Abrir menu principal

Laureados com o Nobel de Literatura

Horace Engdahl, ex-secretário permanente da Academia Sueca, anunciando que Jean-Marie Gustave Le Clézio venceu o Nobel de Literatura de 2008.

O Nobel de Literatura (em sueco: Nobelpriset i litteratur) é concedido anualmente pela Academia Sueca a autores que fizeram notáveis contribuições ao campo da literatura. É um dos cinco Prêmios Nobel criados em razão do desejo expresso pelo testamento de Alfred Nobel em 1895, atribuídos para contribuições destacáveis em química, física, literatura, paz e fisiologia ou medicina.[1] Segundo os escritos do testamento, o prêmio é administrado pela Fundação Nobel e concedido por um comitê que consiste em 5 membros eleitos pela Academia Sueca.[2] O primeiro Nobel de Literatura foi concedido em 1901 ao francês Sully Prudhomme.[3] Cada laureado recebe uma medalha, um diploma e um prêmio monetário que varia ao longo dos anos.[4] Em 1901, Prudhomme recebeu 150 782 de coroas, o equivalente a 8 823 637,78 de coroas em janeiro de 2018, enquanto que Kazuo Ishiguro, laureado de 2017, recebeu a quantia de oito milhões de coroas.[5][6] O prêmio é apresentado em Estocolmo em uma cerimônia anual em 10 de dezembro, aniversário da morte de Nobel.[7]

Até 2017, o Nobel de Literatura foi concedido a um total de 114 indivíduos.[8] Ao receber o prêmio, em 1958, Boris Pasternak foi forçado a recusá-lo publicamente sob pressão do governo da União Soviética. Em 1964, Jean-Paul Sartre anunciou que não gostaria de aceitar Nobel,[9] dando continuidade a uma prática sua de recusar todas as honrarias oficiais que recebe.[10] No entanto, o comitê do Nobel não reconhece as recusas e inclui Pasternak e Sartre em sua lista de laureados.[11]

Catorze mulheres receberam o Nobel de Literatura, mais que qualquer outro Prêmio Nobel, à exceção do da Paz.[12][13] Desde a primeira entrega do Nobel de Literatura, houve quatro momentos nos quais o prêmio foi dado a duas pessoas (1904, 1917, 1966, 1974). Em sete anos, o prêmio não foi concedido (1914, 1918, 1935 e de 1940 a 1943).[8] O país com o maior número de laureados é a França (15), seguida dos Estados Unidos e do Reino Unido (11). Os únicos sul-americanos a ganharem o prêmio foram os chilenos Gabriela Mistral (1954) e Pablo Neruda (1971), o colombiano Gabriel Garcia Márquez (1982) e o peruano Mario Vargas Llosa (2010). O único falante de língua portuguesa a receber a premiação foi José Saramago (1998).

Lista dos laureadosEditar

Século XXEditar

Década de 1900Editar

Ano Laureado
(Nascimento–Falecimento)
País
[nota 1]
Língua Citação Área
1901 Sully Prudhomme
(1839–1907)
  França Francês "em especial reconhecimento a sua composição poética, que dá provas de idealismo elevado, perfeição artística e uma combinação rara das qualidades do coração e do intelecto"[14] poesia, ensaio
1902 Theodor Mommsen
(1817–1903)
  Alemanha Alemão "o maior mestre vivo da arte da escrita histórica, com referência especial à sua monumental obra, A História de Roma"[15] história
1903 Bjørnstjerne Bjørnson
(1832–1910)
  Noruega Norueguês "como um tributo à sua poesia nobre, magnífica e versátil, que sempre se distinguiu pela frescura da sua inspiração como pela rara pureza do seu espírito"[16] poesia, romance, drama
1904 Frédéric Mistral
(1830–1914)
  França Provençal "em reconhecimento à originalidade fresca e verdadeira inspiração de sua produção poética, que reflete fielmente o cenário natural e o espírito nativo do seu povo, e, além disso, seu trabalho significativo como um filólogo provençal"[17] poesia, filologia
José Echegaray
(1832–1916)
  Espanha Espanhol "em reconhecimento às inúmeras e brilhantes composições que, de forma individual e original, reviveram as grandes tradições do drama espanhol"[17] drama
1905 Henryk Sienkiewicz
(1846–1916)
  Polônia[nota 2] Polonês "por causa de seus notáveis méritos como escritor épico"[18] romance
1906 Giosuè Carducci
(1835–1907)
  Itália Italiano "não apenas em consideração a sua aprendizagem profunda e investigação crítica, mas sobretudo como uma homenagem à energia criativa, o frescor do estilo, e a força lírica que caracterizam suas obras poéticas"[19] poesia
1907 Rudyard Kipling
(1865–1936)
  Reino Unido Inglês "em consideração ao poder de observação, originalidade de imaginação, virilidade de ideias e talento notável para a narração que caracterizam as criações deste autor mundialmente famoso"[20] romance, conto, poesia
1908 Rudolf Eucken
(1846–1926)
  Alemanha Alemão "em reconhecimento à sua busca sincera da verdade, sua penetrante força de pensamento, seu amplo campo de visão, e o calor e a firmeza de apresentação com as quais, em seus numerosos trabalhos, tem justificado e desenvolvido uma idealista filosofia de vida"[21] filosofia
1909 Selma Lagerlöf
(1858–1940)
  Suécia Sueco "em apreciação pelo idealismo sublime, imaginação vívida e percepção espiritual que caracterizam seus escritos"[22] romance, conto

