Abrir menu principal

Knocking

filme de 2006 dirigido por Joel Engardi
Tango-nosources.svg
Este artigo possui muitas passagens de textos religiosos como fontes primárias sem se referir a fontes secundárias que as analisam criticamente. Por favor, melhore este artigo, adicionando referências de fontes secundárias fiáveis
Encontre fontes: Googlenews, books, scholar, Scirus
Knocking
Knocking (Batendo na Porta) (BRA)
Estados Unidos
2006 •  cor •  64 min 
Direção Joel P. Engardio e Tom Shepard
Roteiro Joel P. Engardio
Género documentário
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Knocking (Batendo na Porta), é um documentário produzido nos EUA em 2006, disponível com legendas em espanhol ou português.

Knocking faz um análise de como as Testemunhas de Jeová enfrentaram a sociedade, além de bater de porta em porta. Dirigido por Joel P. Engardio e Tom Shepard, foca as liberdades civis conquistadas pelas Testemunhas de Jeová. O diretor do filme conta que sua mãe é uma Testemunha de Jeová.

Este filme foi baseado primeiramente em histórias de três Testemunhas de Jeová, e como suas vidas ilustram três ensinos fundamentais das Testemunhas de Jeová, que afetaram a sociedade de maneira surpreendente:

  1. Práticas de serviço militar;
  2. Transfusões de sangue e
  3. Saudação à bandeira.

HistóriaEditar

Lillian Gobitas: Como uma menina na Pensilvânia, EUA e milhares de outras crianças Testemunhas de Jeová recusaram saudar a bandeira dos Estados Unidos, levantando uma controvérsia que levou a Suprema Corte dos Estados Unidos em 14 de junho de 1943 a decidir que a saudação obrigatória à bandeira era incoerente com a garantia da liberdade concedida pela própria constituição daquela nação.

Joseph Kempler: Um judeu que se converteu à fé das Testemunhas de Jeová após ter observado sua integridade dentro de campos de concentração durante a segunda guerra mundial.

Seth Thomas: Um jovem Testemunha de Jeová de 23 anos, que apesar do risco e da oposição de sua família não Testemunha, recusou transfusões de sangue durante uma cirurgia de transplante de fígado. Quando o tratamento foi rejeitado inicialmente pelo centro médico da universidade de Baylor de Texas, cirurgiões no centro médico do hospital da Universidade de Los Angeles, Califórnia concordaram em executar a operação, acreditando que essa pesquisa na medicina é necessária e deve ser explorado.

Lutando pelo seu direito de viver e de adorar porque assim escolheram, as Testemunhas de Jeová ganharam muitas vitórias legais que protegeram liberdades civis e a liberdade de escolha para todos os americanos e milhões em muitos outros países.

Recusando transfusões de sangue, mas insistindo no melhor cuidado médico disponível, arriscaram suas vidas na busca de novas alternativas médicas ao sangue,[1] usadas agora em todos os tipos de pacientes.

Resistindo a Hitler e ao seu exército, as Testemunhas de Jeová na Alemanha Nazi foram encarceradas aos milhares em campos de concentração durante o Holocausto, à semelhança de outros grupos religiosos, sociais ou políticos.

Prêmios e depoimentosEditar

Knocking ganhou a concessão do juri como melhor documentário no Festival de filmes de 2006, em Dallas, EUA, e a concessão da assistência para o melhor documentário de 2006 em Indianápolis no Festival internacional de Filmes.

Foi apresentado em festivais de filmes dentro Trenton, New Jersey; en:East Lansing, Michigan; en:Flint, Michigan; Cleveland, Ohio; Reno, Nevada.

Knocking ganhou concessões dos seguintes Festivais:

  • O melhor Documentário, concessão do Júri, 2006 - o Festival de Filme (Dallas)
  • O melhor Documentário, concessão do Júri, 2006 - o Festival de filmes de Trenton (New-jersey)
  • O melhor Documentário, concessão das audiências, 2006 - O Festival do primeiro e melhor filme internacional de Indianápolis;
  • Concessão do Juri, seleção oficial internacional da filme de (New York), 2006;
  • Festival internacional de filme de Cleveland, 2006.

"Fascinante e revelador. Knocking nos conduz ao mundo interior das Testemunhas de Jeová de um modo absolutamente surpreendente e comovedor".

Anderson Cooper, CNN

"Uma cuidadosa versão de uma importante história, frequentemente ignorada, sobre questões essenciais nos Estados Unidos".

Jon Meacham, Editor de Newsweek

"Um documentário convincente. Knocking confirma o princípio que numa sociedade livre, a proteção da liberdade religiosa e o aprimoramento das liberdades individuais não precisam ser valores competitivos".

Anthony D. Romero, Diretor da União Americana das Liberdades Civis

Referências

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar