Abrir menu principal
Emblem-scales.svg
A neutralidade deste artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão. (desde 2008)
Liceu Pasteur
Informação
Localização São Paulo
Endereço Rua Mairinque, 256

Rua Vergueiro, 3799

Tipo de instituição Particular
Abertura 1923
Página oficial http://www.liceupasteur.com.br

http://www.lfpasteur.com.br

O Liceu Pasteur é um colégio franco-brasileiro situado em um histórico prédio de São Paulo, no quarteirão entre as ruas Mayrink, Dr. Diogo de Faria e Coronel Lisboa na Vila Clementino. A seção francesa (Lycée Pasteur) que funcionava antigamente como apêndice da unidade da Rua Mayrink no período da tarde, atualmente chama-se Liceu Pasteur Unidade Vergueiro uma vez que funciona em seu próprio prédio moderno na esquina da Rua Vergueiro com a Rua Diderot. Ambas unidades estão juridicamente sob a responsabilidade da Fundação Pasteur, mantenedora administrada por um conselho deliberativo de 15 membros. No início de 2018, iniciou-se o processo de fusão das duas escolas através do projeto Grand Lycée Pasteur com conclusão prevista para 2023, ano da celebração do centenário da Sociedade Civil Liceu franco-brasileiro. [1] [2].

Índice

HistóriaEditar

Em 1908, o renomado médico e psicólogo francês Georges Dumas veio em missão cultural e estabeleceu, junto com Charles Richet os primeiros contatos com personalidades e intelectuais franceses e brasileiros para criar em São Paulo um liceu franco-brasileiro com intuito de estreitar os laços de amizade e as afinidades culturais entre o Brasil e a França.[3][4]

Em 1923, foi criado oficialmente o Lyceu Franco-Brasileiro "S. Paulo". No início o Liceu começou a funcionar em salas pertencentes ao Liceu de Artes e Ofícios até que, em 1925, mudou-se para o terreno na Rua Mairinque, parte do qual (16 mil m²) foi doado em 1920 por Ramos de Azevedo, também responsável pela construção e elaboração do projeto arquitetônico.[5][6][7] A partir de 1941, o Liceu passou a se chamar Liceu Pasteur, assim como a Fundação que o mantém. Desde a sua fase inicial, paralelamente ao ensino regular em português, o Liceu Pasteur da Rua Mayrink oferecia uma seção francesa com educação básica em língua francesa (Lycée Pasteur).

Nos anos 60, devido à crescente implantação de empresas francesas em São Paulo, fez-se necessária a construção de um novo prédio para abrigar com mais conforto e qualidade pedagógica o número de alunos provenientes de famílias de expatriados franceses e franco-brasileiros. Em 1963, empresas francesas financiaram a construção do moderno prédio denominado Casa Santos Dumont, situado em um terreno da Rua Vergueiro. O arquiteto francês Jacques Pilon foi responsável pelo projeto juntamente com os arquitetos Jerônimo Bonilha Esteves e Israel Sancovski [8] A primeira turma de alunos do Lycée Pasteur entrou na Unidade Vergueiro em 1964.[9]

Enquanto a unidade Mayrink voltou-se principalmente para atender os alunos e famílias brasileiras, a unidade Vergueiro passou a sediar o curso bilíngue franco-brasileiro, denominado então Curso Experimental Bilíngue (CEB) e Curso Complementar Especial em Língua Francesa (CCSLF).[10]

Em 2012, as autoridades educacionais brasileiras reconheceram integralmente o curso de educação básica oferecido desde a educação infantil até o final do ensino médio, transformando o CEB e o CCELF em uma nova e única unidade educacional bilíngue da Fundação Liceu Pasteur, denominada desde então Liceu Pasteur Unidade Vergueiro.[11]

Liceu Pasteur Unidade VergueiroEditar

Atualmente o Liceu Pasteur de São Paulo Unidade Vergueiro é uma escola de perfil internacional conveniada à AEFE (Agência para o Ensino Francês no Exterior) e tem acordo homologado pelo Ministério da Educação Nacional da França com a supervisão por parte do Ministério da Educação do Brasil. Promove um sistema de escola única no mundo: 480 colégios franceses localizados em 130 países. A unidade da Rua Vergueiro é frequentada por aproximadamente 1100 alunos de várias nacionalidades e seu ensino respeita tanto os programas do Ministério da Educação da França como os do Brasil (MEC).

