Lúcio Visélio Varrão

Lúcio Visélio Varrão (em latim: Lucius Visellius Varro) foi um senador romano eleito cônsul em 24 com Sérvio Cornélio Cetego. Era filho de Caio Visélio Varrão, cônsul em 12.

Lúcio Visélio Varrão
Cônsul do Império Romano
Consulado 24 d.C.

CarreiraEditar

O pai de Lúcio, Caio, serviu como legado imperial da Germânia Inferior em 21 com Caio Sílio e os dois enfrentaram uma revolta de uma facção tréveros, liderada por Júlio Floro, e de seus aliados éduos, liderados por Júlio Sacrovir[1]. O poderoso prefeito pretoriano Lúcio Élio Sejano, que temia não apenas a fama de Sílio, mas também a amizade da esposa dele, Sósia Gala, com a esposa de Germânico, Agripina, aproveitou a eleição de Lúcio em 24 para o consulado. Aproveitando a mágoa de Lúcio em relação Sílio, que teria tomado a glória toda para si, Sejano convenceu-o a acusar Sílio de ser cúmplice na revolta de Sacrovir e de se apropriar indevidamente de dinheiro provincial na Gália[2][3]. Sílio, sentindo-se desonrado, preferiu não enfrentar a falsa acusação e se matou; Sósia Gala foi exilada[4].

Ver tambémEditar

Cônsul do Império Romano
 
Precedido por:
'Caio Asínio Polião

com Caio Antíscio Veto
com Caio Estercínio Máximo (suf.)

Sérvio Cornélio Cetego
24

com Lúcio Visélio Varrão
com Caio Calpúrnio Avíola (suf.)
com Públio Cornélio Lêntulo Cipião (suf.)

Sucedido por:
'Cosso Cornélio Lêntulo

com Marco Asínio Agripa
com Caio Petrônio (suf.)


Referências

  1. Tácito, Anais III:40-42.
  2. Jasper Burns, Great women of Imperial Rome: mothers and wives of the Caesars (2007), pgs. 51-52
  3. Barbara Levick, Tiberius, Londinii 1999, p. 164
  4. Tácito, Anais IV 19-21

BibliografiaEditar