Kuki (futebolista)

futebolista brasileiro

Sílvio Luiz Borba da Silva, mais conhecido como Kuki (Crateús, 30 de abril de 1971), é um ex-futebolista brasileiro que atua como auxiliar técnico no Náutico desde 2010,[1] no qual é ídolo e é o terceiro maior artilheiro da história do clube.[2]

Kuki
Informações pessoais
Nome completo Sílvio Luiz Borba da Silva
Data de nasc. 30 de abril de 1971 (49 anos)
Local de nasc. Crateús, Ceará, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,67 m
Apelido Incrível Kuki
Baixinho Artilheiro
Informações profissionais
Equipa atual Náutico
Posição Auxiliar técnico (ex-tacante)
Clubes profissionais
Anos Clubes
1993–1994
1993
1995
1996–1997
1996
1997–1998
1998
1999
2000
2000
2001–2002
2002
2002–2009
2007
Encantado
Taquariense (emp.)
Palmeirense
Ypiranga de Erechim
Veranópolis (emp.)
Lajeadense
Palmeirense
Grêmio Santanense
Inter de Lages
Brusque
Náutico
Chonbuk
Náutico
Santa Cruz (emp.)
Times/Equipas que treinou
2010–
2011
Náutico Auxiliar técnico
Náutico interino
Última atualização: 18 de Outubro de 2011

CarreiraEditar

JogadorEditar

Apelidado de Kuki pela avó, nasceu na cidade de Crateús, no Ceará, mas logo mudou-se para o Rio Grande do Sul, onde iniciou sua carreira. Começou tardiamente a carreira profissional, aos 23 anos no Esporte Clube Encantado, da cidade do mesmo nome.[3]

Após ser artilheiro e campeão da segunda divisão do campeonato catarinense em 2000 pelo Inter de Lages, foi contratado pelo Náutico, iniciando seu período de artilheiro e ídolo do clube, interrompido por passagens pelo futebol da Coreia do Sul e pelo pernambucano Santa Cruz.[3]

 
Camisa utilizada pelo Náutico no Campeonato Pernambucano de 2001, autografada pelos jogadores da equipe na época; dentre eles, Kuki.

Pelo Náutico, Kuki foi campeão pernambucano três vezes. Em 2001, foi campeão e artilheiro no ano de centenário do clube. Em 2002, o Náutico liderado por Kuki conquistou o bicampeonato. Em 2003, apesar de não conquistar o título pelo clube, Kuki foi novamente o artilheiro do campeonato. Em 2004, o jogador protagonizou mais uma glória do Timbu, na conquista do Pernambucano daquele ano. Em 2005, Kuki foi novamente artilheiro do Campeonato Pernambucano, com 17 gols.[4]

Era um jogador com muitos recursos técnicos e apresentava uma dedicação acima do habitual. Em 2008, Kuki chegou a marca de 184 gols pelo Náutico, sendo o terceiro maior artilheiro da história do clube, atrás apenas de Bita (223 gols), Fernando Carvalheira (185) e na frente de Baiano (181).[5]

Pelo Brasileirão 2009, contra o Grêmio, Kuki se tornou o jogador que mais vestiu a camisa do Timbu.[6] No estádio dos Aflitos, o atacante disputou seu 386º jogo pelo time alvirrubro. Ao final de sua carreira, Kuki fez 387 jogos pelo Náutico, marcando 179 gols, sendo 1 gol em 9 jogos pelo Náutico no Brasileirão 2009.[7][8]

Auxiliar técnicoEditar

Em abril de 2010, Kuki tornou-se auxiliar-técnico no Náutico para trabalhar com o treinador Waldemar Lemos.[7] Kuki mantém-se auxiliar técnico do clube mesmo depois de passagens de diversos técnicos, tais como Alexandre Gallo e Vágner Mancini.[9][10]

Kuki se tornou importante na comissão técnica timbu por fazer trabalhos específicos de finalização ao gol com os atacantes, tendo seu trabalho reconhecido por jogadores como Rony, artilheiro do Náutico na Série B de 2016[11].

Como auxiliar técnico, Kuki conquistou o título pernambucano de 2018 e o acesso a Série B 2020.

PolíticaEditar

Em 2020, Kuki filiou-se ao Partido Socialista Brasileiro (PSB) com o intuito de concorrer ao cargo de vereador em Recife na eleição municipal de 2020.[12] Kuki angariou 1.329 votos e não foi eleito para o cargo.[13]

TítulosEditar

Náutico
Como jogadorEditar
Como auxiliar-técnicoEditar
Inter de Lages

Prêmios individuaisEditar

Referências

  1. «Ídolo do Náutico, ex-atacante Kuki vive dias de professor nos Aflitos». GloboEsporte. Consultado em 25 de março de 2013 
  2. «Náutico acerta retorno de Kuki, mas agora como coordenador da base». GloboEsporte. Consultado em 25 de março de 2013 
  3. a b «Kuki - Futebol - UOL Esporte». Esportes.UOL.com.br. Consultado em 2 de outubro de 2012 
  4. «Com melhor temporada, Kuki conquista o Náutico». UOL. Consultado em 25 de março de 2013 
  5. «Bizu e Kuki - O reencontro dos dois últimos grandes ídolos alvirrubros». Blogdotorcedor.com.br. Consultado em 2 de outubro de 2012 
  6. «Kuki mira a aposentadoria». Jornal do Commercio. Consultado em 25 de março de 2013 
  7. a b «Náutico acerta retorno de Kuki, mas agora como auxiliar técnico». GloboEsporte.com. 9 de abril de 2010. Consultado em 9 de abril de 2010 
  8. Náutico: jogo de despedida para o ídolo Kuki entra na pauta do Timbu
  9. «Seis anos de um fenômeno chamado Kuki». Timbu.NET. Consultado em 29 de setembro de 2007. Arquivado do original em 16 de janeiro de 2008 
  10. «Chateado com torcida, Kuki troca Náutico por rival Santa Cruz». Esportes.UOL.com.br. Consultado em 8 de abril de 2010 
  11. «Quem é Rony: conheça a história do atacante, destaque do Athletico, em dez momentos». Globoesporte. Consultado em 1 de outubro de 2019 
  12. «Kuki é pré-candidato a vereador do Recife pelo PSB». LeiaJá. Consultado em 17 de novembro de 2020 
  13. Vecchioli, Demétrio (16 de novembro de 2020). «Olhar Olímpico - De Maurren e Luiz Lima a Kuki e Dinei, atletas fracassam na eleição». UOL. Consultado em 17 de novembro de 2020 

Ligações externasEditar