Abrir menu principal

Lista de asteroides notáveis

artigo de lista da Wikimedia
Ceres é o maior e mais maciço asteroide e é o único que é um planeta anão. Imagem da sonda Dawn.
4 Vesta é o objeto do cinturão de asteroides mais brilhante e o segundo mais massivo. Há cerca de um bilhão de anos sofreu um impacto que penetrou a sua crosta.[1] Imagem da sonda Dawn.
2 Palas em imagem reconstruída a partir de dados do instrumento SPHERE, no Very Large Telescope.
21 Lutetia pela sonda Rosetta.
243 Ida e sua lua Dactyl pela sonda Galileo.

A lista a seguir é uma coleção de listas de asteroides notáveis do Sistema Solar. Para efeitos do presente artigo "asteroide" significa corpo menor que não ultrapassa (para fora) a órbita de Júpiter, esta lista inclui o planeta anão Ceres.

Nota: cada asteroide tem um único número de identificação sequencial depois que sua órbita seja determinada com precisão. Antes disso, os asteroides eram conhecidos apenas pelo nome sistemático ou designação provisória, como por ex. "1950 DA".

Os maiores por diâmetroEditar

Estimar os tamanhos de asteroides a partir das observações é difícil devido às suas formas irregulares, albedos que variam (refletividade), e pequenos diâmetros angulares. Por exemplo, os asteroides tipo C puros são muito mais escuros do que a maioria. Os asteroides com apenas um ou dois eixos medidos podem ter um diâmetro falsamente inflado em sua média geométrica, se de acordo e/ou terceiro eixo desconhecido e é visivelmente menor do que o eixo primário. O asteroide 16 Psique tem um diâmetro no IRAS de 253 km, mas a sua recente e precisa média geométrica é de apenas 186 km.

Nome Diâmetro
médio (km)
Dimensões
(km)
Distância
média do
Sol (UA)
Data de
descoberta
Descobridor Classe
0011 Ceres 952 975×975×909 2,766 01-01-1801 Piazzi, G. G
0022 Palas 544 582×556×500 2,773 28-03-1802 Olbers, H. W. B
0044 Vesta 525 573×557×446 2,362 29-03-1807 Olbers, H. W. V
01010 Hígia 431 530×407×370 3,139 12-04-1849 de Gasparis, A. C
704704 Interamnia 326 350×304 3,062 02-10-1910 Cerulli, V. F
05252 Europa 315 380×330×250 3,095 04-02-1858 Goldschmidt, H. C
511511 Davida 289 357×294×231 3,168 30-05-1903 Dugan, R. S. C
08787 Sylvia 286 385×265×230 3,485 16-05-1866 Pogson, N. R. X
06565 Cybele 273 302×290×232 3,439 08-03-1861 Tempel, E. W. C
01515 Eunomia 268 357×255×212 2,643 29-07-1851 de Gasparis, A. S
0033 Juno 258 320×267×200 2,672 01-09-1804 Harding, K. L. S
03131 Euphrosyne 256 3,149 01-09-1854 Ferguson, J. C
624624 Hektor 241 370×195(×195) 5,235 10-02-1907 Kopff, A. D
08888 Thisbe 232 221×201×168 2,769 15-06-1866 Peters, C. H. F. B
324324 Bamberga 229 2,684 25-02-1892 Palisa, J. C
451451 Patientia 225 3,059 04-12-1899 Charlois, A.
532532 Herculina 222 2,772 20-04-1904 Wolf, M. S
04848 Doris 222 278×142 3,108 19-09-1857 Goldschmidt, H. C
375375 Ursula 216 3,126 18-09-1893 Charlois, A.
107107 Camilla 215 285×205×170 3,476 17-11-1868 Pogson, N. R. C
04545 Eugenia 213 305×220×145 2,720 27-06-1857 Goldschmidt, H. F
0077 Íris 213 240×200×200 2,386 13-08-1847 Hind, J. R. S
02929 Amphitrite 212 233×212×193 2,554 01-03-1854 Marth, A. S
423423 Diotima 209 171×138 3,065 07-12-1896 Charlois, A. C
01919 Fortuna 208 225×205×195 2,442 22-08-1852 Hind, J. R. G
01313 Egéria 206 217×196 2,576 02-11-1850 de Gasparis, A. G
02424 Themis 198 3,136 1853 de Gasparis, A. C
09494 Aurora 197 225×173 3,160 06-09-1867 Watson, J. C. C
702702 Alauda 195 3,195 16-07-1910 Helffrich, J.
121121 Hermione 190 268×186×183 3,457 12-05-1872 Watson, J. C. C
372372 Palma 189 3,149 19-08-1893 Charlois, A.
128128 Nêmesis 188 2,751 25-11-1872 Watson, J. C. C
0066 Hebe 186 205x185x170 2,426 01-07-1847 Hencke, K. L. S
01616 Psique 186 240×185×145 2,924 17-03-1852 de Gasparis, A. M
120120 Lachesis 174 3,301 10-04-1872 Borrelly, A. C
04141 Daphne 174 213x160 3,517 22-05-1856 Goldschmidt, H. C
0099 Métis 174 222x182x130 2,385 25-04-1848 Graham, A. S

