Abrir menu principal

Lançamento de disco

Lançamento de disco
Robert Harting, campeão olímpico em Londres 2012.
Olímpico desde 1896 H / 1928 S
Desporto Atletismo
Praticado por Ambos os sexos
Campeões Olímpicos
Rio 2016
Homens Christoph Harting
 Alemanha
Mulheres Sandra Perković
 Croácia
Campeões Mundiais
Doha 2019
Homens Daniel Stahl
 Suécia
Mulheres Yaimé Pérez
 Cuba

Lançamento de disco é uma modalidade esportiva olímpica do atletismo. O objetivo da prova consiste em lançar um disco de metal à maior distância possível, superando os demais competidores. Assim como o lançamento de martelo e o lançamento de dardo, esses esportes são chamados oficialmente de lançamento. Somente o arremesso de peso é chamado de arremesso, devido ao fato do peso ser empurrado e os demais serem projetados com características diferentes.[1][2]

Existente desde a Grécia Antiga, o lançamento de disco foi introduzido no programa olímpico desde os primeiros Jogos em Atenas 1896; para as mulheres, foi introduzido em Amsterdã 1928.

HistóriaEditar

O lançamento de disco é uma prova da Antiguidade e está representado na estatuária contemporânea, em particular pelo Discóbolo, uma obra de Míron datada do século V a.C.. O poeta grego Homero já se referia ao evento na descrição da Ilíada do funeral de Patroclus em cerca de 800 a.C. A prova fez parte dos Jogos Olímpicos de 708 a.C., 68 anos depois dos primeiros Jogos da Antiguidade em 776 a.C.[3] Apesar de não fazer parte do pentatlo moderno, era uma das modalidades do antigo pentatlo olímpico. Um disco original em bronze está preservado hoje no Museu Arqueológico de Olímpia.[4] Foi incluída logo na primeira edição da Era Moderna. O primeiro campeão olímpico foi Robert Garrett, dos Estados Unidos e a primeira campeã Halina Konopacka, da Polônia.[5][6]

Os suecos lançavam de um quadrado, os americanos introduziram o círculo, mas ambos estáticos e com as duas mãos. Em 1907 o disco masculino foi padronizado, pesando 2 kg e medindo 22cm. O disco feminino só foi padronizado em 1928. A pegada com uma das mãos entrou em uso em 1920 e em 1926 introduziu-se o giro, aceito oficialmente apenas em 1954.

O norte-americano Al Oerter é o maior campeão olímpico da modalidade, com quatro títulos consecutivos entre Melbourne 1956 e Cidade do México 1968.[3] Os recordes mundiais da prova pertencem há quase trinta anos a Jürgen Schult e a Gabriele Reinsch da ex-Alemanha Oriental. [7][8]

RegrasEditar

O disco usado é um prato de metal com a forma de um círculo com o diâmetro de 22 cm. Na prova masculina, o disco mede entre 219 e 221 mm de diâmetro e de 44 a 46 mm de espessura e pesa 2 kg. Na modalidade feminina, mede entre 180 e 182 mm de diâmetro e de 37 a 39 mm de espessura, pesando 1 kg. O lançamento é feito de dentro de um círculo de 2,5 m de diâmetro no chão, margeado por um anteparo de concreto de 2 cm de altura. O atleta segura o disco plano contra os dedos da mão e o antebraço do lado do lançamento, gira sobre si mesmo rapidamente e lança o disco ao ar estendendo o braço. Para melhorar a pegada é permitido o uso de uma substância adequada nas mãos e pode ser usado um cinturão para proteger a coluna.

