Abrir menu principal

Lista de bens tombados pelo IPHAN

artigo de lista da Wikimedia

Lista de bens tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

O instrumento legal para a proteção do patrimônio material no Brasil é o Decreto Lei nº. 25[1], de 30 de novembro de 1937, que estabelece quatro livros para registro de bens protegidos: o Livro do Tombo das Belas Artes, o Livro do Tombo Histórico, o Livro do Tombo das Artes Aplicadas e o Livro do Tombo Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico.[2][3]

Além do Decreto-Lei nº25 há a Lei nº 11.483/07 [4] e da Portaria IPHAN nº 407/2010, específica para a proteção do patrimônio ferroviário brasileiro.

Na lista a seguir, exemplos dos bens tombados, agrupados por unidade federativa e, em seguida, por município, todos arrolados em ordem alfabética.

Lista de bens tombados pelo IPHANEditar

AcreEditar

Xapuri
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Casa de Chico Mendes e seu acervo 2011 Edificação e acervo Casa histórica onde residiu o ambientalista Chico Mendes em seus últimos anos de vida, também local de seu assassinato. Abriga, desde o fim da década de 1990, uma sala de memória em homenagem ao antigo proprietário.[5]

AlagoasEditar

Marechal Deodoro
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Conjunto arquitetônico e urbanístico da cidade de Marechal Deodoro 2009 Conjunto urbano Conjunto urbano de importância histórica, arquitetônica e paisagística. A área definida para proteção envolve três locais descontinuados: o Centro Histórico, a área do Carmo e a área de Taperagua.[6]
  Convento e Igreja de São Francisco 1964 Edificação e acervo A construção do convento foi iniciada em 1684 e concluída em 1723. Anexa ao convento, a Igreja de Ordem Terceira de São Francisco começou a ser erguida na segunda metade do século XVIII. Abrigou no passado o Orfanato São José, posteriormente transferido para uma edificação contígua, e sedia, desde 1984, o Museu de Arte Sacra do Estado de Alagoas. O tombamento incide sobre todo o seu acervo.[7]
  Remanescentes da casa natal do Marechal Deodoro da Fonseca 1964 Edificação Casa térrea urbana onde nasceu o proclamador da República brasileira, Marechal Deodoro da Fonseca. Em ruínas na época do tombamento, foi posteriormente reconstruída e abriga hoje o Museu Marechal Deodoro da Fonseca.[8]
Palmeira dos Índios
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Casa de Graciliano Ramos 1965 Edificação Casa térrea urbana, erguida no primeiro quartel do século XX, onde residiu o escritor Graciliano Ramos. Abriga um museu e uma biblioteca com o acervo do antigo proprietário.[9]
Penedo
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Conjunto histórico e paisagístico da cidade de Penedo 1996 Conjunto urbano O tombamento incide sobre um conjunto de logradouros e edificações em uma área da margem esquerda do Rio São Francisco, sobretudo no Centro Histórico da cidade.[10]
  Convento e Igreja de Santa Maria dos Anjos e cruzeiro de pedra 1941 Edificação e acervo O convento primitivo foi erguido em 1661, a pedido dos moradores. O atual conjunto começou a ser erguido em 1682. A igreja e a capela-mor ficaram prontas em 1689. Passou por diversas reformas no século XVIII. O tombamento engloba todo o seu acervo.[11]
  Igreja de Nossa Senhora da Corrente 1964 Edificação e acervo A construção da igreja foi iniciada em 1765, a partir da Capela Mor preexistente, por ordem do capitão-mor José da Silva Reis. O tombamento incide sobre todo o seu acervo.[12]
  Igreja de São Gonçalo Garcia 1964 Edificação e acervo Erguida para substituir a capela primitiva dos ermitões. A construção foi iniciada em 1758, quando a irmandade foi organizada. O tombamento incide sobre todo o seu acervo.[13]
Piranhas
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Sítio histórico e paisagístico da cidade de Piranhas 2006 Conjunto urbano Única cidade do semiárido nordestino tombada como patrimônio histórico nacional, Piranhas se destaca pelo seu casario colonial, disposto irregularmente em morros e baixadas. O tombamento engloba diversas edificações e logradouros públicos.[14]
Porto Calvo
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Remanescentes da antiga Vila Colonial de Porto Calvo, particularmente a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Apresentação 1955 Edificação e acervo Fundado por Cristóvão Lins no século XVI, o povoado de Porto Calvo foi elevado à categoria de vila em 1636, com a chegada do donatário Duarte Coelho. A matriz do povoado foi erguida em 1610 e sofreu diversas descaracterizações com o passar do tempo.[15]
União dos Palmares
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Serra da Barriga 1986 Patrimônio natural O tombamento incide sobre a parte mais acantilada da serra que abrigou, no século XVII, o Quilombo dos Palmares e seu principal líder, Zumbi.[16]

