Laços de Família

telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a telenovela brasileira. Para outros significados, veja Laços de Família (desambiguação).

Laços de Família é uma telenovela brasileira produzida pela TV Globo e exibida de 5 de junho de 2000 a 3 de fevereiro de 2001 em 209 capítulos.[1] Substituiu Terra Nostra e foi substituída por Porto dos Milagres, sendo a 59ª "novela das oito" exibida pela emissora.

Laços de Família
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero crônica do cotidiano
Duração 60 minutos
Criador(es) Manoel Carlos
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Ricardo Waddington
Roteirista(s)
Elenco
Tema de abertura "Corcovado" / "Quiet Nights of Quiet Stars", Astrud Gilberto, João Gilberto, Tom Jobim e Stan Getz
Tema de encerramento "Corcovado" / "Quiet Nights of Quiet Stars", Astrud Gilberto, João Gilberto, Tom Jobim e Stan Getz
Composto por Antônio Carlos Jobim
Exibição
Emissora original TV Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 5 de junho de 2000 – 3 de fevereiro de 2001
Episódios 209
Cronologia
Terra Nostra
Porto dos Milagres
Ligações externas
Site oficial

Escrita por Manoel Carlos, com a colaboração de Fausto Galvão, Maria Carolina, Vinícius Vianna e Flávia Lins e Silva, foi dirigida por Moacyr Góes e Leandro Neri. A direção geral foi de Rogério Gomes, Marcos Schechtman e Ricardo Waddington, também diretor de núcleo.

Contou com as participações de Vera Fischer, Tony Ramos, Carolina Dieckmann, Reynaldo Gianecchini, Marieta Severo, José Mayer, Deborah Secco e Lília Cabral.[1]

EnredoEditar

Helena, uma empresária bem-sucedida, se envolve em um acidente de trânsito com Edu, médico recém-formado. Eles acabam se apaixonando e começam um namoro. Mas Alma Flora, a tia de Edu, que o criou como um filho, é contra o relacionamento, vendo em Helena uma ameaça ao futuro do sobrinho. O acidente ocorre em frente a uma livraria, cujo proprietário é Miguel, que também se apaixona por Helena. Miguel é um homem culto, com a vida marcada pela morte da esposa.[1]

Em uma viagem ao Japão, Edu conhece Camila, filha de Helena, que se apaixona por ele. A moça então passa a disputar o médico com a própria mãe, que resolve terminar o relacionamento, deixando o "caminho livre" para a filha. Assim, Miguel consegue revelar sua paixão por Helena.[1]

ElencoEditar

Ator/Atriz[1] Personagem
Vera Fischer Helena Lacerda[2]
Tony Ramos Miguel Soriano[3]
Carolina Dieckmann Camila Lacerda Ferrari[4]
Reynaldo Gianecchini Edu[1][5]
Marieta Severo Alma Flora Pirajá de Albuquerque Menezes[1]
José Mayer Pedro Marcondes Mendes[6]
Deborah Secco Íris Lacerda[3]
Lília Cabral Ingrid Lacerda
Giovanna Antonelli Capitu
Luigi Baricelli Fred Lacerda[3]
Helena Ranaldi Cíntia
Alexandre Borges Danilo Menezes[7]
Regiane Alves Clara
Júlia Feldens Ciça
Flávio Silvino Paulo Soriano[8]
Soraya Ravenle Ivete
José Victor Castiel Viriato
Leonardo Villar Pascoal
Walderez de Barros Ema
Júlia Almeida Estela
Daniel Boaventura Alex
Umberto Magnani Eládio
Marly Bueno Olívia
Thalma de Freitas Zilda
Inez Vianna Márcia
Monique Curi Antônia
Luciano Quirino Laerte
Henri Pagnoncelli Orlando
Xuxa Lopes Glória
Paulo Figueiredo Rodrigo
Beatriz Lyra Cleide
Yara Lins Nilda
Cléa Simões Irene
André Valli Onofre
Denise Sartori Ofélia
Vanessa Machado Simone
Luiz Nicolau Maurinho
Juliana Paes Rita
Mônica Siedler Socorro
Cláudio Gabriel Severino
Arlete Heringer Marta
Flávia Guimarães Ana
Cynthia Benini Isabel
Leon Góes Bento
Paulo Zulu Romeu
Max Fercondini Fábio
Crianças
Ator/Atriz[1] Personagem
Carla Diaz Rachel
Samuel Melo Tide
Júlia Maggessi Nina[1][nota 1]
Natan e Andrey Linhares Bruninho (bebê de Capitu)

Participações especiaisEditar

Ator / Atriz[1] Personagem
Fernando Torres Aléssio Lacerda
Eliete Cigarini Sílvia
Lavínia Vlasak Luiza
José Lewgoy Ezequiel, pai de Marcela
Vírginia Calas Carmem, Mãe De Marcela
Ana Maria Magalhães Lívia, falecida mulher de Miguel
Ana Ariel Doriana
Iran Malfitano Pedro (jovem)
Lilian Mattos Helena (adolescente)
Josie Antello Neuza
Ana Carbatti Aline
Caco Monteiro Gervásio
Luiz Baccelli Dr. César
Cláudia Vieira Tereza, enfermeira de Camila
Edson Silva Heitor
Graziela di Laurentis Daniela
Alby Ramos Bira
Lulu Pavarin Clarice
Felipe Rocha Zeca
Paulo Caruso Rubens (Rubinho)
Lionel Fischer Fernando
Alexandra Richter Elisa
Taveira Júnior Juvenal
Miwa Yanagizawa Cel
Múcio Medeiros Carlão
Juliana Silveira Patrícia
Vitor Hugo Marquinhos (amigo de Paulo e namorado de Patrícia)
Nívea Helen Nair, Mãe De Tide
Wladimir Candini Martins
Samantha Brandão Maria
Francisco Carvalho Getúlio
Maurício Tavares Dr. Silveira
Moacir Chaves Dr. Aloísio
Andréa Cavalcanti Verinha
João Junior Trindade
Nilton Marques Alfredo
Nany di Lima Noêmia
Edward Boggis Rafael
Joana Motta Liza
Rafael Baronesi Nathan
Salvatore Giuliano Luiz
Giovanna de Toni Eloíse
Herbert Richers Jr. Sérgio (amigo de Edu)
Paula Tolentino Marcela
Benito Carmona Roberto (ex-namorado de Camila)
Oliver Okazaki Toshio
Sônia Siqueira Marisa
Lucas Margutti Ricardo (ex-namorado de Ciça)
Adriano Garib Policial

ProduçãoEditar

Escolha do elencoEditar

Carolina Ferraz foi convidada para interpretar Capitu, porém recusou.[9] A modelo Vanessa Mesquita passou nos testes para a personagem, porém após os primeiros ensaios, a direção decidiu fazer uma troca: ela foi transferida para a personagem Simone, melhor amiga de Capitu, e Giovanna Antonelli, que originalmente faria Simone, foi promovida a Capitu.[10] Fernanda Paes Leme foi convidada para interpretar Iris, porém a direção da série Sandy & Junior não a liberou e Deborah Secco ficou com a personagem.[11]

Rodrigo Faro foi escalado para interpretar Edu, porém o produtor de elenco Luiz Antônio Rocha viu Reynaldo Gianecchini na peça teatral O Príncipe de Copacabana e achou que ele se enquadraria melhor no papel. Convidou-o para um teste, no qual foi aprovado, enquanto Rodrigo foi transferido para O Cravo e a Rosa.[12][13]

LocaçõesEditar

 
Tóquio, cidade onde tiveram cenas gravadas nos primeiros capítulos.
 
Leblon, a locação principal da trama.
 
Oxford, onde Camila estudou literatura.

Um cenário externo reproduzindo uma floricultura foi construído, contando com mais de quarenta arbustos de diferentes cores e tipos – rosas, lírios, gérberas, margaridas, orquídeas –, todas artificiais, mas combinando a textura e tipo de iluminação.[5]

Os atores Tony Ramos, Vera Fischer, Reynaldo Gianecchini, Carolina Dieckmann e Júlia Feldens viajaram para Quioto, Nikkō e Tóquio, no Japão, com uma equipe de 25 pessoas para gravar as cenas iniciais de seus personagens, Miguel, Helena, Edu, Camila e Ciça, respectivamente, com o apoio de profissionais da IPC Television, retransmissora da TV Globo Internacional naquele país.[14]

A Livraria Dom Casmurro, propriedade de Miguel na trama, teve como locação nos primeiros capítulos uma livraria real, mas depois foi construído um cenário idêntico no Projac, com um busto de Machado de Assis e com quase cinco mil livros emprestados por editoras.[5]

Alguns atores passaram por treinamento especial e foram auxiliados por profissionais especializados, como nas locações da clínica Naturalis onde Helena é sócia, que lidava com vários tratamentos de beleza, como acupuntura e fisioterapia. Para as cenas no haras de Pedro, os atores receberam treinamento para lidar com os cavalos.[5] A trama também teve gravações na cidade de Camaquã, no Rio Grande do Sul.[15]

O diretor Ricardo Waddington declarou que procurou trabalhar com poucos movimentos de câmeras para conseguir traduzir a intimidade que o texto de Manoel Carlos deveria levar ao telespectador. O diretor optou por privilegiar o plano-sequência – em que uma sequência é filmada sem cortes – para interferir pouco nas cenas. Os capítulos foram pontuados por stock shots – imagens de arquivo – com personagens e cenários típicos do Leblon.[5]

Para compor a personagem Capitu, Giovanna Antonelli entrevistou várias garotas de programa. Na opinião de Giovanna, sua personagem não era uma prostituta, e sim "uma garota que fazia programas", pois ela era uma garota normal, que não dava pistas sobre a sua vida pessoal: Ela é uma garota como qualquer outra jovem carioca, que poderia ser sua vizinha sem que você percebesse o que ela faz. (Giovanna Antonelli) [16]

Vera Fischer conseguiu uma licença para ficar duas semanas afastada da novela, por ter perdido sua mãe, Hildegard Berndt, que morreu em setembro de 2000, durante um período de grande estresse da atriz, que vinha tendo um intenso ritmo das gravações.[17]

O casamento de Camila (Carolina Dieckmann) e Edu (Reynaldo Gianecchini) foi gravado inicialmente na igreja São Pedro de Alcântara, no bairro da Urca. Porém, a Arquidiocese do Rio puniu a igreja por permitir as gravações dentro da capela. As cenas do casamento tiveram que ser gravadas em estúdio e sem a participação dos atores menores de idade.[18]

Censura da JustiçaEditar

Em novembro de 2000, o Ministério da Justiça exigiu que a Globo retirasse do elenco da novela todos os menores de dezoito anos, inclusive figurantes, e que a trama fosse exibida depois das 21h. A justificativa foi que a trama possuía "cenas com conotação sexual e imagens de violência doméstica ou urbana". Além disso, os menores que estavam no elenco da novela não possuíam alvará judicial para poder atuar.[19] Para solucionar o caso, o autor Manoel Carlos escreveu as cenas "dos sumiços" dos atores, que estavam proibidos pela justiça de aparecer na TV, colocando diálogos pros personagens adultos com justificativas comuns na trama para a ausência das crianças. O veto durou três semanas e, após acordo com a justiça, as crianças voltaram a gravar a novela. Um dos ajustes acordados foi a substituição de Lilian Mattos, que vivia Helena em cenas de flashback na trama, por Andressa Koetz.[20] A única menor de idade que permaneceu no elenco foi Júlia Almeida, filha de Manoel Carlos, que conseguiu um mandado de segurança.[21]

