Abrir menu principal

Wikipédia β

Keira Christina Knightley (IPA[ˌkɪərəˈnaɪtlɪ];[1] Londres, 26 de março de 1985) é atriz e modelo britânica.[2] Conhecida por ter estrelado na franquia Piratas do Caribe como Elizabeth Swann.

Keira Knightley
Knightley em março de 2011.
Nome completo Keira Christina Knightley
Nascimento 26 de março de 1985 (32 anos)
Teddington, Londres, Inglaterra
 Reino Unido
Ocupação Atriz, modelo
Atividade 1993-presente
Cônjuge James Righton (desde 2011)
Outros prêmios
IFTA - Melhor Atriz Internacional
2004 - Piratas do Caribe: A Maldição do Peróla Negra e Rei Arthur

Empire Award - Melhor Atriz, 2005 - Orgulho e Preconceito

Substituiu Natalie Portman para seu papel em Guerra nas Estrelas (em inglês, Star Wars) nos anos 90. Indicada ao Óscar pelo filme Orgulho e Preconceito como Melhor Atriz e como Melhor Atriz Coadjuvante no filme O Jogo da Imitação em 2014.

Índice

BiografiaEditar

Knightley nasceu no sul de Londres, nos subúrbios de Teddington, em Richmond. É filha do ator Will Knightley e da atriz que se tornou escritora Sharman MacDonald. O seu nome, “Keira”, deveria, na verdade, ser “Kiera”. A sua mãe soletrou de forma errada o nome pretendido, originando o seu atual nome.[3]

O seu irmão mais velho, Caleb, nasceu em 1979. Keira conta que aos três anos de idade, quando viu o agente de seus pais sair de sua casa, decidiu pedir também um agente para si, mas como Keira era apenas uma criança os pais recusaram. Três anos mais tarde descobriu-se que tinha um problema em ler e escrever, embora não fosse oficial que ela sofria de dislexia.

Keira esforçou-se muito para ultrapassar o problema e com a ajuda da sua família conseguiu. Como recompensa do seu esforço os pais decidiram contratar um agente para a pequena Keira. Aos sete anos teve o seu primeiro papel na televisão no episódio "Royal Celebration" (1993) da série Screen One.

Em 4 de abril de 2013, Keira Knightley casou-se com o noivo, o cantor James Righton, em Mazan, no sudeste de França na presença de apenas 11 convidados.[4]

Em agosto de 2016, a atriz admitiu que usa perucas nos filmes desde 2011 para não prejudicar seus cabelos, pois teve problemas de queda de cabelos após constantes tingimentos, que eram necessários para desempenhar seus personagens. [5][6]

CarreiraEditar

1993-2002: Começo de carreiraEditar

Depois de conseguir um agente aos seis anos, Keira trabalhou principalmente em comerciais e pequenos papéis na TV. Seu primeiro papel foi "Little Girl" em Royal Celebration, um filme de TV em 1993. Um ano depois, ela teve um pequeno papel no filme A Village Affair. Ela mais tarde estrelou em Inocentes Mentiras em 1995 e 1998's Coming Home. Ela era uma princesa no filme de 1996 The Treasure Seekers. Mais tarde em 1999, ela apareceu como Rose em Oliver Twist.

Knightley apareceu em vários filmes de televisão em meados dos anos 90, bem como no The Bill de ITV1, antes de ser interpretar Sabé, o chamariz de Padmé Amidala, no blockbuster de ficção científica de 1999 Star Wars: Episode I - The Phantom Menace. O diálogo de Sabé foi dobrado com a voz de Natalie Portman. Isso foi para esconder o fato de que a donzela Padmé (interpretado por Portman) foi realmente a verdadeira Rainha Amidala no final do filme. Knightley subistituiu o papel por causa de sua semelhança física com Natalie.

O primeiro papel principal de Knightley foi em 2001, quando ela interpretou a filha de Robin Hood no drama de Walt Disney Productions intitulado Princess of Thieves. Ela treinou durante várias semanas em tiro com arco, esgrima e equitação. Durante este tempo, Knightley também apareceu em The Hole, um thriller que recebeu um lançamento direto como vídeo nos Estados Unidos. Seu diretor Nick Hamm descreveu-a como "uma versão nova de Julie Christie".

Apareceu na adaptação da mini serie do doutor Zhivago como Lara, ao lado do ator escocês Hans Matheson, que arejou primeiramente em 2002 às revisões boas e às avaliações elevadas. No mesmo ano, ela também se apresentou no filme Pure, no qual retrata uma adolescente grávida que é viciada em heroína e teve um filho tomado pelos serviços sociais. O papel decisivo de Knightley foi no filme sobre o futebol, Bend It Like Beckham, que foi um sucesso em seu lançamento no Reino Unido em agosto de 2002, faturando US $18 milhões e em seu lançamento em março de 2003, somando US$32 milhões de dólares.

