Abrir menu principal

BiografiaEditar

Foi deputado estadual na legislatura de 1995/1998. Tentou a reeleição, mas ficou como suplente e acabou assumindo novamente a cadeira de deputado. Em 2002 foi eleito vice-governador do Espirito Santo para o mandato 2003/2006. Durante esse período, foi Secretario de Estado da Educação do Governo.

Foi eleito deputado federal pelo PMDB - Espírito Santo em outubro de 2006, tendo sido reeleito em 2010. Foi reeleito deputado federal em 2014, para a 55.ª legislatura (2015-2019).

Nas eleições de 2018 candidatou-se novamente a deputado federal, não sendo eleito.[4]

Financiamento de campanhaEditar

Lelo é um dos deputados cuja campanha foi financiada pela Vale/Samarco, caracterizando conflito de interesses ao ser selecionado para participar da comissão criada na Câmara[5] a respeito do rompimento de barragens em Bento Rodrigues.[6]

Foi um dos 71 deputados que, em 27 de maio de 2015, alterou seu voto sobre o financiamento privado das eleições no Brasil, dado no dia anterior, na terça-feira, 26 de maio, em sessão do Congresso, quando votara contra o financiamento privado. No dia 27, sem maiores explicações e após o presidente da câmara recolocar o tema em votação, votou a favor do financiamento privado das campanhas eleitorais.[7]

Atuação na 55ª LegislaturaEditar

Votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[8] Posteriormente, votou favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[8] Em abril de 2017 apoiou a Reforma Trabalhista.[8] [9] Em agosto de 2017 votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do então Presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.[8][10]


Referências

Ligações externasEditar