Lúcio Escribônio Libão (cônsul em 16)

Disambig grey.svg Nota: Para outras pessoas de mesmo nome, veja Escribônios Libões.

Lúcio Escribônio Libão (em latim: Lucius Scribonius Libo) foi um político romano da gente Escribônia eleito cônsul em 16. Era filho (ou neto) de Lúcio Escribônio Libão, cônsul em 34 a.C., e sobrinho de Escribônia, a primeira esposa de Augusto.

Lúcio Escribônio Libão
Cônsul do Império Romano
Consulado 16 d.C.

CarreiraEditar

No mesmo ano de seu consulado, seu irmão, o pretor Marco Escribônio Libão Druso, foi acusado por Lúcio Fulcínio Trião de conspirar contra o imperador Tibério com outros senadores e, no segundo dia do julgamento, em 13 de setembro, se matou[1]. Libão foi também um dos septênviros epulões[2]. Viveu pelo menos até a época de Cláudio, pois entre 47 e 48 foi curator riparum et alvei Tiberis juntamente com os consulares mais jovens Paulo Fábio Pérsico e Caio Égio Márulo[3].

Sua fortuna pessoal procedia, dentre outras fontes, de pedreiras de mármore de Luni[4].

FamíliaEditar

Teve pelo menos uma filha, Escribônia, que se casou com Marco Licínio Crasso Frúgio, cônsul em 64, e com quem teve quatro filhos.

Ver tambémEditar

Cônsul do Império Romano
 
Precedido por:
'Druso Júlio César

com Caio Norbano Flaco
com Marco Júnio Silano (suf.)

Sisena Estacílio Tauro
16

com Lúcio Escribônio Libão
com Caio Víbio Rufo (suf.)
com Públio Pompônio Grecino (suf.)

Sucedido por:
'Lúcio Pompônio Flaco

com Caio Célio Rufo
com Caio Víbio Marso (suf.)
com Lúcio Voluseio Próculo (suf.)


Referências

  1. Tácito, Anais II, 27-32.
  2. CIL XIV, 2502, Grottaferrata (Itália)
  3. CIL VI, 31545, Roma (Itália)
  4. CIL XI, 6948, Luni (Itália)

BibliografiaEditar