2003-07: Reconhecimento internacionalEditar

 
Knightley em 2006 na estreia do filme Pirates of the Caribbean: Dead Man's Chest, em Londres.

Após o lançamento de Bend It Like Beckham no Reino Unido a atriz foi escalada no filme de ação de grande orçamento, a franquia Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra, junto com Orlando Bloom e Johnny Depp. Produzido por Jerry Bruckheimer, o filme recebeu críticas positivas e faturou cerca de $654 milhões, transformando-se a estreia mais famosa de um filme em 2003.

Knightley teve um papel na comédia romântica britânica O Amor Acontece, em novembro de 2003 como Juliet ao lado de Emma Thompson. Seu próximo filme, o Rei Arthur, foi lançado em julho de 2004. Críticas negativas; em preparação para o papel que ela levou lições de boxe, luta, tiro com arco e equitação quatro dias por semana durante três meses.

No mesmo mês, Knightley foi votado pelos leitores da revista Hello! como a estrela mais promissora da indústria cinematográfica. Além disso, a revista TIME escreveu em 2004 que a atriz parecia dedicada a se desenvolver profissionalmente e não apenas como uma estrela de cinema.

Ela apareceu em três filmes em 2005, o primeiro foi The Jacket, ao lado de Adrien Brody, Domino de Tony Scott, um filme de ação baseado na vida do caçador de recompensas Domino Harvey. Rotten Tomatoes, em seu consenso crítico, chamou o filme de "exagerado e excessivo"; recebeu 19% de aprovação com base em 153 revisões catalogadas

Keira estreou em Orgulho e Preconceito junto de Matthew MacFadyen em 2005[7]. Keira havia dito anteriormente que tinha amado o livro desde que tinha sete anos. Ela disse sobre sua personagem: "A beleza de Elizabeth é que toda mulher que lê o livro parece reconhecer a si mesma, com todas as suas falhas e imperfeições. Se você dá a uma atriz que é até remotamente boa a chance de jogar um personagem fantástico''. A revista Variety escreveu sobre o seu retrato de Elizabeth Bennet: "Olhando cada pedaço de uma estrela, Knightley tem mostrado mais espírito do que agir até agora em sua carreira, realmente passos até aqui não são fáceis. Atuando ao lado de seu próprio ego contra Matthew Macfadyen mais clássico treinado, bem como Brenda Blethyn, Donald Sutherland, Penelope Wilton e Judi Dench com uma força luminosa que lembra uma jovem Audrey Hepburn. Mais do que a mais velha Jennifer Ehle na série de TV, ela capta a esquisitice essencial de Elizabeth e seu fanfarrão juvenil, fazendo sua conversão final ainda mais emocionante." O filme arrecadou mais de US$100 milhões em todo o mundo, e Knightley ganhou uma indicação ao Globo de Ouro e uma indicação ao Oscar como Melhor Atriz perdendo para Reese Witherspoon[8]. A nomeação para o Oscar fez com que ela fosse a terceira mais jovem intérprete nomeada. A decisão do BAFTA de não nomeá-la atraiu críticas do produtor Tim Bevan.

Em 2006, Knightley foi convidada para se juntar à Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Seu maior sucesso financeiro até agora, Piratas do Caribe: Dead Man's Chest, foi lançado em julho de 2006.

Knightley estrelou três grandes filmes em 2007: Silk, uma adaptação do romance de Alessandro Baricco, Atonement, adaptação cinematográfica do romance co-estrelado por James McAvoy, Vanessa Redgrave e Brenda Blethyn. Pirates Do Caribe: No Fim do Mundo, que foi lançado em maio de 2007. Por sua atuação em Atonement, Knightley foi indicada para um Globo de Ouro na categoria Melhor Atriz Dramática pelo papel e um Prêmio BAFTA.

2008-10: Filmes independentesEditar

Em 2008, Knightley apareceu ao lado de Sienna Miller, Cillian Murphy e Matthew Rhys em The Edge of Love de John Maybury, um drama de ficção sobre o poeta galês Dylan Thomas. Penetrado pela mãe de Knightley, Sharman Macdonald, o dramaturgo inicialmente criou o roteiro com Knightley. Uma vez que sua filha concordou em retratar Williams, MacDonald ampliou o personagem, tornando-a uma cantora.

 
Keira no BAFTA Film Awards no ano de 2008.

Knightley, que assistiu Marlene Dietrich para a preparação, estava esperando para mimetizar a sua voz pré-gravada, mas foi informado por Maybury para cantar ao vivo na frente da tripulação durante o tiro. "Eu estava tremendo", comentou Knightley mais tarde, "eu pensei que meus joelhos estavam rompendo-se. No primeiro par de músicas, eu parecia um menino pubescente, era tão embaraçoso." Quando a actriz recebeu revisões positivas para seu papel, o filme transformou-se um crítico moderado e o sucesso comercial do arthouse.

