Konstantin Balmont

Konstantin Dmitrievich Balmont (em russo: Константин Дмитриевич Бальмонт, 15 de junho de 1867Noisy-le-Grand, 23 de dezembro de 1942) foi um poeta simbolista, tradutor e uma das maiores figuras da Idade de Prata da Poesia Russa.[1]

Konstantin Balmont
Nascimento 15 de junho de 1867
Morte 23 de dezembro de 1942 (75 anos)
Noisy-le-Grand
Sepultamento Noisy-le-Grand
Cidadania Império Russo, República Socialista Federativa Soviética da Rússia, França
Cônjuge Yekaterina Balmont
Alma mater
Ocupação linguista, poeta, escritor, tradutor
Obras destacadas Burning Buildings, Let Us Be Like the Sun
Movimento estético simbolismo
Causa da morte pneumonia
Assinatura
BalmontSignature.png

A educação inicial de Balmont veio de sua mãe, que sabia várias línguas estrangeiras, era entusiasta da literatura e do teatro e exerceu forte influência sobre o filho. Em seguida, frequentou dois ginásios, foi expulso do primeiro por atividades políticas e se formou no segundo. Ele estudou direito na Universidade Estadual de Moscou, mas foi rapidamente expulso por participar de distúrbios estudantis. Ele tentou novamente no Demidov Law College, mas desistiu em 1890.

Em fevereiro de 1889 ele se casou com Larisa Mikhailovna Garelina; infeliz no casamento, em 13 de março de 1890 Balmont tentou o suicídio pulando de uma janela do terceiro andar, deixando-o mancando e com a mão ferida de escrever para o resto de sua vida. Ele se envolveu em dois outros casamentos de união estável e tentou o suicídio pela segunda vez mais tarde na vida.

Ele escreveu poesia e prosa prolificamente e publicou suas obras para um grande público na Rússia, de onde emigrou após a revolução bolchevique, e para um público menor no exílio. Ele também traduziu obras de escritores em várias outras línguas, incluindo as obras de Edgar Allan Poe. Ele era considerado um poeta inovador e fazia amizade com muitos de seus colegas poetas emigrantes russos. Ele morreu de pneumonia na França em 1942.[2][3][4][5][6]

Trabalhos selecionadosEditar

Coleções de poesiaEditar

  • Coleção de poemas (Сборник стихотворений, 1890)
  • Sob o céu do norte (Под северным небом, 1894)
  • Silêncio (Тишина. Лирические поэмы, 1898)
  • Edifícios em chamas. A Lírica da Alma Moderna (Горящие здания. Лирика современной души, 1900)
  • Vamos ser como o sol. O Livro dos Símbolos (Будем как солнце. Книга символов, 1903)
  • Somente amor (Только любовь. Семицветник, 1903)
  • Liturgia da Beleza (Литургия красоты. Стихийные гимны, 1905)
  • Vile Charms (Злые чары, 1906)
  • Poemas (Стихотворения, 1906)
  • Canções do Vingador (Песни мстителя, 1907)
  • Três flores. Teatro da Juventude e Beleza (Три расцвета. Театр юности и красоты, 1907)
  • Pássaros no ar (Птицы в воздухе. Строки напевные, 1908)
  • Arquiteto Branco. Mistério das Quatro Lanternas (Белый Зодчий. Таинство четырёх светильников, 1914)
  • Cinzas. Visions of a Tree (Ясень. Видение древа, 1916)
  • Sonetos do Sol, Mel e Lua (Сонеты Солнца, Мёда и Луны, 1917; publicado em 1921 em Berlim)

Referências

  1. «Konstantin Balmont». Encyclopædia Britannica Online (em inglês). Consultado em 30 de setembro de 2020 
  2. Makogonenko, Darya. Life and Fate (Zhizn i sudba). // Balmont, К. The Selected Works. Poems, translations, essays. Compiled by Darya Makogonenko. Moscow. Pravda Publishers, 1990. ISBN 5-253-00115-8
  3. «БАЛЬМОНТ, КОНСТАНТИН ДМИТРИЕВИЧ | Энциклопедия Кругосвет». www.krugosvet.ru (em russo). Consultado em 14 de junho de 2021 
  4. «Константин Бальмонт (Судьбы поэтов серебряного века)». web.archive.org. 9 de junho de 2011. Consultado em 14 de junho de 2021 
  5. «Константин Бальмонт и его поэзия». web.archive.org. 9 de junho de 2011. Consultado em 14 de junho de 2021 
  6. «Lib.ru/Классика: Бальмонт Константин Дмитриевич. Бальмонт К. Д.: биобиблиографическая справка». az.lib.ru. Consultado em 14 de junho de 2021