Lilja 4-ever

Lilja 4-ever (bra: Para Sempre Lilya[1][2]; prt: Lilya para Sempre[3]) é um filme dano-sueco de 2002, do gênero drama, dirigido por Lukas Moodysson.[3]

Lilja 4-ever
Cartaz promocional
No Brasil Para Sempre Lilya
Em Portugal Lilya para Sempre
 Suécia ·  Dinamarca
2002 •  cor •  109 min 
Direção Lukas Moodysson
Roteiro Lars Jönsson
Género filme de drama
Estreia Suécia 23 de agosto de 2002
Dinamarca 27 de setembro de 2002
Portugal 2 de maio de 2003
Brasil 7 de janeiro de 2005
Idioma língua inglesa
língua sueca
língua russa
língua polonesa

Aborda a vida de Lilja (Oksana Akinshina), uma garota da União Soviética, cuja mãe a abandona para ir aos Estados Unidos. O longa retrata o tráfico humano e a escravidão sexual.[4]

SinopseEditar

Lilja é uma adolescente russa com um único amigo, o pequeno Volodja, com quem partilha sonhos de melhorar de vida. Um dia ela conhece Andrej e se apaixona, e ambos partem para a Suécia em busca de uma nova vida.[2]

ElencoEditar

  • Oksana Akinshina como Lilja
  • Artyom Bogucharsky como Volodya
  • Lyubov Agapova como a mãe de Lilja
  • Liliya Shinkaryova como Anna
  • Elina Benenson como Natasha
  • Pavel Ponomaryov como Andrei
  • Tomasz Neuman como Witek
  • Tõnu Kark como Sergei

ProduçãoEditar

Roteiro e pré-produçãoEditar

 
Paldiski na Estônia onde o filme foi gravado

O roteiro do filme foi baseado na vida de Danguole Rasalaite, uma garota de 16 anos da Lituânia que foi manchete na Suécia em 2000. Uma amizade ajudou Rasalaite à viajar a Suécia com a promessa de um emprego na cidade de Malmö. Quando ela chegou, um homem conhecido como "o russo", que se tornaria seu cafetão, tomou seu passaporte e disse que ela teria de pagar-lhe 20 mil coroas suecas pelas despesas da viagem, e ela estava forçada a se prostituir no próximo mês. Ela escapou do apartamento onde estava no subúrbio da cidade de Arlöv e mudou-se para Malmö, e três meses depois foi estuprada pelo seu namorado e dois homens. Em 7 de fevereiro de 2000 ela saltou de uma ponte e morreu três dias depois no hospital. Três cartas que ela estava carregando revelaram essa história.[5][6] O roteiro originalmente deveria ser profundamente religioso, com Jesus sendo um personagem de destaque no filme, caminhando ao lado de Lilja ao longo da história.[7] Porém houve várias mudanças no roteiro que foi todo escrito por Moodysson que escreveu o enredo do filme em sueco e depois teve que traduzir para o russo.[8]

Referências

  1. «Para Sempre Lilya». Brasil: AdoroCinema. Consultado em 1 de março de 2021 
  2. a b «Para Sempre Lilya». Brasil: CinePlayers. Consultado em 1 de março de 2021 
  3. a b «Lilya para Sempre». Portugal: CineCartaz. Consultado em 1 de março de 2021 
  4. «Assistir a Para Sempre Lilya é como ser atropelado por um trem. E isso é bom». Veja. 8 de dezembro de 2004. Consultado em 5 de abril de 2012 [ligação inativa]
  5. Björneblad, Peter (23 de março de 2000). «"Hon tvingades bli prostituerad – tog livet av sig"» (em sueco). Aftonbladet. Consultado em 29 de dezembro de 2008 
  6. Mårtensson, Mary (26 de agosto de 2002). «"Här dog Lilja - i verkligheten"» (em sueco). Aftonbladet. Consultado em 29 de novembro de 2009 
  7. Leigh, Danny (20 de novembro de 2002). «"Lukas Moodysson at the NFT"». The Guardian (em inglês). Consultado em 29 de novembro de 2009 
  8. Torneo, Erin (23 de abril de 2003). «"Mood Swing: Lukas Moodysson's "Lilya 4-Ever""» (em inglês). indieWire. Consultado em 29 de novembro de 2009 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um filme sueco é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.