Abrir menu principal
Leandro Vieira
Leandro Vieira comemoração na quadra da escola do título da Mangueira em 2016 (Tomaz Silva/Agência Brasil)
Nome completo Leandro Vieira
Nascimento 25 de julho de 1983 (35 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Alma mater Universidade Federal do Rio de Janeiro
Ocupação Carnavalesco
Principais trabalhos Mangueira

Leandro Vieira (Rio de Janeiro, 25 de julho de 1983) é um figurinista e carnavalesco brasileiro, que se tornou famoso por ter sido campeão do Grupo Especial do Rio de Janeiro no seu ano de estreia.[1]

Foi figurinista e assistente artísticos em várias escolas, dentre elas Portela, Imperatriz e Grande Rio. Desde 2016 é o carnavalesco da Estação Primeira de Mangueira.[2]

BiografiaEditar

 
Leandro e Maria Bethânia, na quadra da Mangueira durante as comemorações do título de 2016

Formado pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro iniciou sua carreira no mundo do Carnaval em 2007. Foi colorista, figurinista até chegar ao cargo de assistente artístico. Destacou-se em 2014 quando foi assistente de duas Escolas do Grupo Especial - Imperatriz e Grande Rio - e ambas voltaram no Sábado das Campeãs. Nesse ano ganhou 2 prêmios no Troféu Plumas e Paetês Cultural: melhor figurinista e melhor desenhista pela sua participação no Carnaval da Grande Rio.

No ano seguinte - 2015 - foi chamado para assinar o seu primeiro trabalho solo como carnavalesco na Caprichosos de Pilares, que desfilava pela Séria A. Apesar dos problemas financeiros e estruturais da agremiação, com o enredo "Na minha mão é mais barato" a escola conseguiu a sétima colocação após um desfile elogiado pela crítica especializada. Deixou a agremiação após o carnaval daquele ano em direção à Mangueira.[3][4][5]

Na sua estreia no Grupo Especial em 2016, o artista desenvolveu na Mangueira uma homenagem a cantora Maria Bethânia: "A menina dos Olhos de Oyá". Após um desfile que chamou a atenção pela excelente plástica, acabou vencendo o carnaval logo em sua estreia no Grupo, igualando o feito de Joãozinho Trinta, em 1971. O ano marcou também o fim do jejum da escola que não vencia o carnaval há 13 anos.[6] Leandro faturou o troféu Estandarte de Ouro, do jornal O Globo, como a revelação daquele ano e a agremiação levou o Estandarte de melhor escola.[7][8]

Em 2017, trouxe o enredo "Só com a ajuda do santo" e a Verde e Rosa recebeu novamente o prêmio de melhor escola do Estandarte,[9] além do troféu pela melhor ala. A agremiação terminou a disputa em quarto lugar. Uma de suas criações - o tripé Cristo-Oxalá" - acabou vetado para o desfile das campeãs devido um pedido da Arquidiocese do Rio de Janeiro.[10][11]

No ano seguinte, em 2018, Vieira desenvolveu seu primeiro enredo crítico na Mangueira, onde questionou o corte de verba promovido pela Prefeitura do Rio de Janeiro. Com o enredo "Com dinheiro ou sem dinheiro eu brinco" o artista plástico questionou a real importância do dinheiro para a realização das manifestações carnavalescas e as reais intenções do prefeito com o corte. Um dos destaques do desfile foi a figura do prefeito Marcelo Crivella representado por um boneco de Judas carregando a placa "Pega no Ganzá" uma alusão ao discurso do político durante uma das plenárias da LIESA durante sua campanha eleitoral de 2016.[12][13] Apesar da quinta colocação, a escola recebeu três prêmios do Estandarte de Ouro: melhor enredo, melhor ala e melhor ala das baianas.[14]

Em 2019, Leandro desenvolveu o enredo "História para ninar gente grande", desfile que proporcionou o 20º título do carnaval carioca para a Mangueira. O objetivo foi retratar os marginalizados pela História do Brasil, defendendo os pobres, negros e indígenas[15]. Assim, vultos da história oficial, como Pedro Álvares Cabral, Dom Pedro I e a Princesa Isabel, foram substituídos por heróis vindos das camadas populares, como Cunhambebe, Maria Filipa de Oliveira e Chico da Matilde[16][17]. Na apuração, a Mangueira recebeu nota máxima em todos os quesitos (após os descartes) e terminou com 270 pontos, em primeiro lugar, três décimos à frente à frente da vice-campeã Viradouro. A escola ganhou o Estandarte de Ouro[18] e o Tamborim de Ouro[19] de melhor escola.