Júlia Maggessi, com dois anos na época, que havia substituído Larissa Honorato no papel de Nina, também foi afastada do elenco. Larissa, de um ano e dez meses, foi substituída após as primeiras gravações por não ter se adaptado a trama. O caso mais emblemático ocorreu durante as gravações de uma cena de discussão entre os personagens de Luigi Baricelli e Regiane Alves, que terminava com um atropelamento (Regiane e a criança foram trocadas por bonecos). A atriz carregava a criança no colo enquanto descia lances de escada e discutia aos gritos na cena com o personagem de Baricelli, que precisou ser refeita 19 vezes e deixou a criança assustada a partir da sétima vez.[22] Na exibição da cena na TV, Nina aparece o tempo todo chorando.[23][24] Um laudo feito a partir da cena pelo Núcleo de Psicologia da 1.ª Vara da Infância e da Juventude do Rio de Janeiro, que apontou que a criança sofreu abuso psicológico, foi incluído na ação civil pública do Ministério Público do Estado do Rio.[22] Para o jornal O Estado de São Paulo, Manoel Carlos admitiu o erro e passou a não escrever mais cenas de tensão envolvendo crianças.[22] Em 2021, Regiane Alves declarou em entrevista que a cena do atropelamento foi uma de suas mais marcantes na trama.[25]

Cenas memoráveisEditar

 
Camila raspa a cabeça devido ao tratamento da leucemia.

Uma das cenas mais marcantes é quando Camila (Carolina Dieckmann) raspa a cabeça ao descobrir que tem leucemia. A gravação aconteceu no dia 5 de dezembro de 2000, emocionando a atriz, que chorou de verdade durante a gravação. A cena foi ao ar no dia 9 de dezembro.[26] A cena foi usada depois pela emissora, em uma campanha para incentivar a doação de medula óssea. A campanha ganhou o prêmio BITC Awards for Excellence em 2001, na categoria "Global Leadership Award". O prêmio é considerado a maior honraria concedida a ações de responsabilidade social do mundo.[27]

Outras cenas memoráveis foram quando Íris (Deborah Secco) visita Camila (Carolina Dieckmann) no hospital e acaba levando uma surra de Helena (Vera Fischer),[28] e a morte da mãe de Íris, Ingrid (Lília Cabral), depois de ser baleada diante da filha durante um assalto. Íris fica abalada psicologicamente, e passa a ver o fantasma da mãe nos demais capítulos da novela. Para criar a cena, Manoel Carlos se inspirou no caso real do sequestro do ônibus 174, ocorrido no Rio de Janeiro em junho de 2000.[29]

RepercussãoEditar

A novela ganhou três paródias no humorístico Casseta & Planeta, Urgente!: Esculachos de Família, Chifres de Marília (pelo fato do ator Reynaldo Gianecchini estar namorando Vera Fischer e Carolina Dieckmann na novela, época em que ele estava casado com a atriz Marília Gabriela) e Passos de Quadrilha (devido à festa junina), como o grupo humorístico faz com praticamente todas as telenovelas do horário nobre da TV Globo.[30]

Tal como aconteceu com Eduarda (Gabriela Duarte), personagem de Por amor, os internautas também criaram sites contra a personagem Camila (Carolina Dieckmann). Visto a princípio como um manifesto de ódio, o autor declarou ver como positivo esse tipo de mídia pois mede a repercussão da novela e mexe com o público[31]

A personagem Íris também despertava o ódio dos telespectadores. A atriz Deborah Secco chegou a apanhar em um supermercado. A agressora bateu na atriz com a bolsa e enquanto batia, dizia que odiava muito a Íris. Deborah declarou que não se sentiu incomodada, e que ficou feliz com a repercussão do seu trabalho.[32]

A gravidez de Helena (Vera Fischer) aos 44 anos e de modo natural, causou receio e críticas por parte dos especialistas em medicina reprodutiva. Segundo eles, a chance de uma mulher engravidar de modo natural depois dos quarenta anos não chegava a 1%. Alguns afirmavam que na condição em que a personagem se encontrava (óvulos velhos, estresse e nenhum tratamento hormonal anterior), era quase impossível ocorrer gravidez. Ou seja, o caso mostrado na novela estava criando falsas expectativas nas mulheres.[33]

A trama conscientizou os telespectadores sobre a necessidade da doação de medula óssea, levando a um aumento no interesse para a doação.[34][35]

