Abrir menu principal

A situação linguística em Luxemburgo caracteriza-se pela prática e o reconhecimento de três línguas oficiais: o francês, o alemão e o luxemburguês, a língua nacional estabelecida em lei em 1984. Esses idiomas também são referidos como as três línguas administrativas.

Após a fundação do país, o francês desfrutou o maior prestígio e, portanto, ganhou uso preferencial como língua oficial e administrativa. O alemão foi usado no campo político para comentar as leis e as ordenanças, a fim de torná-las compreensíveis por todos. No ensino, o ensino básico era limitado ao alemão, enquanto o francês era ministrado no ensino secundário. A lei de 26 de julho de 1843, reforçou o bilinguismo através da introdução do ensino do francês nas escolas primárias.

Índice

Outras línguasEditar

A população de origem estrangeira e trabalhadores convidados representam mais de um terço (cerca de 40%) da população de Luxemburgo. As línguas, não oficiais, mais faladas neste segmento da população são o português, o italiano e o inglês.[1]

PortuguêsEditar

A língua portuguesa é o segundo idioma mais falado no Grão-Ducado como língua nativa, atrás apenas do luxemburguês. Em 2013, era falado por cerca de 15,7% da população, de acordo como uma publicação no portal de Estatísticas oficial de Luxemburgo.[2] Estimativas indicam que atualmente o número de portugueses e lusodescendentes a residir em Luxemburgo esteja na ordem das 120 mil pessoas, cerca de 20% da população, representando a maior comunidade estrangeira no país.[3] O português é também ensinado nas escolas de todo o território luxemburguês através de uma parceria entre os Ministério da Educação de Portugal e de Luxemburgo.[4][5] Segundo dados do Ministério da Educação de Luxemburgo, o português é a segunda língua materna mais falada nas escolas do país, com 28,9% dos falantes, atrás do luxemburguês, com 39,8%, mas à frente das outras duas línguas oficiais do Grão-Ducado, francês (11,9% dos falantes) e alemão (2%).[6] O país solicitou o estatuto de observador associado da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), o referido estatuto está previsto para ser concedido durante a Cimeira de Praia, Cabo Verde, que será realizada em julho de 2018.[7][8]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Recensement De La Population 2011» (PDF). Statistiques.public.lu. Consultado em 25 de fevereiro de 2018 
  2. Fernand Fehlen, Andreas Heinz, François Peltier, Germaine Thill, (4 de junho de 2013). «La langue principale, celle que l'on maîtrise le mieux». Le Portail des Statistiques. Consultado em 25 de fevereiro de 2018 
  3. «"A manutenção da Língua Portuguesa no Luxemburgo constitui uma necessidade e um desafio"» (PDF). Instituto Camões. Consultado em 25 de fevereiro de 2018 
  4. «Coordenação de ensino português no Luxemburgo». www.portugaledu.lu/. Consultado em 25 de fevereiro de 2018 
  5. «Língua portuguesa chega ao ensino público em Luxemburgo». Praza Publica. Consultado em 25 de fevereiro de 2018 
  6. «Língua Portuguesa vai integrar o programa do ensino público no Luxemburgo». Blog do IILP. Consultado em 25 de fevereiro de 2018 
  7. «ENTREVISTA: CPLP/Cimeira: Presidência cabo-verdiana pode ser momento de consolidação -- MNE». Diário de Notícias. Consultado em 14 de julho de 2018 
  8. «A Organização da CPLP pode acolher mais nove observadores associados». Observador. Consultado em 14 de julho de 2018 

Ligações externasEditar