Línguas tupi-guaranis

Língua indígena.
Falantes tupis (em violeta) e línguas tupis-guarani (em rosa) na atualidade; e áreas de extensão prováveis no passado. Este mapa baseia-se em dados obtidos de "Tupí Languages" e "Tupí-Guaraní Languages" do livro The Amazonian Languages, editado por R. M. W. Dixon e Alexandra Y. Aikhenvald, publicado em Cambridge pela (editora) Cambridge University Press, em 1999; veja as páginas 108 e 126, respectivamente.
Distribuição aproximada das nações indígenas no litoral brasileiro no século XVI

A família linguística tupi-guarani é uma das mais importantes da América do Sul. Engloba várias línguas indígenas, das quais a mais representativa atualmente é o guarani, um dos idiomas oficiais do Paraguai. Grande parte das tribos indígenas que habitavam o litoral brasileiro, quando da chegada dos portugueses ao Brasil em 1500, falava línguas pertencentes a esta família. A família está compreendida num grupo linguístico maior, o tronco tupi.

Línguas da família tupi-guaraniEditar

Empréstimos ao português brasileiroEditar

Um grande número de palavras das línguas tupis-guaranis foi passado ao português brasileiro na forma de empréstimos. Os termos mais emprestados dizem respeito à fauna e flora locais, desconhecidas dos colonizadores portugueses. Palavras como pitanga, caju, jararaca, pereba, xará, sucuri e diversas outras são exemplos de palavras da família tupi-guarani que passaram ao português brasileiro.

Ver tambémEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Livros e manuais no Wikilivros

Referências

  1. Etnolingüística: línguas indígenas da América do Sul. "Nheengatu".

BibliografiaEditar

  • MELLO, A. A. S. Estudo histórico da família lingüística Tupi-Guarani: aspectos fonológicos e lexicais. 2000. vii + 285 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Departamento de Língüística e Língua Vernácula, Instituto de Comunicação e Expressão, Universidade Federal de Santa Catarina. 2000. (761 reconstruções do Proto-Tupi-Guarani)

Ligações externasEditar