Abrir menu principal
Kid MC
KID MC, em 2015
Informação geral
Nome completo Kid Sebastião Manuel[1]
Também conhecido(a) como MC de Raiz, Incorrigível
Nascimento 16 de junho de 1986 (32 anos)
Local de nascimento Huíla
Angola Angola
Gênero(s)
Ocupação(ões) Rapper
Instrumento(s) Vocais
Período em atividade 2002 — atualmente
Outras ocupações Compositor
Gravadora(s)
  • Cave Play (2017 – presente)
  • CAVE Records (2017 – presente)
Afiliação(ões)
Influência(s)
Página oficial madtapes.bandcamp.com

Kid Sebastião Manuel, (Huíla, 16 de junho de 1986) mais conhecido pelo nome artístico Kid MC[2][3] ou simplesmente MC de Raiz, é um rapper e compositor angolano.[4][5][6] Kid MC conviveu desde a sua infância com a guerra civil instalada em seu país.

Kid MC é considerado uma das maiores revelações do hip-hop angolano nos últimos anos e é visto como referência por muitos dos MCs em destaque na cena atual e também é admirado por veteranos. Alcançou a fama em 2008, com o primeiro álbum Caminhos, depois de ser contratado pela Mad Tapes Entertainment, uma das maior editora independente angolana especializada em hip-hop, fundada por produtor angolano Luis Queiroz, mais conhecido pelo nome artístico DJ Samurai.[7]

Obviamente, para muitos Kid MC, é denominado como David Zé do hip-hop, onde uma grande multidão de fãs em Malanje receberam o músico com gritos e chamavam lhe David Zé! David Zé! David Zé... Sobretudo junto a um público de jovens adolescentes na sua maioria masculino criando uma massiva legião de fãs, destes que por seu turno vem deparado com vários problemas sociais, Kid MC canta de forma a transmitir e advertir a sua música ao público Em 2017 Kid Mc entrou na sua própria produtora a Cave Play.

Índice

BiografiaEditar

Infância e juventudeEditar

Kid Sebastião Manuel, nascido em 16 de junho de 1986 na Huíla. Em 1998 influenciado por seus irmãos, passou a interessar-se pelo rap, tendo como referência rappers americanos. Em 1992 mudou-se para Luanda, onde teve o seu primeiro contacto com as artes e a música, formando-se através de uma instituição capacitadora.

CarreiraEditar

Início da carreiraEditar

O primeiro contacto com o rap foi na década de noventa mais concretamente em 1996.[8] Kid sempre gostou de desenhar e não gostava de rap porque achava uma tremenda confusão de palavras, e acima de tudo não entendia o que os americanos diziam nas músicas. Só que na época a mesma pessoa que ensinou o Kid a desenhar, foi à mesma que depois passou a se interessar muito pelo rap. Numa entrevista o Kid fala do seu amigo:

O hip-hop começava assim a ocupar um lugar especial em sua vida, e foi então que em 2002, o Kid Sebastião Manuel, munido de algumas composições próprias, formam um grupo junto com alguns amigos, chamado Aliança do Subsolo. Em 2006, Kid e seu amigo Vulkaum, ambos ex-integrantes do Aliança do Subsolo, arriscam um trabalho em duo e lançam 2 por 1 e 1 por 2. Era um tempo de descobertas para Kid e novas experimentações não paravam de brotar em sua mente.[9][10]

20062008: Sucesso a solo confirmado com a Mad TapesEditar

 Ver artigo principal: Mad Tapes
Caminhos
Uma amostra de 43 segundos da música "Brutal Skill" do álbum Caminhos de 2008, onde Kid MC cospe rimas com inteligêcia.

Problemas para escutar este arquivo? Veja a ajuda.


Em 2008, Kid assina com a independente Mad Tapes Entertainment do renomado produtor angolano DJ Samurai, e lança o primeiro álbum intitulado Caminhos, trabalho que conta com a produção dos principais nomes da música angolana como: Condutor, Level Khronico, Mad Contrário, Flagelo Urbano, DH, Raiva Kamikaze, Boni Diferencial, Wagisa e com as vozes de BZB, Marília, Dilman, Gri MC e Andrónico MC. Seu primeiro show a solo foi um sucesso, com casa lotada no Xá de Caxinde (sala de concertos em Luanda), onde a sua primeira legião de fãs se fez presente vibrando e cantando as letras das suas músicas.

20082009: Breves ConsideraçõesEditar

Popular entre os adeptos do “Movimento Angolano”, em 2009 foi a vez da mixtape Breves Considerações, que consolidou o nome do rapper junto ao grande público, após ter atingido às paradas musicais das rádios, seguido de um grandioso show que lotou por completo o Cine Karl Marx (sala de concertos em Luanda) Contundente em suas letras, Kid MC rebusca a essência do verdadeiro hip-hop pregado por Afrika Bambaataa e o associa a críticas cortantes como se pode ouvir em “O Incorrigível”, faixa principal de seu segundo álbum com o mesmo nome. O projeto contém 18 faixas inéditas e conta com as participações inusitadas de MCK, Dilman, Lancelot, Fly Skuad, Drunk Master, Dapima, Eliei, Lucássio e DJ Nel Assassin. O álbum foi lançado oficialmente sábado, 18 de dezembro de 2010 na Praça da Independência, gerando a maior enchente já vista por um artista angolano naquele espaço de comercialização de obras discográficas. Foram mais de 20 mil o número de fãs de Kid MC que apareceram no local para adquirir o tão esperado álbum.