RecepçãoEditar

AudiênciaEditar

Exibição original

Seu primeiro capítulo rendeu 45 pontos de média, com pico de 52. Esses índices foram inferiores aos da antecessora Terra Nostra, que marcou 51 pontos em sua estreia.[36]

No capítulo em que Camila (Carolina Dieckmann) raspou a sua cabeça devido à leucemia, exibido no dia 9 de dezembro de 2000, a trama marcou 46 pontos. No capítulo de 11 de dezembro, com a continuação das cenas, a trama bateu recorde de audiência com 55 pontos e 61 de pico, atingindo 79% de participação.[37]

Seu último capítulo marcou uma média de 60 pontos, com picos de 68.[38] A novela teve uma média final de 44,9 pontos.[39]

Segunda reprise

O primeiro capítulo, exibido em 7 de setembro de 2020 cravou 22 pontos.[40] Ao longo de sua exibição, oscilou entre 17 e 20 pontos, com a reta final entre 20 e 22 pontos, batendo diversos títulos já reprisados. Ficou atrás apenas da sua antecessora Êta Mundo Bom!.[41] Sua menor média foi registrada nos dias 27 de outubro e 25 de dezembro, ambas com 15 pontos.[42][43] Em 31 de março de 2021, o antepenúltimo capítulo alcançou 22,6 pontos, sendo essa a sua maior média.[44] O último capítulo alcançou 21,9 pontos.[45] Teve média geral de 18.82 pontos, se tornando a segunda novela mais assistida da década de 2020.[46]

Prêmios e indicaçõesEditar

Ano Prêmio Categoria Indicação Resultado
2000 Troféu APCA[5][47] Melhor Atriz Marieta Severo Venceu
Melhor Revelação Feminina Júlia Feldens Venceu
Prêmio Globo de Melhores do Ano Melhor Atriz Carolina Dieckmann Indicado
Vera Fischer Venceu
Melhor Ator Luigi Baricelli Indicado
Tony Ramos Venceu
Melhor Atriz Coadjuvante Deborah Secco Indicado
Giovanna Antoneli Venceu
Marieta Severo Indicado
Melhor Ator Coadjuvante Alexandre Borges Venceu
José Mayer Indicado
Melhor Ator Revelação Reynaldo Gianecchini Venceu
Prêmio Qualidade Brasil Melhor Atriz Revelação Giovanna Antoneli Venceu
Prêmio Extra de Televisão Melhor Telenovela Venceu
Melhor Atriz Giovanna Antoneli Venceu
Melhor Revelação Reynaldo Gianecchini Venceu
Prêmio Kids’ Choice[48] Gato do Ano Paulo Zulu Venceu
2001 Gato do Ano Reynaldo Gianecchini Venceu
Troféu Imprensa[5][49] Melhor Telenovela Venceu
Melhor Atriz Carolina Dieckmann Venceu
Vera Fischer Indicado
Melhor Ator Alexandre Borges Indicado
Tony Ramos Venceu
Revelação do Ano Giovanna Antonelli Venceu
Reynaldo Gianecchini Indicado
Troféu Internet Melhor Telenovela Venceu
Melhor Atriz Carolina Dieckmann Venceu
Revelação do Ano Reynaldo Gianecchini Venceu
Festival Latino Americano de Cine, Vídeo e TV de Campo Grande (2001)[5] Melhor Telenovela Venceu
Melhor Autor Manoel Carlos Venceu
Melhor Diretor Ricardo Waddington Venceu
Prêmio TV Press Melhor Autor Manoel Carlos Venceu
Melhor Atriz Deborah Secco Venceu
Giovanna Antonelli Venceu
Marieta Severo Venceu
Melhor Ator Coadjuvante Alexandre Borges Venceu
Melhor Ator Revelação Cláudio Gabriel Venceu

Trilha sonoraEditar

 Ver artigo principal: Laços de Família (trilha sonora)

