Legionários de Cristo


Legionários de Cristo
 
Congregatio Legionariorum Christi
''Venha a nós o vosso Reino''
sigla
LC
Imagem: Legionários de Cristo
Tipo: Congregação religiosa
Local e data da fundação: Cidade do México, 3 de janeiro de 1941
Aprovação: 6 de fevereiro de 1965 por Papa Paulo VI
Superior geral: Pe. John Connor


Sede: Roma
 Itália
Site oficial: http://www.regnumchristi.com.br/

https://www.legionariosdecristo.com.br/

Portal Catolicismo · uso desta caixa

A Congregação dos Legionários de Cristo, ou Legião de Cristo (LC), é uma congregação religiosa católica de direito pontifício, fundada em 1941, na Cidade do México. A congregação declara como missão “a extensão do Reino de Cristo na sociedade conforme as exigências da justiça e caridade cristã, através da formação integral de leigos e sacerdotes, em colaboração com os bispos”.[1] A congregação mantém estreita ligação com o Movimento Regnum Christi, que é um movimento de apostolado formado por leigos, leigas, diáconos e sacerdotes.[2]

Após as denúncias, as investigações e as constatações dos abusos, cometidos por seu fundador Marcial Maciel, a congregação foi submetida a uma intervenção da Santa Sé. Após um período de visitação feita por bispos nomeados pelo papa Bento XVI,[3] a congregação ficou submissa a um delegado pontifício, Dom Velasio De Paolis, que conduziu a reforma da congregação religiosa.[4][5]

O amor a Cristo é, para os legionários, uma experiência pessoal. Por meio do Evangelho, da cruz e da Eucaristia, os legionários conhecem a Cristo intimamente e o amam de maneira apaixonada, abraçando-o como modelo de santidade. Sua espiritualidade é centrada em Cristo, com uma ênfase particular no Sagrado Coração em sua vocação como religiosos e sacerdotes.

O amor por Maria flui da imitação de Cristo; a Virgem Santíssima é amada como Mãe da Igreja e da vocação individual do legionário. Os legionários consagram suas vidas espirituais e apostólicas aos seus cuidados e procuram assumir suas virtudes de fé, esperança, caridade, obediência a Deus, humildade e cooperação com o plano de redenção e justiça de Cristo. O amor pelas almas é expresso em um desejo ardente de espalhar o reino de Cristo neste mundo. Os legionários tentam usar todos os momentos de seu tempo para ajudar o maior número de almas a conhecer e amar a Cristo.

A Legião se apresenta como dedicada ao avanço da missão da Igreja no mundo e, para esse fim, pretende submeter os candidatos a uma formação rigorosa de quatro dimensões: humana, espiritual, intelectual e apostólica. [6]

O LegionárioEditar

Como sacerdote religioso segundo o carisma do Regnum Christi, o Legionário, ao experimentar profundamente o amor misericordioso de Deus, sente a urgência de respondê-lo com um amor pessoal e apaixonado, colocando toda a sua vida ao serviço e edificação da Igreja para a salvação das almas, por meio da oração, do seu testemunho de vida e do apostolado.

Fiel ao Espírito Santo, o Legionário busca a própria santificação no seguimento de Cristo mediante a profissão e vivência dos conselhos evangélicos, na vida fraterna em comum e na ardente ação apostólica.

CarismaEditar

Compartilhando a mesma espiritualidade e carisma com os demais membros do Movimento Regnum Christi, como uma família espiritual e um corpo apostólico, buscamos fazer presente o mistério de Cristo que sai ao encontro das pessoas, lhes revela o amor de Seu Coração, as reúne e as forma como apóstolos, líderes cristãos, as envia e as acompanha para que colaborem na evangelização dos homens e da sociedade.

EspiritualidadeEditar

A espiritualidade do Legionário se exprime em cinco amores: amor a Cristo, à Virgem Maria, às almas, à Igreja, ao Papa e ao Regnum Christi. Para o Legionário, Jesus Cristo é o critério, o centro e o modelo de toda sua vida religiosa, sacerdotal e apostólica. Buscamos conhecê-lo, amá-lo e experimentá-lo intimamente, sobretudo no Evangelho, na Eucaristia e na Cruz, e procuramos imitá-lo de modo especial na entrega ao próximo. O Legionário tem na devoção ao Sagrado Coração, um caminho privilegiado para formar seu coração sacerdotal e propagar o Seu Reino no mundo.