O número de corpos cresce rapidamente à medida que o tamanho diminui. Baseado nos dados do IRAS, existem cerca de 140 asteroides do cinturão de asteroides com diâmetro superior a 120 km.[2] Para uma lista mais completa, veja: Lista dos objetos do sistema solar por tamanho.

O cinturão de asteroides interior (definida como a região interior dentro da lacunas de Kirkwood com ressonância orbital 3:1 a 2,50 UA) tem alguns grandes asteroides. Destes na lista acima, apenas orbitam lá 4 Vesta, 19 Fortuna e 7 Íris.

Os mais massivosEditar

Abaixo estão os dezoito asteroides mais massivos.[3] As massas dos asteroides são calculadas a partir das perturbações causadas por Marte e outros asteroides. Diferentes conjuntos de observações astrométricas podem levar a diferentes valores de massa, o maior problema é contabilizar as perturbações adicionadas por causa da soma de todos os asteroides menores.[4]

 
As massas dos doze asteroides mais massivos,[3] em comparação com o resto da massa do cinturão de asteroides.[5]
Nome Massa
(x 1018 kg)
Precisão
1 Ceres 946 0,15% (945–947)
4 Vesta 259,076 0,0004% (259,075–259,077)
2 Palas 201 6,4% (188–214)
10 Hígia 86,7 1,7% (85,2–88,4)
31 Euphrosyne 58,1 34% (38,4–77,8)
704 Interamnia 38,8 4,6% (37,0–40,6)
511 Davida 37,7 5,2% (35,7–39,7)
532 Herculina 33 17% (27–39)
15 Eunomia 31,8 0,9% (31,5–32,1)
3 Juno 28,6 16% (24,0–33,2)
16 Psique 22,7 3,7% (21,9–23,5)
52 Europa 22,7 7% (21,1–24,3)
88 Thisbe 18,3 6% (17,2–19,4)
7 Íris 16,2 5,6% (15,3–17,1)
13 Egéria 16 27% (12–20)
423 Diotima 16 Unknown
29 Amphitrite 15,2 4% (14,8–15,6)
87 Sylvia 14,78 0,4% (14,72–14,84)
48 Doris 12 50% (6–18)

(Todos os dados acima foram extraídos de "Baer e sua equipe" 2011, exceto os de 48 Doris e 532 Herculina, os quais são de Kochetova, 2004)

Ainda restam importantes incertezas. Por exemplo, a incerteza na estimativa de 31 Euphrosyne é suficiente para que o limite inferior ultrapasse tanto o 704 Interamnia como o 511 Davida, que poderiam ultrapassar uns aos outros, também acontece o mesmo com 532 Herculina, que se sobrepõe o 15 Eunomia e 3 Juno. Juno ultrapassa ou é igual que 52 Europa, que por sua vez se sobrepõe o 16 Psique. Ou seja, exceto os quatro primeiros, a ordem de todos os asteroides é incerta. No entanto, nenhum dos asteroides menores, dos quais o mais massivo acredita-se que é 88 Thisbe (com 17-19 x 1018 kg), 7 Íris, 29 Amphitrite e 48 Doris (todos na faixa de ≈ 15 x 1018 kg), podem ultrapassar Europa ou Psique, de modo que os primeiros 12 asteroides no gráfico acima são certamente os doze asteroides mais massivos, a menos que novas observações revelem medições de massa completamente inesperadas.

O maior asteroide com uma massa medida com precisão é 4 Vesta, com 259,076 ± 0,001 x 1018 kg, devido ao fato de que foi visitado pela sonda Dawn. O segundo maior asteroide com uma massa medida com maior precisão, devido ao fato de que tem um satélite natural, é 87 Sylvia, com 14,78 ± 0,06 x 1018 kg.

