A Lagoa do Peri é um corpo de água doce situada ao sudeste de Florianópolis, capital de Santa Catarina, entre uma cadeia de montanhas e o oceano Atlântico.

Lagoa do Peri
Lagoa do Peri
A margem sul da Lagoa do Peri vista de oeste para leste. Foto tirada em agosto de 2005
Localização
Coordenadas 27° 44' 3" S 48° 31' 28" O
Localização Ilha de Santa Catarina
País  Brasil
Características
Tipo água doce
Altitude 3 m
Área * 5,2 km²
Profundidade máxima 11 m
* Os valores do perímetro, área e volume podem ser imprecisos devido às estimativas envolvidas, podendo não estar normalizadas.

É a maior lagoa da ilha de Santa Catarina - considerando que a Lagoa da Conceição, o maior corpo de água da ilha, é uma laguna salobra. Tem cerca de 3 m do nível do mar, Suas águas são utilizadas para o abastecimento de algumas regiões de Florianópolis situadas na ilha de Santa Catarina, por exemplo o Campeche.

Sua área é de cerca de 5,2 km², a profundidade máxima é de 11 m. Possui várias praias de areia branca, utilizadas pelos veranistas para banhos.

Nome editar

O nome da Lagoa do Peri vem de uma planta, um junco cujo nome científico é Fuirena robusta Kunth. A palavra em tupi para junco é pi'ri, de onde surge os termos populares peri, piri ou piri-piri. Essa planta é vista em abundância nas margens da lagoa.[1]

Há uma lenda local onde Peri seria um indígena, convertido em lagoa por bruxas após estas terem descoberto o amor dele por uma outra bruxa chamada Conceição - que, ao chorar sem parar por perder o amado, teria criado a Lagoa da Conceição, o que também explicaria as águas salgadas dela.[2] Apesar do caráter folclórico, a lenda, cuja maior propagação para além da oralidade é atribuída as pesquisas da cultura local por Franklin Cascaes, é difundida a ponto da origem verdadeira ser menos conhecida.[3]

Localização Geográfica editar

A distância do centro da cidade até a lagoa do Peri é de cerca de 24 km para o sul. Ao norte da Lagoa do Peri encontra-se a localidade de Morro das Pedras. Ao leste, após uma faixa de areia arborizada (restinga) que varia de 500 m a 800 m, encontra-se o oceano Atlântico. Ao sudeste, a Armação do Pântano do Sul. Ao sul, morros que a separam do Pântano do Sul e ao oeste mais montanhas, com altitude média de 300 m, cujas encostas são cobertas em parte por remanescentes da Mata Atlântica que constituem o sertão do Peri, onde se encontra o ponto culminante da ilha: o Morro do Ribeirão. Após estas montanhas encontra-se a freguesia do Ribeirão da Ilha, uma das localidades mais antigas de Florianópolis.

Ao sudoeste existe um vale, o Peri de Baixo, onde se encontra o principal manancial da lagoa, com uma cachoeira e um poço. Na vargem, alguns remanescentes dos sítios, alguns com antigos engenhos de farinha. Deste vale parte uma trilha que o liga ao "Peri de Cima" e de lá à Costa de Cima (ao sul) e ao Ribeirão da Ilha (ao oeste).

Além deste manancial, a Lagoa do Peri é abastecida por outros pequenos córregos que descem das encostas que dividem o sul da Ilha de Santa Catarina em três pequenas bacias: a do Pântano do Sul a do Ribeirão da Ilha e a da própria Lagoa do Peri.

O sangradouro da Lagoa do Peri atravessa o balneário da Armação do Pântano do Sul e desagua no mar (Oceano Atlântico), entre as praias da Armação e a Matadeiro.

Patrimônio Natural editar

 
O Ribeirão do Peri na altura da Cachoeira do Peri

A Lagoa do Peri foi tombada como Patrimônio Natural em junho de 1976, tendo sido criado e regulamentado o Parque Municipal da Lagoa do Peri, com cerca de 23 km², no período de 1981 a 1982, os quais foram revogados em 2019 quando da criação do MONA da Lagoa do Peri. Está preservada como Patrimônio Natural pelo Decreto Municipal nº 1828.

Os limites da reserva, a área tombada, são os seguintes: Começa no ponto mais alto do Morro das Pedras, daí pelos pontos mais altos deste morro até o entroncamento da SC-92 com o caminho para a Lagoa do Peri, segue pelo divisor de águas até o ponto mais alto do Morro da Chapada, continuando por este divisor rumo ao sul, até o Morro da Tapera, seguindo pelo mesmo divisor rumo sudeste e depois rumo noroeste até o ponto mais alto do Morro da Boa Vista. Deste segue até o Morro do Peri e daí pelo divisor das águas rumo nordeste até a base, por onde segue rumo leste até a linha de águas das praias da Armação. Daí segue rumo norte pela linha de água até o Costão do Morro das Pedras, continuando pela linha de água deste costão até o encontro deste com a linha de água da praia do Campeche, deste ponto em linha seca até o ponto mais alto do Morro das Pedras.

Em 1997 foi iniciada a construção da sede do parque com bar, lanchonete, estacionamento para centenas de carros, churrasqueiras, parque infantil com escorregadores, gangorras, balanços e outros brinquedos infantis. O Parque é administrado pela Fundação Municipal do Meio Ambiente que mantém os salva-vidas, a limpeza, a conservação e a vigilância.

Além desta área de lazer no entorno da Lagoa do Peri existem também áreas de Reserva Biológica e de Preservação da Paisagem Cultural. No entorno da Lagoa do Peri existem várias trilhas em meio à mata, com diversos níveis de dificuldade, para caminhadas ecológicas.

Ver também editar

Ligações externas editar

  1. Mosimann, Roseli Maria de Souza (1 de janeiro de 1983). «Levantamento das Bacillariophyceae (diatomáceas) da Lagoa no Peri, Ilha de Santa Catarina, Estado de Santa Catarina, Brasil.» (pdf). UFSC. Consultado em 27 de março de 2024 
  2. «Amor proibido: conheça a lenda de como surgiu a Lagoa do Peri e a Lagoa da Conceição». ND+. 20 de junho de 2020. Consultado em 27 de março de 2024 
  3. «Ilha da Magia: as lendas e as bruxas de Florianópolis». EducaSC. 16 de dezembro de 2021. Consultado em 27 de março de 2024