AmapáEditar

Macapá
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Fortaleza de São José do Macapá 1950 Edificação A construção da fortaleza foi iniciada em 1764, no mesmo local onde se havia erguido a fortificação primitiva de 1738, e concluída em 1782. Abriga atualmente o Museu Fortaleza de São José de Macapá.[17]
Serra do Navio
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Vila Serra do Navio 2012 Conjunto urbano A Vila Serra do Navio foi projetada por Oswaldo Bratke em 1955, com o objetivo de abrigar os trabalhadores da Sociedade Brasileira de Indústria e Comércio de Minérios de Ferro e Manganês (ICOMI). O tombamento incide sobre diversas edificações e logradouros.[18]

AmazonasEditar

Manaus
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Conjunto arquitetônico do Porto de Manaus 1987 Conjunto arquitetônico O conjunto arquitetônico do Porto de Manaus começou a ser erguido no começo do século XX, com a finalidade de escoar a produção de borracha. O tombamento incide sobre diversas edificações, três delas anteriores à construção do conjunto: o edifício do Tesouro Público (1887-1890), o trapiche Princesa Isabel (1888) e a bomba de incêndio (1869-1881).[19]
  Mercado Municipal Adolpho Lisboa 1987 Conjunto arquitetônico O Mercado Municipal teve sua construção iniciada em 1880, pela firma Bakus & Brisbin de Belém, com pavilhões construídos em estrutura de ferro, e foi inaugurado em 1883. Posteriormente, ganhou os pavilhões anexos. O tombamento engloba os pavilhões, jardins, o embarcadouro e o trecho correspondente da margem do Rio Negro.[20]
  Reservatório do Mocó 1985 Infraestrutura ou equipamento urbano Erguido no fim do século XIX, é um marco do sistema de abastecimento de água e do processo de expansão urbana da capital amazonense. Encontra-se em funcionamento até hoje, abastecendo parte da cidade de Manaus.[21]
  Teatro Amazonas 1966 Edificação Símbolo da prosperidade amazonense durante o ciclo da borracha, o Teatro Amazonas teve sua construção iniciada em 1884. A inauguração ocorreu em 1896.[22]