Para obter uma lista mais completa, veja: Lista dos objetos do sistema solar por tamanho. Outros grandes asteroides como 423 Diotima atualmente só tem uma massa estimada.[6]

Os mais brilhantes visto a partir da TerraEditar

Só Vesta alcança regularmente um brilho suficientemente forte para ser visível a olho nu. Os seguintes asteroides podem chegar a uma magnitude aparente mais brilhante ou igual a 8,3 magnitudes que atinge a lua de Saturno, Titã, a qual foi descoberta 145 anos antes do primeiro asteroide a ser encontrado, devido à sua proximidade com Saturno, foi facilmente observada.

Nenhum dos asteroides da parte externa do cinturão de asteroides pode atingir esse brilho. Ainda que Hígia e Interamnia chegam por vezes a magnitude acima de 10,0. Isto é devido à diferente distribuição dos tipos espectrais nas diferentes seções do cinturão de asteroides, tal que os asteroides de maior albedo estão todos concentrados mais perto de Marte e os asteroides de menor albedo do tipo C e tipo D são muito comuns na parte mais externa do cinturão de asteroides.

Esses asteroides (do tipo C e D) parecem ter excentricidades muito altas e só atingem a sua magnitude máxima em raras ocasiões, quando seus periélios estão muito perto de uma conjunção heliocêntrica com a Terra, ou (no caso de 99942 Apophis), quando o asteroide passa perto da Terra.

Asteroide Magnitude
quando é mais
brilhante
Distância média
em relação ao Sol
(en UA)
Excentricidade
orbital
Diâmetro
(km)
Ano do
descobrimento
99942 Apophis 3,4* 0,922 0,191 0,32 2004
4 Vesta 5,20 2,361 0,089172 529 1807
2 Palas 6,49 2,773 0,230725 544 1802
1 Ceres 6,65 2,766 0,079905 952 1801
7 Íris 6,73 2,385 0,231422 200 1847
433 Eros 6,8 1,458 0,222725 34 × 11 × 11 1898
6 Hebe 7,5 2,425 0,201726 186 1847
3 Juno 7,5 2,668 0,258194 233 1804
18 Melpomene 7,5 2,296 0,218708 141 1852
15 Eunomia 7,9 2,643 0,187181 268 1851
8 Flora 7,9 2,202 0,156207 128 1847
324 Bamberga 8,0 2,682 0,338252 229 1892
1036 Ganymed 8,1 2,6657 0,533710 32 1924
9 Métis 8,1 2,387 0,121441 190 1848
192 Nausikaa 8,2 2,404 0,246216 103 1879
20 Massalia 8,3 2,409 0,142880 145 1852

* Apophis só atingirá o seu máximo brilho em 13 de abril de 2029.[7][8] Sua magnitude aparente típica costuma andar em torno de 20-22.

Retrógrados e muito inclinadosEditar

Estão listados corpos menores com inclinações orbitais superiores a 9° e menores que 180° com uma órbita com direção retrógrada. Em outubro de 2014, dos mais 660 000 corpos menores conhecidos, existiam apenas 58 conhecidos com órbitas retrógradas.[9] Em comparação, existem mais de 1920 cometas com órbitas retrógradas. Isso faz dos corpos menores retrógrados o grupo mais raro de todos. Os asteroides de alta inclinação são asteroides que cruzam a órbita de Marte (possivelmente em vias de ser expulsos do Sistema Solar) ou damocloides. Alguns deles estão temporariamente capturados em uma ressonância retrógrada com os gigantes gasosos.[10]

