Abrir menu principal

A Linha 10–Turquesa da CPTM compreende o trecho da rede metropolitana definida entre as estações Brás[1]Rio Grande da Serra. Até março de 2008, denominava-se Linha D–Bege.[2]

Linha 10–Turquesa


Mapa das estações
Mapa das estações
Inauguração:16 de fevereiro de 1867 (152 anos) pela São Paulo Railway
27 de setembro de 1948 (70 anos) Estatizada como Santos-Jundiaí
1975 (44 anos) Repassada a RFFSA
1984 (35 anos) Repassada para a CBTU
1994 (25 anos) Repassada à CPTM como Linha D–Bege
2008 (11 anos) Mudança de nome para Linha 10–Turquesa
Estações:14
Comprimento:38 km
Bitola:Bitola larga
Estado:Em serviço
Urban head station
Luz (Desativada para essa linha) [nota 1]
Unknown route-map component "uSKRZ-Au"
Passagem sob o Corredor Norte-Sul
Unknown route-map component "uSKRZ-Ao"
Viaduto sobre a Rua da Cantareira
Unknown route-map component "uhKRZWae"
Ponte sobre o Rio Tamanduateí e a Av. do Estado
Unknown route-map component "uBHF-L" Unknown route-map component "KBHFa-R"
Brás Acesso às Linhas 3red.png, 11orange.png, 12blue.png e 13green.png [nota 2]
Urban straight track Station on track
Juventus–Mooca
Urban straight track Unknown route-map component "KMW"
Km 5
Urban straight track Station on track
Ipiranga
Unknown route-map component "uhKRZWae" Unknown route-map component "hKRZWae"
Ponte sobre o Rio Tamanduateí
Unknown route-map component "uBHF-L" Unknown route-map component "BHF-M" Unknown route-map component "utKBHFa-R"
Tamanduateí Acesso à Linha 2green.png
Unknown route-map component "uhKRZWae" Unknown route-map component "hKRZWae" Urban tunnel straight track
Ponte sobre o Rib. dos Meninos
Unknown route-map component "uSTR+GRZq" Unknown route-map component "STR+GRZq" Unknown route-map component "utSTR+GRZq"
Divisa entre São Paulo e São Caetano do Sul
Urban straight track Unknown route-map component "KMW" Urban tunnel straight track
Km 10
Unknown route-map component "uBHF-L" Unknown route-map component "BHF-M" Unknown route-map component "utBHF-R"
São Caetano do Sul–Pref. Walter Braido
Unknown route-map component "uhKRZWae" Unknown route-map component "hKRZWae" Urban tunnel straight track
Ponte sobre o córrego Utinga
Unknown route-map component "uSTR+GRZq" Unknown route-map component "STR+GRZq" Unknown route-map component "utSTR+GRZq"
Divisa entre São Caetano do Sul e Santo André
Urban straight track Station on track Urban tunnel straight track
Utinga
Urban straight track Unknown route-map component "KMW" Urban tunnel straight track
Km 15
Urban straight track Station on track Urban tunnel straight track
Prefeito Saladino
Unknown route-map component "uKBHFe-L" Unknown route-map component "BHF-M" Unknown route-map component "utKBHFe-R"
Pref. Celso Daniel–Santo André
Unknown route-map component "hKRZWae"
Unknown route-map component "hKRZWae"
Ponte sobre o Córrego do Guarará
Unknown route-map component "KMW"
Km 20
Unknown route-map component "epBHF"
Parada Pirelli (Desativada)
Unknown route-map component "hKRZWae"
Ponte sobre o Ribeirão Cassaguera
Unknown route-map component "STR+GRZq"
Divisa entre Santo André e Mauá
Level crossing
Passagem de nível da Av. Manoel da Nóbrega
Station on track
Capuava
Unknown route-map component "KMW"
Km 25
Station on track
Mauá
Station on track
Guapituba
Unknown route-map component "STR+GRZq"
Divisa entre Mauá e Ribeirão Pires
Unknown route-map component "KMW"
Km 30
Unknown route-map component "hKRZWae"
Ponte sobre o Ribeirão Pires
Station on track
Ribeirão Pires–Antônio Bespalec
Unknown route-map component "STR+GRZq"
Divisa entre Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra
Unknown route-map component "KMW"
Km 35
Unknown route-map component "hKRZWae"
Ponte sobre o Rio Grande
Unknown route-map component "eABZgl"
Ligação com os trilhos da MRS
Level crossing
Passagem de nível da Estr. Guilherme Pinto Monteiro
Unknown route-map component "exKBHFa-L" Unknown route-map component "KBHFe-R"
Rio Grande da Serra [nota 3]
Unknown route-map component "exABZg+l"
Ligação com os trilhos da MRS
Unknown route-map component "exSTR%2BGRZq"
Divisa entre Rio Grande da Serra e Santo André
Unknown route-map component "exABZgr"
Desvio para a fábrica da Unipar Indupa
Unknown route-map component "exBUE"
Passagem de nível da Estrada do Rio Claro
Unknown route-map component "exBHF"
Campo Grande (Desativada)
Unknown route-map component "exBHF"
Paranapiacaba (Desativada)
Unknown route-map component "exdCONTf"
Ligação com os trilhos da MRS

