Abrir menu principal
Kel Carruthers
Nascimento 3 de janeiro de 1938 (81 anos)
Sydney
Cidadania Austrália
Ocupação motociclista
Prêmios Hall da Fama do Golfe Mundial

Kelvin Carruthers, mais conhecido como Kel Carruthers (Sydney, 3 de janeiro de 1938), é um ex-motociclista australiano.

Índice

CarreiraEditar

InicioEditar

Filho de um proprietário de uma loja de motos,[1] Carruthers deu seus primeiros passos no motociclismo quando tinha catorze anos, em 1952.[2]

Seus primeiros títulos australianos apareceriam apenas sete anos depois, quando fora campeão nacional em 1959.[2] De quebra, conquistaria as quatro edições seguintes também.[1][2]

MotoGPEditar

Já tendo se tornado o grande destaque do motociclismo em seu país, decide correr no mundial de motovelocidade.[2] Sua estreia ocorreu em 1966. Correndo com uma Honda nas 125cc, chega numa modésta oitava posição no GP da Finlândia. Ao mesmo tempo, também disputaria algumas corridas nas 350cc e 500cc com uma pesada Norton, conseguindo como melhor resultado um quarto lugar no mesmo GP da Finlândia. Na temporada seguinte, sem patrocínio,[2] correria em todas as principais categorias, todas com uma moto diferente.

Nas 125cc, disputou quatro corridas novamente com uma Honda (a mesma do ano anterior),[2] obtendo bons resultados. Disputa também uma corrida nas 250cc com uma Suzuki, mas não conseguindo pontuar.[2] Nas 350cc, correndo com uma Aermacchi,[2] consegue seus melhores resultados no ano.[2] Ainda chegou a participar de uma corrida com a Norton, mas não se classificou para a fase final.[2] 1968 não seria muito diferente do ano anterior, mas conseguiria seus primeiros pódios.

Novamente com uma Honda nas 125cc, disputa três corridas, obtendo dois sextos lugares e um terceiro.[2] Nas 250cc e 350cc, corre com uma Aermacchi novamente, obtendo grande destaque na segunda categoria, com três pódios, sendo dois terceiros e um segundo.[2] Ao término do campeonato, ficou em terceiro na classificação geral, atrás de Giacomo Agostini e Renzo Pasolini, respectivamente.[2] Ainda correu cinco corridas nas 500cc com a Norton, obtendo apenas resultados medianos.[2] 1969 se tornaria seu grande ano no motociclismo internacional.

Disputando novamente todas as principais categorias, consegue, correndo pela Benelli,[1] seu primeiro título mundial, nas 250cc, após obter três vitórias e ver seu principal concorrente ao título, e companheiro de equipe, o italiano Renzo Pasolini sofrer um acidente e perder o restante do campeonato.[2] Nas demais categorias (125cc, 350cc e 500cc), correndo novamente pela Aermacchi consegue como melhores resultados um segundo lugar nas 125cc e outro nas 350cc. No ano seguinte, como um dos favoritos ano título, disputa apenas as 250cc e 350cc, desta vez pela Yamaha,[1] ficando com o vice-campeonato em ambas, tendo como destaque a qual defendia o título, onde conseguiu quatro vitórias.[2] Após essa temporada, abandona o mundial de velocidade para atuar como piloto nos Estados Unidos, além de começar a preparar e desenvolver oficialmente as motos de competição da Yamaha.[1][2]

Correndo nos EUA, conseguiria vitórias importantes, como as 200 Milhas de Daytona, nas 250cc.[2] Ao final da temporada 1973, abandona oficialmente as competições para se dedicar exclusivamente à preparação das motos.[2] Uma das motos que Carruthers foi responsável foi a Yamaha TZ350.[2] Ao mesmo tempo, também começa a trabalhar com um promissor corredor local, conhecido como Kenny Roberts,[2] o qual renderia à Yamaha dois títulos estadunidenses,[1] três mundiais nas 500cc (sendo o primeiro estadunidense a conquistar o título no mundial de motovelocidade)[1] e mais três vitórias nas 200 Milhas de Daytona.[2] Ainda também chegaria a trabalhar com outra lenda do motociclismo dos EUA, Eddie Lawson.[1][2]

Hall da FamaEditar

Como forma de homenagem por sua contribuição ao motociclismo, Carruthers foi introduzido, em 1985, ao Hall da Fama do Esporte australiano.[3] Em 1999, foi introduzido no Motorcycle Hall of Fame.[1]

Referências