Retrógrados
Nome Inclinação Data do descobrimento Parâmetro de incerteza obs número
x obs arc[1]
Comentário
2005 SB223 91.419° 30 de setembro de 2005 3 12200 Tem uma órbita bem determinada com um arco de dados de 244 dias (com parâmetro de incerteza = 1).
2014 MH55 91.492° 29 de junho de 2014 9 96
2010 EQ169 91.606° 8 de março de 2010 9 32
2014 PP69 93.627° 5 de agosto de 2014 5 4816
2014 JJ57 95.958° 9 de maio de 2014 3 61802
2014 HS150 96.456° 16 abril de 2014 8 200
2013 BL76 98.607° 20 de janeiro de 2013 1 46716 Tem um semieixo maior de 1,254 UA, dando-lhe o terceiro maior semieixo maior que qualquer corpo menor conhecido.
2010 GW147 99.623° 14 de abril de 2010 3 93632
2011 MM4 100.446° 24 de junho de 2011 4 36036
2013 BN27 101.780° 17 de janeiro de 2013 7 1425
2008 KV42 103.483° 31 de maio de 2008 5 10449
(342842) 2008 YB3 105.031° 18 de dezembro de 2008 1 864896
2010 GW64 105.273° 6 de abril de 2010 4 9576
2012 YO6 106.914° 22 de dezembro de 2012 4 6674
2009 DD47 107.431° 27 de fevereiro de 2009 7 1584
2007 VW266 108.345° 12 de novembro de 2007 7 2280
2011 SP25 108.987° 20 de setembro de 2011 5 3712
2011 OR17 110.345° 21 de maio de 2010 1 75548
2005 TJ50 110.368° 3 de outubro de 2005 7 1488
2005 VX3 112.459° 1 de novembro de 2005 4 4050 Tem um semieixo maior de 837 UA, mas tem um arco de observação de 81 dias muito pouco para uma órbita tão grande.
2010 OM1 118.689° 28 de julho de 2010 5 3232
(65407) 2002 RP120 119.106° 4 setembro de 2002 2 660275 Este objeto é um damocloide e SDO.
2010 PO58 121.229° 5 de agosto de 2010 9 168
2010 LG61 123.732° 2 de junho de 2010 9 770
2013 LU28 125.414° 8 de junho de 2013 5 21560
2014 SQ339 128.499° 9 de setembro de 2014 7 1276
2000 DG8 129.478° 25 de fevereiro de 2000 3 44460 E um damocloide e SDO. Atravessa todos os planetas exteriores, exceto Netuno. Veio dentro de 0,03 UA de Ceres em 1930.[11]
2013 NS11 130.340° 5 de julho de 2013 2 71929
2005 NP82 130.549° 6 de julho de 2005 6 8769
2007 VA85 131.879° 4 de novembro de 2007 5 18480 É uma objeto próximo da Terra que faz abordagens de Júpiter e da Terra.[12]
2006 RG1 133.195° 1 de setembro de 2006 6 750 Tem uma órbita com um arco de dados de 25 dias (com parâmetro de incerteza = 4)
2012 YE8 136.136° 21 de dezembro de 2012 7 1189
2009 QY6 137.654° 17 de agosto de 2009 4 43560
(336756) 2010 NV1 140.818° 2 de julho de 2010 1 266805 Periélio de 9,4 UA, apenas 2008 KV42 tem periélio mais longe (arco de dados de 154 dias)
2011 WS41 141.645° 24 de novembro de 2011 8 108
2010 OR1 143.861° 25 de janeiro de 2010 4 35416
2010 BK118 143.910° 30 de janeiro de 2010 1 385148 Tem um semieixo maior de 408 UA com periélio de 6,1 UA em abril de 2012 (arco de dados de 1 ano)
2010 CG55 146.246° 15 de fevereiro de 2010 2 124816
2012 HD2 146.897° 18 de abril de 2012 2 32314
2009 YS6 147.797° 17 de dezembro de 2009 1 199547
2006 EX52 150.240° 5 de março de 2006 2 62930 Tem um periélio de 2,58 UA e período orbital de 274 anos
1999 LE31 151.807° 12 de junho de 1999 3 51943 É um damocloide, corpo menor cruzador de Júpiter e Saturno.[13]
(343158) 2009 HC82 154.496° 29 de abril de 2009 0 385700 Objeto próximo da Terra que tem a maior velocidade relativa à Terra (282 900 km/h) dos objetos que vêm dentro de 0,5 UA da Terra.
2013 LD16 154.748° 6 de junho de 2013 3 14148
2010 EB46 156.531° 12 de março de 2010 7 2610
2000 HE46 158.448° 29 de abril de 2000 4 26400
2012 TL139 160.036° 8 de outubro de 2012 6 900
20461 Dioretsa 160.404° 8 de junho de 1999 2 256779
2006 RJ2 164.582° 14 de setembro de 2006 7 2812
2006 BZ8 165.315° 23 de janeiro de 2006 2 214312  
2004 NN8 165.466° 13 de julho de 2004 2 23944 Veio dentro de 0,80 UA de Saturno no dia 5 de junho de 2007.
2014 AT8 165.554° 3 de janeiro de 2014 3 42517
(330759) 2008 SO218 170.318° 30 de setembro de 2008 1 733950
2014 UV114 170.510° 26 de outubro de 2014 9 34
2014 CW14 170.747° 10 de fevereiro de 2014 7 1938
2006 LM1 172.138° 3 de junho de 2006 9 48 Tem um arco de dados de apenas 2 dias (com um parâmetro de incerteza = E), mas tem uma elevada inclinação
2005 VD 172.866° 1 de novembro de 2005 2 130989
2013 LA2 175.189° 1 de junho de 2013 8 1075 Tem a maior inclinação que qualquer outro corpo menor conhecido
Alta inclinação
Nome Inclinação Data do descobrimento Comentário
1373 Cincinnati 38.949° 8 de agosto de 1935 Primeiro asteroide da cintura principal descoberto para ter uma inclinação superior a 2 Palas.
(88043) 2000 UE110 51.998° 29 de outubro de 2000 Primeiro asteroide do cinturão principal descoberto e numerado a ter uma inclinação superior a 50°.
(5496) 1973 NA 67.999° 4 de julho de 1973 É um asteroide cruzador de Marte e objeto próximo da Terra.
(138925) 2001 AU43 72.132° 4 de janeiro de 2001 É um asteroide cruzador de Marte e objeto próximo da Terra.
(127546) 2002 XU93 77.904° 4 de dezembro de 2002 É um damocloide e um objeto do disco disperso. Atinge a parte externa da órbita de Urano.
(196256) 2003 EH1 70.790° 6 de março de 2003 É um asteroide cruzador de Marte, objeto próximo da Terra. Atinge a parte interior da órbita de Júpiter.
2004 LG 70.725° 9 de junho de 2004 Sua órbita cruza Marte e Mercúrio, e é um objeto próximo da Terra.
2010 OA101 84.426° 17 de julho de 2010 É um asteroide do cinturão principal com um semieixo maior de 4,5 UA (arco de dados de 54 dias)