ExibiçãoEditar

ReprisesEditar

Foi reexibida no Vale a Pena Ver de Novo de 28 de fevereiro a 23 de setembro de 2005 em 150 capítulos. Substituiu Deus Nos Acuda e foi substituída por Força de um Desejo. A trama enfrentou diversos problemas com o Ministério da Justiça para ser reprisada. Na estreia original foi autoclassificada como "não recomendada para menores de 12 anos" por conter violência e conteúdo sexual. Na reapresentação em 2005 recebeu classificação indicativa de "Livre", e para possibilitar essa reclassificação, sofreu vários cortes.[50][51]

Foi reapresentada duas vezes no quadro Novelão, no programa Vídeo Show, a primeira de 26 de outubro a 9 de novembro de 2012,[52] e a segunda de 30 de março a 3 de abril de 2015.[53]

Foi reexibida na íntegra pelo Canal Viva de 15 de fevereiro a 14 de outubro de 2016 às 23h45. Substituiu Fera Ferida e foi substituída por Pai Herói.[54][55][56]

Foi reexibida novamente no Vale a Pena Ver de Novo de 7 de setembro de 2020 a 2 de abril de 2021 em 150 capítulos, a mesma quantidade da primeira reprise, mas exibindo as cenas cortadas de 2005. Substituiu Êta Mundo Bom! e foi substituída por Ti Ti Ti. Essa reprise foi em comemoração aos vinte anos da sua estreia.[57]

Outras mídiasEditar

Em 14 de setembro de 2020, foi disponibilizada na versão integral. Foi a nona novela a ser incluída na plataforma através do Projeto Originalidade que resgata e atualiza novelas clássicas e antigas no serviço de streaming Globoplay.[58]

Exibição internacionalEditar

Laços de Família foi exibida em 66 países. O drama da personagem Camila (Carolina Dieckmann), que tinha leucemia, gerou uma campanha pela doação de órgãos em toda a América Latina e nos Estados Unidos.

Notas e referências

Notas

  1. Larissa Honorato, uma criança de um ano e dez meses na época das gravações, foi retirada do elenco por decisão judicial da 1.ª Vara da Infância e da Juventude do Rio de Janeiro. Ver Menina sofreu "abuso psicológico" em novela