O espírito do Legionário é contemplativo e evangelizador. Pelo seu caráter contemplativo, o Legionário busca a união com Deus e dá prioridade à ação divina na sua própria santificação e apostolado; por seu caráter evangelizador, entrega-se com zelo à missão de anunciar o Reino e de fazer chegar a luz do Evangelho a todo o mundo.

A caridade, pregada e vivida por Cristo no Evangelho, é o coração do espírito da Legião. Ela nos inspira à doação ao próximo.

O nome “Legionários de Cristo” é expressão de uma espiritualidade cristocêntrica. Para cada legionário, Jesus Cristo é o critério, o centro e o modelo de toda a sua vida religiosa, sacerdotal e apostólica.

O Legionário procura conhecer e experimentar Jesus Cristo intimamente, especialmente no Evangelho, na eucaristia e na cruz. Ele se esforça para amá-lo com um amor pessoal e apaixonado. Propõe-se a imitá-lo e pregar sua palavra aos outros. Os Legionários fomentam um amor terno e filial a Maria, Mãe da Igreja e mãe de sua vocação. A Ela dedicam sua vida religiosa, seu sacerdócio e o seu apostolado. Eles a veneram com devoção genuína, buscando imitar suas virtudes, sobretudo sua fé, esperança e caridade, sua obediência, humildade e sua cooperação no plano redentor de Cristo. Amam apaixonadamente a Igreja, continuando a missão de Cristo em favor da extensão do seu Reino na Terra; junto à Igreja e ao passo da Igreja, expressamos nosso profunda união com Cristo. Os Legionários aderem com amor ardente e pessoal ao Vigário de Cristo na Terra. Estudam com interesse seus escritos e divulgam seus ensinamentos e suas iniciativas. Defendem o carisma de seu primado e Magistério. Louvam com um espírito de fé os Bispos em comunhão com o Romano Pontífice, como sucessores dos apóstolos e testemunhas da verdade divina e católica. Esforçam-se para colaborar com eles na realização dos programas pastorais diocesanos, na formação católica da juventude e da família, na promoção social e na nova evangelização. Somam assim suas forças nas estruturas diocesanas, fazendo com que o carisma recebido de Deus frutifique para o bem da Igreja como um todo. A pregação e extensão do Reino de Cristo é o ideal que inspira, estimula, dirige e molda os fins apostólicos do Legionário. Os Legionários buscam que Cristo reine nos corações e na sociedade, para transformar os homens de acordo com o ideal do ”novo homem em Cristo”, para criar a civilização do amor e da justiça. O coração de toda a espiritualidade da Legião de Cristo é a caridade. O Legionário busca amar todos os homens, comprometendo-se a seu serviço, como o Bom Pastor que dá sua vida pelas ovelhas, sem diferenças de raça, cultura ou condição social. Os Legionários vivem em comunidade com alegria e união fraterna.

Formação IntegralEditar

Formação integralEditar

O objetivo da formação legionária é que o homem que Deus escolheu para o sacerdócio na Legião se torne um sacerdote segundo o coração de Cristo. Nesse sentido, a formação necessita ser personalizada para atender as necessidades específicas de cada candidato; cada jovem possui uma educação e uma bagagem humana, cultural e espiritual, que o faz um ser único. Além disso, cada um tem dons e um tempo de amadurecimento diverso dos outros.

A formação integral responde às diferentes áreas da vida e da vocação: humana, primeiro o homem e depois o santo; espiritual, homem de Deus; acadêmica,

pronto para dar razões da nossa fé; apostólica, para saber como transmitir a mensagem de Cristo a todos os homens. A formação integral resulta de um desejo sincero de viver até as últimas consequências o mandamento da caridade.

Formação humanaEditar

Esta formação está concentrada nas virtudes humanas, que são o alicerce sobre o qual o Espírito Santo configura a imagem de Cristo em cada pessoa; a santidade pessoal constitui a base da eficácia apostólica.

A Legião promove em cada um dos seus homens a autêntica maturidade: a coerência entre o que se é e o que se professa ser: a sinceridade, lealdade e responsabilidade; a capacidade de tomar decisões prudentes e opções livres e definitivas; a estabilidade de espírito; a integração serena de toda sua personalidade baixo à guia do amor verdadeiro; a atitude de abertura e doação aos outros.

