Lúcio Canínio Galo (cônsul em 37 a.C.)

(Redirecionado de Lúcio Canínio Galo)
Disambig grey.svg Nota: "Lúcio Canínio Galo" redireciona para este artigo. Para outros significados, veja Lúcio Canínio Galo (desambiguação).

Lúcio Canínio Galo (em latim: Lucius Caninius Gallus) foi um político da gente Canínia da República Romana nomeado cônsul em 37 a.C. com Marco Vipsânio Agripa. Era filho do tribuno da plebe em 56 a.C., Lúcio Canínio Galo, com Antônia Híbrida Maior e, portanto, genro de Caio Antônio Híbrida[1] e cunhado de Marco Antônio, que havia se casado com Antônia Híbrida Menor.

Lúcio Canínio Galo
Cônsul da República Romana
Consulado 37 a.C.

CarreiraEditar

Galo foi provavelemente eleito para o cargo de pretor antes de 40 a.C.[2] e foi nomeado cônsul em 37 a.C. com Marco Vipsânio Agripa.[3] É possível que ele tenha sido o patrono do poeta latino Sexto Propércio.[4] Renunciou no meio de seu mandato e foi substituído pelo cônsul sufecto Tito Estacílio Tauro.[5] Aparece em uma moeda como triúnviro monetal em 18 a.C..

Teve um filho, Lúcio Canínio Galo, cônsul sufecto em 2 a.C..[6][7]

Árvore genealógicaEditar

Ver tambémEditar

Cônsul da República Romana
 
Precedido por:
'Lúcio Cornélio Lêntulo Cruscélio (suf.)

com Lúcio Márcio Filipo (suf.)

Lúcio Canínio Galo
37 a.C.

com Marco Vipsânio Agripa
com Tito Estacílio Tauro (suf.)

Sucedido por:
'Marco Coceio Nerva

com Lúcio Gélio Publícola


Referências

  1. Valério Máximo, Memorable Deeds and Sayings: One Thousand Tales from Ancient Rome (2004), pg. 130
  2. Broughton, pg. 380
  3. Broughton, pg. 395
  4. Cairns, Francis, Sextus Propertius: The Augustan Elegist (2006), pgs. 70-71
  5. Fastos Capitolinos.
  6. Dião Cássio, História Romana XLVIII 49.
  7. Borghesi, Giornale Arcadico, Vol. XXVI, p. 66, & c.

BibliografiaEditar