20102011: O IncorrigívelEditar

Em 2010 o lançamento do O Incorrigível, o terceiro trabalho do mestre de cerimônia ou para muitos Kid MC, desta obra seriam rosto de alguns temas de referência “Farei o Que Puder”, “Sinto a Vossa Dor”, “Fecha A Boca”, “Metamorfose” e “Angolana”. Destes temas referenciados dos quais fazem maior sucesso em torno de toda Angola. Em termos de vendas, o álbum O Incorrigível atingiu um número considerável, 10 mil cópias que chegou a estourar na capital do país. “Causando uma invasão por parte dos fãs que se aglomeravam ao local de venda na Praça da Independência, a propósito disso Kid MC e a staff foram obrigados a abandonar."

O Incorrigível um álbum que foi submetido a mas uma reedição, devido ao prévio esgotamento na primeira fase de venda, e portanto causando mesmo assim uma demanda por parte dos fãs, a produtora musical Mad Tapes realiza o mega show de Kid MC, começando por Luanda e de seguida para Benguela, Huambo, Bié e Malanje, ao longo da sua torne chegou a vender mas uma vez o disco em referencia, o musico também cedeu cessões de autógrafos, e venda de camisolas, atendendo mesmo a demanda do público que pela primeira vez tiveram o privilégio de ver Kid MC.

Em março de 2011, ainda sentindo o enorme feedback do O Incorrigível e a crescente popularidade de Kid, a Mad Tapes aposta num grandioso concerto no Pavilhão da Cidadela[11] para a apresentação ao vivo do projeto. Mas uma vez o grande público (mais de 15 mil), na sua maioria jovens, lotaram o recinto, provando e tornando assim o nome “Kid MC”, numa das maiores referencias do hip-hop angolano.[12] Seguiu-se assim um grande número de shows pela cidade de Luanda, e uma Tour por Angola, onde o artista fez chegar o seu trabalho e performance a outras províncias do país, e onde foi igualmente recebido por inúmeros fãs que não deixaram de mostrar a admiração que têm pelo artista. Ainda em 2011, Kid MC ganha o 3º Lugar[13] no Top dos Mais Queridos, uma gala de premiação conceituada em Angola, onde o país todo vota para apurarem os cantores mais populares.

20122013: SombraEditar

Amostra de 42 segundos da música "O Quê Querem Que Eu Cante?" do álbum Sombra.

Uma amostra de 45 segundos da resposta do beef do rapper Extremo Signo.

Problemas para escutar estes arquivos? Veja a ajuda.

Kid confirmou à seus fãs que ele preparava um novo álbum para o ano de 2013. Acrescenta que ele já tem o título para o álbum, mas que ele não pode revelar no momento. Depois de alguns dias, ele revelou o título do seu próximo álbum: Sombra. A venda e sessão de autógrafos do álbum foi no sábado dia 7 de setembro de 2013 na Praça da Independência em Luanda.

Neste álbum o Kid demonstrou mais o seu lado “underground” atacando os políticos angolanos na música O Quê Querem Que Eu Cante? e não só. Ele se baseou no flow e rimas rápidas com trocadilhos, continuando com sua alternância nas batidas sonoras, como podemos constatar na faixa “Retalhação” e Dropping Force.

Kid, teve que resolver alguns problemas pendentes respondendo o beef do rapper Extremo Signo que vivia dizendo: “o Kid MC se inspira em mim”. O Kid respondeu no segundo single do álbum O Patrão Vem Já e atacando verbalmente todos os rappers do Elenco de Luxo (um grupo colaborativo, onde o Extremo Signo faz parte).[14]

Depois da venda e sessão de autógrafos em 2013, a Mad Tapes Entertainment anuncia mais um “Grande Show” de Kid MC, no dia 1 de março de 2014, no Cine Atlântico para apresentação do seu álbum intitulado “Sombra”.[15][16] A Mad Tapes Entertainment convidou para Host a rapper Eva RapDiva e conta com mais de 14 convidados fruto das grandes participações que teve no álbum Sombra e como convidado especial o “rei” da linha de sintra NGA.[17]

20152016: Dois Lado da Mesma MoedaEditar

Em 2015, Kid MC anunciou que estava trabalhando em seu próximo álbum previsto para ser lançado em 2016, o álbum foi incluído em “Álbuns Mais Aguardados de 2016”. Ele afirmou que o projeto estava tomando forma e que Boni Diferencial estaria envolvido.

Em 4 de junho de 2016 Kid MC lançou o seu quarto álbum de estúdio intitulado: Dois Lado da Mesma Moeda.[18][19]

Características musicaisEditar

Estilo musicalEditar

Kid MC é conhecido por suas letras inteligentes. A maioria de suas canções contêm estilo underground.