Desfiles assinados por Leandro VieiraEditar

Ano Escola Colocação Divisão Enredo Ref.
2015 Caprichosos 7º lugar Série A Na minha mão é mais barato! [20]
2016 Mangueira Campeã Grupo Especial Maria Bethânia: A menina dos olhos de Oyá [21]
2017 Mangueira 4º lugar Grupo Especial Só com a ajuda do santo [22]
Mocidade Alegre 6º lugar Grupo Especial A vitória vem da luta, a luta vem da força, e a força, da união [23]
2018 Mangueira 5º lugar Grupo Especial Com dinheiro ou sem dinheiro, eu brinco! [24]
2019 Mangueira Campeã Grupo Especial História para ninar gente grande [25]
2020 Mangueira Grupo Especial

Referências

  1. G1 (10 de fevereiro de 2016). «Mangueira é campeã do carnaval 2016 com homenagem a Bethânia» 
  2. Extra (4 de março de 2017). «Leandro Vieira renova o contrato com a Mangueira» 
  3. O Dia (6 de maio de 2014). «Caprichosos aposta em jovem talento e contrata carnavalesco Leandro Vieira». Consultado em 15 de fevereiro de 2018 
  4. SRZD Carnaval (29 de abril de 2015). «Leandro Vieira se despede da Caprichosos de Pilares». Consultado em 15 de fevereiro de 2018 
  5. G1 (14 de fevereiro de 2015). «Irreverência e crítica marcam desfile da Caprichosos de Pilares» 
  6. G1 (10 de fevereiro de 2016). «'Simplesmente estou feliz', diz carnavalesco estreante na Mangueira». Consultado em 15 de fevereiro de 2018 
  7. G1 (9 de fevereiro de 2016). «Mangueira ganha Estandarte de Ouro de Melhor Escola do Rio». Consultado em 15 de fevereiro de 2018 
  8. G1 (9 de fevereiro de 2016). «Mangueira ganha o Estandarte de Ouro; confira a lista dos vencedores» 
  9. EBC (4 de janeiro de 2017). «Leandro Vieira fala sobre o enredo da Mangueira para 2017». Consultado em 15 de fevereiro de 2018 
  10. Extra (4 de março de 2017). «Tripé de Cristo-Oxalá da Mangueira não desfila por pressão da Igreja» 
  11. Veja (4 de março de 2017). «Pressão da Igreja faz Mangueira tirar Cristo-Oxalá da avenida» 
  12. Extra (4 de julho de 2017). «Enredo da Mangueira para 2018 critica corte de verbas feito por Crivella». Consultado em 15 de fevereiro de 2018 
  13. G1 (12 de fevereiro de 2018). «Mangueira exalta simplicidade do carnaval em desfile vibrante e ironiza corte de verba» 
  14. O Globo (13 de fevereiro de 2018). «A lista dos vencedores do Estandarte de Ouro de 2018» 
  15. Com novo enredo, Mangueira volta a jogar luz nos marginalizados. Band - Setor 1
  16. “História pra ninar gente grande” será o enredo da Mangueira em 2019. Veja Rio, 22 de junho de 2018
  17. ‘História pra ninar gente grande’ é o enredo da Mangueira para o Carnaval 2019. SRZD, 22 de junho de 2018
  18. Mangueira ganha Estandarte de Ouro com enredo sobre os heróis da resistência no Brasil. G1, 5 de março de 2019
  19. Mangueira é campeã do Tamborim de Ouro 2019. O Dia, 5 de março de 2019
  20. «Carnaval da Caprichosos de 2015». Consultado em 15 de fevereiro de 2018 
  21. «Estação Primeira de Mangueira - Carnaval de 2016 - Maria Bethânia: a menina dos olhos de Oyá - Galeria do Samba - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Galeria do Samba - Escolas de Samba - Estação Primeira de Mangueira. Consultado em 19 de fevereiro de 2016 [ligação inativa]
  22. «Estação Primeira de Mangueira - Carnaval de 2017 - Só com a ajuda do santo - As Escolas de Samba do Rio de Janeiro». Carnavalesco - Escolas de Samba - Estação Primeira de Mangueira. Consultado em 2 de julho de 2016 
  23. Sambarazzo (7 de maio de 2016). «Campeão na Mangueira, Leandro Vieira é o novo carnavalesco da Mocidade Alegre» 
  24. G1. «Estação Primeira de Mangueira: veja a letra e ouça o samba-enredo do carnaval 2018». Consultado em 19 de janeiro de 2018 
  25. G1. «Mangueira é Campeã do Carnaval 2019 do Rio». Consultado em 6 de março de 2019