BahiaEditar

-
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Saveiro Sombra da Lua 2012 Bem móvel ou integrado Uma das mais antigas embarcações a vela de içar da Bahia e um dos poucos remanescentes desse meio de transporte no Recôncavo baiano.[23]
Andaraí
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Conjunto arquitetônico, urbanístico e paisagístico da Vila de Igatu e ruínas das habitações de pedra 2000 Ruína O tombamento incide sobre diversas edificações e logradouros, incluindo o casario histórico de pedra do século XIX, resquício do Ciclo do Diamante na região da Chapada Diamantina.[24]
Cachoeira
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Capela da Ajuda 1939 Edificação e acervo Também chamada de Igreja de Nossa Senhora da Ajuda. Erguida em 1673, em pedra e cal, por João Rodrigues Adorno, no mesmo local onde seu avô havia erguido uma ermida no fim do século XVI. Foi a matriz da cidade até a construção da Igreja de Nossa Senhora do Rosário. O tombamento inclui todo o seu acervo.[25]
Capela de Nossa Senhora da Pena e ruínas do Engenho Velho do Paraguaçu 1943 Edificação e acervo A capela foi erguida em 1660, numa elevação verdejante às margens do Rio Paraguaçu, nas terras de um dos primeiros engenhos da região. A casa-grande ao seu lado já se encontrava em ruínas no século XIX. O tombamento engloba todo o acervo.[26]
  Capela do Hospital São João de Deus 1943 Edificação e acervo O tombamento incide sobre todo o acervo.[27]
  Casa de Oração da Ordem Terceira do Carmo 1938 Edificação e acervo Parte integrante do conjunto arquitetônico do Carmo, a Casa de Oração serve de elemento de ligação entre a Igreja da Ordem Terceira e a Igreja do Carmo. É sede do Museu de Arte Sacra do Recôncavo Baiano.[28]
Casa na Praça Dr. Aristides Milton, nº. 23-A 1941 Edificação Casa do início do século XIX, tombada por seu valor histórico. Serviu de residência e local de reunião dos revolucionários da independência, em 1822.[29]
Casa na Rua Ana Nery, nº. 4 1943 Edificação Casa de porta e janela, provavelmente de meados do século XVIII.[30]
  Casa na Rua Benjamin Constant, nº. 1 1943 Edificação Sobrado oitocentista de três pavimentos, sendo o primeiro andar originalmente destinado ao comércio e, os demais, à habitação. Atualmente, abriga a Loja Maçônica Caridade e Segredo no pavimento superior e um escritório de contabilidade no andar térreo.[31]
Casa na Rua Benjamin Constant, nº. 2 1943 Edificação O Centro Espírita "Casa dos Velhos de Cachoeira", antigo asilo da cidade, funciona em um edifício datado do início do século XIX.[32]
Casa na Rua Benjamin Constant, nº. 17 1943 Edificação O casarão, construído em etapas distintas, com trechos em pedra e cal e outros em pau-a-pique, parece datar do período de transição, entre os séculos XVIII e XIX. Atualmente, abriga o Arquivo Público Municipal de Cachoeira.[33]
  Casa natal de Ana Nery 1941 Edificação Residência natal de Ana Nery, pioneira da enfermagem no Brasil e heroína da Guerra do Paraguai. Atualmente, serve de sede à Secretaria Municipal de Educação, Turismo e Desporto.[34]
Casa natal de Teixeira de Freitas 1941 Edificação O prédio foi construído em 1795 e destaca-se por ter sido local do nascimento do juriconsultor Augusto Teixeira de Freitas. O edifício foi parcialmente reconstruído em 1962, para a instalação do Fórum. Atualmente abriga um posto da Polícia Militar, o conselho tutelar e o almoxarifado da Prefeitura Municipal de Cachoeira[35]
  Chafariz da Praça Dr. Aristides Milton 1939 Infraestrutura ou equipamento urbano Construído em 1781 e remodelado em 1827, o chafariz disponibilizava água retirada das cercanias.[36]
  Conjunto arquitetônico e paisagístico da cidade de Cachoeira 1971 Conjunto urbano O conjunto arquitetônico é formado, em sua maioria, por edifícios dos séculos XVIII e XIX, e caracterizado pela unidade tipológica e figurativa. O tombamento incide sobre diversas edificações e logradouros, sobretudo no Centro Histórico, situado às margens do Rio Paraguaçu, cuja ocupação se iniciou no século XVII.[37]