A formação espiritualEditar

Chamado a ser ponte entre Deus e os homens, o Legionário necessita, primeiramente, ser homem de Deus. Por isso dedica os primeiros dois anos da sua formação, – o noviciado – inteiramente a Jesus Cristo por meio do recolhimento e da oração para que Ele seja o grande amor e modelo de sua vida.

O Legionário compromete-se a cooperar com a ação santificadora do Espírito Santo em suas almas, alimentando, dia a dia, uma fé profunda, uma esperança gozosa e um amor ardente.

Formação intelectualEditar

De acordo com as necessidades da sociedade contemporânea, a Legião de Cristo oferece aos seus membros uma preparação intelectual sólida e profunda para que possam realizar sua missão de transmitir aos homens a luz do Evangelho. Por isso, o Legionário recebe uma formação humanística, filosófica, teológica e pastoral. Busca-se que o Legionário obtenha mestrado ou doutorado em uma destas áreas para poder exercer melhor sua missão como formador.

Formação apostólicaEditar

O Legionário de Cristo cultiva um zelo ardente para colaborar na missão comum de levar o Reino de Cristo aos homens e à sociedade. Aspira a ser um sacerdote cujo maior interesse é transmitir às pessoas o conhecimento e amor de Jesus Cristo.

Desde o início da sua formação, o Legionário está envolvido de modo gradual na missão apostólica, como a catequese, centros de formação e diversas iniciativas apostólicas e sociais para adolescentes, jovens e adultos promovidas pelo Regnum Christi. Concluídos seus estudos de filosofia, o Legionário dedica dois ou três anos ao apostolado em tempo integral, para que, enriquecido pelo contato e conhecimento direto das necessidades dos homens, possa fortalecer e consolidar sua formação inicial durante o período do estudo da teologia.

No BrasilEditar

Os Legionários de Cristo estão presentes em diversos centros de formação e evangelização, nas cidades de Porto Alegre, Joinville, Curitiba, São Paulo, Itapecerica da Serra, Arujá, São José dos Campos, Rio de Janeiro e Brasília.

No MundoEditar

Atualmente, a Legião de Cristo está presente em 21 países, organizada em 9 territórios de missão (províncias). [7]

História por ordem cronológicaEditar

1920 Em 10 de março nasce Marcial Maciel, futuro fundador da ordem religiosa, em Cotija da Paz, Michoacán (México).

1920 – 1936 Marcial vive em seu povoado natal. O México atravessa uma profunda crise social e religiosa. Está em ação a revolução cristã mais conhecida como Guerra Cristeira ou Cristiada.

1936 Em janeiro Marcial parte até a Cidade do México e inicia sua formação sacerdotal no seminário dirigido pelo Bispo de Veracruz, Mons. Rafael Guízar y Valencia. Na festa do Sagrado Coração de Jesus recebe a inspiração de Deus de fundar uma congregação religiosa.

1941 3 de janeiro. Em um sótão emprestado em uma casa da Cidade do México, nasce a Legião de Cristo, com um fundador de 20 anos e 13 adolescentes. Conta com o apoio do Bispo de Cuernavaca, Mons. Francisco González Arias.

1944 26 de novembro. O P. Marcial Maciel é ordenado sacerdote por Mons. González Arias na Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe, Cidade do México.

1946 Com a finalidade de proporcionar aos membros da congregação uma formação adequada para sua futura missão educativa, o P. Maciel se muda para a Espanha com o primeiro grupo de jovens para cursarem seus estudos humanísticos na Pontifícia Universidade de Comillas.

12 de junho: O P. Maciel visita o Papa Pio XII, que acolhe com especial interesse seu projeto apostólico e educativo, e abençoa a nova congregação.

1948 25 de maio. Pio XII outorga o Nihil obstat à Legião de Cristo. Em 13 de junho a Legião, debaixo da proteção do Bispo de Cuernavaca, converte-se em congregação de direito diocesano.

1949 Começa-se a configurar o que viria a ser o Movimento Regnum Christi.

1950 24 de dezembro.Inaugura-se o primeiro centro de estudos superiores da Legião de Cristo em Roma.

1952 Durante o verão ordenam-se os quatro primeiros sacerdotes legionários.

1954 8 de fevereiro. A Legião de Cristo abre no México sua primeira obra de apostolado, um centro educativo: o Instituto Cumbres.

