Abrir menu principal

Like a Prayer

Like a Prayer
Álbum de estúdio de Madonna
Lançamento 21 de março de 1989
Gravação setembro de 1988 – janeiro de 1989;
D&D Recording
(New York City)
Ocean Way Recording
(Hollywood, California)
Gênero(s) Pop, pop rock, dance-pop
Duração 51:13
Gravadora(s) Sire Records, Warner Bros.
Produção Madonna, Patrick Leonard, Stephen Bray, Prince
Cronologia de Madonna
You Can Dance
(1987)
I'm Breathless
(1990)
Singles de Like a Prayer
  1. "Like a Prayer"
    Lançamento: 27 de fevereiro de 1989
  2. "Express Yourself"
    Lançamento: 9 de maio de 1989
  3. "Cherish"
    Lançamento: 1 de agosto de 1989
  4. "Oh Father"
    Lançamento: 24 de outubro de 1989
  5. "Dear Jessie"
    Lançamento: 10 de dezembro de 1989
  6. "Keep It Together"
    Lançamento: 30 de janeiro de 1990

Like a Prayer é o quarto álbum de estúdio da cantora e compositora norte-americana Madonna, lançado em 21 de março de 1989 pela Sire Records, três anos após seu antecessor, True Blue (1986). Madonna trabalhou com o cantor americano Prince, e com os produtores Patrick Leonard e Stephen Bray, co-escrevendo e co-produzindo todas as canções do álbum. Considerado o lançamento mais introspectivo de Madonna na época, Like a Prayer tem sido descrito como um álbum confessional. Ela descreveu o álbum como "uma coleção de canções sobre minha mãe, meu pai e laços com minha família". O álbum foi dedicado à sua mãe, que morreu quando a cantora ainda era jovem.

O álbum usa instrumentação ao vivo e incorpora elementos de dance, funk, gospel e soul em um estilo pop mais geral. Madonna chamou atenção à sua educação católica, como pode ser visto na faixa-título. As letras do álbum tratam de temas da infância de adolescência de Madonna, tais como a morte de sua mãe em "Promise to Try", a importância da família em "Keep It Together" e a relação com seu pai em "Oh Father". Madonna também prega emponderamento feminino em "Express Yourself". Logo após seu lançamento, Like a Prayer recebeu aclamação geral da crítica musical. A revista Rolling Stone citou que o álbum "é o mais perto que o pop já chegou da arte".

Comercialmente, Like a Prayer tornou-se um sucesso internacional, assim como seus antecessores, alcançado o topo das paradas em vários territórios. O álbum foi certificado com quatro discos de plantina nos Estados Unidos pela Recording Industry Association of America (RIAA). Seis singles foram lançados a partir do álbum: "Like a Prayer", "Express Yourself", "Cherish", "Oh Father", "Dear Jessie" e "Keep It Together". "Like a Prayer" tornou-se o sétimo single número um de Madonna na Billboard Hot 100, enquanto "Express Yourself" e "Cherish" atingiram o segundo lugar. Em todo mundo, o álbum já vendeu cerca de 17 milhões de cópias, 5 milhões apenas nos EUA, onde recebeu certificado 5X Platina pela RIAA. É seu segundo album mais vendido no Brasil, atrás apenas da coletânea The immaculate Collection, recebendo 2X Platina. Foi o terceiro album de Madonna a ter o lead single em primeiro lugar nas paradas americanas, com Like a Prayer. Os outros foram "Like a Virgin" "e Live To Tell''. É o quarto se considerar a trilha sonora do filme "Who's That Girl?" com a faixa-título e quinto se considerar a faixa "Crazy for You", único single retirado do filme "Vision Quest". Já nas paradas inglesas, o primeiro lead single a chegar a tal posição e sexto single a chegar em primeiro lugar.

Com os videoclipes que acompanharam os singles, Madonna promoveu sua criatividade, tornando-se uma figura de liderança no formato. O vídeo de "Like a Prayer" foi um "para-raios" para a controvérsia religiosa, usando iconografia religiosa e queimando cruzes, além de ter promovido um beijo em um "santo negro". Tal vídeo foi condenado pelo Vaticano, que condenou a parceria da Pepsi com a cantora, levando a empresa a cancelar o contrato de promoção do videoclipe de Madonna. "Express Yourself" tornou-se o vídeo mais caro feito na época. O álbum foi precedido pela aclamada turnê Blond Ambition Tour. No final da década de 1980, após o lançamento de Like a Prayer, Madonna foi nomeada como a Artista da década por diversas mídias especializadas, entre elas a Billboard e a MTV.[1][2][3]