Década de 1910Editar

Ano Laureado
(Nascimento–Falecimento)
País
[nota 1]
Língua Citação Área
1910 Paul von Heyse
(1830–1914)
  Alemanha Alemão "como um tributo à habilidade artística completa, impregnada de idealismo, que demonstrou durante sua longa e produtiva carreira como poeta lírico, dramaturgo, romancista e escritor de contos de renome mundial"[23] poesia, drama, romance, conto
1911 Maurice Maeterlinck
(1862–1949)
  Bélgica Francês "em apreciação às suas atividades literárias multifacetadas, e especialmente por seus trabalhos dramáticos, que se distinguem por uma riqueza de imaginação e uma fantasia poética, que revelam, por vezes sob a forma de um conto de fadas, uma inspiração profunda, enquanto que de uma maneira misteriosa, apelam para os sentimentos dos próprios leitores e estimulam suas imaginações"[24] drama, poesia, ensaio
1912 Gerhart Hauptmann
(1862–1946)
  Alemanha Alemão "principalmente em reconhecimento à sua produção fértil, variada e de destaque no domínio da arte dramática"[25] drama, romance
1913 Rabindranath Tagore
(1861–1941)
  Índia Bengali e inglês "pelo seu poema profundamente sensível, fresco, e belo, pelo qual, com consumada perícia, ele fez do seu pensamento poético, expresso nas suas próprias palavras inglesas, uma parte da literatura do ocidente"[26] poesia, romance, drama, conto, música
1914 O prêmio não foi atribuído.[27]
1915 Romain Rolland
(1866–1944)
  França Francês "como um tributo ao elevado idealismo de sua produção literária e pela simpatia e amor à verdade com os quais descreveu os diferentes tipos de seres humanos"[28] romance
1916 Verner von Heidenstam
(1859–1940)
  Suécia Sueco "em reconhecimento do seu significado como o representante principal de uma nova era em nossa literatura"[29] poesia, romance
1917 Karl Adolph Gjellerup
(1857–1919)
  Dinamarca Dinamarquês "por sua poesia variada e rica, que é inspirada por nobres ideais"[30] poesia
Henrik Pontoppidan
(1857–1943)
  Dinamarca Dinamarquês "por suas descrições autênticas da vida de hoje na Dinamarca"[30] romance
1918 O prêmio não foi atribuído.[31]
1919 Carl Spitteler
(1845–1924)
  Suíça Alemão "em especial agradecimento por seu épico, Primavera Olímpica"[32] poesia

Década de 1920Editar

Ano Laureado
(Nascimento–Falecimento)
País
[nota 1]
Língua Citação Área
1920 Knut Hamsun
(1859–1952)
  Noruega Norueguês "por seu trabalho monumental, Os Frutos da Terra"[33] romance
1921 Anatole France
(1844–1924)
  França Francês "em reconhecimento por suas brilhantes realizações literárias, caracterizadas como elas são, por uma nobreza de estilo, uma profunda simpatia humana, graça, e um verdadeiro temperamento gaulês"[34] romance, poesia
1922 Jacinto Benavente
(1866–1954)
  Espanha Espanhol "pelo modo agradável com que deu sequência ao tradicional drama espanhol"[35] drama
1923 William Butler Yeats
(1865–1939)
  Irlanda Inglês "por sua poesia sempre inspirada, que em uma forma altamente artística dá expressão ao espírito de uma nação inteira"[36] poesia
1924 Władysław Reymont
(1867–1925)
  Polônia Polonês "por seu grande épico nacional, Os Camponeses"[37] romance
1925 George Bernard Shaw
(1856–1950)
  Irlanda Inglês "por seu trabalho que é marcado pelo idealismo e humanidade, sua sátira estimulante muitas vezes sendo infundida com uma singular beleza poética"[38] drama, crítica literária
1926 Grazia Deledda
(1871–1936)
  Itália Italiano "por seus escritos idealisticamente inspirados que, com clareza plástica descreve a vida na sua ilha natal e com profundidade e simpatia trata dos problemas humanos em geral"[39] poesia, romance
1927 Henri Bergson
(1859–1941)
  França Francês "em reconhecimento às suas ideias ricas e vitalizantes e à habilidade genial com que elas têm sido apresentadas"[40] filosofia
1928 Sigrid Undset
(1882–1949)
  Noruega[nota 3] Norueguês "principalmente pelas suas fortes descrições da vida nórdica durante a Idade Média"[41] romance
1929 Thomas Mann
(1875–1955)
  Alemanha Alemão "principalmente por seu grande romance, Buddenbrooks, que ganhou reconhecimento cada vez maior como uma das obras clássicas da literatura contemporânea"[42] romance, conto, ensaio

Década de 1930Editar

Ano Laureado
(Nascimento–Falecimento)
País
[nota 1]
Língua Citação Área
1930 Sinclair Lewis
(1885–1951)
  Estados Unidos Inglês "por sua arte vigorosa e gráfica de descrição e sua capacidade de criar com sagacidade e humor, novos tipos de personagens"[43] romance, conto, drama
1931 Erik Axel Karlfeldt
(1864–1931)
  Suécia Sueco "A poesia de Erik Axel Karlfeldt"[44] poesia
1932 John Galsworthy
(1867–1933)
  Reino Unido Inglês "por sua arte distinta de narração, que tem sua forma mais elevada em The Forsyte Saga"[45] romance
1933 Ivan Bunin
(1870–1953)
  União Soviética
[nota 4][nota 5]
Russo "pela habilidade artística precisa com que deu continuidade às tradições clássicas russas na prosa"[46] conto, poesia, romance
1934 Luigi Pirandello
(1867–1936)
  Itália Italiano "por sua revitalização arrojada e engenhosa da arte dramática e cênica"[47] drama, romance, conto
1935 O prêmio não foi atribuído.[48]
1936 Eugene O'Neill
(1888–1953)
  Estados Unidos Inglês "pela força, honestidade e emoções intensas de suas obras dramáticas, que incorporam um conceito original da tragédia"[49] drama
1937 Roger Martin du Gard
(1881–1958)
  França Francês "pela força artística e verdade com que descreveu os conflitos humanos, bem como alguns aspectos fundamentais da vida contemporânea em seu ciclo de romances Les Thibault"[50] romance
1938 Pearl S. Buck
(1892–1973)
  Estados Unidos Inglês "por suas ricas e verdadeiras descrições épicas da vida dos camponeses na China e por seus trabalhos biográficos"[51] romance, biografia
1939 Frans Eemil Sillanpää
(1888–1964)
  Finlândia Finlandês "por seu profundo entendimento dos camponeses de seu país e pela arte requintada com que retratou seus modos de vida e suas relações com a natureza"[52] romance

