Lenda Muhlenberg

A lenda Muhlenberg é uma lenda urbana dos Estados Unidos e da Alemanha. Conforme a lenda, um único voto de Frederick Muhlenberg, o primeiro Presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos ("speaker"), evitou que o alemão se tornasse a língua oficial dos Estados Unidos.

Frederick Muhlenberg, Presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, não lançou nenhum voto decisivo em 1794, 1776 ou em qualquer outro ano para evitar que o alemão se tornasse a língua oficial dos Estados Unidos

Base da lendaEditar

O cerne por trás dessa lenda foi uma votação na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos em 1794, quando um grupo de imigrantes alemães pediu a tradução de algumas leis para o alemão. Essa petição, sim, foi rejeitada por 42 a 41 votos e Muhlenberg (descendente de alemães, que se absteve desse voto em particular) mais tarde teria dito: "quanto mais rápido os alemães se tornarem americanos, melhor".[1][2]

Língua oficialEditar

Os Estados Unidos não têm língua oficial por estatuto; o inglês é usado de facto devido à sua condição de língua predominante do país. Vários estados têm suas próprias leis de língua oficial.[3]

 
Franz Löher, cujo livro alemão de 1847 incluía uma antiga versão da história

HistóriaEditar

A lenda tem uma longa história e levou a uma série de análises e artigos publicados a partir do final dos anos 1920 até o início dos anos 1950 explicando por que a história não era verdadeira.[4][5][6][7] A história foi apelidada de "lenda Muhlenberg" por volta do final dos anos 1940.[8] No entanto, a lenda persite.[9][10][11]

Em 1987, por exemplo, uma carta de um ex-funcionário eleitoral no Missouri enfatizou a importância do voto em uma coluna de Ann Landers. Ela incluiu uma lista de votações cujo resultado seria outro se não fosse por um voto. No seu manual de eleição local, ela escreveu: "em 1776, um voto deu à América o idioma inglês em vez de alemão".[12] O ocorrido levou a uma nova onda de notícias denunciando o mito.[13][14] Alheia a correções deste tipo, Ann Landers insistiu na mesma lista em novembro de 1996.[15] As respostas consternadas fizeram com que Landers esclarecesse o assunto em uma coluna posterior. Um leitor da coluna, o qual implorou a Landers para "jogar fora essas peças de ficção onde quer que as encontrasse", observou que a lenda começou a ganhar força na década de 1930 devido ao trabalho dos propagandistas nazistas.[16]

Outra versão do mito, que diz que o voto foi em 1774 no Continental Congress, apareceu em Ripley's Believe It or Not! no início dos anos 1930.[17][18] Ripley também incluiu o mito num livro de 1982. A versão de Ripley credita a história a uma suposta carta de Heinrich Melchior Muhlenberg publicada em Halle an der Saale em 1887.[19]

Outras fontes creditam o alemão Franz von Löher como o criador da lenda. Ele visitou os Estados Unidos e publicou o livro Geschichte und Zustände der Deutschen in Amerika (História e realizações dos alemães na América) em 1847.[20] Loher queria que o alemão se tornasse a língua oficial da Pensilvânia e não de todo o território americano. (À época, Filadélfia era sede do congresso e a capital da Pensilvânia). Para confundir ainda mais a história, Muhlenburg serviu como presidente da “Pennsylvania” House antes de ocupar esse cargo no Congresso dos Estados Unidos. Segundo Loher, a votação ficou empatada e Muhlenberg votou no inglês no desempate. [21]

NotasEditar

  1. Heath, Shirley Brice & Frederick Mandabach. Language Status Decisions and the Law in the United States, in Cobarrubias, Juan & Joshua A. Fishman, eds., Progress in Language Planning, p. 94 (1983)
  2. Sick, Bastian (19 May 2004). German as the official language of the USA?, Spiegel Online (in English)
  3. The German Vote, Snopes.com, 9 de julho de 2007 
  4. (18 February 1943). A German Language Rumor Traced Down, by W.L. Werner in American Speech magazine, reprinted in The Milwaukee Journal
  5. Feer, Robert A. Official Use of the German Language in Pennsylvania, The Pennsylvania Magazine of History and Biography (Vol. 76, No. 4) (October 1952)
  6. Arndt, Karl J. R. German as the Official Language of the United States of America?, Monatshefte, Vol. 68, No. 2 (Summer, 1976), pp. 129–150 (Arndt's article attempts to trace pre-Loher accounts which may have helped foster the legend, including an 1813 article by Justus Christian Henry Helmuth; at n. 21, Arndt lists seven accounts published between 1927–52 debunking the myth, starting with the 2nd edition of Albert Bernhardt Faust's The German Element in the United States, at Vol. II, pp. 652–56 (1927))
  7. Lohr, Otto. Deutsch als 'Landessprache' der Vereinigten Staaten?, Mitteilungen der Akademie zur wissenschaftlichen Erforschung und zur Pflege des Deutschtums 4 (1931): 283–90 (in German)
  8. Wood, Ralph C. The Second Period of the German Society of Pennsylvania and the Muhlenberg Legend, publication?, cited in The German American Review, 1949
  9. (8 August 1981). Zepezauer, Frank S. When German almost became our language, Milwaukee Journal
  10. Baron, Dennis (March 1996). watzmann.net: Urban Legend: German almost became the official language of the US, watzmann.net (reprinting 1996 essay by Dennis Baron, full account of the legend and its origin)
  11. Adams, Willi Paul et al. Indiana University-Purdue: German or English? Arquivado em 24 de junho de 2010, no Wayback Machine., in The German-Americans: An Ethnic Experience (1993)
  12. (19 March 1968). Single Votes Have Made History, Sumter Daily Item
  13. Baron, Dennis. The Legendary English-Only Vote of 1795, pbs.org
  14. (7 April 1987). Importance of one vote overlooked by Americans, Kentucky New Era (syndicated Ann Landers column)
  15. (4 de novembro de 1996). Debate continues on Internet pros and cons, Ocala Star-Banner
  16. (30 December 1996). Here's A Good Book That Will Grab You, Chicago Tribune
  17. Zagofsky, Al (5 February 2011). Was German almost the official language of the U.S.?, Times-News
  18. Believe It or Not: A Refutation of Mr. Ripley's Very Absurd Fabrication Concerning the Continental Congress, Carnegie Magazine (1930)
  19. Ripley's believe it or not! book of chance (1982)
  20. Loher, Franz. Geschichte und Zustände der Deutschen in Amerika (1847) (in German) via archive.org
  21. Mencken, Henry L. The American Language: Supplement One, pp. 138–39 (1945)

Ligações externasEditar