InformaçãoEditar

Incorporando elementos de rock, dance, pop, soul e funk, Like a Prayer é considerado o melhor álbum de Madonna por críticos de todo o mundo. J.D. Considine, crítico da revista Rolling Stone, afirmou que este álbum representa "o mais perto que o pop chega da arte".[4] Produzido em 1988 com os colaboradores de longa data Patrick Leonard e Stephen Bray, o álbum também inclui um dueto co-produzido com Prince. No álbum está presente "Promise to Try", a primeira canção na qual Madonna fala abertamente da morte da mãe quando ela tinha apenas cinco anos de idade;[4] a cantora até dedicou o álbum a ela. Está presente também "Till Death Do Us Part", canção que fala do fim do tumultuado casamento com o ator Sean Penn.[4]

Antes do lançamento comercial do primeiro compacto simples, a faixa-título, Madonna fez um acordo com a Pepsi, que usou a canção num comercial que contava com a participação da cantora. A companhia também afirmou que iria patrocinar a turnê Blond Ambition de 1990. O comercial foi ao ar duas vezes antes do lançamento oficial do videoclipe na MTV. Este, por sua vez, apresentava um conteúdo um tanto quanto controverso: Madonna testemunhando um assassinato, beijando um santo negro (interpretado como sendo uma versão negra de Jesus Cristo[5]), sofrendo estigmata ao tocar em uma faca e dançando num campo de cruzes pegando fogo. Grupos religiosos ameaçaram boicotar a Pepsi, que acabou cancelando a exibição do comercial e o patrocíno à futura turnê. No entanto, Madonna ficou com os cinco milhões de dólares do contrato.[6]

Devido à publicidade que Madonna recebeu pela controvérsia, o primeiro compacto foi parar no primeiro lugar da Billboard Hot 100. O álbum estreou em décimo primeiro lugar na Billboard 200, mas apenas três semanas depois já estava em primeiro lugar, posição que ocupou por mais de um mês. Os dois próximos compactos, "Express Yourself" e "Cherish" (que possui um b-side chamado "Supernatural"), conseguiram chegar à segunda posição da Hot 100. O quarto, "Oh Father", foi o de menor sucesso da cantora na lista desde 1984, conseguindo atingir a posição de número vinte. O quinto, "Dear Jessie", fez sucesso moderado na Europa, o sexto "Keep It Together", atingiu a oitava posição, e o último, "Spanish Eyes", foi lançado apenas no Brasil.

Este álbum apareceu na posição de número 237 na lista da revista Rolling Stone dos 500 melhores álbuns de todos os tempos, publicada em 18 de novembro de 2003.[7] Já de acordo com a lista lançada pela revista Time em 13 de novembro de 2006, este é um dos cem melhores álbuns de todos os tempos.[8] O álbum talvez seja um dos mais autobiográficos da carreira de Madonna, "Like A Prayer" e "Act of Contrition" envolvem a religiosidade da cantora, "Like A Prayer" é uma mistura de gospel, dance e rock, já "Act of Contrition" possuí um som "maligno" e pesado. "Express Yourself" é uma das melhores músicas de Madonna, é um hino neofeminista extremamente sofisticado e dançante possuindo sons de saxofone. "Cherish" e "Dear Jessie" são canções calmas e inocentes, porém são muito bem feitas (principalmente Dear Jessie, que nos lembra uma canção de ninar). "Oh Father" é extremamente dramática, mas não deixa de ser uma canção bonita, ela fala sobre seu pai, principalmente na época que ele era contra com que Madonna fazia. "Promise To Try" é sobre a morte de sua mãe, é melancólica, algo extremamente paradoxo as outras canções dos outros álbuns. "Keep It Together" é o primeiro flerte de Madonna, nas músicas de R&B (que seriam trabalhados por Madonna e Dallas Austin no Bedtime Stories), a letra fala sobre o prazer em ter uma família, ganhou uma performance na Blond Ambition Tour (Com a introdução de Family Affair). "Till Death Do Us Part" fala sobre a separação de Madonna com Sean Penn, M narra a música em 3° pessoa, e diz que "ele não ama mais ela",a canção tem uma batida forte de teclado."Spanish Eyes" é uma balada inspirada nas músicas espanholas. E uma canção que ficou de fora do álbum foi "Supernatural" que é uma mistura de rock e pop.