  Convento do Carmo 1938 Edificação e acervo O convento foi fundado pelo Frei Manuel da Piedade. O prédio atual data de 1751 e já abrigou, além dos carmelitas, o Paço da Câmara, a Casa da Moeda, quartel, pensão e hospital. É construído em torno de um claustro simples, formado por quatro galerias compostas de pilares de alvenaria. O edifício abriga atualmente uma pousada e um restaurante O tombamento engloba todo o acervo.[38]
Duas jarras de louça da Fábrica de Santo Antônio do Porto 1939 Bem móvel ou integrado O tombamento incide sobre um par de jarros de "louça do Porto".[3]
  Igreja da Ordem Terceira do Carmo 1938 Edificação e acervo Erguida em estrutura de alvenaria mista de pedra e tijolo, teve sua construção iniciada em 1702 e foi concluída em 1778. O tombamento inclui todo o acervo.[39][40]
  Igreja de Nossa Senhora do Carmo 1938 Edificação e acervo Edificada em terreno doado pelo capitão Dias Adorno, sua conclusão de prolongou por vários anos, tendo sido inaugurada em meados do século XVIII. Pouco resta da decoração original do interior. O edifício abriga atualmente um centro de convenções. O tombamento inclui todo o acervo.[41]
Igreja do Seminário de Belém 1938 Edificação e acervo O seminário foi fundado em 1686, nos arredores de uma aldeia indígena, pelo padre Alexandre de Gusmão. A igreja, construída em alvenaria mista de pedra e tijolo, data da mesma época. O acervo de imagens e o altar, igualmente tombados, encontram-se hoje no Museu das Alfaias, na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário, também em Cachoeira.[42]
  Igreja e ruínas do Convento de Santo Antônio do Paraguaçu 1941 Ruína Construída em pedra e cal, a igreja foi sagrada em 1660, ainda inacabada, embora o convento já estivesse funcionando desde 1654. O noviciato deixou o convento em 1824, sendo o edifício posteriormente abandonado e vendido para José Mariano Filho.[43]
  Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário 1939 Edificação e acervo A igreja primitiva teve sua construção iniciada no final do século XVI, prolongando-se por muitos anos. O edifício atual data do século XVIII, e foi custeado pela população local, com auxílio da coroa. Os painéis de azulejos que recobrem o interior da nave estão entre os maiores do Brasil. O tombamento inclui todo o acervo.[44][45]
  Igreja Matriz de Santiago do Iguape 1960 Edificação e acervo Localizada no distrito de Santiago do Iguape, a mais antiga freguesia da região do Paraguaçu. A primitiva matriz, arruinada pela ação do tempo, foi substituída pela atual. A construção foi iniciada no começo do século XIX, estendendo-se até o início do século XX. O tombamento inclui todo o acervo.[46]
Jardim do Hospital São João de Deus 1940 Jardim histórico Localizado nos fundos da Capela do Hospital São João de Deus, o jardim data de 1912. Segue o modelo francês tardio, com canteiros de desenho geométrico e grades com colunas coroadas por vasos, pinhas, cachorros e leões de louça. No centro do jardim, há uma fonte de mármore com três golfinhos.[47][48]
Lavabo do Convento de Santo Antônio do Paraguaçu 1974 Bem móvel ou integrado Em mármore português, medindo aproximadamente 31,6 x 53,5 cm, com bacia curva e bordo entalhado, formando desenhos florais. Datado de 1786, localizava-se inicialmente na sacristia do Convento de Santo Antônio do Paraguaçu. Foi posteriormente transferido para o Solar Mojope, no Rio de Janeiro, construção neocolonial demolida na década de 1970.[49]
  Paço Municipal de Cachoeira (ou Casa de Câmara e Cadeia) 1939 Edificação Erguida entre 1698 e 1712. O prédio atual tem a feição das reformas de 1789. Foi por duas vezes sede do do Governo Legal da Província da Bahia. Também neste edifício, Dom Pedro I foi aclamado Regente e Defensor do Brasil, em 1822. Abriga obras de artistas como José Couto e Antônio Parreiras em seu interior. É sede da Câmara Municipal de Cachoeira e do Museu da Câmara[50]
  Prédio do antigo Engenho Vitória 1943 Conjunto rural A construção do engenho foi iniciada em 1812, por ordem do comendador Pedro Bandeira. O sobrado é desenvolvido em três níveis, em planta em "T", originalmente ligado à fábrica. O tombamento incide sobre a parte antiga do sobrado, incluindo a capela, o crucifixo do altar, uma senzala e o banheiro primitivo nas imediações do sobrado.[51]