Década de 1940Editar

Ano Laureado
(Nascimento–Falecimento)
País
[nota 1]
Língua Citação Área
1940 O prêmio não foi atribuído.[53][54][55][56]
1941
1942
1943
1944 Johannes Vilhelm Jensen
(1873–1950)
  Dinamarca Dinamarquês "pela força rara e fertilidade de sua imaginação poética com a qual se combinam uma curiosidade intelectual de amplo alcance e um estilo arrojado, vivamente criativo"[57] drama, conto
1945 Gabriela Mistral
(1889–1957)
  Chile Espanhol "por sua poesia lírica, inspirada por fortes emoções, que fez de seu nome um símbolo das aspirações idealistas de todo o mundo latino-americano"[58] poesia
1946 Hermann Hesse
(1877–1962)
  Suíça
[nota 6]
Alemanha "por seus escritos inspirados que, enquanto crescem em audácia e penetração, exemplificam os ideais humanitários clássicos e as altas qualidades de estilo"[59] romance, poesia
1947 André Gide
(1869–1951)
  França Francês "por seus escritos solidários e artisticamente significativos, nos quais os problemas e as condições humanas são apresentados com um destemido amor pela verdade e uma intuição psicológica aguda"[60] romance, ensaio
1948 T. S. Eliot
(1888–1965)
  Reino Unido
[nota 7]
Inglês "por sua contribuição pioneira e notável à poesia contemporânea"[61] poesia
1949 William Faulkner
(1897–1962)
  Estados Unidos Inglês "por sua contribuição forte e artisticamente incomparável para o moderno romance americano"[62] romance, conto

Década de 1950Editar

Ano Laureado
(Nascimento–Falecimento)
País
[nota 1]
Língua Citação Área
1950 Bertrand Russell
(1872–1970)
  Reino Unido Inglês "em reconhecimento aos seus escritos variados e significativos, nos quais defende os ideais humanitários e a liberdade de pensamento"[63] filosofia
1951 Pär Lagerkvist
(1891–1974)
  Suécia Sueco "pelo vigor artístico e verdadeira independência de pensamento com que esforça-se, em sua poesia, para achar respostas para as eternas questões que afrontam a humanidade"[64] poesia, romance, conto, drama
1952 François Mauriac
(1885–1970)
  França Francês "pela intuição espiritual profunda e pela intensidade artística com que, em seus romances, penetrou no drama da vida humana"[65] romance, conto
1953 Winston Churchill
(1874–1965)
  Reino Unido Inglês "por sua maestria na descrição histórica e biográfica, bem como pela brilhante oratória em defesa dos valores humanos"[66] história, ensaio, memórias
1954 Ernest Hemingway
(1899–1961)
  Estados Unidos Inglês "por sua maestria da arte narrativa, mais recentemente demonstrada em "O Velho e O Mar", e pela influência que exerceu no estilo contemporâneo"[67] romance, conto, roteiro
1955 Halldór Laxness
(1902–1998)
  Islândia Islandês "por seu épico vívido e poderoso que renovou a grande arte narrativa da Islândia"[68] romance, conto, drama, poesia
1956 Juan Ramón Jiménez
(1881–1958)
  Espanha Espanhol "por sua poesia lírica, que na língua espanhola constitui um exemplo de espírito elevado e pureza artística"[69] poesia
1957 Albert Camus
(1913–1960)
  França
[nota 8]
Francês "por sua produção literária importante, que com lúcida sinceridade ilumina os problemas da consciência humana em nossos tempos"[70] romance, conto, drama, filosofia, ensaio
1958 Boris Pasternak
(1890–1960)
  União Soviética Russo "por sua importante conquista tanto na poesia lírica contemporânea como no campo da grande e épica tradição russa"[71] romance, poesia, tradução
1959 Salvatore Quasimodo
(1901–1968)
  Itália Italiano "por sua poesia lírica, que com fogo clássico expressa a experiência trágica da vida em nossos tempos"[72] poesia

Década de 1960Editar

Ano Laureado
(Nascimento–Falecimento)
País
[nota 1]
Língua Citação Área
1960 Saint-John Perse
(1887–1975)
  França
[nota 9]
Francês "pelos vôos e imagens evocativas da sua poesia, que de uma forma visionária refletem as condições do nosso tempo"[73] poesia
1961 Ivo Andrić
(1892–1975)
  Iugoslávia
[nota 10]
Servo-croata "pela força épica com a qual ele traçou temas e descreveu destinos humanos desenhados a partir da história de seu país"[74] romance, conto
1962 John Steinbeck
(1902–1968)
  Estados Unidos Inglês "por seus escritos realistas e imaginativos, combinando-os com humor simpático e percepção social afiado"[75] romance, conto, roteiro
1963 Giórgos Seféris
(1900–1971)
  Grécia
[nota 11]
Grego "pela sua escrita eminentemente lírica, inspirada por um sentimento profundo para o mundo helênico de cultura"[76] poesia, ensaio, memórias
1964 Jean-Paul Sartre
(1905–1980)
  França Francês "que pelo seu trabalho, rico em idéias e preenchido com o espírito da liberdade e em busca da verdade, exerceu uma influência profunda na nossa época"[77] romance, filosofia, drama, crítica literária, roteiro
1965 Michail Sholokhov
(1905–1984)
  União Soviética Russo "pelo poder artístico e integridade com a qual, em seu épico Don, ele deu expressão a uma fase histórica na vida do povo russo"[78] romance
1966 Shmuel Yosef Agnon
(1888–1970)
  Israel
[nota 12]
Hebraico "por sua arte narrativa profundamente característica com motivos da vida do povo judeu"[79] romance, conto
Nelly Sachs
(1891–1970)
  Suécia
[nota 13]
Alemão "pela sua excelente escrita lírica e dramática, que interpreta o destino de Israel com toque de força"[79] poesia, drama
1967 Miguel Ángel Asturias
(1899–1974)
  Guatemala Espanhol "pela sua realização literária vívida, profundamente enraizada nos traços nacionais e tradições dos povos indígenas da América Latina"[80] romance, poesia
1968 Yasunari Kawabata
(1899–1972)
  Japão Japonês "por sua maestria narrativa, que com grande sensibilidade expressa a essência da mente japonesa"[81] romance, conto
1969 Samuel Beckett
(1906–1989)
  Irlanda Inglês e francês "pela sua escrita, que — em novas formas para o romance e drama — na destituição do homem moderno adquire sua elevação"[82] romance, drama, poesia

