Língua toda

Toda

tōtā

Falado(a) em: Índia
Região: Montes Nilgiri
Total de falantes: 1 560 (2001)
Família: Dravídica
 Meridional
  Tâmil-canarês
   Tâmil-kodagu
    Toda-kota
     Toda
Escrita: alfabeto tâmil (brâmico)
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: tcx

Toda é uma língua dravídica, que é notável por suas muitas consoantes fricativas e vibrantes. É falada pelo povo Toda, uma população de mais de mil pessoas que vivem nos montes Nilgiri do sul da Índia. É uma derivação da antiga língua canaresa.[1]


FonologiaEditar

VogaisEditar

Para uma língua dravídica, os dezesseis vogais da língua Toda são um número invulgarmente grande. Existem oito qualidades vogais, cada uma das quais pode ocorrer longa ou curta. Há pouca diferença na qualidade entre os vogais longas e curtas, exceto para / e /, que ocorre como [e] quando curto e como [æː] quando longo.[2]

Anterior Central Posterior
não arredondada arredondada não arredondada arredondada não arredondada arredondada
Fechada i y ɨ u
Medial e ɵ o
Aberta æː ɑ

ConsoantesEditar

Toda tem um número extraordinariamente grande de fricativas e vibrantes. Seus sete locais de articulação são maiores do que em qualquer língua dravídica. As laterais tenuis não sonoras são verdadeiras fricativas e aproximaentes não surdas; a fricativa lateral retroflexa surda] é altamente incomum entre as demais línguas do mundo.[2]

As fricativas surdas são alofones quando entre vogais em Toda. Há também as fricativas invariavelmente expressas / ʒ, ʐ, ɣ /, embora a última seja marginal. As nasais e / r̠, ɽ͡r, j / são alofonicamente total ou parcialmente não sonorass na posição final ou junto a consoantes não sonoras.[2]

Labial Denti-alveolar Apical
-Alveolar
Apical post-alveolar Palato-post-alveolar laminal Retroflex Palatal Velar
plana sibilante plana palatizada plana palatizada plana palatizada
Nasal m ɳ
Plosiva/
Africada
tenuis p ts̪ t̻ʃ ʈ k
sonora b dz̪ d̻ʒ ɖ ɡ
Fricativa tenuis f θ ʃ ʂ x
sonora ʒ ʐ (ɣ)
Lateral fricativa ɬ̪ ɭ̊˔
Aproximante ɭ j w
Vibrantel r̘ʲ r̠ʲ ɽ͡r ɽ͡rʲ

Todos estes Consoantes podem ocorrer em posição medial e final. No entanto, apenas um conjunto restrito ocorre inicialmente. Estes são / p, t, k, f, s, m, n, r, l, j, w /, em negrito acima.

Ao contrário dos outras consoantes dentais, /θ/ é interdental. Da mesma forma, /f/ é labiodental enquanto os outras labiais são bilabiais.

Os Consoantes Apicais são alveolares ou epiteliais. O recurso real que distingue /r̘/ e /r̠/ é incerto. Ambas têm o mesmo lugar primário de articulação. Spajić e outros descobriram que o rótico que pode ocorrer inicialmente (erroneamente chamado de "dental" na literatura anterior, talvez porque as coronais dravidianas tendem a ser dentais por padrão) tem uma articulação secundária, que eles identificaram por tentativa, como algo utilizando a língua conjuntamente até que análisess possam ser feitas. Essa análise é assumida na transcrição /r̘/.

Outra diferença entre ela é que /r̘/ é o menos fortemente vibrante, ocorrendo mais freqüentemente com um único contato da língua. No entanto, ao contrário de uma vibrante simples, vários contatos são normais, se menos comuns, e /r̘/ é facilmente distinguível dde outras vibrantes quando todos são produzidos com o mesmo número de contatos.

As Consoantes retroflexas são sub-apicais. A retroflex /ɽ͡r/ é mais fortemente vibrante do que as outras róticas. No entanto, não é puramente retroflexa. Embora a língua comece em posição retroflexa sub-apical, a vibração envolve a ponta da língua, e isso faz com que ela se mova para frente em direção à crista alveolar. Isso significa que o trecho retroflexo dá uma coloração retroflexa à vogal precedente, da mesma forma que outras retroflexas, mas que a vibração em si não é muito diferente das demais vibrantes. [E. E. Speight]] que estava compilando uma gramática da línguaToda no período antes de sua morte[3]

Eliminação do xeváEditar

O xevá /ə/ (e curto) entre consoantes em palavras de origem francesa desaparece em Michif. Exemplos:

eliminação do /e/ en Michif[4]
Francês Michif Português
chemin shmen 'caminho'
cheveux zhveu 'cabelo'
petit pchi 'pequeno'
cheval zhwal 'cavalo'

Consoante de liaisonEditar

Em francês, a chamada liaison é usado para preencher a lacuna sonora entre os sons de vogais do fim de uma palavra com a inicial de outral. Esse processo não ocorre em Michif, embora alguns remanescentes sejam evidentes. Para muitos substantivos, as consoantes de ligação tornam-se integradas no próprio substantivo.

Liason em Michif[4]
Francês Michif Português
arbre zarbr 'árvora'
étoile zetwel 'estrela'
oeuf zoeuf 'ovo'
os zo 'osso'
oignons zawyoun 'cebola'

PalatalizaçãoEditar

A oclusiva alveolar sonora / d / em palavras de origem francesa é palatalizado para / dʒ / em Michif, como no fracnês acadiana. Isso pode ocorrer inicialmente em palavras ou internamente em palavras.

Palatalização do /d/ em Michif[4]
Francês Michif Português
dix jis 'dez'
diable jiab 'diabo'
dieu Bon Jeu 'Deus'
mardi marji '3ª feira'
radis rawjee 'rabanete'
diner jinee 'jantar'
dimanche jimawnsh 'domingo'

NotasEditar

  1. Narasimhacharya, R. (1990). History of Kannada Language. New Delhi, Madras: Asian Educational Services. pp. 1, 30, 36–37. ISBN 9788120605596 
  2. a b c Spajić et al. (1994)
  3. Walsh, R R (15 de abril de 1953). «Ernest Speight - A Portrait». The Sunday Statesman. During his retirement he lived alone, devoting himself to the care of his fascinating library and extensive collection of Japanese art treasures and antiques. and the study of the language and customs and mythology of the Nilgiri hill tribes, the Badagas. He was compiling a Toda grammar when he died 
  4. a b c Barkwell & Fleury 2004:11

BibliografiaEditar

  • Emeneau, Murray B. 1984. Toda Grammar and Texts. American Philosophical Society, Memoirs Series, 155. Philadelphia: American Philosophical Society.
  • Siniša Spajić, Peter Ladefoged, P. Bhaskararao, 1994. "The rhotics of Toda". In UCLA Working Papers in Phonetics 87: Fieldwork Studies of Targeted Languages II.

Ligações externasEditar