Legenda de serviços
Transverse track
Linha 10–Turquesa
Urban transverse track
Expresso Linha 10+
Unknown route-map component "utSTRq"
Expresso Linha 10
  1. O trecho da Linha 10turquoise.png que a conecta com a Estação da Luz encontra-se desativado ao público. Para esta estação, são oferecidos os serviços do Expresso Linha 10+.
  2. A Linha 13green.png é atendida pela Estação Brás através do serviço Connect.
  3. O trecho da extensão operacional encontra-se desativado ao público.


Índice

HistóricoEditar

A linha foi construída pela extinta São Paulo Railway, posteriormente Estrada de Ferro Santos-Jundiaí, tendo sido inaugurada em 16 de fevereiro de 1867. No início do século XX, graças à construção de várias estações intermediárias entre as originais da SPR, iniciou-se a circulação de trens de subúrbio, inicialmente até Mauá. Na década de 1940, a linha seria eletrificada, mas continuou a prestar serviços com carros de madeira puxados por locomotivas a diesel até 1957, quando a Santos-Jundiaí adquiriu os primeiros TUEs Budd da antiga série 101 (atual série 1100 da CPTM).

Em 1975, a linha passaria a ser administrada diretamente pela Rede Ferroviária Federal (RFFSA), que desde 1957 tinha a Santos–Jundiaí como uma de suas subsidiárias. Em 1984, passou para a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), que herdou todo o serviço de trens metropolitanos da Rede, serviço este que seria estadualizado em 1994, passando para as mãos da recém-fundada CPTM.

A linha contava com uma extensão operacional Rio Grande da Serra e Paranapiacaba, passando pela estação Campo Grande. Antes de ser desativada, contava com quatro horários (dois de Rio Grande da Serra para Paranapiacaba e dois de Paranapiacaba para Rio Grande da Serra) com trens muito antigos e depredados com raras vezes de um trem da Linha 10 fazendo o trajeto Rio Grande da Serra e Paranapiacaba, passando pela estação Campo Grande. A extensão chegou ao fim em 2001, por falta de passageiros.

Até 2011 a linha percorria o trecho entre as estações Luz e Rio Grande da Serra. Com a inauguração da Estação Tamanduateí da Linha 2 do Metrô de São Paulo em 21 de setembro de 2010, em 2011, para melhorias operacionais da Linha 7 (Rubi) (Na Estação Luz, os embarques e os desembarques foram separados em duas plataformas, se utilizando a plataforma antes utilizada pela Linha 10), segundo a CPTM, a linha foi encurtada para o Brás, obrigando os passageiros que se deslocam para o centro a fazerem baldeação para a linha 11 (Coral) da CPTM ou linha 3 (Vermelha) do Metrô. A mudança gerou reclamações dos usuários da Linha 10.[3]

A inauguração das estações Vila Prudente e Tamanduateí da Linha 2–Verde do Metrô, a Linha 10 da CPTM serviu de alça entre passageiros que se deslocam da Zona Sudeste de São Paulo para o Centro da cidade com mais praticidade, possibilitando o acesso, através da Linha 2, à Linha 1 e 4 do Metrô.