Década de 1970Editar

Ano Laureado
(Nascimento–Falecimento)
País
[nota 1]
Língua Citação Área
1970 Alexander Soljenítsin
(1918–2008)
  União Soviética Russo "pela força ética com a qual ele tem perseguido as indispensáveis tradições ​​da literatura russa"[83] romance
1971 Pablo Neruda
(1904–1973)
  Chile Espanhol "pela poesia que, com a ação de uma força elemental, reaviva o destino e os sonhos de um continente"[84] poesia
1972 Heinrich Böll
(1917–1985)
  Alemanha Ocidental Alemão "pela sua escrita que, através da combinação de uma perspectiva ampla sobre seu tempo com uma habilidade sensível de caracterização, contribuiu para a renovação da literatura alemã"[85] romance, conto
1973 Patrick White
(1912–1990)
  Austrália
[nota 14]
Inglês "por uma arte narrativa épica e psicológica que introduziu um novo continente à Literatura"[86] romance, conto
1974 Eyvind Johnson
(1900–1976)
  Suécia Sueco "por uma narrativa, perspicaz em terras em terra e idades, a serviço da liberdade"[87] romance
Harry Martinson
(1904–1978)
  Suécia Sueco "por escritos que capturam a gota de orvalho e refletem sobre o cosmos"[87] poesia, romance, drama
1975 Eugenio Montale
(1896–1981)
  Itália Italiano "por sua poesia distinta que, com grande sensibilidade artística, interpretou os valores humanos sob o signo de uma visão da vida sem ilusões"[88] poesia
1976 Saul Bellow
(1915–2005)
  Estados Unidos
[nota 15]
Inglês "para o entendimento humano e sutil análise da cultura contemporânea que são combinados em sua obra"[89] romance, conto
1977 Vicente Aleixandre
(1898–1984)
  Espanha Espanhol "para uma escrita poética criativa que ilumina a condição do homem no cosmos e na sociedade atual, ao mesmo tempo que representa a grande renovação das tradições de poesia espanhola entre as guerras"[90] poesia
1978 Isaac Bashevis Singer
(1902–1991)
  Estados Unidos
[nota 16]
Iídiche "por sua apaixonante narrativa artística que, com suas raízes na cultura tradicional polaco judaica,traz a condição universal e humana para a vida"[91] romance, conto, memórias
1979 Odysséas Elýtis
(1911–1996)
  Grécia Grego "pela sua poesia, que, com a tradição grega em pano de fundo, descreve com força sensorial e visão intelectual a luta do homem moderno pela liberdade e criatividade"[92] poesia, ensaio

Década de 1980Editar

Ano Laureado
(Nascimento–Falecimento)
País
[nota 1]
Língua Citação Área
1980 Czesław Miłosz
(1911–2004)
  Polónia
[nota 17]
Polonês "que com visão descomprometida oferece a voz à condição exposta do homem num mundo de conflitos severos"[93] poesia, ensaio
1981 Elias Canetti
(1905–1994)
  Reino Unido
[nota 18]
Alemão "por escritos marcados por uma ampla perspectiva, uma riqueza de ideias e poder artístico"[94] romance, drama, memórias, ensaios
1982 Gabriel García Márquez
(1927–2014)
  Colômbia Espanhol "pelos seus romances e contos, em que o fantástico e o real se combinam num mundo densamente composto pela imaginação, reflectindo a vida e os conflitos de um continente"[95] romance, conto, roteiro
1983 William Golding
(1911–1993)
  Reino Unido Inglês "pelos seus romances que, com a perspicácia da arte narrativa e a diversidade e universalidade do mito, lançam luz sobre a condição humana hoje em dia"[96] romance, poesia, drama
1984 Jaroslav Seifert
(1901–1986)
  Tchecoslováquia
[nota 19]
Tcheco "pela sua poesia que dotada de frescura, e poder inventivo oferece uma imagem libertadora do indomável espírito e versatilidade do Homem"[97] poesia
1985 Claude Simon
(1913–2005)
  França
[nota 20]
Francês "que no seu romance combina a criatividade do poeta e a do pintor com um sentido aprofundado do tempo no retrato que faz da condição humana"[98] romance
1986 Wole Soyinka
(1934–)
  Nigéria Inglês "que numa perspectiva cultural ampla e com segundos sentidos poéticos perscruta o drama da existência"[99] drama, romance, poesia
1987 Joseph Brodsky
(1940–1996)
  Estados Unidos
[nota 21]
Russo e inglês "por um trabalho de grande envergadura, imbuído de clareza de pensamento e intensidade poética"[100] poesia, ensaio
1988 Naguib Mahfouz
(1911–2006)
  Egito Árabe "que, por trabalhos ricos em matizes — já vividamente realistas, já evocativamente ambíguos — formou uma arte narrativa árabe que se aplica a toda a humanidade"[101] romance
1989 Camilo José Cela
(1916–2002)
  Espanha Espanhol "por uma prosa rica e intensa, que com compaixão contida forma uma visão desafiadora da vulnerabilidade humana"[102] romance, conto

Década de 1990Editar

Ano Laureado
(Nascimento–Falecimento)
País
[nota 1]
Língua Citação Área
1990 Octavio Paz
(1914–1998)
  México Espanhol "por uma escrita apaixonada de horizontes largos, caracterizada por inteligência sensorial e integridade humanista"[103] poesia, ensaio
1991 Nadine Gordimer
(1923–2014)
  África do Sul Inglês "que pela sua magnífica escrita epica trouxe - nas palavras de Alfred Nobel - um grande benefício para a humanidade"[104] poesia, ensaio
1992 Derek Walcott
(1930–2017)
  Santa Lúcia Inglês "por uma obra poética de grande luminosidade, sustentada numa visão histórica, o resultado de um compromisso multicultural"[105] poesia, drama
1993 Toni Morrison
(1931–2019)
  Estados Unidos Inglês "que em romances caracterizados por força visionária e lastro poético, oferece vida a um aspecto essencial da realidade dos Estados Unidos"[106] romance
1994 Kenzaburo Oe
(1935–)
  Japão Japonês "que com força poética cria um mundo imaginado, onde a vida e o mito se condensam para formar o desenho desconcertante das dificuldades do homem de hoje"[107] romance, conto
1995 Seamus Heaney
(1939–2013)
  Irlanda[nota 22] Inglês "por trabalhos de uma beleza lírica e profundidade ética, quer exaltam os milagres quotidianos e o viver passado"[108] poesia
1996 Wisława Szymborska
(1923–2012)
  Polónia Polonês "pela poesia que, com precisão irônica, permite que contextos históricos e biológicos venham à tona, em fragmentos de realidade humana"[109] poesia
1997 Dario Fo
(1926–2016)
  Itália Italiano "que emula os bobos medievais no questionar da autoridade e no apoio à dignidade dos caídos"[110] drama
1998 José Saramago
(1922–2010)
  Portugal Português "que, com parábolas portadoras de imaginação, compaixão e ironia torna constantemente compreensível uma realidade fugidia"[111] romance, drama, poesia
1999 Günter Grass
(1927–2015)
  Alemanha Alemão "que, com vivas fábulas negras, desenhou o rosto oculto da história" [112] romance, drama, poesia

