Abrir menu principal

Leonard Woolsey Bacon

clérigo americano
Leonard Woolsey Bacon
Nascimento 1 de janeiro de 1830
New Haven, Connecticut
Morte 12 de maio de 1907 (77 anos)
Assonet, Massachusetts
Nacionalidade Estados Unidos americana
Alma mater Universidade Yale
Ocupação clérigo, escritor

Leonard Woolsey Bacon (New Haven, Connecticut, 1 de janeiro de 1830 — Assonet, Massachusetts, 12 de maio de 1907[1]) foi um clérigo americano, crítico social e autor prolífico sobre assuntos religiosos, sociais e históricos. Em questões sociais, políticas e religiosas de seu tempo, muitas vezes rompeu com as tradições de seus compatriotas, às vezes causando "grande comoção".[2]

Índice

BiografiaEditar

Leonard Woolsey Bacon era filho do pregador congregacionalista Leonard Bacon, e irmão de George B. Bacon de Orange, Nova Jérsei,[3] Thomas Rutherford Bacon de New Haven, Connecticut,[4][5] e Edward Woolsey Bacon,[6] todos pregadores congregacionais. Formou-se na Universidade Yale em 1850, e em 1856 foi ordenado sacerdote em Litchfield, Connecticut. Foi também pastor da Primeira Igreja em Stamford (1862–1865), e da Igreja Congregacional da Nova Inglaterra no Brooklyn, Nova Iorque (1865–1870).[7]

Posteriormente, passou vários anos na Europa, principalmente em Genebra, como estudante, pregador, e escritor; em Genebra, ocupou parte de seu tempo pregando a "americanos que lá residiam temporariamente".[3] De 1878 a 1882, foi pastor da Igreja Congregacional Park, em Norwich, Connecticut, e mais tarde de outras igrejas congregacionais e presbiterianas. Em 1887, foi pastor da Igreja Presbiteriana Independente, em Savannah, Geórgia.[8] Em 1898, foi pastor da Primeira Igreja em Litchfield, Connecticut.[9] Foi pastor da Igreja do Norte em Assonet, Massachusetts a partir de 1901, e autor de uma história das igrejas de Freetown, Massachusetts em 1902.[10] Morreu em Assonet em 12 de maio de 1907, e foi sepultado no Grove Street Cemetery, em New Haven, Connecticut.

Declarações polêmicasEditar

Bacon, obviamente, envolveu-se em questões contemporâneas, como o divórcio, o movimento da temperança, o descanso dominical, e a conduta pública de oficiais das Forças Armadas dos Estados Unidos. Em muitas destas questões, porém, ele demonstrou certa relutância em impor visões religiosas. Até que em 1880, escreveu uma carta aberta ao The New York Times reclamando sobre uma empresa de barco a vapor que não observava as blue laws (Leis Azuis ou Dominicais - leis religiosas impostas pelo Estado e que restringem o comércio no dia de domingo) de Connecticut, ele deixou claro que as leis obrigavam o domingo a ser um dia de descanso e que não deviam ser interpretadas para endossar qualquer religião em particular ou discriminar "em favor da igreja atual." [11]

Bacon parece ter tido o hábito de causar polêmica. Em 1884, por exemplo, sentiu-se compelido, em outra carta para o Times, a afirmar que, contrariamente ao que tinha sido reportado, ele não era a favor de "uma lei de divórcio universal, uniforme, para todo os Estados Unidos."[12] Em 1887, quando era pastor da Igreja Presbiteriana Independente, em Savannah, causou um rebuliço ao declarar publicamente que era favorável a escolas mistas (negros e brancos) e que não se importaria se sua filha fosse vista andando acompanhada de um afro-americano ou até mesmo se se casasse com um deles.[2]

Em 1898, como pastor em Litchfield, Connecticut, escreveu uma carta publicada no The New York Times criticando o capitão Robley Dunglison Evans (conhecido como "Bob Combate"), mais tarde almirante da Marinha dos Estados Unidos, por vangloriar-se e falar palavrões.[9] Evidentemente que esta era parte de uma disputa de classe; o Chicago Daily Tribune informou sobre a notícia dizendo que Bacon "novamente entrou em choque" com "Bob Combate" por intermédio de sua "carta sarcástica."[13]

EscritosEditar

Bacon editou Luther's Deutsche geistliche Lieder (Nova Iorque, 1883), e escreveu uma série de livros históricos entre outros.

