Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2009). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Leonor Pinhão
Nascimento 27 de março de 1957 (62 anos)
Lisboa, Portugal
Residência Lisboa
Nacionalidade Portuguesa
Cônjuge João Botelho
Ocupação Jornalista, tradutora e ghost-writer

Leonor Pinhão ComM (Lisboa, 27 de Março de 1957) é uma jornalista, tradutora e ghost-writer portuguesa.

É casada com o realizador João Botelho e filha do também jornalista Carlos Pinhão.

Frequentou o curso de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e o curso de Cinema do Conservatório Nacional. Colabora semanalmente, com uma coluna de opinião, no jornal Expresso, escrevendo para a revista Única, na secção Contraste, juntamente com Miguel Esteves Cardoso.

Foi, durante algum tempo, comentadora de futebol no extinto programa Donos da Bola, emitido nas noites de sexta-feira, na SIC, e, mais tarde, no programa Sacanas sem Lei, no Canal Q, com José de Pina pelo Sporting Clube de Portugal e João Nuno Coelho pelo Futebol Clube do Porto.

No programa Grandes Portugueses, emitido pela RTP, foi a defensora de D. Afonso Henriques.

Escreve todas as quintas-feiras no diário desportivo português A Bola, onde aborda principalmente nas suas crónicas o seu clube do coração, o Sport Lisboa e Benfica.

Foi condecorada pelo Presidente Jorge Sampaio a 9 de Junho de 2005 com o grau de Comendadora da Ordem do Mérito.[1]

ObrasEditar

  • Rosa Mota : memória de uma carreira (1999);
  • Tudo sobre futebol (2001);
  • Eu, Carolina (2006).

FilmografiaEditar

Referências

  1. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Leonor Pinhão". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 10 de fevereiro de 2016 
  Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.