PercursoEditar

Esta linha liga a região central de São Paulo até a região do ABC Paulista, cruzando a região sudeste do município de São Paulo e os municípios de São Caetano do Sul, Santo André, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

No serviço parador, o intervalo entre trens no período da manhã é de 10 minutos das 4 às 4h45, 5 minutos das 4h45 às 9h15 e após as 9h15 sobe para 8 minutos até o início do pico vespertino e noturno às 16h15, quando volta para o patamar de 5 minutos[4], o que se traduz em ofertas de aproximadamente 15 mil lugares/hora/sentido das 4 às 4h45, 30 mil lugares/hora/sentido das 4h45 às 9h15 e 17,5 mil lugares/hora/sentido das 9h15 às 16h15. Se houvesse redução para 3 minutos nos horários de pico, haveria ganho de 20 mil lugares/hora/sentido na oferta, totalizando 50 mil lugares/hora/sentido, algo que potencialmente poderia ser obtido com a instalação da sinalização CBTC (a Linha 10 espera, até o final de 2018, já operar com o sistema CBTC, necessário em vista de um aumento do número de usuários diários em todo o trecho de 260 mil para cerca de 500 mil pessoas, possibilitando ainda a redução do tempo de percurso entre Brás e Mauá, dos atuais 46 minutos para entorno de 20 minutos[carece de fontes?]).

Expresso Linha 10 e Expresso Linha 10+Editar

O Expresso Linha 10 [5] é um trem semiexpresso da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos para a integração direta da região do ABC Paulista a estação Tamanduateí.[6] A linha usa o trilho central da já existente Linha 10, com paradas apenas na estação Tamanduateí, onde há integração com a Linha 2 do Metrô de São Paulo e uma em cada município servido pela linha (Santo André e São Caetano do Sul. Estima-se que a velocidade média dos trens seja de cerca de 60 km/h. Trata-se de uma linha expressa de trem com intervalos entre trens de 30 minutos no horário e sentido de pico, da Estação Prefeito Celso Daniel - Santo André (no ABC) até a Estação Tamanduateí (bairro da cidade de São Paulo), com parada intermediária na Estação São Caetano do Sul - Prefeito Walter Braido, funcionando de segunda a sexta-feira, em horários específicos.[7]

A partir de 6 de abril de 2019, foi lançado o Expresso Linha 10+, com funcionamento aos sábados, em horários já determinados, entre as estações Luz e Prefeito Celso Daniel–Santo André, com três partidas em cada sentido e paradas intermediárias nas estações Brás, Tamanduateí e São Caetano do Sul–Prefeito Walter Braido.[8] O trem operante nesse Expresso também roda no trilho central da Linha 10, assim como o Expresso durante os dias da semana.

EstaçõesEditar

Sigla Estação Município Comentários MDU (10/2018)[9]
BAS Brás[1] São Paulo Integração gratuita com a linha   Vermelha do Metrô e as linhas   Coral,   Safira e   Jade da CPTM. 165 611
MOC Juventus–Mooca São Paulo 7 407
IPG Ipiranga São Paulo 10 199
TMD Tamanduateí São Paulo Integração gratuita com a linha   Verde do Metrô. 74 010
SCS São Caetano do Sul–Prefeito Walter Braido São Caetano do Sul Acesso ao Terminal Urbano e Rodoviário de São Caetano do Sul 31 959
UTG Utinga Santo André 10 717
PSA Prefeito Saladino Santo André Acesso ao Terminal Rodoviário de Santo André (TERSA). 8 526
SAN Prefeito Celso Daniel–Santo André Santo André Integração paga com o EMTU e os ônibus municipais de Santo André no terminal leste e oeste. Chamava-se apenas Santo André até 2007. 62 549
CPV Capuava Mauá 7 009
MAU Mauá Mauá Acesso ao Terminal Urbano de Mauá. 49 620
GPT Guapituba Mauá 8 435
RPI Ribeirão Pires–Antônio Bespalec Ribeirão Pires 18 369
RGS Rio Grande da Serra Rio Grande da Serra Integração paga com ônibus para Paranapiacaba via Campo Grande (Viação Ribeirão Pires) e ao EMTU. 9 749

MDU = média de passageiros embarcados por dia útil em cada estação, desde o início do ano. Nas estações com duas ou mais linhas o MDU representa a totalidade de passageiros embarcados na estação, sem levar em conta qual linha será utilizada pelo usuário.

