Lago Mälaren

Disambig grey.svg Nota: Se procura pelo asteróide, veja 3057 Malaren.
Mälaren
Localização
Localização Svealândia
País Suécia
Localidades mais próximas Estocolmo, Uppsala, Enköping, Västerås, Köping, Eskilstuna, Strängnäs e Södertälje
Características
Área * 1 090 km²
Comprimento máximo 120 km
Largura máxima 65 km
Profundidade média 13 m
Profundidade máxima 66 m
Volume * 14 km³
Bacia hidrográfica 22 600
Ilhas Selaön, Svartsjölandet (ver tudo)
Mapa do Mälaren
Mapa do Mälaren
* Os valores do perímetro, área e volume podem ser imprecisos devido às estimativas envolvidas, podendo não estar normalizadas.

Mälaren (Nuvola apps arts.svg pronúncia), Mälare[1] ou Malar é o terceiro maior lago da Suécia, após o Vänern e o Vättern. Tem uma área de cerca de 1074 km², com um comprimento máximo de 120 km e uma largura máxima de 65 km. A sua profundidade média é de 13 m e a profundidade máxima 66 metros. Estende-se por uma zona de planícies, tendo uma linha costeira recortada por inúmeras enseadas, fiordes, estreitos, e mais de 8 000 ilhas, ilhotas e recifes. [2][3][4][5]

Situado entre as províncias da Uppland, Södermanland e Västmanland, é uma importante via de comunicação, dando acesso ao mar Báltico. A sua bacia hidrográfica tem uns 22 600 km², abrangendo mais de 10 rios - entre os quais Arboga, Kolbäck, Firis e Esquilstuna. Banha as cidades de Estocolmo, Uppsala, Enköping, Västerås, Köping, Eskilstuna, Strängnäs e Södertälje. Constitui o depósito de água de consumo de uns 2 milhões de habitantes da região. [6][3][7][8]

Até ao século XII, era um golfo do mar Báltico, mas a elevação sucessiva de terras deu-lhe o carácter atual de lago com ligação ao mar. As suas águas estão 70 cm acima do nível do mar Báltico, sendo escoadas para esse mar pelas correntes de Norrström e Söderström através de Estocolmo, e ainda pelo canal de Södertälje. O tráfego de navios para as cidades de Västerås e Köping é feito através do canal de Södertälje e da passagem de Hammarbyleden. [4][9]

EtimologiaEditar

O topônimo Mälaren deriva possivelmente de Mælir, em sueco antigo, significando lago com cascalho e pedras nas margens. O termo está registado desde o século XIV como Mæle e Mælir. Em textos em português costuma ser usada a forma original Mälaren, e ocasionalmente a adaptação tipográfica Malaren. [10][11]

Referências

  1. Godinho 1964, p. 448.
  2. Ernby 2001, p. 793.
  3. a b SMHI 2019.
  4. a b «Mälaren» (em sueco). Nationalencyklopedin (Enciclopédia Nacional Sueca). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  5. Rydstedt, Bjarne; Georg Andersson, Torsten Bladh, Per Olof Köhler, Karl-Gustaf Thorén, Mona Larsson (1987). «Mälaren – rik på öar och vikar». Land och liv 1 (em sueco). Estocolmo: Natur och kultur. p. 99. 216 páginas. ISBN 91-27-62563-X 
  6. Magnusson 2004, p. 215.
  7. Norrvatten 2019.
  8. Bent Valeur. «Mälaren» (em dinamarquês). Den Store Danske Encyklopædi (Grande Enciclopédia Dinamarquesa). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  9. Lars Mæhlum. «Mälaren» (em norueguês). Store norske leksikon (Grande Enciclopédia Norueguesa). Consultado em 4 de fevereiro de 2020 
  10. Wahlberg 2003, p. 217.
  11. «Ladrões roubam coroas históricas da família real da Suécia e fogem em lancha». O Globo. Consultado em 3 de fevereiro de 2020. ... os larápios pularam numa lancha que os esperava a pouco mais de 200 metros, na costa do lago Malaren, o terceiro maior da Suécia... 

BibliografiaEditar

  • Ernby, Birgitta; Gellerstam; Martin, Malmgren, Sven-Göran; Axelsson, Per; Fehrm, Thomas (2001). «Mälaren». Norstedts första svenska ordbok (em sueco). Estocolmo: Norstedts ordbok. 870 páginas. ISBN 91-7227-186-8 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Lago Mälaren