Leonel Franca

Leonel Edgard da Silveira Franca (São Gabriel, 6 de janeiro de 1893Rio de Janeiro, 3 de setembro de 1948) foi um sacerdote católico e professor brasileiro.

Leonel Franca
Nome completo Leonel Edgard da Silva Franca
Nascimento 06 de janeiro de 1893
Rio Grande do Sul
Morte 03 de setembro de 1948 (55 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade Brasileiro
Religião Catolicismo

Entrou para a Companhia de Jesus em 1908 e em 1910 iniciou o curso de letras, próprio da formação jesuíta. Em 1912 seguia para Roma para cursar o triênio de Filosofia na Universidade Gregoriana.

De volta ao Brasil em 1915, iniciou o magistério no Colégio Santo Inácio (Rio de Janeiro). Lecionou história da filosofia, psicologia experimental e química no Colégio Anchieta, em Nova Friburgo.

Em 1920 retornou a Roma para cursar Teologia durante quatro anos, sendo ordenado Sacerdote em 1923. No ano seguinte doutorou-se em Filosofia e Teologia e em novembro de 1925 completou, em Oia na Espanha, o último ano da formação jesuítica, a chamada "Terceira Provação". [1] [2]

Foi membro do Conselho Nacional de Educação em 1931 e vice-reitor do Colégio Santo Inácio (Rio de Janeiro). Teve papel destacado na fundação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e foi, também, seu primeiro reitor.

Em 1947 recebeu o Prêmio Machado de Assis.

Além de sua sólida formação intelectual, filosófica e teológica, ganhou fama pelas refutações a pastores e líderes protestantes brasileiros, bem como pelas polêmicas mantidas com estes, tendo escrito diversos livros para explicar e fundamentar suas posições, tais como "A Igreja, a Reforma e a Civilização", "Catolicismo e Protestantismo" e "O Protestantismo no Brasil", os quais podem ser encontrados em sebos e livrarias especializadas.

Sempre acometido de saúde frágil, morre em 03 de setembro de 1948, deixando bibliografia de forte conotação apologética católica e diversos artigos em jornais da época.

Há uma rua com o seu nome em Campinas.[3]

ObrasEditar

  • Noções de História da Filosofia (1918)
  • Apontamentos de Química Geral (1919)
  • A Igreja, a Reforma e a Civilização (1922)
  • A Psicologia da Fé (1934)
  • O Protestantismo no Brasil (1938) [2]
  • A Crise do Mundo Moderno (1941) [4]
  • Pensamentos Espirituais (1949)
  • O Método Pedagógico dos Jesuítas (O Ratio Studiorum) (1952)
  • Liberdade e Determinismo (1954)
  • A Formação da Personalidade (1954)
  • O Problema de Deus [5]
  • Relações entre a Igreja e o Estado[6]
  • Catolicismo e Protestantismo
  • O Divórcio
  • O Livro dos Salmos

Referências

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.