FrotaEditar

Atualmente a Linha 10 parte da Estação Brás,[1] devido a uma alteração do modelo operacional das linhas 7 (Rubi) e 11 (Coral).

As composições da Série 2100 são trens espanhóis de 1974 que chegaram ao Brasil em 1997. A linha também opera com a frota da Série 3000 (foto) que circula no Expresso Linha 10 que opera em horário de pico nas vias centrais, contudo, foram adquiridos 65 novos trens pela CPTM, que gradativamente estão sendo entregues, compostos pelas séries 8500 e 9500 para as linhas 7 e 11. Com a substituição a CPTM faz mudanças das frotas entre as linhas, de maneira que a Linha 10 passou a receber trens da série 7500, fabricados em 2010 e que antes operavam exclusivamente na Linha 9 da CPTM[10]. As oito unidades da série 7500 já começaram a operação comercial pela linha.[11].

O trem da Frota 3000 que circulava pelo Expresso L10 foi substituído por um Frota 7500. O serviço especial Expresso L10+ também é operado por trens das frotas 7500 e 3000.[12] A partir de julho de 2019, com o remanejamento de trens da Série 7000 para a Linha 10, a frota da Série 2100 passou a fazer parte da reserva técnica, sendo que os trens espanhóis passaram a rodar em situações excepcionais e de modo eventual.[13]

GaleriaEditar

Referências

  1. a b c CPTM (27 de dezembro de 2011). «CPTM altera modelo operacional nas Linhas 7 e 10». Consultado em 10 de janeiro de 2012. Arquivado do original em 18 de janeiro de 2014 
  2. «Linhas da CPTM ganham novos nomes». Governo do Estado de São Paulo. 3 de abril de 2008. Consultado em 26 de junho de 2018 
  3. «Passageiros da CPTM relatam sufoco para fazer trajeto Brás-Luz». São Paulo. Consultado em 23 de abril de 2016 
  4. Companhia Paulista de Trans Metropolitanos (19 de abril de 2016). «FAIXAS HORÁRIAS E INTERVALOS PROGRAMADOS ENTRE TRENS» (PDF). CPTM - Sua Viagem. Consultado em 10 de dezembro de 2018 
  5. «CPTM aumenta número de viagens do serviço Expresso Linha 10». Governo de São Paulo. 23 de novembro de 2017. Consultado em 23 de outubro de 2018 
  6. Renato Lobo (30 de novembro de 2016). «Expresso Linha 10: Como a CPTM não pensou nisso antes?». Via Trólebus. Consultado em 27 de julho de 2017 
  7. «Expresso da CPTM liga Tamanduateí a Santo André» (PDF). Imprensa Oficial de São Paulo. 7 de dezembro de 2016 
  8. «CPTM lança trem expresso aos sábados entre Santo André e Luz, na linha 10-Turquesa». CPTM. 4 de abril de 2019. Consultado em 6 de abril de 2019 
  9. «Tabela Novos Negocios Agosto 2018» (PDF). CPTM. Consultado em 8 de agosto de 2018. Cópia arquivada (PDF) em 18 de julho de 2018 
  10. Ricardo Meyer (5 de fevereiro de 2018). «Linha 10-Turquesa recebe primeiro trem "moderno"». Metrô CPTM. Consultado em 7 de fevereiro de 2018 
  11. a b «Entrega e Operação dos Trens» (PDF). CPTM. Arquivado do original (PDF) em 2 de julho de 2018 
  12. a b Renato Lobo (23 de abril de 2019). «Trem da série 3000, da CPTM, volta a operar no Expresso Linha 10+». Via Trolebus. Consultado em 28 de abril de 2019 
  13. «Trens da série 2100 serão utilizados como "reserva técnica" da CPTM». Rede Noticiando. 10 de julho de 2019. Consultado em 13 de julho de 2019 
  14. «Frota de Trens». CPTM. Cópia arquivada em 11 de março de 2018 

Ligações externasEditar