Uma visão interna do Concílio VaticanoEditar

Bacon reeditou, com comentários, o discurso de Peter Richard Kenrick, arcebispo de St. Louis, proferido em 1871 no Concílio Vaticano I; Kenrick se manifestou contrário ao dogma da infalibilidade papal. O livreto contém o discurso de Kenrick e outros documentos históricos, bem como as "observações críticas e valiosas" do próprio Bacon.[14]

Documentos da IgrejaEditar

Seus Church Papers: Sundry Essays on Subjects Relating to the Church and Christian Society (1877), escrito enquanto Bacon estava em Genebra, foi elogiado no New Englander e Yale Review como um "pequeno volume suculento"; o revisor elogiou o mérito e a capacidade de atração das dissertações, que são "o produto da reflexão do som, e de uma familiaridade não só com livros, mas com os homens e as coisas."[3] Ele discute questões tais como as desvantagens do congregacionalismo, que pode permitir decisões falaciosas por uma maioria aleatória, e o movimento de temperança, e os princípios e métodos de seus defensores zelosos.[3]

Notas

  1. «Died.» (PDF). Nova Iorque. The New York Times (em inglês). 15 de maio de 1907 
  2. a b «The Rev. L.W. Bacon Questioned» (PDF). The New York Times (em inglês): 12. 13 de novembro de 1887 
  3. a b c d «Rev. of Leonard Woolsey Bacon, Church Papers». New Haven. New Englander and Yale Review (em inglês). 37 (142): 133–35. Janeiro de 1878 
  4. «Bacon's Unexpected Resignation.a New-haven Congregational Church Losing its Pastor on Account of the Dissatisfaction of a Few Members». The New York Times (em inglês). 1 páginas. 24 de março de 1884 
  5. «Some Hit and Miss Chat; Stray Bits of Gossip from an Observer's Note Book. A Dream's Strange Sequel--one of Leonard Bacon's Sons--Clevelands of the Last Century». The New York Times (em inglês). 2 páginas. 7 de setembro de 1885 
  6. Memorial biographies of New England historic genealogical society, 1853–1855, Volume 8. [S.l.]: New England Historic Genealogical Society. 1907. p. 83 
  7. General Council of the Congregational and Christian Churches of the United States, Executive Committee (1908). The Year book of the Congregational Christian churches of the United States of America (em inglês). [S.l.]: National Council of Congregational Churches. p. 12 
  8. «Dr. Bacon's Pulpit Wanted» (PDF). Charleston, S.C. The New York Times (em inglês) 7 de novembro de 1887 
  9. a b Bacon, Leonard Woolsey (11 de agosto de 1898). «Pastor Rebukes Capt. Evans; Dr. L. Woolsey Bacon, in Open Letter, Accuses Him of Boasting and Objects to His Profanity» (PDF). The New York Times (em inglês): 2 
  10. Bacon, Rev. Leonard Woolsey, D.D. (1902). «Church History». A History of the Town of Freetown, Massachusetts: 29–49 
  11. Bacon, Leonard Woolsey (25 de agosto de 1880). «Reforming Sunday Laws; The Rev. L.W. Bacon on the Norwich Conflict» (PDF). The New York Times (em inglês): 5 
  12. Bacon, Leonard Woolsey (13 de novembro de 1887). «The Divorce Laws» (PDF). The New York Times (em inglês): 12 
  13. «Dr. Woolsey Bacon Again Falls Foul of 'Fighting Bob': Publishes a Sarcastic Open Letter to the Captain of the Iowa in Which He Belittles His Claim to Bravery and Generosity». Chicago Daily Tribune: 7. 11 de agosto de 1898 
  14. «Notices of New Books: The Vatican Council by Leonard Woolsey Bacon». New Englander and Yale Review (em inglês). 31 (199): 133–35. Abril de 1872 

Referências

  •   Vários autores (1911). «Bacon, Leonard». In: Chisholm, Hugh. Encyclopædia Britannica. A Dictionary of Arts, Sciences, Literature, and General information (em inglês) 11.ª ed. Encyclopædia Britannica, Inc. (atualmente em domínio público) 
  • Leonard Woolsey Bacon, Peter Richard Kenrick, Andrew Dickson White (1872). An Inside View of the Vatican Council, in the Speech of the Most Reverend Archbishop Kenrick, of St. Louis. [S.l.]: American Tract Society. 258 páginas. ISBN 9781177266130 
  • Leonard Woolsey Bacon (1877). Church Papers: Sundry Essays on Subjects Relating to the Church and Christian Society. Nova Iorque: Putnam. 356 páginas. ISBN 9780559346354 
  • Leonard Woolsey Bacon (1878). A Life Worth Living: Memorials of Emily Bliss Gould, of Rome. Nova Iorque: Anson D.F. Randolph. 284 páginas 
  • Irenics and Polemics, with Sundry Essays in Church History (1898)
  • A History of American Christianity (1898)
  • Young People's Societies (com C. A. Northrup, 1900)
  • The Congregationalists (1904)

Ligações externasEditar