Abrir menu principal

BiografiaEditar

Radicada em São Paulo desde a adolescência, Lisette é bacharel em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, onde também obteve o título de mestre. É PhD em Filosofia pela Universidade de São Paulo. Foi curadora-geral da 27ª Bienal Internacional de Arte de São Paulo (2006) e curou também a exposição de Iberê Camargo (1914-1994) na Bienal do Mercosul de 1999. O mais recente trabalho notório foi a curadoria da exposição Drifts and Derivations: Experiences, Journeys and Morphologies no Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia (Madrid) em 2010.

Iniciou sua carreira como contribuinte e co-editora da revista "Arte em São Paulo", fundada pelo pintor Luiz Paulo Baravelli, e catagolizou a obra do artista Leonilson (1957-1993). Foi redatora e crítica de arte do jornal Folha de S. Paulo nos anos 80.

Foi co-editora da revista cultural eletrônica Trópico, publicada pelo UOL e leciona na Faculdade Santa Marcelina.[1][2][3]

Dirigiu a Escola de Artes Visuais do Parque Lage, no Rio de Janeiro até março de 2017.

Referências

  1. «FORMER WEST: Lisette Lagnado». formerwest.org. 2012. Consultado em 21 de abril de 2012 
  2. «UOL Diversão - 27a Bienal - Lisette Lagnado: Para curadora, Bienal deve formar um espírito do tempo». entretenimento.uol.com.br. 2006. Consultado em 21 de abril de 2012 
  3. «LISETTE LAGNADO - Entrevista | ARTECAPITAL.NET». artecapital.net. 2006. Consultado em 21 de abril de 2012 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.