1958 12 de dezembro. O Cardeal Vigário de Roma, Clemente Micara, inaugura solenemente a Igreja de Nossa Senhora de Guadalupe encomendada à Legião de Cristo em Roma, que seria declarada basílica menor em 1990.

1964 Fevereiro. Na Cidade do México inaugura-se a Universidade Anáhuac, primeiro centro universitário dirigido pelos legionários.

6 de julho:Iniciam-se as obras do primeiro colégio da corrente Mão Amiga na Cidade do México, na qual as crianças sem recursos econômicos estudam de modo gratuito.

1965 6 de fevereiro. Paulo VI outorga à Legião de Cristo o Decretum Laudis. A congregação passa a ser de direito pontifício.

1970 No mês junho, Paulo VI encomenda aos Legionários de Cristo a prelatura de Cancún Chetumal aonde se inicia um intenso trabalho missionário entre os povos de Yucatán, México.

19711980 Continua o crescimento apostólico. Ao final desta década a Legião de Cristo conta com dezessete centros educativos e 214 centros destinados à formação.

Em 1976, 1978 e 1989, o Bispo John McGann enviou ao Vaticano uma carta de um ex-padre da Legião de Cristo, acusando Maciel de abusos sexuais, mas nada acontece.[8]

1980 Outubro. Celebra-se em Roma o primeiro Capítulo Geral Ordinário da congregação.

1983 29 de junho. O Papa João Paulo II aprova o texto definitivo das constituições da congregação dos Legionários de Cristo.

1990 Setembro. Inaugura-se o centro de estudos superiores em Via Aurelia Antica, Roma.

1991 3 de janeiro. A Legião de Cristo celebra o 50° aniversário de sua fundação. Por este motivo, o Papa João Paulo II ordena sessenta legionários de Cristo, de sete nacionalidades diferentes na Basílica de São Pedro.

15 de agosto: Abertura do Colégio Internacional Maria Mater Ecclesiae para a formação de futuros sacerdotes diocesanos. O Papa João Paulo II pediu expressamente a fundação deste colégio em outubro de 1990, durante o Sínodo dos bispos sobre a formação dos candidatos ao sacerdócio.

1992 Novembro. Celebra-se o segundo Capítulo Geral Ordinário. Dois dias depois do início, tanto os legionários como os membros do Movimento Regnum Christi, acolhem com grande alegria o anúncio oficial da reeleição do Pe. Marcial Maciel como diretor geral da congregação.

18 de dezembro: Santo Padre recebe em audiência os padres capitulares.

1993 15 de setembro: Abre as portas o Ateneu Pontifício Regina Apostolorum, em Roma.

1994 26 de novembro: O Pe. Marcial Maciel celebra no México suas bodas de ouro sacerdotais; nessa ocasião 57 legionários são ordenados sacerdotes pelo núncio apostólico do México Sr. Exmo. Mons. Girolamo Prigione.

1997 No mês de outubro, abre-se um novo centro de estudos superiores dos legionários de Cristo, situado em Nova York, Estados Unidos. Marcial Maciel é formalmente acusado de cometer abusos sexuais por vários membros da congregação e estudantes dos estabelecimentos da Legião, [9]ainda que existissem queixas sobre o seu comportamento desde os anos 40.[10][11]

1998 19 de março. João Paulo II visita o centro de estudos superiores e o Ateneu Pontifício Regina Apostolorum dos legionários de Cristo em Roma.

30 de maio: 9.000 membros do Regnum Christi de diversos países atendem ao encontro com os movimentos eclesiais convocado pelo Santo Padre na Praça de São Pedro durante a vigília da festa de Pentecostes.

30 de outubro: A comunidade dos legionários de Roma se muda para sua nova sede em Via degli Aldobrandeschi.

1999 Outubro: Começam as classes nas novas instalações do Ateneu Pontifício Regina Apostolorum em Roma, com capacidade para 3.000 alunos.

29 de outubro: Na cidade de Atlanta, Estados Unidos, 10.000 membros do Regnum Christi assistem ao Encontro de Juventude e Família como preparação para o Grande Jubileu do ano 2000.

2000 1º de janeiro. Em março do Grande Jubileu do ano 2000, o Cardeal Lucas Moreira Neves, Prefeito da Congregação para os Bispos, confere a ordenação sacerdotal a 23 legionários de Cristo.