Sobrado do antigo Engenho Embiara 1943 Edificação Remanescente do antigo "Morgado Real do Embiara". A capela primitiva data de 1637, ao passo que o sobrado somente foi edificado em 1806, por Bernardino José Aragão. Foi habitado até 1940. Encontra-se em avançado estado de deterioração.[52]
Sobrado na Praça da Aclamação, nº. 4 1941 Edificação Erguido na primeira metade do século XVIII, o sobrado se destaca por suas características arquitetônicas, tendo sido uma das mais imponentes residências baianas na época de sua construção. Atualmente abriga o Museu Regional de Cachoeira e a Superintendência Regional do IPHAN.[53]
  Sobrado na Rua Ana Nery, nº. 1 (ou Solar Estrela) 1941 Edificação Um dos mais relevantes exemplares da arquitetura residencial urbana no Recôncavo Baiano, o Solar Estrela data do início do século XVIII. Desenvolve-se em três níveis (loja, sobreloja e pavimento nobre), com adaptações no partido típicas da arquitetura regional, visando reduzir o impacto das enchentes. Atualmente abriga entidades assistenciais (Obra de Assistência Paroquial de Cachoeira; Centro de Hospitalidade; Laboratório de Informática; Vicariato Episcopal)[54]
Sobrado na Rua Ana Nery, nº. 2 1943 Edificação O sobrado data provavelmente do início do século XVIII. Sua planta atípica resulta da exiguidade do lote. Atualmente, abriga a Circunscrição Regional de Trânsito e a Galeria de Arte Anastácia.[55]
Sobrado na Rua Ana Nery, nº. 25 (antiga Casa da Moeda de Cachoeira) 1943 Edificação O imóvel data da primeira metade do século XVIII. Abrigou, após a independência do Brasil, uma Casa da Moeda para atender às forças brasileiras, que tinham na cidade o centro de operações contra as tropas portuguesas aquarteladas em Salvador.[56][57]
Sobrado na Rua Treze de Maio, nº. 13 1943 Edificação Sobrado do primeiro terço do século XIX, destacado por sua volumetria e características arquitetônicas. Já abrigou a Companhia de Charutos Pook, o Ginásio Ana Nery e um depósito de material de construção. Segundo a tradição, Dom Pedro II teria se hospedado nesse edifício em 1859. Atualmente, serve de sede à Fundação Hansen Bahia.[58]
  Terreiro Zogbodo Male Bogun Seja (ou Roça do Ventura) 2015 Terreiro Histórico terreiro de candomblé matricial de tradição Jeje-Mahi, originária dos cultos às divindades chamadas Vodum. O Seja Unde possui também grande importância na conformação da rede de terreiros do Recôncavo Baiano e para a consolidação do candomblé como instituição religiosa.[59]
Três jarras de louça da Fábrica de Santo Antônio do Porto 1939 Bem móvel ou integrado O tombamento incide sobre três de jarros de "louça do Porto".[3]
Cairu
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Convento e Igreja de Santo Antônio 1941 Edificação e acervo Construído por iniciativa dos padres franciscanos e custeado por doações da população, o conjunto teve sua pedra fundamental colocada em 1654. Possui estrutura em alvenaria mista de pedra e tijolo e conserva alfaias, imagens e azulejos dos séculos XVII e XVIII.[60]
  Fonte Grande do Morro de São Paulo 1943 Edificação Fonte de três bicas erguida em 1746, por determinação do vice-rei André de Melo e Castro, para servir ao presídio.[61]
  Fortaleza do Morro de São Paulo 1938 Edificação Conjunto de baterias e fortes, erguidos com o objetivo de defender a chamada "barra falsa" da Baía de Todos-os-Santos. O forte primitivo (dito "Forte Velho" ou "da Conceição") foi erguido a partir de 1630, por ordem do governador Diogo Luís de Oliveira. Posteriormente, ergueu-se o Forte da Ponta, com projeto atribuído ao engenheiro Miguel Pereira da Costa, constituído de planta quadrada e muralhas voltadas para o mar.[62]
Candeias
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Engenho Freguesia e construções anexas 1944 Conjunto rural Conjunto composto por sobrado, fábrica de açúcar e a Capela de Nossa Senhora da Piedade, erguido em terras da sesmaria doada a Sebastião Álvares em 1560. Foi incendiado pelos holandeses em 1624. O conjunto possui hoje as feições das obras de 1760. A casa-grande é um dos raros exemplares conhecidos no país de de edifício residencial desenvolvido em torno de dois pátios, com capela contígua. Abriga atualmente o Museu do Recôncavo Wanderley Pinho.[63]