Século XXIEditar

Década de 2000Editar

Ano Laureado
(Nascimento–Falecimento)
País
[nota 1]
Língua Citação Área
2000 Gao Xingjian
(1940–)
  França
[nota 23]
Chinês "por uma obra de valor universal, uma lucidez amarga e uma ingenuidade linguística que abriram novos caminhos para o romance e o teatro chineses"[113] romance, drama, crítica literária
2001 Vidiadhar Naipaul
(1932–2018)
  Reino Unido
[nota 24]
Inglês "por ter unido narrativa perceptiva e escrutínio incorruptível em obras que nos compelem a ver a presença de histórias suprimidas"[114] romance, ensaio
2002 Imre Kertész
(1929–2016)
  Hungria Húngaro "pela escrita que apoia a frágil experiência do indivíduo contra a bárbara arbitrariedade da história"[115] romance
2003 J.M. Coetzee
(1940–)
  Austrália
[nota 25]
Inglês "que com inumeráveis disfarces retrata o envolvimento surpreendente do forasteiro"[116] romance, ensaio, tradução
2004 Elfriede Jelinek
(1946–)
  Áustria Alemão "pelo seu fluxo musical de vozes e contra-vozes em novelas e peças que com extraordinário zelo linguístico revelam o absurdo dos clichés/clichês da sociedade e o seu poder subjugante"[117] romance, drama
2005 Harold Pinter
(1930–2008)
  Reino Unido Inglês "que nas suas peças descobre o precipício sob o murmúrio do dia-a-dia e força a entrada nos quartos escuros da opressão"[118] drama, roteiro
2006 Orhan Pamuk
(1952–)
  Turquia Turco "que na busca pela alma melancólica da sua cidade natal descobriu novos símbolos para o choque e interligação de culturas"[119] romance, roteiro, ensaio
2007 Doris Lessing
(1919–2013)
  Reino Unido Inglês "tal epicista da experiência feminina que, com ceticismo, ardor e poder visionário sujeitou uma civilização dividia ao escrutínio"[120] romance, drama, poesia, conto, memórias
2008 J. M. G. Le Clézio
(1940–)
  França
  Maurícia
Francês "autor de novas partidas, aventura poética e êxtase sensual, explorador da humanidade além e sob a civilização regente"[121] romance, conto, ensaio, tradução
2009 Herta Müller
(1953–)
  Alemanha
[nota 26]
Alemão "que, com a densidade da sua poesia e franqueza da prosa, retrata o universo dos desapossados"[122] romance, poesia

Década de 2010Editar

Ano Laureado
(Nascimento–Falecimento)
País
[nota 1]
Língua Citação Área
2010 Mario Vargas Llosa
(1936–)
  Peru
  Espanha
Espanhol "por sua cartografia das estruturas de poder e de imagens, e sua mordaz resistência, revolta e derrota do indivíduo"[123] romance, conto, ensaio, drama, memórias
2011 Tomas Tranströmer
(1931–2015)
  Suécia Sueco "que, pelas suas condensadas e translúcidas imagens, nos dá um novo acesso à realidade"[124] poesia, tradução
2012 Mo Yan
(1955–)
  China Chinês "que com realismo alucinatório funde contos populares, história e contemporaneidade"[125] romance, conto
2013 Alice Munro
(1931–)
  Canadá Inglês "mestra do conto contemporâneo"[126] conto
2014 Patrick Modiano
(1945–)
  França Francês "pela arte da memória com a qual ele evocou os destinos humanos mais inatingíveis e descobriu a vida do mundo da ocupação [alemã]"[127] romance
2015 Svetlana Alexijevich
(1948–)
  Bielorrússia
[nota 27]
Russo "pelos seus escritos polifônicos,um monumento ao sofrimento e à coragem em nosso tempo"[128] história, ensaio
2016 Bob Dylan
(1941–)
  Estados Unidos Inglês "por ter criado novos modos de expressão poética no quadro da tradição da música americana"[129] poesia, composição musical
2017 Kazuo Ishiguro
(1954–)
  Reino Unido
[nota 28]
Inglês "que, em romances de grande força emocional, descobriu o abismo sob nosso ilusório senso de conexão com o mundo"[130] romance
2018 Olga Tokarczuk   Polónia Polonês “por uma imaginação narrativa que, com paixão enciclopédica, representa o cruzamento de fronteiras como uma forma de vida”[131] romance, poesia, ensaio
2019 Peter Handke   Áustria Alemão "por um trabalho influente que, com engenhosidade linguística, explorou a periferia e a especificidade da experiência humana"[132] romance, drama

Por paísEditar

A lista abaixo refere-se às nacionalidades dos 114 laureados à época da concessão do prêmio. J. M. G. Le Clézio e Mario Vargas Llosa tinham dupla nacionalidade à época em que receberam o Nobel, aparecendo, portanto, duas vezes na lista seguinte.