O Liceu Pasteur Unidade Vergueiro oferece e prepara seus alunos para os exames franceses Baccalauréat geral e o Baccalauréat com opção international (OIB), cujos diplomas lhes permitem ingressar em Universidades internacionais (França, todos os países da Europa, EUA, Canadá e Austrália). Para os alunos que optarem permanecer no Brasil, a escola oferece preparação específica para o aluno que deseja obter o ENEM (Exame Nacional de Ensino Médio)e emite o certificado de conclusão de curso para que possam prestar o vestibular nas diversas universidades locais. O ingresso através de dossiê para os detentores do “Baccalauréat”, sem a necessidade de vestibular é atualmente possibilitado em renomadas instituições brasileiras de ensino superior, como a ESPM, FAAP e FGV. A escola faz parte de uma rede de 494 estabelecimentos escolares situados em 135 países.[12]

Além dos exames curriculares e diplomas no final da escolaridade, o Liceu Pasteur Unidade Vergueiro oferece também certificações externas de língua estrangeira como o DELE, GOETHE, DELF, CAMBRIDGE FCE CAE e CELP-BRAS.

Grand Lycée PasteurEditar

A primeira parte do projeto Grand Lycée Pasteur, oficialmente inaugurado no dia 28 de fevereiro de 2019, foi executada pelo estúdio NPC Arquitetura e contemplou a renovação e reforma de dois mil metros quadrados do prédio histórico da Rua Mairinque. [13]

Alunos NotóriosEditar

Professores e Diretores NotóriosEditar

Referências

  1. «Projeto Grand Lycée Pasteur (pdf)». Consulat Général de France à Sao Paulo. 28 de setembro de 2017. Consultado em 16 de abril de 2018 
  2. «Com subsídio, SP terá escola internacional francesa de tempo integral por R$ 3.000». Folha de São Paulo. 27 de fev de 2019. Consultado em 02 de março de 2019  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. Abrahão Oliveira (7 de dezembro de 2016). «A Influência Francesa na Educação de SP: O Liceu Pasteur». São Paulo Em Foco. Consultado em 16 de abril de 2018 
  4. Angrimani, Danilo (1999) Vila Clementino: Memórias de um bairro e uma apreciação sobre a realidade atualSão Paulo: Departamento do Patrimônio Histórico. p. 39-41
  5. Ficher, Sylvia (2005). Os Arquitetos da Poli: ensino e profissão em São Paulo São Paulo:EdUSP. p.66-67. ISBN 8531408733, 9788531408731
  6. Freire, Cristina (1997)Além dos mapas: os monumentos no imaginário urbano contemporâneo São Paulo: Annablume. p. 240. ISBN 8585596880, 9788585596880
  7. Marcovitch, Jacques (2006) Pioneiros e Empreendedores: A Saga do Desenvolvimento no Brasil, Volume 1São Paulo: EdUSP p. 148.ISBN 8531409802, 9788531409806
  8. PILON, BONILHA; SANCOVICZ. Liceu Pasteur. Acrópole. São Paulo, n. 309, pp. 25-31, ago. 1964.
  9. Vários autores (2014) Lycée Pasteur - Le Livre de l'Année 2014 São Paulo: ISI. p. 177. ISBN 9788598741727
  10. «Liceu Pasteur faz parte da história da Vila Mariana». São Paulo Zona Sul. 17 de maio de 2013. Consultado em 16 de abril de 2018 
  11. «Ministro da Educação recebe homenagem da fundação francesa Liceu Pasteur em São Paulo». Ministério da Educação. 7 de fevereiro de 2018. Consultado em 16 de abril de 2018 
  12. «O ensino francês no exterior». Agence pour l'Enseignement Français à l'Etranger. Consultado em 27 de março de 2019 
  13. «Tradicionais colégios de São Paulo, Liceu Pasteur e Lycée anunciam fusão». O Estado de São Paulo. 27 de fev de 2019. Consultado em 02 de março de 2019  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)

Links externosEditar