Referências

  1. a b c d e f g h i j k «Laços de Família». Teledramaturgia. Consultado em 1 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 1 de setembro de 2017 
  2. «Vera Fischer será a homenageada nacional da 26ª edição do Festival de Cinema de Vitória». Rota Cult. Consultado em 30 de abril de 2020 
  3. a b c «'Laços de Família' ganha reprise em 2016; relembre personagens da trama». Ego. Consultado em 30 de abril de 2020 
  4. iG Gente (16 de setembro de 2010). «Carolina Dieckmann comemora 32 anos. Relembre momentos da atriz». iG 
  5. a b c d e f g h Memória Globo (julho de 2010). «Novelas - Laços de Família». TV Globo. Consultado em 1 de julho de 2010 
  6. «Relembre 27 personagens de José Mayer, que completa 67 anos». BOL. Consultado em 30 de abril de 2020 
  7. «Juliana Paes: "Demorei muito, mas aprendi a dizer não"». Claudia. Consultado em 30 de abril de 2020 
  8. «Afastado da TV, Flávio Silvino diz não gostar de se rever suas atuações». Correio 24 Horas. Consultado em 30 de abril de 2020 
  9. «Isto É Carolina Ferraz A nova solteira - continuação». Isto É. Consultado em 24 de junho de 2018 
  10. «Vanessa Machado diz que papel de Capitu em 'Laços de Família' seria dela: 'Foi um peso que tiraram das minhas costas'». UOL. Consultado em 28 de novembro de 2021 
  11. «BATE-PAPO COM Fernanda Paes Leme - 22/05/2001 às 20h00». UOL. Consultado em 28 de novembro de 2021 
  12. «Rodrigo Faro perdeu papel em 'Laços de Família' para Gianecchini: "Ainda bem"». Yahoo. Consultado em 28 de novembro de 2021 
  13. «Gianecchini lembra teste de 'Laços de família' e fala da estreia: 'Sofria'». O Globo. Consultado em 28 de novembro de 2021 
  14. «Vera Fischer grava "Laços de Família" no Japão». Folha Ilustrada. 26 de abril de 2000. Consultado em 19 de agosto de 2017 
  15. «Equipe de "Laços de Família" vai ao Japão e ao Rio Grande do Sul». Folha de S.Paulo. 14 de maio de 2000. Consultado em 19 de agosto de 2017 
  16. «Isto É entrevista Giovanna Antonelli». Isto É. 15 de janeiro de 2001. Consultado em 4 de setembro de 2014 
  17. «Gravações de novela cansam Vera Fisher». Diário de Cuiabá. 7 de agosto de 2000. Consultado em 4 de setembro de 2014 
  18. «Globo regrava "Laços de Família" e entra com recurso na Justiça». Folha Ilustrada. 15 de novembro de 2000. Consultado em 19 de junho de 2016 
  19. «Globo deve tirar menores de novela, determina Justiça». Terra. 14 de novembro de 2000. Consultado em 4 de setembro de 2014 
  20. Thell de Castro (4 de outubro de 2020). «Em 2000, crianças foram barradas de Laços de Família após trauma psicológico». Notícias da TV. Consultado em 23 de abril de 2021 
  21. «"Laços de Família" muda sua trama e tira do enredo menores de 18 anos». Folha de S.Paulo. 28 de novembro de 2000. Consultado em 4 de setembro de 2014 
  22. a b c «Menina sofreu "abuso psicológico" em novela». O Estado de S. Paulo. 17 de novembro de 2000. Consultado em 22 de março de 2019. Cópia arquivada em 22 de março de 2019 
  23. «Laços de Família - Clara sai correndo da casa de Helena e é atropelada». Globoplay. 18 de setembro de 2020. Consultado em 23 de abril de 2021 
  24. «Laços de Família - Mesmo ferida, Clara se recusa a entrar na casa da sogra». Globoplay. 18 de setembro de 2020. Consultado em 23 de abril de 2021 
  25. «Regiane Alves relembra cena icônica de Clara em 'Laços de Família' que vai ao ar nesta quinta: "Seria o nosso meme de hoje nas redes sociais"». Glamurama. 28 de janeiro de 2021. Consultado em 23 de abril de 2021 
  26. Redação Folha Online (6 de dezembro de 2000). «Carolina Dieckmann aparece careca sábado em "Laços de Família"». Folha Online. Consultado em 4 de setembro de 2014 
  27. Astuto, Bruno; Méra, Acyr Junior; Scarpa, Guilherme (12 de fevereiro de 2016). «Novela Laços de Família volta a ser exibida 16 anos depois». Época. Globo.com. Consultado em 6 de junho de 2020 
  28. «Em "Laços de Família", Íris toma uma surra de Helena». Folha Ilustrada. 12 de dezembro de 2000. Consultado em 4 de setembro de 2014 
  29. «Autor de "Laços de Família" diz que se inspirou em sequestro». Folha Ilustrada. 4 de outubro de 2000. Consultado em 19 de agosto de 2017 