Para a medição da distância lançada, o disco precisa aterrar dentro de uma área pré-marcada e o atleta não pode deixar o círculo antes do disco cair, e sempre pela metade traseira do círculo. Caso pise fora dele durante o lançamento ou antes do disco tocar o solo, o lançamento é impugnado. Normalmente os atletas dão uma volta e meia com o corpo como impulso e em cada competição são feitos entre quatro e seis lançamentos. No caso de empate, o desempate é feito pela segunda maior marca e assim sucessivamente.[3]

RecordesEditar

De acordo com a Federação Internacional de Atletismo – IAAF.[9][10]

Homens
Recorde
Marca
Atleta
País
Data
Local
 
74,08 m
Jürgen Schult
 
6 de junho 1986
Neubrandenburg
 
69,89 m
Virgilijus Alekna
 
23 de agosto 2004
Atenas 2004
Mulheres
Recorde
Marca
Atleta
País
Data
Local
 
76,80 m
Gabriele Reinsch
 
9 de julho 1988
Neubrandenburg
 
72,30 m
Martina Hellmann
 
29 de setembro 1988
Seul 1988
  • O fato das marcas femininas serem maiores que as masculinas é explicado pelo fato do disco feminino pesar metade do disco masculino.

Melhores marcas mundiaisEditar

As marcas abaixo são de acordo com a Federação Internacional de Atletismo – IAAF.[11][12]

HomensEditar

Posição Marca Atleta País Data Local
1
74,08 m
Jürgen Schult
 
6 junho 1986
Neubrandenburg
2
73,88 m
Virgilijus Alekna
 
3 agosto 2000
Kaunas
3
73,38 m
Gerd Kanter
 
4 setembro 2006
Helsingborg
4
72,02 m
Gerd Kanter
 
3 maio 2007
Salinas
5
71,88 m
Gerd Kanter
 
8 maio 2007
Salinas
6
71,86 m
Yuriy Dumchev
 
29 maio 1983
Moscou
71,86 m
Daniel Stahl
 
29 junho 2019
Bottnaryd
8
71,84 m
Piotr Malachowski
 
8 junho 2013
Hengelo
9
71,70 m
Róbert Fazekas
 
14 julho 2002
Szombathely
10
71,64 m
Gerd Kanter
 
25 junho 2009
Kohila

MulheresEditar

Posição Marca Atleta País Data Local
1
76,80 m
Gabriele Reinsch
 
9 julho 1988
Neubrandenburg
2
74,56 m
Zdeňka Šilhavá
 
26 agosto 1984
Nitra
74,56 m
Ilke Wyludda
 
23 julho 1989
Neubrandenburg
4
74,44 m
Gabriele Reinsch
 
13 setembro 1988
Berlim
5
74,40 m
Ilke Wyludda
 
13 setembro 1988
Berlim
6
74,08 m
Diana Sachse-Gansky
 
20 junho 1987
Karl-Marx-Stadt
7
73,90 m
Diana Sachse-Gansky
 
27 junho 1987
Praga
8
73,84 m
Daniela Costian
 
30 abril 1988
Bucareste
9
73,78 m
Daniela Costian
 
24 abril 1988
Bucareste
10
73,42 m
Gabriele Reinsch
 
12 junho 1988
Karl-Marx-Stadt

Melhores marcas olímpicasEditar

As marcas abaixo são de acordo com o Comitê Olímpico Internacional – COI.[13]

HomensEditar

Posição Marca Atleta País Medalha Local
1
69,89 m
Virgilijus Alekna
 
ouro
Atenas 2004
2
69,40 m
Lars Riedel
 
ouro
Atlanta 1996
3
69,30 m
Virgilijus Alekna
 
ouro
Sydney 2000
4
68,82 m
Jürgen Schult
 
ouro
Seul 1988
68,82 m
Gerd Kanter
 
ouro
Pequim 2008
6
68,50 m
Lars Riedel
 
prata
Sydney 2000
7
68,37 m
Christoph Harting
 
ouro
Rio 2016
8
68,28 m
Mac Wilkins
 
Montreal 1976
9
68,27 m
Robert Harting
 
ouro
Londres 2012
10
68,19 m
Frantz Kruger
 
bronze
Sydney 2000

* A marca de Mac Wilkins (68,28 m) foi feita durante as eliminatórias em Montreal 1976.

