Abrir menu principal

Leandson Dias da Silva

futebolista brasileiro
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2010). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Leandson Dias da Silva, mais conhecido como Rico (Recife, 4 de Abril de 1981), é um futebolista brasileiro naturalizado barenito que atua como atacante e meia. Atualmente, joga pelo Lagarto.

Rico
Informações pessoais
Nome completo Leandson Dias da Silva
Data de nasc. 4 de abril de 1981 (38 anos)
Local de nasc. Recife, (PE), Brasil
Nacionalidade brasileiro
barenita
Altura 1,73 m
Apelido Rico
Informações profissionais
Período em atividade 2001–presente (17 anos)
Clube atual Lagarto
Número 7
Posição Atacante e Meia
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2001
2002–2003
2003
2004
2005–2011
2012
2012
2012
2013
2015
2015
2015
2016
2017
2018
CSA
São Paulo
Portuguesa-SP (emp.)
Grêmio
Muharraq Club
Riffa Club
Hajer Club
Náutico
América-RN
Alecrim
Vila Nova
Al-Hidd Club
Busaiteen Club
Portuguesa
Lagarto
0034 0000(7)
0029 0000(6)
0014 0000(3)
0013 0000(0)
0079 000(73)
0012 000(10)
0009 0000(1)
0007 0000(2)
0006 0000(3)
0000 0000(0)
0003 0000(0)
0007 0000(3)
0003 0000(3)
0006 0000(0)
0000 0000(0)

CarreiraEditar

Rico foi revelado em 2001 pela equipe alagoana do CSA. Após boas partidas no campeonato alagoano, acabou sendo contratado pelo São Paulo Futebol Clube no começo de 2002. Porém teve poucas oportunidades na equipe que já tinha craques como Luís Fabiano, Reinaldo, Ricardinho e Kaká, e não chegou a atuar.

Em 2003, acabou sendo emprestado a Portuguesa Santista para disputar o Campeonato Paulista. Rico acabou sendo um dos destaques da equipe que seria a grande surpresa do campeonato, chegando até as semifinais, sendo eliminados justamente pelo São Paulo. Rico terminou como vice-artilheiro do Campeonato com 7 gols. Com isso, Rico voltou a ter uma nova oportunidade no "Tricolor Paulista", sendo trazido de volta junto com Souza e Adriano, seus companheiros na "Lusa Santista". Acabou sendo um dos bons atacantes do São Paulo no restante de 2003, e com a saída de Reinaldo, formou dupla com Luís Fabiano no ataque titular do Tricolor. Rico marcou no total, 7 gols pelo clube. Porém no fim da temporada acabou ofuscado por atacantes como Kléber e principalmente Diego Tardelli, e acabou perdendo espaço.

Foi vendido ao Grêmio em 2004, porém foi pouco aproveitado também.

Após isso, recebeu uma proposta vinda de um tradicional clube do Bahrein, o Al-Muharraq Club. Rico acabou se transferindo para lá, e não demorou muito para ser o ídolo e craque da equipe, ajudando a conquistar títulos importantes, e sendo o artilheiro máximo do time, marcando muitos gols. Em 2008, foi campeão da importante Copa da AFC, sendo artilheiro da mesma com 19 gols.

Em maio de 2010, transferiu-se para o Bahrain Riffa Club [1]. Em setembro de 2011, transferiu-se para o Manama Club [2].

Voltou ao Brasil no dia 09/07/2012, para atuar no Náutico [3], mas teve poucas oportunidades e, após um ato de indisciplina [4], foi dispensado.

Em dezembro de 2012, foi contratado pelo América-RN, porém foi dispensado após o time potiguar ser eliminado da Copa do Nordeste 2013. No mesmo ano, passou a defender o Alecrim [5] e foi dispensado ao fim da temporada por não estar nos planos do técnico Wassil Mendes [6].

Rico retornou ao futebol brasileiro, e foi jogar no Vila Nova. Sem sucesso no seu retorno, o atacante acertou sua volta em 2015 ao Bahrein, para jogar no Al Hidd Club.

Em março de 2017, foi contratado pela Portuguesa.

TítulosEditar

Referências

  1. [1]
  2. «Cópia arquivada». Consultado em 9 de julho de 2012. Arquivado do original em 2 de abril de 2012 
  3. [2]
  4. [3][ligação inativa]
  5. [4]
  6. [5]

Ligações externasEditar