Abrir menu principal

Lúcio Mânlio Acidino (em latim: Lucius Manlius Acidinus; fl. final do século III a.C.) foi um membro da gente Mânlia que assumiu a posição de pretor urbano em 210 a.C. e propretor na Hispânia em 206 a.C.[1]. Lúcio Mânlio Acidino Fulviano, cônsul em 179 a.C., era seu filho adotivo.

BiografiaEditar

Lúcio Mânlio foi enviado pelo Senado romano para a Sicília para trazer de volta o cônsul Marco Valério Levino, que precisava organizar a eleição do ano seguinte[2]. Em 207 a.C., ele estava com as tropas romanas em Narnia, na Úmbria, com a missão de enfrentar o general cartaginês Asdrúbal Barca e foi o primeiro a enviar notícias da derrota deste a Roma[3]. No ano seguinte, ele e Lúcio Cornélio Lêntulo receberam o comando da província da Hispânia como propretores, sucedendo ao jovem general Cipião Africano na função. No ano seguinte, os dois conquistaram os ausetanos e ilergetes, que se revoltaram contra os romanos depois que Cipião seguiu para o norte da África. Lúcio Mânlio só voltou para Roma em 199 a.C. e, apesar de ter recebido do Senado o direito de entrar na cidade em ovação, foi impedido pelo tribuno Públio Pórcio Leca[4].

Referências

  1. Este artigo contém texto do artigo "Acidinus (1)" do Dictionary of Greek and Roman Biography and Mythology (em domínio público), de William Smith (1870).
  2. Lívio, Ab Urbe Condita XXVI, 23; XXVII, 4
  3. Lívio, Ab Urbe Condita XXVII, 50
  4. Lívio, Ab Urbe Condita XXVIII, 38; XXIX, 1—3, 13; XXXII, 7