Já em outubro de 2014 até janeiro de 2015, Kathy interpretou Ethel Darling, no seriado American Horror Story: Freak Show.

Em outubro de 2015, Kathy Bates esteve no elenco de American Horror Story: Hotel como a perigosa Iris.

Na sua quarta participação na série, Bates é mais uma vez elogiada e aclamada, agora pela interpretação da psicótica Agnes Mary Wintsted, a intérprete da Carniceira (The Butcher) em American Horror Story: Roanoke de Setembro a Novembro de 2016.

Recebeu mais uma indicação ao Oscar em 2020 por Richard Jewell, de Clint Eastwood, no qual interpretou a mãe do protagonista, Barbara "Bobi" Jewell.

Prêmios e IndicaçõesEditar

FilmografiaEditar

 Ver artigo principal: Filmografia de Kathy Bates

Referências

  1. Tariq Khan (21 de dezembro de 2020). «Oscars flashback: When Kathy Bates defied the odds and won for 'Misery'». Gold Derby (em inglês). Consultado em 26 de fevereiro de 2021 
  2. «A milionária que ajudou passageiros do Titanic e sobreviveu ao naufrágio». Portal Uol. 9 de abril de 2019. Consultado em 26 de fevereiro de 2021 
  3. Fernanda Furquim (11 de maio de 2012). «Kathy Bates confirma cancelamento de 'Harry's Law'». Revista VEJA. Consultado em 26 de fevereiro de 2021 
  4. «Kathy Bates agradece Charlie Sheen ao receber Emmy por papel dele em Two and a Half Men». Estrelando. Consultado em 26 de fevereiro de 2021 
  5. «'American Horror Story's' Kathy Bates Nearly Dedicated Emmy to Robin Williams». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 26 de fevereiro de 2021 
  6. «Ambulance Girl (2005)». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 26 de fevereiro de 2021 

Ligações externasEditar