# País Qtd. Laureados (ano do prêmio)
1   França 15 Prudhomme (1901), F. Mistral (1904), Rolland (1915), France (1921), Bérgson (1927), du Gard (1937), Gide (1947), Mauriac (1952), Camus (1957), Perse (1960), Sartre (1964), Simon (1985), Xingjian (2000), Le Clézio (2008)[nota 29], Modiano (2014)
2   Estados Unidos 11 Lewis (1930), O'Neill (1936), Buck (1938), Faulkner (1949), Hemingway (1954), Steinbeck (1962), Bellow (1976), Singer (1978), Brodsky (1987), Morrison (1993), Dylan (2016)
  Reino Unido 11 Kipling (1907)[nota 30], Galsworthy (1932), Eliot (1948), Russell (1950), Churchill (1953), Canetti (1981), Golding (1983), Naipaul (2001), Pinter (2005), Lessing (2007), Ishiguro (2017)
4   Alemanha 8 Mommsen (1902)[nota 31], Eucken (1908)[nota 31], Heyse (1910)[nota 31], Hauptmann (1912)[nota 31], Mann (1929)[nota 32], Böll (1972)[nota 33], Grass (1999), Müller (2009)
  Suécia 8 Lagerlöf (1909), von Heidenstam (1916), Karlfeldt (1931), Lagerkvist (1951), Sachs (1966), Johnson (1974), Martinson (1974), Tranströmer (2011)
6   Espanha 6 Echegaray (1904)[nota 34], Benavente (1922)[nota 34], Jiménez (1956)[nota 35], Aleixandre (1977), Cela (1989), Llosa (2010)[nota 36]
  Itália 6 Carducci (1906)[nota 37], Deledda (1926)[nota 37], Pirandello (1934)[nota 37], Quasimodo (1959), Montale (1975), Fo (1997)
8   Irlanda 4 Yeats (1923)[nota 38], Shaw (1925)[nota 38], Beckett (1969), Heaney (1995)
  Polônia 4 Sienkiewicz (1905)[nota 39], Reymont (1924)[nota 40], Miłosz (1980), Szymborska (1996)
  União Soviética 4 Bunin (1933)[nota 5], Pasternak (1958), Sholokhov (1965), Soljenítsin (1970)
11   Dinamarca 3 Gjellerup (1917), Pontoppidan (1917), Jensen (1944)
  Noruega 3 Bjørnson (1903)[nota 41], Hamsun (1920), Undset (1928)
13   Austrália 2 White (1973), Coetzee (2003)
  Chile 2 G. Mistral (1945), Neruda (1971)
  Grécia 2 Seféris (1963)[nota 42], Elýtis (1979)
  Japão 2 Kawabata (1968), Oe (1994)
  Suíça 2 Spitteler (1919), Hesse (1946)
18   África do Sul 1 Gordimer (1991)
  Áustria 1 Jelinek (2004)
  Bélgica 1 Maeterlinck (1911)
  Bielorrússia 1 Alexijevich (2015)
  Canadá 1 Munro (2013)
  China 1 Yan (2012)
  Colômbia 1 Márquez (1982)
  Egito 1 Mahfouz (1988)
  Finlândia 1 Sillanpää (1939)
  Guatemala 1 Astúrias (1967)
  Hungria 1 Kertész (2002)
  Índia 1 Tagore (1913)[nota 43]
  Islândia 1 Laxness (1955)
  Israel 1 Agnon (1966)
  Maurícia 1 Le Clézio (2008)[nota 29]
  México 1 Paz (1900)
  Nigéria 1 Soyinka (1986)
  Peru 1 Llosa (2010)
  Portugal 1 Saramago (1998)
  Santa Lúcia 1 Walcott (1992)
  Tchecoslováquia 1 Seifert (1984)
  Turquia 1 Pamuk (2006)
  Iugoslávia 1 Andrić (1961)

Por línguaEditar

A lista abaixo refere-se às nacionalidades dos 116 laureados até 2019. Rabindranath Tagore, Samuel Beckett e Joseph Brodsky e escreviam em duas línguas diferentes, aparecendo, portanto, duas vezes na lista seguinte.

# Língua Qtd. Laureados (ano do prêmio)
1 Inglês 32 Kipling (1907), Tagore (1913), Yeats (1923), Shaw (1925), Lewis (1930), Galsworthy (1932), O'Neill (1936), Buck (1938), Eliot (1948), Faulkner (1949), Russell (1950), Churchill (1953), Hemingway (1954), Steinbeck (1962), Beckett (1969), White (1973), Bellow (1976), Canetti (1981), Golding (1983), Soyinka (1986), Brodsky (1987), Gordimer (1991), Walcott (1992), Morrison (1993), Heaney (1995), Naipaul (2001), Coetzee (2003), Pinter (2005), Lessing (2007), Munro (2013), Ishiguro (2017), Dylan (2016)
2 Francês 15 Prudhomme (1901), Maeterlinck (1911), Rolland (1915), France (1921), Bérgson (1927), du Gard (1937), Gide (1947), Mauriac (1952), Camus (1957), Perse (1960), Sartre (1964), Beckett (1969), Simon (1985), Le Clézio (2008), Modiano (2014)
3 Alemão 14 Mommsen (1902), Eucken (1908), Heyse (1910), Hauptmann (1912), Spitteler (1919), Mann (1929), Hesse (1946), Sachs (1966), Böll (1972), Canetti (1981), Grass (1999), Jelinek (2004), Müller (2009), Handke (2019)
4 Espanhol 11 Echegaray (1904), Benavente (1922), G. Mistral (1945), Jiménez (1956), Astúrias (1967), Neruda (1971), Aleixandre (1977), Márquez (1982), Cela (1989), Paz (1900), Llosa (2010)
5 Sueco 7 Lagerlöf (1909), von Heidenstam (1916), Karlfeldt (1931), Lagerkvist (1951), Johnson (1974), Martinson (1974), Tranströmer (2011)
6 Italiano 6 Carducci (1906), Deledda (1926), Pirandello (1934), Quasimodo (1959), Montale (1975), Fo (1997)
Russo 6 Bunin (1933), Pasternak (1958), Sholokhov (1965), Soljenítsin (1970), Brodsky (1987), Alexijevich (2015)
8 Polonês 5 Sienkiewicz (1905), Reymont (1924), Miłosz (1980), Szymborska (1996), Tokarczuk (2018)
9 Dinamarquês 3 Gjellerup (1917), Pontoppidan (1917), Jensen (1944)
Norueguês 3 Bjørnson (1903), Hamsun (1920), Undset (1928)
11 Chinês 2 Xingjian (2000), Yan (2012)
Grego 2 Seféris (1963), Elýtis (1979)
Japonês 2 Kawabata (1968), Oe (1994)
14 Árabe 1 Mahfouz (1988)
Bengali 1 Tagore (1913)
Finlandês 1 Sillanpää (1939)
Hebraico 1 Agnon (1966)
Húngaro 1 Kertész (2002)
Iídiche 1 Singer (1978)
Islandês 1 Laxness (1955)
Português 1 Saramago (1998)
Provençal 1 F. Mistral (1904)
Servo-croata 1 Andrić (1961)
Tcheco 1 Seifert (1984)
Turco 1 Pamuk (2006)