o valor determinado quando o número de observações é multiplicado pelo arco de observação, valores maiores são geralmente melhores do que valores menores, dependendo de resíduos.

Asteroides de referênciaEditar

Nome Diâmetro (km) Descoberta Comentário
5 Astreia 117 8 de dezembro de 1845 O primeiro asteroide a ser descoberto após a descoberta dos quatro primeiros asteroídes.
87 Sylvia 261 16 de maio de 1866 O primeiro asteroide que se teve certeza de que tinha mais de uma lua (confirmado em 2005).
90 Antíope 80×80 1 de outubro de 1866 Asteroide duplo onde o seus componentes são quase do mesmo tamanho; a sua natureza dual foi descoberta usando a óptica adaptativa em 2000.
92 Undina 126 7 de julho de 1867 Criado por causa de uma das maiores colisões entre asteroides ocorrida nos últimos 100 milhões de anos.
216 Cleópatra 217×94 10 de abril de 1880 Asteroide metálico em forma de osso e que possui 2 satélites.
243 Ida 56×24×21 29 de setembro de 1884 O primeiro asteroide que foi confirmado que tinha uma lua (confirmado em 1993).
243 Ida I Dactyl 1.4 17 de fevereiro de 1994 A lua de 243 Ida, a primeira lua de um asteroide a ser confirmada.
279 Thule 127 25 de outubro de 1888 Orbita na parte mais externa do cinturão de asteroides em uma ressonância orbital de 3:4 com Júpiter.
288 Glauke 32 20 de fevereiro de 1890 Um período de rotação orbital excepcionalmente lento de cerca de 1200 horas (2 meses).
323 Brucia 36 22 de dezembro de 1891 O primeiro asteroide descoberto por meio da astrofotografia, em vez de observação visual.
433 Eros 13×13×33 13 de agosto de 1898 O primeiro asteroide próximo da Terra a ser descoberto e o segundo asteroide desse tipo em tamanho; também foi o primeiro asteroide descoberto graças ao radar.
490 Veritas 115 3 de setembro de 1902 Criado em uma das maiores colisões entre asteroides ocorrida nos últimos 100 milhões de anos.
588 Achilles 135.5 22 de fevereiro de 1906 Primeiro asteroide troiano de Júpiter descoberto.
624 Hektor 370×195 10 de fevereiro de 1907 O maior asteroide troiano de Júpiter descoberto até o presente.
719 Albert 2.4 3 de outubro de 1911 O último asteroide numerado a ser perdido e ser recuperado.
1125 China   30 de outubro de 1957 O primeiro asteroide a ser descoberto por uma instituição.
1566 Ícaro 1.4 27 de junho de 1949 Asteroide do tipo Apollo; seu periélio está mais perto do Sol do que o de Mercúrio.
1902 Shaposhnikov 97 18 de abril de 1972 descoberta mais recente de um asteroide do cinturão de asteroides que tenham mais de ~ 100 km de diâmetro.
2063 Bacchus 1.1×1.1×2.6 24 de abril de 1977  
3200 Faetonte 5 11 de outubro de 1983 O primeiro asteroide descoberto a partir do espaço; fonte da chuva de meteoros das Gemínidas.
3753 Cruithne 5 10 de outubro de 1986 Incomum associação orbital com a Terra.
4179 Toutatis 4.5×2.4×1.9 4 de janeiro de 1989 Sua passagem mais próximo da Terra ocorreu em 29 de setembro de 2004.
4769 Castalia 1.8×0.8 9 de agosto de 1989 Primeiro asteroide a ser captado por radar com suficiente detalhe para obter um modelo 3D do mesmo.[14]
5261 Eureka ~2–4 20 de junho de 1990 Primeiro asteroide troiano de Marte (ponto de Lagrange L5) descoberto.
11885 Summanus   25 de setembro de 1990 Primeira descoberta automática de um objeto próximo da Terra (NEO).
(29075) 1950 DA 1.1 23 de fevereiro de 1950 Sua aproximação da Terra que ocorrerá no ano de 2880 e será muito fechado, com possibilidade até mesmo de colisão.
99942 Apophis 0.3 June 19, 2004 Primeiro asteroide a receber uma classificação maior do que um na Escala de Turim (foi classificada com nível 2, depois 4, e atualmente com 0). Antigamente era mais conhecido pela sua designação provisória de 2004 MN4.
1997 XR2 0.23 4 de dezembro de 1997 Primeiro asteroide a receber uma classificação superior a zero na Escala de Turim (foi classificado em 1, agora em 0).
1998 KY26 0.030 2 de junho de 1998 Aproxima-se a menos de 800 000 km da Terra.
2002 AA29 0.1 9 de janeiro de 2002 Incomum associação orbital com a Terra.
2004 FH 0.030 15 de março de 2004 Descoberto, antes de sua aproximação a menos de 43 000 km da Terra, em 18 de março de 2004.
2014 RC ~0.017 1 de setembro de 2014 Asteroide com a rotação mais rápida: 16,2 segundo
2008 TC3 ~0.003 6 de outubro de 2008 Primeiro impactador com a Terra a ser descoberto antes do impacto (7 de outubro de 2008).
2010 TK7 ~0.3 Outubro de 2010 Primeiro asteroide troiano da Terra a ser descoberto.