Maioria das suas músicas foca em questões controversas na sociedade, factos relacionado com o quotidiano, questões como a hierarquia de classes, a pobreza e sobre tudo a discriminação social. Maior parte das composições é de sua autoria e fizeram a entrada nas paradas de sucesso angolano.

DiscografiaEditar

Álbuns de estúdioEditar

MixtapesEditar

  • 2009 : Breves Considerações


Álbuns colaborativosEditar

  • 2006 : 2 por 1 e 1 por 2 (com Vulkaum)
  • 2017 : Confronto de Titãs (com Dji Tafinha)
  • 2017 : Império (com Fly Skuad e Lucassio)

Lista de prêmios e indicaçõesEditar

Top dos Mais QueridosEditar

Ano Nomeação Categoria Resultado
2011 Kid MC Rapper Underground Mais Querido em Angola[21] 3° classificado

Referências

  1. Kaima Manita & Cláudio Silva (2 de junho de 2016). «Entrevista com Kid Sebastião Manuel». radios.sapo.ao. Consultado em 5 de outubro de 2016 
  2. Francisco Kalemba (Junho de 2013). «Biografia de Kid MC». colecionadordeversos.blogspot.com. Consultado em 8 de outubro de 2016 
  3. sashajustice (29 de março de 2013). «Rapper Kid MC changed the landscape in angolan hip hop and still continues to transform the game». sashajustice.com. Consultado em 5 de outubro de 2016 
  4. DEALEMA (27 de novembro de 2013). «DEALEMA + Kid MC AO VIVO EM LISBOA». DEALEMA. Consultado em 4 de outubro de 2016 
  5. Supakrazy REPORT (20 de dezembro de 2013). «Um dos maiores rappers angolano "Kid MC" em Lisboa». Supakrazy. Consultado em 4 de outubro de 2016. Arquivado do original em 9 de outubro de 2016 
  6. Supakrazy REPORT (20 de dezembro de 2013). «Apresentação dos projectos de Dealema "Alvorada da Alma" e "Sombra" de KID MC, no espaço Santiago Alquimista em Lisboa incerido no Talkfest'14». Supakrazy. Consultado em 4 de outubro de 2016. Arquivado do original em 9 de outubro de 2016 
  7. guinevereuniversidade (Maio de 2012). «Kid MC o músico do hip-hop angolano». guinevereuniversidade.blospot.nl. Consultado em 8 de outubro de 2016 [ligação inativa]
  8. NewsHip-Hop (Janeiro de 2011). «Entrevista de Kid MC». www.so-9dades.com. Consultado em 8 de outubro de 2016. Arquivado do original em 9 de outubro de 2016 
  9. FlashHipHop (Outubro de 2016). «Biografia e Discografia de Kid MC». flashhiphop.blogspot.com. Consultado em 8 de outubro de 2016 
  10. Vui Vui (11 de novembro de 2015). «Entrevista com o KID MC no Beat Box D One». Jango Magic. Consultado em 4 de outubro de 2016. Arquivado do original em 9 de outubro de 2016 
  11. DJ Samurai (agosto de 2011). «KID MC and 1 live in Luanda». Mad Tapes. Consultado em 6 de outubro de 2016 
  12. Revista Carga (setembro de 2011). «Entrevista com a revista CARGA». Revista Carga. Consultado em 6 de outubro de 2016 
  13. DJ Samurai (outubro de 2011). «Parabéns KID, pelo 3º Lugar». MAD TAPES. Consultado em 6 de outubro de 2016 
  14. redeangola (Setembro de 2016). «Kid MC responde Beefs». redeangola.info. Consultado em 8 de outubro de 2016 
  15. LHH (6 de março de 2014). «A Sombra». LusoHipHop. Consultado em 4 de outubro de 2016. Arquivado do original em 9 de outubro de 2016 
  16. Mad Tapes (18 de fevereiro de 2014). «Apresentação do álbum Sombra». Hip-Hop Angolano. Consultado em 4 de outubro de 2016 
  17. Mad Tapes (20 de fevereiro de 2014). «NGA comenta sobre as músicas que pretende ouvir e cantar no show do Kid MC». HHA. Consultado em 4 de outubro de 2016. Arquivado do original em 3 de dezembro de 2013 
  18. AngoRussi (7 de junho de 2016). «Kid MC cria túmulo na praça da independência com a obra Dois Lado da Mesma Moeda». angorussia.com. Consultado em 7 de outubro de 2016 
  19. Francisco Kalemba (29 de maio de 2016). «Kid MC fala do seu novo projeto». radios.sapo.ao. Consultado em 7 de Outubro de 2016 
  20. Kaima Manita & Cláudio Silva (2 de junho de 2016). «Kid Sebastião Manuel, novo álbum - Dois Lado da Mesma Moeda». radios.sapo.ao. Consultado em 5 de outubro de 2016 
  21. Mad Tapes (Outubro de 2011). «Parabéns KID, pelo 3º Lugar no Top dos Mais Queridos». MAD TAPES. Consultado em 6 de outubro de 2016 

Ver tambémEditar

 Ver artigo principal: Lista de músicos de Angola

Ligações externasEditar