  30. Redação Folha Online (21 de junho de 2006). «Homenagem a Bussunda bate recorde de audiência do "Casseta"». Folha Online. Consultado em 1 de julho de 2010 
  31. «Surgem sites de ódio a Carolina Dieckmann em "Laços de Família"». Folha Online. 7 de setembro de 2000. Consultado em 26 de setembro de 2021 
  32. «Ela gostou de apanhar». Isto É. 6 de dezembro de 2000. Consultado em 4 de setembro de 2014 
  33. «Para médicos, na vida real a chance de uma mulher engravidar como Helena, de "Laços de Família", não chega a 1%». Folha de S.Paulo. 28 de janeiro de 2001. Consultado em 4 de setembro de 2014 
  34. «"Laços de Família" vai discutir transplante de órgãos e prostituição». Folha Ilustrada. 29 de maio de 2000. Consultado em 19 de agosto de 2017 
  35. «Novela aumenta interesse por doação de medula». Terra. 15 de janeiro de 2001. Consultado em 19 de agosto de 2017 
  36. «"Laços de Família" estreia com 45 pontos de audiência». Folha Online. 6 de junho de 2000. Consultado em 11 de março de 2015 
  37. Redação Veja Online (10 de janeiro de 2001). «Comportamento Geral». Revista Veja Online. Consultado em 1 de julho de 2010 
  38. «"Laços de Família" acaba com pico de 68 pontos de audiência». Folha Online. 2 de fevereiro de 2001. Consultado em 1 de julho de 2010 
  39. Mattos, Laura (9 de maio de 2010). «"Viver a Vida" tem pior audiência da década e recorde de merchandising». Folha Online. Consultado em 1 de julho de 2010 
  40. «Reprise de 'Laços de família' estreia com 22 pontos em São Paulo e no Rio - Patrícia Kogut, O Globo». Patrícia Kogut. Consultado em 30 de novembro de 2020 
  41. «Laços de Família (reprise 2020) - tabela com audiência detalhada da novela da Globo». Amo Novelas. 9 de novembro de 2020. Consultado em 30 de novembro de 2020 
  42. REDAÇÃO (30 de novembro de 2020). «Com Laços de Família, Vale a Pena Ver de Novo tem pior ibope em nove meses». Notícias da TV. Consultado em 30 de novembro de 2020 
  43. REDAÇÃO (28 de dezembro de 2020). «No Natal, maratona bíblica tem mais público que reality de Sabrina Sato». Notícias da TV. Consultado em 28 de dezembro de 2020 
  44. «Gênesis perde público e bate terceiro recorde negativo em quatro dias». TV Pop. 1 de abril de 2021. Consultado em 1 de abril de 2021 
  45. «Gênesis passa vergonha e bate cinco recordes negativos em seis dias». TV Pop. 5 de abril de 2021. Consultado em 5 de abril de 2021 
  46. «Laços de Família supera Avenida Brasil na média geral do Vale a Pena Ver de Novo». Natelinha. 8 de abril de 2021. Consultado em 8 de abril de 2021 
  47. Redação APCA (julho de 2010). «Premiados de 2008: Os Melhores da APCA». Associação Paulista de Críticos de Artes. Consultado em 1 de julho de 2010. Arquivado do original em 28 de setembro de 2011 
  48. Premiações Artísticas :: Meus Prêmios Nick
  49. Redação Terra (9 de março de 2008). «Silvio Santos anuncia melhores de 2007 com Troféu Imprensa». Terra Gente & Tv. Consultado em 1 de julho de 2010 
  50. Marque, Camila (15 de fevereiro de 2005). «Globo vai exibir versão light de "Laços de Família"». Folha Online. Consultado em 19 de agosto de 2017 
  51. Flávia Swerts (27 de fevereiro de 2005). «Globo tenta resgatar audiência do Vale a Pena Ver de Novo». Gazeta Digital. Consultado em 25 de julho de 2015 
  52. Vídeo Show | Edu e Helena se conhecem em Laços de Família | Globoplay, consultado em 23 de setembro de 2019 
  53. Vídeo Show | No Novelão de Laços de Família, Helena recusa pedido de casamento de Miguel | Globoplay, consultado em 23 de setembro de 2019 
  54. Patrícia Kogut (3 de agosto de 2015). «'Laços de família' voltará ao ar no Viva ano que vem». O Globo. Consultado em 19 de agosto de 2017 
  55. Nilson Xavier (3 de agosto de 2015). «"Laços de Família" é a próxima reprise do canal Viva». UOL. Consultado em 26 de fevereiro de 2016 
  56. «"Laços de Família" estreia em 2016 no VIVA». Consultado em 3 de agosto de 2015 
  57. Redação (18 de agosto de 2020). «'Laços de Família' estreia dia 7 de setembro no 'Vale a Pena Ver de Novo». Gshow. Consultado em 28 de agosto de 2020 
  58. «'Laços de família' chega ao Globoplay com história sobre sacrifícios de mãe pela filha». G1. Consultado em 11 de janeiro de 2021 
  59. Las teleseries brasileñas se toman la televisión chilena

Ligações externasEditar