Por sexoEditar

Os 116 laureados de 1901 a 2019 foram dos seguintes sexos:

Década Homens Mulheres Total
Qtd. Porc. Qtd. Porc.
1900 9 90% 1 10% 10
1910 9 100% 0 0% 9
1920 8 80% 2 20% 10
1930 8 88,9% 1 11,1% 9
1940 5 83,3% 1 16,7% 6
1950 10 100% 0 0% 10
1960 10 90,9% 1 9,1% 11
1970 11 100% 0 0% 11
1980 10 100% 0 0% 10
1990 7 70% 3 30% 10
2000 7 70% 3 30% 10
2010 7 70% 3 30% 10
Total 100 87,7% 14 12,3% 114

Notas

  1. a b c d e f g h i j k l Nacionalidade do laureado à época da concessão do prêmio.
  2. À época, um estado soberano criado pelo Congresso de Viena ligado por união pessoal com o Império Russo.
  3. Nascida na Dinamarca.
  4. Nascido no Império Russo.
  5. a b Considerado pela Fundação Nobel como apátrida.
  6. Nascido no Império Alemão.
  7. Nascido nos Estados Unidos.
  8. Nascido na Argélia francesa.
  9. Nascido em Guadalupe.
  10. Nascido em Áustria-Hungria.
  11. Nascido no Império Otomano.
  12. Nascido na Áustria-Hungria.
  13. Nascida no Império Alemão.
  14. Nascido no Reino Unido.
  15. Nascido no Canadá.
  16. Nascido na Polônia.
  17. Nascido na Lituânia.
  18. Nascido na Bulgária.
  19. Nascido na Áustria-Hungria.
  20. Nascido no Madagascar francês.
  21. Nascido na União Soviética.
  22. Nascido na Irlanda do Norte.
  23. Nascido na República da China, teve cidadania chinesa até 1998, quando obteve cidadania francesa.
  24. Nascido em Trinidade e Tobago.
  25. Nascido na África do Sul.
  26. Nascida na Romênia.
  27. Nascida na Ucrânia, então parte da União Soviética.
  28. Nascido no Japão.
  29. a b Le Clézio tem dupla cidadania (francesa e mauriciana).
  30. À época, o Reino Unido da Grã-Bretanha e da Irlanda.
  31. a b c d À época, o Império Alemão.
  32. À época, a República de Weimar.
  33. À época, a Alemanha Ocidental.
  34. a b À época, o Reino da Espanha após a Restauração Bourbon.
  35. À época, a Espanha Franquista.
  36. Llosa tem dupla cidadania (espanhola e peruana).
  37. a b c À época, o Reino de Itália.
  38. a b À época, o Estado Livre Irlandês.
  39. À época, a Polônia do Congresso.
  40. À época, a Segunda República Polonesa.
  41. À época, os Reinos Unidos da Suécia e Noruega.
  42. À época, o Reino da Grécia.
  43. À época, a Índia britânica.