Engenho Matoim e construções anexas 1943 Conjunto rural Em ruínas, situado na antiga propriedade de Jorge Antunes que, em 1584, era composto pelo engenho, casa grande e Igreja de Nossa Senhora do Rosário. Foi destruída pelos holandeses e reconstruído pela família Rocha Pita no século XVIII. Posteriormente foi desapropriado pelo governo da Bahia em passou a integrar o Centro Industrial de Aratu.[64]
Castro Alves
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Capela de São José de Jenipapo 1971 Edificação e acervo Construção do século XVIII, executada pelo alferes Gaspar Fernandes da Fonseca. Possui frontispício antecedido por alpendre. O interior é decorado com uma série de quadros pintados representando os "mistérios do nascimento e da infância de Jesus". O tombamento inclui todo o acervo.[65]
Ilhéus
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Capela de Nossa Senhora de Santana 1984 Edificação e acervo Erguida nas terras do antigo Engenho de Santana, de propriedade dos frades de Santo Antão, a Capela de Santana é o mais antigo monumento subsistente em Ilhéus. Pertenceu à família de Mem de Sá. Apresenta partido em "T" incommpleto e frontispício antecedido por alpendre.[66]
Itaparica
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Conjunto arquitetônico, urbanístico e paisagístico de Itaparica 1980 Conjunto urbano O tombamento incide sobre a parte central da cidade, em trecho antigamente conhecido como Ponta da Baleia, marcado por ruas de desenho irregular, intercaladas por praças, e engloba a Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento e a Igreja de São Lourenço.[67]
  Forte de São Lourenço 1938 Edificação Situado no extremo norte da ilha de Itaparica (Ponta da Baleia), foi erguido primeiramente em 1647, durante a invasão holandesa, tendo sido destruído pelos holandeses quando estes se retiraram para Recife. A construção atual, em planta octogonal, data de 1711. Foi construído por ordem do governador Lourenço de Almeida.[68]
Igreja de São Lourenço 1952 Edificação e acervo Conforme Ubaldo Osório (A Ilha de Itaparica), a igreja, em alvenaria mista de pedra e tijolo, teria sido construída em 1610. O tombamento engloba todo o acervo.[69]
Ituaçu
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Gruta da Mangabeira 1962 Patrimônio natural Situada na Serra do Sincorá, na Chapada Diamantina, possui aproximadamente cinco quilômetros de extensão e grande conjunto de galerias de alturas variáveis. Em sua entrada, localiza-se o Santuário Sagrado Coração de Jesus, administrado pela Diocese de Caetité, motivo de afluência de grande quantidade de romeiros.[70]
Jacobina
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Capela do Bom Jesus da Glória (ou Igreja da Missão) e Igreja de Nossa Senhora da Conceição 1972 Edificação e acervo Dois templos inseridos no Livro do Tombo Histórico com o mesmo número de inscrição: Capela do Bom Jesus da Glória, datada do início do século XVII, e a Igreja da Conceição (na imagem), fundada em 1759.[71][72]
Jaguaripe
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Casa do Ouvidor 1961 Edificação Ignora-se a data de construção do edifício, presumindo-se, por suas características tipológicas, ter sido erguido no século XVII. Conforma a tradição oral, o edifício serviu de residência aos jesuítas, tornando-se posteriormente sede do Poder Judiciário.[73]
  Igreja Matriz de Nossa Senhora da Ajuda 1941 Edificação e acervo Erguida no mesmo terreno onde se encontrava a capela primitiva construída pelos jesuítas no fim do século XVI. Foi reconstruída no início do século XVIII pelos moradores, mas somente foi concluída no século XX. O tombamento engloba todo o acervo.[74]
  Paço Municipal (Casa de Câmara e Cadeia) 1941 Edificação Uma das mais antigas casas de câmara e cadeia da Bahia, foi erguida no fim do século XVII, às marges do Rio Jaguaripe, voltado para a Praça da Bandeira.[75]
Lauro de Freitas