Asteroides visitados por sondas espaciais ou que são alvos de futuras missõesEditar

Asteroides visitadosEditar

A tabela a seguir lista os asteroides que foram visitados por sondas espaciais.

Nome Dimensões
(km)
Sonda espacial Ano(s) Maior
aproximação
(km)
Notas
1 Ceres 964×964×892 Dawn 2015–2018 35 Orbitador
4 Vesta 573×557×446 Dawn 2011–2012 210 Orbitador
21 Lutetia 120×100×80 Rosetta 2010 3 162 Sobrevoo
243 Ida 56×24×21 Galileo 1993 2 390 Sobrevoo; descobrimento de sua lua Dactyl
253 Mathilde 66×48×46 NEAR Shoemaker 1997 1 212 Sobrevoo
433 Eros 13×13×33 NEAR Shoemaker 1998 3 827 Sobrevoo
2000 35 Orbitador; primeira sonda a orbitar um asteroide
2001 0 Aterrissagem; primeiro pouso em um asteroide
951 Gaspra 18,2×10,5×8,9 Galileo 1991 1 600 Sobrevoo; primeiro asteroide visitado por uma sonda espacial
2685 Masursky 15-20 Cassini 2000 1 600 000 Sobrevoo distante
2867 Šteins 6,8×5,7×4,4 Rosetta 2008 800 Sobrevoo
4179 Toutatis 4,8×2,4×2,0 Chang'e 2 2012 3,2 Sobrevoo[15]
5535 Annefrank 6,6×5,0×3,4 Stardust 2002 3 079 Sobrevoo
9969 Braille 2,2×0,6 Deep Space 1 1999 26 Sobrevoo
25143 Itokawa 0,5×0,3×0,2 Hayabusa 2005 0 Aterrissagem; retornou à Terra com amostras
101955 Bennu ~0,5 OSIRIS-REx 2018–presente 0,64 Pouso e coleta de amostras (planejado)
162173 Ryugu ~1 Hayabusa 2 2018–presente 0 Pouso de vários rovers; coleta de amostras para retorno à Terra

Asteroides que foram numerados e que são também cometasEditar

Nome Nome do cometa Comentário
4015 Wilson-Harrington 107P/Wilson–Harrington Em 1992, chegou-se à conclusão de que a órbita do asteroide 1979 VA coincidia com as posições do cometa perdido Wilson-Harrington (1949 III).
7968 Elst-Pizarro 133P/Elst–Pizarro Descoberto em 1996 como um cometa, mas sua órbita coincide com o asteroide 1979 OW7.
118401 LINEAR 176P/LINEAR (LINEAR 52) Cometa-asteroide do cinturão de asteroides que foi descoberto sua coma em 26 de novembro de 2005.