31 de dezembro: O Cardeal Ângelo Sodano, Secretário de Estado de Sua Santidade, abençoa as instalações do Ateneu Pontifício Regina Apostolorum.

2001 2 de janeiro: A véspera do 60° aniversário da fundação da Legião de Cristo, o Cardeal Darío Castrillón Hoyos, Prefeito da Congregação para o Clero, presidiu a ordenação sacerdotal de 37 legionários de Cristo.

3 de janeiro: Concelebração em ação de graças pelo 60° aniversário da fundação da Legião de Cristo. Participam 15.000 membros do Regnum Christi que se encontram em Roma para celebrar a festa.

4 de janeiro: O Papa João Paulo II recebe na Praça de São Pedro a todos os legionários e membros do Regnum Christi que se reuniram em Roma para celebrar o 60° aniversário da fundação da Legião de Cristo.

22 de dezembro: 44 legionários de Cristo recebem a ordenação sacerdotal das mãos do Cardeal Severino Poletto, arcebispo de Turín, na Basílica de Santa Maria Maior.

2005 Celebra-se o Terceiro Capítulo Geral Ordinário da Congregação. O P. Marcial é reeleito Diretor Geral da Congregação, mas renuncia ao cargo por motivos de saúde e para estar presente no início do trabalho de seu sucessor.

Os padre capitulares elegem então, como novo Diretor Geral, o P. Álvaro Corcuera, LC

2006 Em Maio de 2006, o Papa Bento XVI, após ter investigado através da Congregação para a Doutrina da Fé, as acusações de abusos sexuais feitas por ex-seminaristas contra Maciel, decidiu – levando em consideração tanto a idade avançada do Pe. Maciel como a sua frágil saúde – renunciar a um processo canônico e convidar o padre a uma vida reservada dita de "oração e penitência", renunciando a todo o ministério público.[12][13] Ao mesmo tempo, o Vaticano afirmava que o trabalho da Legião de Cristo fora apreciado, "independentemente da pessoa do fundador" . Num comunicado publicado no seu site logo após o anúncio do Vaticano, a Legião disse que Maciel havia declarado sua inocência, mas "seguindo o exemplo de Jesus Cristo, decidiu não se defender de forma alguma".[14]

2008 30 de janeiro Morre nos EUA, aos 87 anos de vida, Marcial Maciel, o fundador da congregação. Marcial Maciel nunca foi castigado, nem como predador sexual, nem sob qualquer outra das acusações contra ele; foi apenas afastado. Passou os últimos anos da sua vida sem arrependimento nem desculpas, numa luxuosa villa pertencente à Legião de Cristo, em Jacksonville, nos EUA.[15]

2010 9 de julho O Papa Bento XVI nomeia um Delegado Pontifício para conduzir a reforma da Congregação.[4][5] Em 25 de Março de 2010, a direção da ordem Legionários de Cristo finalmente admitiu que Marcial Maciel abusou sexualmente de seminaristas. E pediu perdão àqueles "que tenham sido afetados, feridos ou escandalizados com as ações reprováveis do nosso fundador". O documento reconheceu outros fatos que tinham sido divulgados pela imprensa desde há muito: que Maciel teve uma filha em um longo relacionamento com uma mulher, e que "apareceram outras duas pessoas, irmãos entre si, que afirmam ser filhos dele, fruto de relação com outra mulher". O comunicado assinado pelo diretor-geral padre Álvaro Corcuera, entre outros integrantes da direção, resume a lista enorme de delitos de Maciel com a expressão de que há "outras condutas graves".[16]

2011 Em fevereiro de 2011 é criada uma comissão especial encarregada de atender as vítimas do Pe. Marcial Maciel, acusado de atos de pederastia. O grupo, denominado “Comisión de Acercamiento”, é encarregado de escutar as pessoas e apresentar um informe detalhado sobre cada caso, para as decisões do Delegado Pontifício, Cardeal Velasio de Paolis.[17]

2014 Em 06 de fevereiro o Vaticano confirma no cargo o novo Diretor Geral, P. Eduardo Robles Gil Orvañanos, LC. Ele foi eleito durante o Capítulo Geral Extraordinário da Legião de Cristo.[18]

