Abrir menu principal
Keith Levene, 16 de maio de 2012

Julian Keith Levene (Londres, 18 de julho de 1957)[1] é um músico britânico, membro fundador das bandas The Clash e Public Image Ltd (PiL).[2]

Índice

CarreiraEditar

Levene foi um dos primeiros fãs do rock progressivo - aos quinze anos ele trabalhou como roadie para Yes em sua turnê Close to the Edge.[3] Em 1976, ele se tornou um membro fundador do The Clash e The Flowers of Romance. Levene foi responsável por ajudar a persuadir Joe Strummer a deixar os 101ers e se juntar ao Clash. Embora ele tenha deixado The Clash antes de começarem a gravar, ele co-escreveu "What's My Name", apresentado em seu primeiro álbum.[4] Levene escreveu a música no clube Black Swan quando os Clash e Sex Pistols se apresentaram lá em julho de 1976; Na mesma noite, Levene sugeriu a John Lydon que considerassem uma possível colaboração futura.[5]

Depois que os Sex Pistols se desintegraram, Levene e Lydon co-fundaram a Public Image Ltd (PiL). O trabalho de guitarra de Levene foi posteriormente imitado por outros, incluindo The Edge do U2. Levene foi um dos primeiros guitarristas a usar guitarras metálicas, como o Travis Bean Wedge e Artist, bem como o Veleno, o último do qual foi apelidado de "Leveno" em sua homenagem.[5] Ele estava envolvido na composição, execução e produção dos primeiros álbuns do PiL: First Issue, Metal Box e Flowers of Romance.

Levene deixou o PiL em 1983 por causa de diferenças criativas em relação ao que eventualmente se tornaria o quarto álbum da banda, "This Is What You Want... This Is What You Get". Em 1984, ele lançou as versões originais das canções em sua própria gravadora[6] sob o título Commercial Zone, que foi o título original do trabalho do álbum. Em 1985, mudou-se para Los Angeles, onde formou uma empresa com sua segunda esposa, a jornalista Shelly da Cunha.[7] Em meados de 1986, Levene foi convidado a produzir demos para o álbum The Uplift Mofo Party Plan do Red Hot Chili Peppers no Master Control em Burbank com os engenheiros Steve Catania e Dan Nebenzal. Também em 1986, Levene trabalhou junto com o DJ Matt Dike, experimentando técnicas de amostragem e hip-hop para Ice-T e Tone Loc em suas primeiras gravações para o Delicious.[8] Em 1989, ele lançou seu primeiro lançamento solo, Violent Opposition, no qual os membros do Red Hot Chili Peppers se apresentaram.[9][5]

Em 2003, Levene contribuiu para o álbum Easy Listening... do supergrupo de rock industrial Pigface. Desde então ele lançou vários álbuns solo, entre os quais o EP Killer in the Crowd em 2004.

Em uma aparição improvisada no Musicport Festival em Bridlington Spa em 24 de outubro de 2010, onde eles se juntaram ao vocalista Nathan Maverick, Levene retornou com o ex-baixista do PiL, Jah Wobble. Em 2011, Levene contribuiu com três faixas do álbum Psychic Life, uma colaboração entre Wobble e Lonelady.[10]

No início de 2012, depois de alguns shows planejados no Japão terem sido cancelados devido a problemas com vistos, Levene e Wobble tocaram em vários locais da Inglaterra, País de Gales e Alemanha como Metal Box em Dub. Isto foi seguido pelo lançamento de um EP de quatro músicas,[11] Yin & Yang.[5]

Na primavera de 2014, Levene foi a Praga para gravar "Commercial Zone 2014", um álbum apoiado por um site de financiamento de campanhas de crowdsourcing no Indiegogo. O álbum do projeto Commercial Zone 2014, ou CZ2014, foi fornecido aos patrocinadores do crowdfunder indiegogo.

DiscografiaEditar

Álbuns de estúdioEditar

  • Violent Opposition (Taang!/Emergo/Rykodisc 1989)
  • Murder Global Demos (2008)
  • Yin and Yang (Cherry Red 2012) (Jah Wobble & Keith Levene)
  • Absolute Zero (lançado em 2013, Gonzo Multimedia 2014)
  • Commercial Zone 2014 (lançado em 2014)

Extended PlayEditar

  • Back Too Black (Iridescence 1987)
  • Keith Levene’s Violent Opposition (Fundamental/Taang! 1988)
  • Looking for Something (Taang! 1988)
  • Murder Global: Killer in the Crowd (lançado em 2002, Underground Inc. 2004)
  • EP aka Mississippi (Pressure Sounds/30 Hertz 2012) (Jah Wobble + Keith Levene)
  • Meeting Joe aka The Guardian (lançado em 2015)

SinglesEditar

  • If Six Was 9 (Rykodisc 1988)
  • Stille Im Meine Hamburg/ Clothesline (Overzealous Editions 1990) (Kendra Smith/Keith Levene & Hillel Slovak)

Referências

  1. «Search birth records 1837–2006 | Fully indexed birth records». Findmypast.co.uk. Consultado em 11 de dezembro de 2018 
  2. Di Tondo, Kathy. «Recalling PiL: The Commercial Zone Era with Keith Levene and Maureen Baker». Consultado em 11 de dezembro de 2018 
  3. Reynolds, Simon (18 de fevereiro de 2006). Rip It Up and Start Again: Postpunk 1978-1984. [S.l.]: Penguin Books. ISBN 0143036726 
  4. Gross, Jason (fevereiro 2001). «Keith Levene Interview». Perfect Sound Forever. Consultado em 24 de dezembro de 2018 
  5. a b c d Di Tondo, Kathleen M. «Keith Levene's Search for Absolute Zero». Mudkiss. Consultado em 24 de dezembro de 2018 
  6. «PIL Records, Inc». Arquivado do original em 24 de dezembro de 2018  (registered 30 January 1984 by Keith Levene, 1 Fifth Avenue, New York NY 10003, dissolved due to inactivity 26 September 1990)
  7. «Multi-Image Group». Arquivado do original em 24 de dezembro de 2018  (registered on 19 June 1986 by Shelly Da Cunha, 830 North Kodak Drive, Los Angeles CA 90026, now suspended)
  8. Dan LeRoy (2006). Paul's Boutique. [S.l.]: Continuum. pp. 14, 17 
  9. Fused Magazine | Keith Levene interview (January 3, 2015)"Violent Opposition" | Red Hot Chili Peppers
  10. «Jah Wobble & Lonelady To Explore Psychic Life». The Quietus. 16 de agosto de 2011 
  11. «Jah Wobble & Keith Levene EP». 30 Hertz Records. Fevereiro de 2012. Arquivado do original em 24 de dezembro de 2018 

Ligações externasEditar