Nota: há muito poucos outros casos em que um asteroide não numerado, com apenas uma designação sistemática (como 2001 OG108), se transformou em um cometa (neste caso C/2001 OG108 (LONEOS)). A tabela acima lista só asteroides numerados que também são cometas.

Corpos menores que foram erroneamente designados e renomeadosEditar

Em tempos antigos, antes que as modernas regras de numeração e nomenclatura estivessem em vigor, os asteroides receberam às vezes números e nomes antes que suas órbitas fossem conhecidas com precisão. E em alguns casos, o mesmo objeto recebeu dois nomes (com o uso moderno de computadores para calcular e comparar as órbitas com as velhas posições registradas, este tipo de erro não ocorre mais). Isso levou a alguns casos em que os asteroides tiveram que ser renomeados.[16]

330 Adalberta Um objeto descoberto em 18 de março de 1892 por Max Wolf com a designação provisória "1892 X" foi nomeado como 330 Adalberta, mas foi perdido e nunca mais recuperado. Em 1982, determinou-se que as observações que levaram à designação de 1892 X eram estrelas, e que o objeto nunca existiu. O nome e o número 330 Adalberta foi, então, reutilizado em outro asteroide descoberto por Max Wolf em 2 de fevereiro de 1910, o qual tinha a designação provisória de A910 CB.
525 Adelaide O objeto A904 EB foi descoberto em 14 de março de 1904 por Max Wolf, que lhe deu o nome de 525 Adelaide, posteriormente o objeto foi perdido. Mais tarde, o objeto 1930 TA descoberto em 3 de outubro de 1930 por Sylvain Arend foi nomeado como 1171 Rusthawelia. Naqueles dias de pré-computador, não se comprovou até 1958 que os dois objetos eram o mesmo objeto. O nome Rusthawelia foi mantido (e a descoberta atribuído a Arend); o nome de 525 Adelaide foi reutilizado para o objeto 1908 EKa descoberto em 21 de outubro de 1908 por Joel Hastings Metcalf.
715 Transvaalia e 933 Susi O objeto 1911 LX descoberto em 22 de abril de 1911 por H.E. Wood foi nomeado como 715 Transvaalia. Em 23 de abril de 1920, o objeto 1920 GZ foi descoberto e nomeado como 933 Susi. Em 1928, compreendeu-se que os dois objetos eram um só objeto. O nome Transvaalia foi mantido e o nome e número 933 Susi foi reutilizado para o objeto 1927 CH descoberto em 10 de fevereiro de 1927 por Karl Reinmuth.
864 Aase e 1078 Mentha O objeto A917 CB descoberto em 13 de fevereiro de 1917 por Max Wolf foi nomeado como 864 Aase, e o objeto 1926 XB descoberto em 7 de dezembro de 1926 por Karl Reinmuth foi nomeado como 1078 Mentha. Em 1958, descobriu-se que eram o mesmo objeto. Em 1974, este contratempo foi resolvido, mantendo-se o nome de 1078 Mentha e reutilizando o nome e o número 864 Aase para o objeto 1921 KE, descoberto em 30 de setembro de 1921 por Karl Reinmuth.
1095 Tulipa e 1449 Virtanen O objeto 1928 DC descoberto em 24 de fevereiro de 1928 por Karl Reinmuth foi nomeado como 1095 Tulipa, e o objeto 1938 DO descoberto em 20 de fevereiro de 1938 por Yrjö Väisälä foi nomeado como 1449 Virtanen. Em 1966, descobriu-se que eram o mesmo objeto. O nome 1449 Virtanen foi mantido e o nome e o número 1095 Tulipa foi reutilizado para o objeto 1926 GS descoberto em 14 de abril de 1926 por Karl Reinmuth.
1125 China e 3789 Zhongguo O objeto 1928 UF descoberto em 25 de outubro de 1928 por Zhang Yuzhe (YC Change) foi chamado de 1125 China, e posteriormente foi perdido. Mais tarde, o objeto 1957 ONU1 que foi descoberto em 30 de outubro de 1957 no Observatório da Montanha Púrpura e inicialmente acreditou-se incorretamente que era a redescoberta do objeto 1928 UF. O nome e o número 1125 China foram, então, reutilizados para o objeto 1957 UN1, mas o 1928 UF permaneceu perdido. Em 1986, o objeto 1986 QK1 foi descoberto e provado que era a verdadeira redescoberta de 1928 UF. Este objeto recebeu um novo número e nome, 3789 Zhongguo. Nota: Zhongguo é a palavra em mandarim chinês para "China", em transliteração pinyin.
Asteroide 1317 O objeto 1914 UQ descoberto em 20 de abril de 1914 por G.N. Neujmin foi batizado como 787 Moskva (e conserva esse nome até hoje). O objeto 1934 FD descoberto em 19 de março de 1934 por C. Jackson recebeu o número de sequência de 1317. Em 1938, G.N. Neujmin descobriu que o Asteroide 1317 e 787 Moskva eram o mesmo objeto. O número de sequência 1317 foi posteriormente reutilizado para o objeto 1935 RC descoberto em 1 de setembro de 1935 por Karl Reinmuth; esse objeto é agora conhecido como 1317 Silvretta.