2020 A Legião passou por uma visita do Vaticano e um processo de renovação por meio de uma série de discussões em torno do carisma do movimento, o relacionamento da congregação com o movimento leigo e o lugar de ambos na Igreja. Toda a congregação revisou o documento constitucional sob a direção de um comitê central e apresentou uma versão final ao papa Francisco. Sob a orientação do cardeal Velasio De Paolis, a congregação anunciou o Capítulo Geral Extraordinário da ordem em Roma em janeiro de 2014, para uma "reestruturação total". Desculpas às vítimas foram emitidas e uma comissão de compensação foi estabelecida. Em 2019, novos estatutos foram adotados, introduzindo liderança colegial e vida comunitária mais transparente para evitar possíveis abusos no futuro.

Em um discurso dirigido aos Legionários durante o Capítulo Geral de 2020 e às Assembléias Gerais de Regnum Christi realizadas durante o mesmo período, o Papa Francisco reconheceu o progresso alcançado em seu renovado ditado: "As novas Constituições e os novos Estatutos são verdadeiramente 'novos, seja porque refletem um novo espírito e uma nova visão da vida religiosa, consistentes com o Concílio Vaticano II e com as direções da Santa Sé, seja porque são o produto de um esforço de três anos, no qual todas as suas comunidades foram envolvidos e que levou a uma mudança de mentalidade ". [19] [20]

Textos da Congregação Legião de Cristo e do Movimento Regnum ChristiEditar

Textos da Santa SéEditar

Fontes diversasEditar

Referências

  1. «Sítio oficial da Legião de Cristo». Consultado em 28 de agosto de 2010. Arquivado do original em 9 de junho de 2011 
  2. Sítio oficial do Movimento Regnum Christi
  3. Comunicato della Santa Sede sulla visita apostolica alla Congregazione dei Legionari di Cristo. 1º de maio de 2010.
  4. a b Santa Sé. Nomeação de Delegado Pontifício Arquivado em 26 de março de 2012, no Wayback Machine. (em italiano)
  5. a b Papa nomeia Delegado Pontifício para Legionários de Cristo[ligação inativa] (Rádio Vaticana)
  6. «Pope Francis Approves New Constitutions for the Legion of Christ». National Catholic Register. Consultado em 1 de julho de 2020 
  7. «No Mundo». Regnum Christi Português (em espanhol). Consultado em 1 de julho de 2020 
  8. Berry, Jason (6 de abril de 2010). «Money paved way for Maciel's influence in the Vatican». National Catholic Reporter (em inglês) 
  9. «La Verdad nos hace libres: el caso del P. Marcial Maciel | Milenio.com». Milenio (Arq. em WayBack Machine). 11 de Fevereiro de 2009 
  10. «Marcial Maciel, la amante y su hija». El País (em espanhol). 6 de março de 2011. ISSN 1134-6582 
  11. Renner, Gerald; Berry, Jason (23 de Fevereiro de 1997). «Head of Worldwide Catholic Order Accused of History of Abuse». The Hartford Courant (Arq. em WayBack Machine) 
  12. «The Reverend Marcial Maciel». The Telegraph. 2 de Fevereiro de 2008 
  13. «Communiqué des Légionnaires du Christ en réponse à la déclaration du Saint-Siège». Zenit (Arq. em WikiWix). 19 de maio de 2006 
  14. Thavis, John (2013). The Vatican Diaries: A Behind-the-Scenes Look at the Power, Personalities and Politics at the Heart of the Catholic Church. [S.l.]: Penguin Books. pp. 88–89 
  15. Sota, Idoia; Vidal, José M. (31 de Janeiro de 2010). «El legionario que murió cuatro veces y no quiso confesarse». El Mundo 
  16. «Legion publicly apologizes for 'reprehensible actions' of its founder». Catholic News Agency. 26 de Março de 2010 
  17. Se constituye la “Comisión de Acercamiento” Arquivado em 9 de junho de 2011, no Wayback Machine.(em castelhano)
  18. «Notícias do Vaticano - Todas as notícias sobre a Igreja - Vatican News». pt.radiovaticana.va 
  19. «Legionaries of Christ». Wikipedia (em inglês). 1 de julho de 2020 
  20. NULL (1 de março de 2020). «Pope Francis Sends Message to Legionaries of Christ, Regnum Christi». ZENIT - English (em inglês). Consultado em 1 de julho de 2020 

Ligações externasEditar