Abrir menu principal

La Carte et le Territoire

La Carte et le Territoire
O mapa e o território
Autor(es) Michel Houellebecq
Idioma Francês
País  França
Gênero Romance
Editora Flammarion
Lançamento 4 de Setembro de 2010
Páginas 428
ISBN 978-2-0812-4633-1
Edição portuguesa
Tradução Pedro Tamen
Editora Alfaguara
Lançamento 2011
Páginas 377
ISBN 978-989-672-110-7
Edição brasileira
Tradução André Telles
Editora Record
Lançamento 2012
Páginas 398
ISBN 9788501093479
Cronologia
Ennemis publics
Soumission

La carte et le territoire (em português, O mapa e o território) é um livro do escritor francês Michel Houellebecq, lançado em setembro de 2010.

O romance satiriza o mundo da arte parisiense, chegando a retratar um personagem que possui o mesmo nome do autor do livro: Michel Houellebecq. No livro, Michel é um escritor bêbabo, fedorento e mal-vestido.

Logo em seu lançamento, alguns críticos acusaram o autor de plagiar trechos da obra com cópia literal retirada da Wikipédia francesa[carece de fontes?].

O romance e a WikipédiaEditar

Em setembro de 2010, o jornalista Vincent Glad publica em Slate que o romance incorpora trechos da Wikipédia em francês sem mencionar a sua fonte.[1]

Ainda em setembro de 2010, no seu blog, o jurista Florent Gallaire argumenta que o romance seria uma obra compósita e que os direitos dos autores de textos reutilizados não necessitavam de ser respeitados. Argumentava que isso daria a todos o direito de transmitir o romance sob Creative Commons BY-SA,[2] o dos artigos da Wikipedia, sob condição de se "proceder em conformidade", consistindo em atribuir as citações aos seus autores, e decide distribuir gratuitamente todo o romance na forma de imagens das páginas impressas.[3]

A Flammarion, editora do romance, ameaçou apresentar queixa judicial contra o bloguista,[3] sublinhando que Michel Houellebecq usa "frequentemente as notícias e sites oficiais como material literário bruto" e "também tomou de empréstimo para passagens do seu livro textos do site do Ministério do Interior quando define a profissão de um comissário de polícia ou uma nota turística quando descreve com humor o hotel Carpe Diem".[4]

Em 1 de dezembro de 2010, a partir do aviso formal enviado pela editora que planeia tomar uma ação judicial, o site Rue89 remove todo o conteúdo do romance que havia colocado em linha.[5] Antes, o ficheiro havia sido recuperado e distribuído por muitos sites de download e dele derivaram vários livros digitais piratas e derivativos.[6] Ao mesmo tempo, a Flammarion anuncia edições digitais dos romances de Houellebecq a um preço mais baixo do que a edição em papel.[7]

Numa declaração oficial postada no seu blog, o Conselho de Administração da associação Wikimedia France responde às várias questões levantadas por este caso e anuncia não apoiar a iniciativa de Florent Gallaire.[8]

Em maio de 2011, Houellebecq reconheceu o seu erro e agradece aos colaboradores da Wikipedia.[9] Ele acrescentou esses agradecimentos no final da edição de bolso do romance.

Na edição em português da Alfaguara de 2018 de O mapa e o território, na secção final "Agradecimentos" está referido: "Agradeço também à Wikipédia (http://fr.wikipedia.org) e aos seus colaboradores, pois utilizei algumas das suas páginas como fonte de inspiração, nomeadamente as páginas sobre a mosca doméstica, a cidade de Beauvais e Frédéric Nihous.[10]

Ligações externasEditar

Referências

  1. Vincent Glad, Houellebecq, la possibilité d'un plagiat em Slate, 2 de setembro de 2010.
  2. Houellebecq sous licence Creative Commons ! artigo de 21 de setembro de 2010.
  3. a b Houellebecq gratuit sur le Net: Flammarion va attaquer, em Rue89 de 25 de novembro de 2010.
  4. «Michel Houellebecq a-t-il plagié Wikipédia dans son dernier roman?». LePoint.fr. 4 de setembro de 2010. Consultado em 24 de setembro de 2010 .
  5. Houellebecq n'est plus en libre accès sur le Net, nota da AFP de 1 de dezembro de 2010.
  6. Houellebecq: un prix Goncourt et aussi pas mal d'emmerdes em Rue89.
  7. Flammarion annonce tout Houellebecq en numérique no site de France 2, em 26 de novembro de 2010.
  8. Wikipédia, Michel Houellebecq et le droit d’auteur.
  9. Valentine Pasquesoone (19 de maio de 2011). «Michel Houellebecq remercie Wikipédia». 20 minutes .
  10. Michel Houellebecq (Novembro de 2018). Alfaguara, ed. O mapa e o território. Lisboa: [s.n.] 379 páginas. ISBN 9789896721107 .
  Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.