MulheresEditar

Posição Marca Atleta País Medalha Local
1
72,30 m
Martina Hellmann
 
ouro
Seul 1988
2
71,88 m
Diana Sachse-Gansky
 
prata
Seul 1988
3
70,06 m
Maritza Martén
 
ouro
Barcelona 1992
4
69,96 m
Evelin Jahl
 
ouro
Moscou 1980
5
69,74 m
Tsvetanka Khristova
 
bronze
Seul 1988
6
69,66 m
Ilke Wyludda
 
ouro
Atlanta 1996
7
69,21 m
Sandra Perković
 
ouro
Rio 2016
8
69,14 m
Svetla Mitkova
 
Seul 1988
9
69,11 m
Sandra Perković
 
ouro
Londres 2012
10
69,00 m
Evelin Schlaak
 
ouro
Montreal 1976

* A alemã-oriental Evelin Jahl foi campeã olímpica em Moscou 1980 com o nome de casada e em Montreal 1976 com o nome de solteira, Schlaak.

Marcas da lusofoniaEditar

País
Masculino
Atleta
Ano
Local
Feminino
Atleta
Ano
Local
 
65,55 m
Ronald Julião
2013
La Jolla
64,68 m
Andressa de Morais
2017
Assunção
[14]
 
61,00 m
Jorge Grave
2013
Leiria
65,40 m
Teresa Machado
1998
São Jacinto
[15]
 
49,72 m
António Réais
1991
Luanda
44,16 m
Filomena Silva
1980
Luanda
[16]:610 [17]
 
46,54 m
Otoniel Badjama
2016
Leiria
sem registro
[18]:611
 
46,54 m
Emílio Tembe
1982
Berlim
sem registro
[19]:611
 
45,48 m
Edujose Lima
2014
Braga
sem registro
[20]:612
 
40,64 m
José Rosa
2011
Luso
43,75 m
Sónia Borges
2004
Lisboa
[21]

Referências

  1. Nomes oficiais dos esportes no site da CBAT
  2. «Entenda: Arremesso e lançamentos». BM&F Atletismo. Consultado em 7 de setembro de 2015 
  3. a b c «discus throw». IAAF. Consultado em 8 de setembro de 2015 
  4. «Archaeological Museum of Olympia». Greek Travel Pages. Consultado em 8 de setembro de 2015 
  5. «Robert Garrett (USA) - Discus and shot put». olympic.org. Consultado em 8 de setembro de 2015 
  6. «HALINA KONOPACKA». olympic.org. Consultado em 8 de setembro de 2015 
  7. «THROWS - DISCUS THROW M». IAAF. Consultado em 8 de setembro de 2015 
  8. «THROWS - DISCUS THROW W». Consultado em 8 de setembro de 2015 
  9. «All time best». IAAF. Consultado em 12 de setembro de 2015 
  10. «All time best W». IAAF. Consultado em 12 de setembro de 2015 
  11. «All time best M». IAAF. Consultado em 7 de setembro de 2015 
  12. «All time best». IAAF. Consultado em 7 de setembro de 2015 
  13. «48 PAST OLYMPIC GAMES». OIC. Consultado em 24 de abril de 2013 
  14. «Recordes». CBat. Consultado em 1 de setembro de 2015. Arquivado do original em 23 de setembro de 2015 
  15. «RECORDES DE PORTUGAL». FPA. Consultado em 2 de agosto de 2017. Arquivado do original em 24 de setembro de 2015 
  16. «AAF WORLD CHAMPIONSHIPS LONDON 2017 STATISTICS HANDBOOK». IAAF. 2017. Consultado em 3 de agosto de 2017 
  17. «Recordes Femininos». Federação Angolana de Atletismo. Consultado em 3 de agosto de 2017 
  18. «AAF WORLD CHAMPIONSHIPS LONDON 2017 STATISTICS HANDBOOK». IAAF. 2017. Consultado em 3 de agosto de 2017 
  19. «AAF WORLD CHAMPIONSHIPS LONDON 2017 STATISTICS HANDBOOK». IAAF. 2017. Consultado em 3 de agosto de 2017 
  20. «AAF WORLD CHAMPIONSHIPS LONDON 2017 STATISTICS HANDBOOK». IAAF. 2017. Consultado em 3 de agosto de 2017 
  21. «Tabela de Records de Cabo Verde». FCA. Consultado em 1 de setembro de 2015 

Ligações externasEditar