Lílio (em latim: Lilius ou Lillis; em grego medieval: Λίλλις ou Λίλιος; romaniz.: Líllis ou Lílios) foi um oficial bizantino do final do século VI e começo do século VII.

Lílio
Nacionalidade Império Bizantino
Religião Catolicismo

VidaEditar

 
Soldo de Focas (r. 602–610)

É citado pela primeira vez num fragmento de João de Antioquia. No fragmento, Alexandre e Lílio são enviado como embaixadores ao imperador Maurício I (r. 582–602) em Constantinopla. Eram aparentemente representantes de Focas e o exército revoltoso da Trácia, fazendo-os assim rebeldes.[1] Em 27 de novembro, Lílio foi o agente enviado para assassinar Maurício e seus filhos; retornou a Focas em Hebdomo com suas cabeças e anuncia o feito ao exército. Em março/abril de 603, foi enviado à Pérsia para anunciar a ascensão de Focas ao Cosroes II (r. 590–628). Foi cumprimentado por Germano em Dara e avança à Pérsia, onde foi preso enquanto o xá se preparava à guerra.[2]

Referências

  1. Martindale 1992, p. 46-47.
  2. Martindale 1992, p. 793.

BibliografiaEditar

  • Martindale, John Robert; Jones, Arnold Hugh Martin; Morris, John (1992). «Lillis». The Prosopography of the Later Roman Empire - Volume III, AD 527–641. Cambridge e Nova Iorque: Cambridge University Press. ISBN 0-521-20160-8