Ela filmou A Duquesa (2008)[9] de Saul Dibb, com base na biografia mais vendida de Georgiana, Duquesa de Devonshire por Amanda Foreman, na qual interpretou a aristocrata inglesa do século 18. Georgiana Cavendish, duquesa de Devonshire, em frente a Ralph Fiennes. Foi bem recebido pelos críticos, Knightley obteve críticas bastante positivas por parte dos críticos, com The Epoch Times escrevendo "O desempenho de Knightley ganha nova profundidade - ela não apenas retrata perfeitamente uma Georgiana espirituosa e feminina no início do filme, mas também uma mãe carinhosa e uma mulher abandonada mais tarde."

No ano seguinte, ela foi nomeada para um BIFA Award de Melhor Atriz por seu desempenho.

Em 2009, uma adaptação de filme do Rei Lear ajustou-se à estrela Knightley e Anthony Hopkins foi cancelado devido à retirada. Em dezembro de 2009, Knightley fez sua estreia no West End na versão de Martin Crimp da comédia de Molière, The Misanthrope, no Comedy Theatre, em Londres, ao lado de Damian Lewis,Tara Fitzgerald e Dominic Rowan. As avaliações para seu retrato de Jennifer no jogo eram geralmente positivas. O Daily Telegraph descreveu seu desempenho como revelador de "poder e purulência" e The Independent chamou seu desempenho "não apenas surpreendentemente convincente, mas, às vezes, bastante emocionante." The Guardian, no entanto, observou que, devido à natureza de o papel "pode-se dizer que ela não está indevidamente esticada." Em reconhecimento de sua estreia no teatro, Knightley foi nomeada para o Laurence Olivier Award de Melhor Atriz em um Papel de Apoio na peça. Knightley também recebeu uma indicação ao Evening Standard Award (longa lista) para o Prêmio Natasha Richardson de Melhor Atriz.

Em 2010, Knightley apareceu no drama romântico Apenas Uma Noite de Massy Tadjedin, no qual estrelou com Eva Mendes, Sam Worthington e Guillaume Canet. No mesmo ano, Knightley concluiu o trabalho sobre uma adaptação do romance distópico de Kazuo Ishiguro, Não Me Abandone Jamais[10] com Andrew Garfield e Carey Mulligan. As filmagens foram feitas em Norfolk, Clevedon e Somerset. Também em 2010, estrelou em London Boulevard com Colin Farrell.

2011–presente: Carreira contínua e estreia na BroadwayEditar

Em janeiro de 2011, Knightley estrelou uma adaptação cinematográfica de The Children's Hour de Lillian Hellman no Teatro Comedy de Londres. O único filme de Knightley de 2011 foi o drama histórico de David Cronenberg, Um Método Perigoso co-estrelado por Viggo Mortensen, Michael Fassbender e Vincent Cassel[11]. Baseado na obra de teatro do escritor Christopher Hampton em 2002, The Talking Cure e ambientado na véspera da Primeira Guerra Mundial, o filme retrata as turbulentas relações entre o jovem psiquiatra Carl Jung, seu mentor Sigmund Freud e Sabina Spielrein. Spielrein, o perturbado mas belo jovem psicanalista que se encontra entre Jung e Freud, é interpretado por Knightley. O filme de fantasia estreou no 68º Festival Internacional de Cinema de Veneza para uma recepção positiva, enquanto Knightley ganhou críticas geralmente favoráveis por críticos, Andrew O'Hehir notando sua "verdadeira estrela deste filme".

Em 2012, ela estrelou junto de Steve Carell no filme de comédia Procura-se um Amigo para o Fim do Mundo[12]. No mesmo ano, ela se reuniu com o diretor Joe Wright para filmar sua terceira produção juntos, Anna Karenina[13], em que ela estrelou como personagem principal. Ela nomeou sua colaboração com Wright como a mais importante de sua carreira. Knightley obteve críticas positivas por seu desempenho, levando o zumbido precoce do Oscar. Em maio de 2012, Knightley foi escolhido para substituir Scarlett Johansson no filme de John Carney, Mesmo se Nada der Certo, depois que Johansson se retirou por motivos pessoais[14]. O filme foi estreado no Toronto International Film Festival em setembro de 2013 e lançado em teatros em julho de 2014.

