Abrir menu principal

Liber Gomorrhianus em latim, ou em português Livro de Gomorra, é uma obra escrita por Pedro Damião (também chamado de Petrus Damiani, Pietro Damiani ou Pier Damiani) em 1049/1050 d.C. na Itália. Escrito em forma de tratado, o livro denunciava abertamente os vícios do clero da igreja italiana, recomendando punições severas a certos membros do clero por vita [...] spurcissima [...] (ou seja, pelo seu "modo de vida imundo"). O autor dedicou sua obra ao Papa Leão IX (Bruno de Eguisheim-Dagsbourg), natural de Eguisheim, Alsácia, França.

Índice

Ataque às práticas sexuaisEditar

Pedro Damião condenou práticas homossexuais, masturbação grupal e masturbação solitária, copulação entre as coxas, e copulação anal[1] que, segundo ele, eram todas contra a "ordem moral" e resultantes da loucura associada ao desejo carnal excessivo, à lascívia. Pedro Damião reservou uma indignação especialmente forte aos sacerdotes que praticavam a efebofilia (adultos que sentem uma atração sexual primária por adolescentes pubescentes ou pós-pubescentes.[2][3]) Ele identifica a os superiores que, dada a sua piedade excessiva e mal-direcionada, relaxaram seu dever de defender os padrões disciplinários da igreja. Pedro Damião também se opõe à ordenação dos indivíduos que se dão à homossexualidade e quer que aqueles já ordenados sejam destituídos. Aos que fazem mau uso do sacramento da Ordem cometendo atos sexuais com crianças deve-se dedicar um desprezo especialmente singular.

Controvérsia resultanteEditar

A obra causou grande revolta e resultou em sentimentos de profunda inimizade contra o seu autor. Até o Papa Leão IX, que inicialmente elogiou o novo livro, acabou sendo persuadido de que tudo tratava-se de exageros. Assim, o papa acabou suavizando as suas sugestões de confronto contra os religiosos culpáveis conforme sugeriu Pedro Damião, excluíndo do clero somente aqueles membros que ofenderam o sacramento repetidamente e por um prolongado período.[4] A frieza papal sobre o assunto resultou em uma vigorosa carta aberta de protesto por parte de Pedro Damião.

História de relacionamentos entre pessoas do mesmo sexoEditar

Muito embora vários textos religiosos penitenciais da época terem apresentado argumentos condenatórios contra atos sexuais entre pessoas do mesmo sexo, como os escritos de Burcardo de Worms e do abade Regino de Prüm (Prüm hoje é uma pequena cidade situada no noroeste da Renânia-Palatinado, Alemanha), este é o único escrito teológico que trata exclusivamente deste tema.[1]

Concubinato e o cleroEditar

Pedro Damião também era decididamente contrário à simonia, mas a sua mais feroz fúria era direcionada contra os membros do clero que contraíam o matrimônio, como demonstrou em várias ocasiões.

Referências

  1. a b Paul Halsall: Peter Damian: Liber Gomorrhianus Medieval Sourcebook. abril 2006.
  2. Ephebophilia: Allwords.com Dictionary. http://www.allwords.com/word-ephebophilia.html Ephebophilia: Allwords.com Dictionary. Verifique valor |url= (ajuda)  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  3. Dicionário Priberam da Língua Portuguesa. http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal=efebofilia Dicionário Priberam da Língua Portuguesa. Verifique valor |url= (ajuda)  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  4. Thomas P. Doyle: "Roman Catholic Clericalism, Religious Duress, and Clergy Sexual Abuse, " in Pastoral Psychology, Vol. 51, No 3, Januari 2003.

BibliografiaEditar

Edições modernas
  • Pierre J. Payer (ed.): Book of Gomorrah: An eleventh century treatise against clerical homosexual practise, Waterloo, Ont., 1982. Wilfrid Laurier University Press. (Inclui a resposta do papa.)
  • Owen J. Blum, O.F.M.: Peter Damian, Letters 31-60, part of the Fathers of the Church - Medieval Continuation série lançada pela Catholic University of America Press, Washington, D.C., 1990.