Objetos que giram com lentidão excepcionalEditar

Os períodos de rotação foram determinados apenas para uma pequena quantidade de asteroides (a partir de curva de luz ou através de estudos de radar). A maioria dos asteroides têm períodos de menos de 24 horas de rotação. Há 14 objetos suspeitos de ter um período de rotação maior que 30 dias (720 horas). Os asteroides com mais de 150 metros, costumam ter períodos de rotação de mais de 2 horas.

Nome Período de
rotação
(horas)
846 Lipperta 1,641
912 Maritima 1,332
1235 Schorria 1,265
288 Glauke 1,200
1220 Crocus 737
253 Mathilde 417.7
(369984) 1998 QR52 234
3691 Bede 226.8
9969 Braille 226.4
(38071) 1999 GU3 216
(65407) 2002 RP120 200

Veja também: Minor Planet Lightcurve Parameters (em inglês

Objetos que giram muito rápidoEditar

Os asteroides com menos de 150 metros, normalmente têm períodos de rotação de menos de 2 horas.

Nome Período de
rotação
(segundos)
Diâmetro
(m)
2014 RC 15.8 22
2010 JL88 24.5 15
2010 WA 31 3
2008 HJ 42.7 24
2000 DO8 78 30
2003 DW10 ~100 20
2003 EM1 111.6 33

Veja tambémEditar

Referências

  1. «Asteroid or Mini-Planet? Hubble Maps the Ancient Surface of Vesta» (em inglês). Consultado em 6 de dezembro de 2014 
  2. «JPL Small-Body Database Search Engine: asteroids and orbital class (IMB or MBA or OMB) and diameter > 120 (km)» (em inglês). Consultado em 6 de dezembro de 2014 
  3. a b «Recent Asteroid Mass Determinations» (em inglês). Consultado em 6 de dezembro de 2014. Arquivado do original em 8 de julho de 2013 
  4. «Astrometric masses of 21 asteroids, and an integrated asteroid ephemeris» (PDF) (em inglês). Consultado em 6 de dezembro de 2014 
  5. 2004cosp.meet.2014P «Estimations of masses of the largest asteroids and the main asteroid belt from ranging to planets, Mars orbiters and landers, E. V. Pitjeva» Verifique valor |url= (ajuda) (em inglês). Consultado em 6 de dezembro de 2014 
  6. «Astronomy & Astrophysics» (em inglês). Consultado em 6 de dezembro de 2014 
  7. «(99942) Apophis Ephemerides for 13 Apr 2029» (em inglês). Consultado em 6 de dezembro de 2014 
  8. «(99942) Apophis Ephemerides for 13 Apr 2029» (em inglês). Consultado em 6 de dezembro de 2014 
  9. «JPL Small-Body Database Search Engine: Asteroids and i > 90 (deg)» (em inglês). JPL Solar System Dynamics. Consultado em 6 de dezembro de 2014 
  10. «Asteroids in retrograde resonance with Jupiter and Saturn» (em inglês). Consultado em 6 de dezembro de 2014 
  11. «2008 DG8 and Ceres in 1930» (em inglês). Consultado em 6 de dezembro de 2014 
  12. «2007 VA85 and Jupiter/Earth» (em inglês). Consultado em 6 de dezembro de 2014 
  13. «1999 LE31 approaches to Jupiter and Saturn» (em inglês). Consultado em 6 de dezembro de 2014 
  14. «1994 Release #9412» (em inglês). NASA. Consultado em 6 de dezembro de 2014 
  15. «Chang'E 2 images of Toutatis» (em inglês). The Planetary Society. Consultado em 6 de dezembro de 2014 
  16. (em inglês) https://web.archive.org/web/20040703204537/http://pdssbn.astro.umd.edu/SBNast/archive/DISCOVER/discnote.tab#. Consultado em 6 de dezembro de 2014. Arquivado do original em 3 de julho de 2004  Em falta ou vazio |título= (ajuda)

Ligações externasEditar