Referências

  1. «Alfred Nobel – The Man Behind the Nobel Prize» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 19 de maio de 2018 
  2. «The Nobel Prize Awarders» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 19 de maio de 2018. Arquivado do original em 19 de maio de 2018 
  3. «Winners of the Nobel Prize for Literature | Nobel Prize in Literature». Encyclopædia Britannica (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2017 
  4. «The Nobel Prize» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 7 de outubro de 2008 
  5. «The Nobel Prize amounts» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 7 de setembro de 2018 
  6. «Prize amount and market value of invested capital converted into 2017 year's monetary value» (PDF). Fundação Nobel. Consultado em 7 de setembro de 2018 
  7. «The Nobel Prize Award Ceremonies» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 16 de outubro de 2008. Cópia arquivada em 22 de agosto de 2008 
  8. a b «All Nobel Laureates in Literature» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 16 de outubro de 2008 
  9. Flood, Alison (5 de janeiro de 2015). «Jean-Paul Sartre rejected Nobel prize in a letter to jury that arrived too late». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077. Consultado em 24 de agosto de 2017 
  10. «Nobel Laureates Facts» (em em). Fundação Nobel. Consultado em 16 de outubro de 2008. Arquivado do original em 2 de fevereiro de 2007 
  11. «Bob Dylan removes mention of Nobel prize from website». The Guardian (em inglês). 21 de outubro de 2016. Consultado em 2 de novembro de 2016 
  12. «Women Nobel Laureates». Fundação Nobel. Consultado em 16 de outubro de 2008 
  13. «Nobel Prize winners: How many women have won awards?». Telegraph.co.uk (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2017 
  14. «Nobel Prize in Literature 1901» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 20 de maio de 2018 
  15. «Nobel Prize in Literature 1902» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 20 de maio de 2018 
  16. «Nobel Prize in Literature 1903» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 20 de maio de 2018 
  17. a b «Nobel Prize in Literature 1904» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 20 de maio de 2018 
  18. «Nobel Prize in Literature 1905» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 20 de maio de 2018 
  19. «Nobel Prize in Literature 1906» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 20 de maio de 2018 
  20. «Nobel Prize in Literature 1907» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 20 de maio de 2018 
  21. «Nobel Prize in Literature 1908» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 20 de maio de 2018 
  22. «Nobel Prize in Literature 1909» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 20 de maio de 2018 
  23. «Nobel Prize in Literature 1910» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 21 de maio de 2018 
  24. «Nobel Prize in Literature 1911» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 21 de maio de 2018 
  25. «Nobel Prize in Literature 1912» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 21 de maio de 2018 
  26. «Nobel Prize in Literature 1913» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 21 de maio de 2018 
  27. «Nobel Prize in Literature 1914» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 21 de maio de 2018 
  28. «Nobel Prize in Literature 1915» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 21 de maio de 2018 
  29. «Nobel Prize in Literature 1916» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 21 de maio de 2018 
  30. a b «Nobel Prize in Literature 1917» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 21 de maio de 2018 
  31. «Nobel Prize in Literature 1918» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 21 de maio de 2018 
  32. «Nobel Prize in Literature 1919» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 21 de maio de 2018 
  33. «Nobel Prize in Literature 1920» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 21 de maio de 2018 
  34. «Nobel Prize in Literature 1921» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 21 de maio de 2018 
  35. «Nobel Prize in Literature 1922» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 27 de maio de 2018 
  36. «Nobel Prize in Literature 1923» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 27 de maio de 2018 
  37. «Nobel Prize in Literature 1924» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 27 de maio de 2018 
  38. «Nobel Prize in Literature 1925» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 27 de maio de 2018 
  39. «Nobel Prize in Literature 1926» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 27 de maio de 2018 
  40. «Nobel Prize in Literature 1927» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 27 de maio de 2018 
  41. «Nobel Prize in Literature 1928» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 27 de maio de 2018 
  42. «Nobel Prize in Literature 1929» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 27 de maio de 2018 
  43. «Nobel Prize in Literature 1930» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  44. «Nobel Prize in Literature 1931» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  45. «Nobel Prize in Literature 1932» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  46. «Nobel Prize in Literature 1933» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  47. «Nobel Prize in Literature 1934» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  48. «Nobel Prize in Literature 1935» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  49. «Nobel Prize in Literature 1936» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  50. «Nobel Prize in Literature 1937» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  51. «Nobel Prize in Literature 1938» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  52. «Nobel Prize in Literature 1939» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  53. «Nobel Prize in Literature 1940» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  54. «Nobel Prize in Literature 1941» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  55. «Nobel Prize in Literature 1942» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  56. «Nobel Prize in Literature 1943» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  57. «Nobel Prize in Literature 1944» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  58. «Nobel Prize in Literature 1945» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  59. «Nobel Prize in Literature 1946» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  60. «Nobel Prize in Literature 1947» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  61. «Nobel Prize in Literature 1948» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  62. «Nobel Prize in Literature 1949» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  63. «Nobel Prize in Literature 1950» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  64. «Nobel Prize in Literature 1951» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  65. «Nobel Prize in Literature 1952» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  66. «Nobel Prize in Literature 1953» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  67. «Nobel Prize in Literature 1954» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  68. «Nobel Prize in Literature 1955» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  69. «Nobel Prize in Literature 1956» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  70. «Nobel Prize in Literature 1957» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  71. «Nobel Prize in Literature 1958» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  72. «Nobel Prize in Literature 1959» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  73. «Nobel Prize in Literature 1960» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  74. «Nobel Prize in Literature 1961» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  75. «Nobel Prize in Literature 1962» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  76. «Nobel Prize in Literature 1963» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  77. «Nobel Prize in Literature 1964» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  78. «Nobel Prize in Literature 1965» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  79. a b «Nobel Prize in Literature 1966» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  80. «Nobel Prize in Literature 1967» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  81. «Nobel Prize in Literature 1968» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  82. «Nobel Prize in Literature 1969» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  83. «Nobel Prize in Literature 1970» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  84. «Nobel Prize in Literature 1971» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  85. «Nobel Prize in Literature 1972» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  86. «Nobel Prize in Literature 1973» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  87. a b «Nobel Prize in Literature 1974» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  88. «Nobel Prize in Literature 1975» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  89. «Nobel Prize in Literature 1976» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  90. «Nobel Prize in Literature 1977» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  91. «Nobel Prize in Literature 1978» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  92. «Nobel Prize in Literature 1979» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  93. «Nobel Prize in Literature 1980» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  94. «Nobel Prize in Literature 1981» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  95. «Nobel Prize in Literature 1982» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  96. «Nobel Prize in Literature 1983» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  97. «Nobel Prize in Literature 1984» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  98. «Nobel Prize in Literature 1985» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  99. «Nobel Prize in Literature 1986» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  100. «Nobel Prize in Literature 1987» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  101. «Nobel Prize in Literature 1988» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  102. «Nobel Prize in Literature 1989» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  103. «Nobel Prize in Literature 1990» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  104. «Nobel Prize in Literature 1991» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  105. «Nobel Prize in Literature 1992» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  106. «Nobel Prize in Literature 1993» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  107. «Nobel Prize in Literature 1994» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  108. «Nobel Prize in Literature 1995» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  109. «Nobel Prize in Literature 1996» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  110. «Nobel Prize in Literature 1997» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  111. «Nobel Prize in Literature 1998» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  112. «Nobel Prize in Literature 1999» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  113. «Nobel Prize in Literature 2000» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  114. «Nobel Prize in Literature 2001» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de agosto de 2018 
  115. «Nobel Prize in Literature 2002» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de agosto de 2018 
  116. «Nobel Prize in Literature 2003» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de agosto de 2018 
  117. «Nobel Prize in Literature 2004» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de agosto de 2018 
  118. «Nobel Prize in Literature 2005» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de agosto de 2018 
  119. «Nobel Prize in Literature 2006» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de agosto de 2018 
  120. «Nobel Prize in Literature 2007» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de agosto de 2018 
  121. «Nobel Prize in Literature 2008» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de agosto de 2018 
  122. «Nobel Prize in Literature 2009» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 1 de agosto de 2018 
  123. «Nobel Prize in Literature 2010» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  124. «Nobel Prize in Literature 2011» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  125. «Nobel Prize in Literature 2012» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  126. «Nobel Prize in Literature 2013» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  127. «Nobel Prize in Literature 2014» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  128. «Nobel Prize in Literature 2015» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  129. «Nobel Prize in Literature 2016» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  130. «Nobel Prize in Literature 2017» (em inglês). Fundação Nobel. Consultado em 31 de julho de 2018 
  131. «Nobel Prize in Literature 2018». Nobel Foundation. Consultado em 10 de outubro de 2019 
  132. «The Nobel Prize in Literature 2019». NobelPrize.org (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 

Ligações externasEditar