Abrir menu principal
Kim Yo-jong em 2018

Kim Yo-jong (Pyongyang, 26 de setembro de 1987)[1] é a irmã mais nova do ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e filha mais jovem do falecido líder do país, Kim Jong-il.

VidaEditar

Kim Yo-jong é a filha de Kim Jong-il e sua esposa, Ko Yong-hui. Ela nasceu em 26 de setembro de 1987[2]. Ela e Kim Jong-un estudaram juntos na Suíça, entre 1996 e 2000, e ela pode ter estudado na Universidade Militar Kim Il-sung após seu retorno ao país.[1]

CarreiraEditar

Ela foi identificada pela primeira vez em uma sessão de fotos dos participantes da 3ª Conferência do Partido dos Trabalhadores da Coréia, em setembro de 2010, quando ela estava ao lado do secretário pessoal de seu pai e sua suposta amante, Kim Ok.[3]

Kim Yo-jong recebeu muita publicidade durante o funeral fúnebre de Kim Jong-il, em dezembro de 2011, quando ela apareceu várias vezes ao lado de seu irmão, Kim Jong-un, ou levando cortejos fúnebres das autoridades centrais. Ela recebeu, então, uma posição no âmbito da Comissão de Defesa Nacional, no início de 2012, atuando como gerente de turnê de Kim Jong-un,[4] mas não apareceu publicamente até novembro de 2012, quando a Korean Central Television mostrou-lhe acompanhando Kim Jong-un em um terreno militar de equitação.[5] Ela foi oficialmente mencionada pela primeira vez em 9 de março de 2014, quando esteve acompanhando seu irmão na votação para a Assembleia Popular Suprema. Kim Yo-jong foi identificada como um "alto funcionário" do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores da Coreia.[6]

Em outubro de 2014, foi relatado que ela possivelmente assumiu deveres do Estado, devido seu irmão estar doente, enquanto ele passava por tratamento médico.[7]

Em 28 de novembro de 2014, ela foi nomeada vice-diretora do Partido dos Trabalhadores da Coreia.[8]

A 7 de outubro de 2017, Kim Yo-jong foi promovida pelo irmão para ocupar um importante cargo no Politburo do Partido dos Trabalhadores norte-coreano[9] [10], que é o principal órgão do poder executivo do país. Yo-Jong também lidera o departamento de propaganda da Coreia do Norte. Na prática, a irmã do lider norte-coreano desempenha funções equivalentes a de um Chefe de Gabinete.[11]

Em caso de morte de Kim Jong-Un, é bastante provável que sua poderosa irmã se torne lider do país mais fechado do mundo.[12]

Referências