O primeiro filme de Knightley de 2014 estreou no Festival de Cinema de Sundance, antes de sua abertura geral dos EUA em 24 de outubro. Titled Laggies (retitulado Say When no Reino Unido), o filme também estreia Chloë Grace Moretz e Sam Rockwell, e é dirigido por Lynn Shelton. Pouco depois, a estreia de Jack Ryan: Shadow Recruit, em que Knightley interpreta Cathy Muller ao lado de Chris Pine, foi realizada no final de janeiro. Ao lado de Mark Ruffalo estrelou em Mesmo Se Nada Der Certo[15], e embora ela interprete uma cantora e aprendeu a tocar guitarra para o papel, ela revelou que música não combina para ela, e ela é mais interessada em livros e drama. Knightley também se referiu ao final de um capítulo de sua carreira, que o Guardião descreveu como "atolado em papéis neuróticos". Ela apareceu novamente com Benedict Cumberbatch no filme The Imitation Game (2014), interpretando Joan Clarke e por sua atuação, recebeu uma segunda nomeação ao Oscar para Melhor Atriz Coadjuvante.

Knightley apareceu como parte de um elenco no filme de desastre Everest (2015). Em outubro de 2015, Knightley fez sua estreia na Broadway interpretando o papel protagonista na adaptação de Helen Edmundson de Thérèse Raquin, de Émile Zola, no Studio 54. Seu desempenho recebeu revisões misturadas. Alexis Soloski, do The Guardian, escreveu que Knightley "parece estranhamente plana". Enquanto Alexandra Villarreal, do The Huffington Post, escreveu: "Keira Knightley encarna brilhantemente este monstro atormentado...Durante os primeiros 30 minutos, Knightley mal fala...mas seu desempenho é mais imediato do que qualquer palavra".

Knightley, em seguida, estrelou o filme de drama Beleza Oculta ao lado de Will Smith, Edward Norton, Helen Mirren e Kate Winslet, lançado em dezembro de 2016. O filme recebeu esmagadoramente críticas negativas.

Knightley produzirá e estrelará uma adaptação de The Other Typist por Suzanne Rindell.  Ela também interpretará a protagonista em uma biografia da autora francesa Colette, dirigida por Wash Westmoreland, e estrelada em uma biografia de Catarina, a Grande, dirigida por Barbara Streisand. Em 2016 foi anunciado que Knightley interpretará a Fada Açucarada em uma adaptação intitulado O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos cujo as gravações deverão começar em 2018[16]. Knightley está definida para estrelar ao lado de Alexander Skarsgård em The Aftermath, uma adaptação cinematográfica do romance de Rhidian Brook.

FilmografiaEditar

Gretta

IndicaçõesEditar

PrêmiosEditar

Referências

  1. (em inglês). inogolo.com Pronúncia Keira_Knightley http://inogolo.com/pronunciation/d97/Keira_Knightley Pronúncia Keira_Knightley Verifique valor |url= (ajuda)  Parâmetro desconhecido |acessoadata= ignorado (ajuda); Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  2. Foley, Jack. «The Jacket – Keira Knightley Q&A». IndieLondon. Consultado em 25 de agosto de 2008 
  3. «Há um erro no nome Keira Knightley (e foi a mãe)» 
  4. «Keira Knighley casa em França diante de 11 convidados» 
  5. «Keira Knightley revela que usa perucas há cinco anos | VEJA.com». Consultado em 22 de agosto de 2016 
  6. «Keira Knightley revela que usa peruca há cinco anos». 19 de agosto de 2016. Consultado em 22 de agosto de 2016 
  7. Knightley, Keira; Riley, Talulah; Pike, Rosamund; Malone, Jena (23 de novembro de 2005), Pride & Prejudice, consultado em 25 de março de 2017 
  8. «Keira Knightley é indicada pela primeira vez ao Oscar de melhor atriz - 22/02/2006 - Efe - Diversão». cinema.uol.com.br. Consultado em 25 de março de 2017 
  9. AdoroCinema, A Duquesa, consultado em 25 de março de 2017 
  10. Bradshaw, Peter (10 de fevereiro de 2011). «Never Let Me Go - review». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  11. Knightley, Keira; Mortensen, Viggo; Fassbender, Michael; Cassel, Vincent (10 de novembro de 2011), A Dangerous Method, consultado em 25 de março de 2017 
  12. «'Seeking a Friend's' Steve Carell About Co-Star Keira Knightley: 'I Thought She'd Be Very Serious' (Video)». The Hollywood Reporter (em inglês) 
  13. Macfadyen, Matthew; MacLennan, Eric; Macdonald, Kelly; Morrissey, Theo (7 de setembro de 2012), Anna Karenina, consultado em 25 de março de 2017 
  14. «Epic fun ahead as Keira Knightley and Steve Carell join forces to save the World». Mail Online 
  15. Corden, James; Knightley, Keira; Ruffalo, Mark; Steinfeld, Hailee (11 de julho de 2014), Begin Again, consultado em 25 de março de 2017 
  16. AdoroCinema. «Keira Knightley será a Fada Açucarada de O Quebra-Nozes». AdoroCinema 

Keira Knightley (em inglês) em TV.com

Ligações externasEditar