Kumasi é uma cidade do Gana, anteriormente conhecida por Coomassie. Localiza-se na região dos axântis, no centro do país. Tem cerca de 976 mil habitantes. O Centro Cultural National possui uma excelente exposição sobre a história axânti, entre eles o trono em ouro falso usado para enganar o exército britânico. O Palácio de Asantehene (Palácio Manhyia) é uma amostra de como os reis axântis viviam de modo despretensioso. Os vilarejos ao redor da cidade são conhecidos pelos artesanatos.

Kumasi
  Cidade  
Kumasi
Kumasi
Símbolos
Selo de Kumasi
Selo
Localização
Localização de Kumasi em Axânti
Kumasi está localizado em: Gana
Kumasi
Localização de Kumasi em Axânti
Coordenadas 6° 40' N 1° 37' O
País Gana
Região Axânti
Distrito Kumasi Metropolitana
História
Fundação 1680
Administração
Prefeito-Conselho Kojo Bonsu
Características geográficas
Área total [1] 254 km²
População total (2013) 2 069 350 hab.
Densidade 8,100 hab./km²
Altitude 250 m
Fuso horário UTC±0
Código de telefone 032
Sítio www.kma.gov.gh
Uma rua com um mercado em Kumasi, Gana. Março de 2005

HistóriaEditar

Foi fundada em 1700. Antiga capital do Reino de Axânti, é rodeada por colinas verdejantes. Joseph Dupuis explorou território adentro e em 1820 se deparou com uma comunidade islâmica na localidade.[2] Partes da cidade, incluindo o Palácio Real, foram destruídas pelas tropas britânicas durante a Terceira Guerra Anglo-Axante de 1874.[3] A primeira guerra iniciou por os Axante quererem um território juntamente a Fante, e assim uma batalha contra um exército de dois mil e quinhentos dos britânicos, contra de dez mil dos Axantes, estes derrotaram o exército e mataram o governador de Fante, Sir Charles MacCarthy. Na segunda em 1863, ninguém de fato ganhou por causa de uma doença que os atingiu, terminando em 1864. A terceira ocorreu entre 1873 à 1874 e os britânicos conseguiram derrotar os Axante na batalha de Amoaful, eles a ocuparam e incendiaram, essa guerra só chegou ao fim quando os Axantes assinaram o tratado de femona em 1874, nesse tratado eles reconheciam a independência dos estados de vassalos e uma multa de 50.000 onças de ouro. A quarta guerra se deu em 1894 à 1896 com um exército de africanos se opondo ao domínio Axante que junto com o rei Asantehene Agyeman Prempehdo do império na época tiveram que assinar um tratado e foram exilados para as ilhas Seychelles. A última em 1900 foi chamada de Guerra do Banco Dourado em que a Rainha mãe dos Axantes, Yaa Asantewaa se revoltou com o ato do representante britâncio Sir Frederick Mitchell Hodgson sentar no Banco Dourado. Mil soldados britânicos morreram e dois mil Axantes, Yaa Asantewaa também foi exilada para as ilhas seycheles e os Britânicos ficaram com o domínio da Costa do Ouro até a independência de Gana.[4]

[5]Kumasi originou-se de um místico de três árvores em que o sacerdote Okomfo Anokye as plantou e profetizou que a que vivesse seria a capital de Axante. Uma foi plantada na Aldeia Oboani e a outra em Apemso-Bankofo, porém a que foi plantada em Kwaaman cresceu e floresceu.[6] Denkyira, um dos reis mais poderosos de sua época controlou grande parte do cinturão florestal do sul de Gana, entretanto em 1701 o rei Osei Tutu inseriu novas táticas militares aprendidas para derrotar Denkyira, e conseguiu numa batalha em Feyase. Após isso, cidades independentes se juntaram para criar a confederação Axante através de um selo.

Rei Osei Kofi TutuEditar

[7]Nasceu por volta de c. 1660 até 1712/1717, fundou o Império Axante e o fez um estado político permanente criando uma hierarquia política com o seu povo. Okomfo anokye o mostrou o Tamborte Dourando, que se tornou símbolo místico por segundo a tradição ter sido trago do céu pelo sarcedote. Osei derrotou poderosos líderes durante o seu reinado, junto com Anokye estabeleceu costumes pra influência das tradicões locais acabarem.

AsantesEditar

[8]Os Asantes possuem uma religião baseada no miticismo do Tamborete Dourado pelo fato do sacerdote Okomfo falar que era necessário a proteção do Banco Dourado porque o espírito e a força do povo dependia disso.

Os tipos de materiais na artes eram os florões de guarda-chuva, as jóias de ouro fundido, os pesos de ouro de latão e os tecidos de rayon. Além do seu sistema político ser semi-militar.

Referências

  1. «Demographic Characteristics». Consultado em 9 de março de 2014. Arquivado do original em 3 de maio de 2011 
  2. «Islã na África Negra». Vincent Monteil. 1967. Consultado em 29 de dezembro de 2017 
  3. David Owusu-Ansah, Historical Dictionary of Ghana, Rowman & Littlefield, USA, 2014, p. xliii
  4. Momodu, Samuel (24 de março de 2018). «The Anglo-Ahsanti Wars». Blackpast. Consultado em 06 de maio de 2022  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  5. Dorvlo, Desmond (08 de outubro de 2020). «Kumasi - O coração da região Axante». Breath List. Consultado em 06 de maio de 2020  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  6. Fraser, Douglas (1972). African Art and Leadership. London: The Unisersity of WIscoin of Press. pp. 138–140 
  7. Franz, Alyssa (30 de maio de 2009). «Osei Kofi Tutu». Blackpast. Consultado em 06 de maio de 2022  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  8. «Asante». Art & life in Africa. Consultado em 06 de maio de 2022  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Kumasi
  Este artigo sobre o Gana é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.