Leis do Ganso Cinzento

As Leis do Ganso Cinzento (em islandês: Grágás) eram o código jurídico, contendo as leis da Islândia na época do Estado Livre da Islândia (930-1263). [1][2]

Leis do Ganso Cinzento
Grágás
Páginas do Gragás numa versão do Konungsbók (Livro do Rei)
Criado Ca. 930
Local de assinatura  Islândia
Propósito Compilação jurídica da legislação da Islândia.

O texto destas leis está fundamentalmente preservado em dois manuscritos: O Konungsbók (Livro do Rei), escrito por volta de 1260 e guardado na Biblioteca Real de Copenhaga, e o Staðarhólsbók (Livro de Stadarhol), escrito por volta de 1280 e conservado na Biblioteca da Universidade de Copenhaga. [3]

Entre outras leis, este código abrange disposições com implicações linguísticas, pelas quais a língua local é designada de "língua dinamarquesa" (danska tungu) e apontada como sendo a língua comum de islandeses, dinamarqueses, suecos e noruegueses (danskir eða sœnskir eða norrœnir).[4]

Referências

  1. «Grágás» (em dinamarquês). Grande Enciclopédia Dinamarquesa – Den store danske. Consultado em 5 de junho de 2015 
  2. Gudmund Sandvik. «Grågås» (em norueguês). Grande Enciclopédia Norueguesa – Store norske leksikon. Consultado em 5 de junho de 2015 
  3. «Grågås» (em sueco). Nordisk familjebok (Projekt Runeberg). Consultado em 5 de junho de 2015 
  4. Arild Hald Kierkegaard. «Dansk tunge - Det nordiske sprogfællesskab i vikingetid og tidlig middelalder» (em dinamarquês). Sprogmuseet. Consultado em 9 de junho de 2015 

Ligações externasEditar