Linha Auxiliar (Estrada de Ferro Central do Brasil)

linha ferroviária no Brasil

Linha Auxiliar é uma linha ferroviária brasileira de bitola métrica, que pertenceu a Estrada de Ferro Central do Brasil. Desde 1996, o trecho está concedido para a empresa Ferrovia Centro-Atlântica (FCA).

Linha Auxiliar (Estrada de Ferro Central do Brasil)
Informações principais
EF EF-040[1]
Área de operação Rio de Janeiro e Minas Gerais
Tempo de operação 1892–Presente
Operadora VLI Multimodal S.A.
Interconexão Ferroviária Linha do Centro (Estrada de Ferro Central do Brasil)
Estrada de Ferro Leopoldina
Ferrovia(s) antecessora(s)
Ferrovia(s) sucessora(s)

Estrada de Ferro Melhoramentos
Especificações da ferrovia
Bitola bitola métrica
1 000 mm (3,28 ft)

ConstruçãoEditar

A chamada Linha Auxiliar começou a ser construída a partir de 1892, como Estrada de Ferro Melhoramentos. A linha partia em bitola métrica, da antiga Estação Inicial (posteriormente Estação Alfredo Maia) no centro do Rio de Janeiro e seguia paralelamente a Linha do Centro (Estrada de Ferro Central do Brasil). Em 1898, foi entregue o trecho entre a Estação Mangueira (onde esta linha e a Linha do Centro, em bitola larga, se separam) e o povoado de Entre Rios (atual Três Rios), já no alto da serra do interior fluminense[2].

A ferrovia passava pela antiga Estação Belém (atual Estação Japeri) da E. F. Central do Brasil, que a partir de 1898 passou a ser também estação da E. F. Melhoramentos, já que as vias se encontravam novamente no sopé da Serra do Mar. O traçado da subida da serra, projetado por Paulo de Frontin, foi construído em livre aderência e com poucos túneis até chegar a Entre Rios[3].

Em 1903, a E. F. Melhoramentos foi incorporada à Estrada de Ferro Central do Brasil e passou a se chamar Linha Auxiliar. Outras ferrovias foram incorporadas a ela, assim como novos ramais foram construídos, dando origem à Rede de Viação Fluminense, que tinha como tronco a Linha Auxiliar, sendo gerido pela Central do Brasil. Na mesma época, o Ramal de Porto Novo, que saía de Entre Rios, teve a sua bitola estreitada para métrica e tornou-se a continuação da Linha Auxiliar até a Estação Porto Novo, onde se entroncava com a Estrada de Ferro Leopoldina em Além Paraíba (MG).

Entre as estações de Paraíba do Sul e Três Rios, onde as vias se encontram pela segunda vez, a linha Auxiliar e a Linha do Centro se confundem devido à diferença de bitolas entre as duas redes, sendo o trecho em bitola mista.

No final dos anos 1950, o antigo Ramal de Porto Novo foi incorporado à Estrada de Ferro Leopoldina e a Linha Auxiliar passou a terminar novamente em Três Rios, onde havia baldeação. Nos anos 1960, toda a linha passou para a E. F. Leopoldina, que em 1975 foi incorporada pela Rede Ferroviária Federal (RFFSA)[4].

OperaçãoEditar

A Linha Auxiliar teve o traçado alterado nos anos 1970, entre Costa Barros e Japeri para trens metropolitanos. Atualmente, a ferrovia entre o seu início no centro do Rio de Janeiro e a Estação Japeri, transformou-se exclusivamente em linha de trens de subúrbios da SuperVia e trens da cargueiros da MRS Logística.

Em 1996, a antiga Linha Auxiliar e toda a malha da Estrada de Ferro Leopoldina foram concedidas para a empresa Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), pela RFFSA. O trecho entre Japeri e Três Rios, encontra-se abandonado e fragmentado desde então.

Referências

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre transporte ferroviário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.