FaixasEditar

Todas as canções escritas e produzidas por Madonna e Patrick Leonard exceto onde notado.
N.º Título Duração
1. "Like A Prayer"   5:39
2. "Express Yourself (escrito e produzido por: Madonna, Stephen Bray)"   4:37
3. "Love Song (escrito e produzido por: Madonna, Prince)"   4:52
4. "Till Death Do Us Part"   5:16
5. "Promise to Try"   3:36
6. "Cherish"   5:03
7. "Dear Jessie"   4:20
8. "Oh Father"   4:57
9. "Keep It Together (escrito e produzido por: Madonna, Stephen Bray)"   5:03
10. "Spanish Eyes"   5:15
11. "Act of Contrition"   2:19
Duração total:
51:13

Singles:

Like a Prayer - A faixa-título do álbum foi também a mais bem sucedida, chegando ao topo das principais tabelas musicais, com USA e UK. É considerada pela crítica e pela billboard como a melhor música da carreira de Madonna, além do vídeo ser considerado revolucionário. A primeira canção do album Oral Fixation de Shakira, "How do you Do?" foi inspirada na mesma. Permaneceu no topo das tabelas do Reino Unido e EUA durante 3 semanas consecutivas e é ate hoje um de seus singles mais vendidos, ultrapassando os 10 milhões de cópias. A faixa expõe uma controvérsia religiosa. É o single principal do trabalho e uma de suas canções assinatura. A canção mescla gêneros como Pop, rock, R&B, Soul music e gospel, o que possibilitou uma renovação no pop mundial. Uma das mais famosas de Madonna, também é uma das mais queridas tanto pelo público em geral quanto pelos próprios fãs. Tornou-se o sétimo single de Madonna em primeiro lugar nas paradas dos EUA esexto no UK. É uma das canções mais regravadas do mundo, tendo ao todo 10 regravações, incluindo pelo elenco da série "Glee" no episódio em tributo a artista, "1X15 - The Power of Madonna", posteriormente lançado na trilha sonora do episódio, a cantora Susan Boyle, Mad'House e Jay Smith.

Express Yourself - Segunda faixa do álbum e segundo single oficial do disco, a música teve na época o clipe mais aro da história e é hoje o terceiro mais caro, atrás apenas de "Scream" de Michael Jackson e "Bedtime Story" da mesma, com um orçamento superior há 7 milhões. Serviu de inspiração para clipes como Not Myself Tonight e Alejandro, respectivamente de Christina Aguilera e Lady Gaga. Assim como Like a Prayer teve um excelente desempenho comercial, chegando ao segundo e quinto lugar dos EUA e UK, respectivamente. É considerado um hino feminista e uma de suas canções assinatura.

Cherish - Sexta faixa e terceiro compacto, tornou-se um hit como os singles antecessores e chegou ao segundo e terceiro lugar, respectivamente, das tabelas dos EUA e UK e teve um clipe bem recebido pela crítica, onde Madonna fala sobre o amor em um oceano cheio de "sereios".

Oh Father - Considerada um dos destaques do disco, a canção fala sobre a infância e adolescência conturbadas após a perca da mãe quando tinha cinco anos de idade. Em uma das cenas do clipe Madonna recebe um tapa no rosto por seu pai. Teve um desempenho moderado e alcançou a vigésima e décima sexta colocação nos EUA e UK. Uma das baladas mais belas de Madonna, chegou a entrar na coletânea Something to Remember e foi apresentada no bloco da igreja na Blond Ambition World Tour. Chegou a ser indicada ao grammy de melhor clipe mas infelizmente não ganhou.

Dear Jessie - Mesmo com o baixo desempenho, em alguns paises como UK chegou a quinta posição e tornou-se um hit em festas infantis.

Keep it Together- Sexto e ultimo single oficial do trabalho, Keep it Together não ganhou clipe, porém tem a apresentação mais elogiada da turnê de divulgação do álbum e é uma das preferidas dos fãs. Tem uma pegada reggaeton mesclada ao funk estadunidense e R&B, o que possibilitou novamente elogios à parte. A música fala sobre a importância familiar e que mesmo nas horas difíceis a família vem em primeiro lugar. Obteve um bom desempenho comercial e chegou a oitava colocação nos EUA.

Pray For Spanish Eyes - Single promocional, tornou-se single oficial apenas no Brasil, uma controversa, já que a a música apresenta trechos em espanhol. É uma das mais belas canções de Madonna, onde questiona Deus e ao mesmo tempo pede através das orações para que seu amigo vítima da Aids fique bem. É uma das mais queridas do álbum.

Referências

  1. Taraborrelli 2002, p. 217
  2. Press release (25 de maio de 1990). «Michael, Madonna Top 'Billboard' Poll». Cox Enterprises. Dayton Daily News: 23. ISSN 0897-0920 
  3. Bego 2000, p. 232
  4. a b c Considine, J.D. (6 de abril de 1989). «"Like A Prayer review"». Rolling Stone. Consultado em 21 de janeiro de 2007 
  5. http://news.bbc.co.uk/2/hi/entertainment/5209714.stm
  6. http://eightiesclub.tripod.com/id135.htm Eightiesclub.com
  7. Rolling Stone. "Os 500 melhores álbuns de todos os tempos"
  8. Time. "Os 100 melhores álbuns de todos os tempos"
  Este artigo sobre um álbum de Madonna é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.