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Igreja Matriz de Santo Amaro de Ipitanga 1944 Edificação e acervo Segundo Germain Bazin, a igreja data do terceiro terço do século XVII. Possui estrutura de paredes de alvenaria mista de pedra e tijolo. O interior, modificado em uma reforma em 1975, conserva uma barra de azulejos envolvendo toda a nave, considerados os mais extensos silhares encontrados na arquitetura luso-brasileira, datados de 1740-1750. O tombamento inclui todo o acervo.[76]
Lençóis
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Conjunto arquitetônico e paisagístico da cidade de Lençóis 1973 Conjunto urbano Situada na Serra do Sincorá e cortada pelo Rio Lençóis, a cidade de Lençóis surgiu em meados do século XIX, como uma opção econômica para mineradores de diamantes e comerciantes após o declínio de outros pontos de garimpo. O acervo arquitetônico é majoritariamente constituído de edifícios da segunda metade do século XIX.[77]
Maragogipe
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Casa-grande e capela da antiga Fazenda São Roque 1943 Conjunto rural A casa-grande do antigo Engenho da Barra de São Roque, propriedade de Cristóvão Cavalcante e Albuquerque no século XVII, está situada próxima à margem direita do Rio Paraguaçu e é considerada um dos mais antigos exemplares na Bahia de casas de engenho contornadas por varandas em três fachadas, exemplar da adaptação da arquitetura portuguesa na então colônia. A capela, por sua vez, foi erguida no ponto mais elevado do terreno. Entre a capela e a casa-grande, desenvolveu-se a vila.[78]
Forte de Santa Cruz do Paraguaçu (ou Forte de Salamina) 1938 Edificação Em ruínas. Também conhecido como Forte do Alemão, foi erguido no século XVIII, sobre os resquícios do forte primitivo dos seiscentos. Não há consenso quanto à origem, sendo sua construção ora atribuída aos portugueses, ora aos holandeses.[79]
  Igreja Matriz de São Bartolomeu 1941 Edificação e acervo Erguido na segunda metade do século XVII, é um dos mais antigos templos baianos. Apresenta planta em cruz latina, contornada por arcarias abertas ao exterior - partido arquitetônico que se difundiria no século seguinte. Possui interior ricamente decorado, com altares em talha rococó. O tombamento incide sobre todo o acervo.[80]
  Paço Municipal 1941 Edificação Erguido na terceira década do século XVIII, para abrigar a Casa de Câmara e Cadeia da cidade. Possui frontispício adornado por uma españada, à qual foi adaptada um relógio, no século XVIII, posteriormente retirado do edifício, junto com as grades dos balcões. Abriga atualmente a Prefeitura do Município de Maragogipe[81]
Mata de São João
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Casa da Torre de Garcia d'Ávila e Capela de Nossa Senhora da Conceição 1938 Ruína Conjunto erguido por Garcia d'Ávila, filho de Tomé de Sousa, a partir de 1551 e ampliado por seus herdeiros, em 1624. Com a extinção dos morgados no país em 1833, o castelo, considerado por muitos autores como a residência particular mais monumental de seu tempo nas Américas, foi abandonado e encontra-se hoje reduzido a ruínas.[82]
Monte Santo
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Acervo natural, paisagístico, urbanístico e arquitetônico da Serra do Monte Santo, particularmente o Santuário de Santa Cruz 1983 Conjunto urbano Marco do movimento religioso sincrético no Nordeste do Brasil, o monte sacro é composto por 25 capelas e teve sua construção iniciada em 1775 por Frei Apolônio de Todi. Antônio Conselheiro — líder religioso e criador de Canudos — realizou reparos na Via Sacra, junto com seus seguidores no fim do século XIX. Em 1897, o Monte Santo se tornou a principal base militar da Guerra de Canudos.[83]
Mucugê
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Conjunto arquitetônico e paisagístico da cidade de Mucugê, particularmente o Cemitério de Santa Isabel 1980 Conjunto urbano Uma das mais antigas cidades da Chapada Diamantina, Mucugê se destacou como um dos principais centros de exploração de ouro e de diamantes na região durante o século XIX. O tombamento engloba diversos logradouros e imóveis do município, tais como a Igreja Matriz de Santa Isabel, a Igreja de Santo Antônio e o Cemitério de Santa Isabel, ou "cemitério bizantino". Implantado na encosta rochosa da Serra do Sincorá, o cemitério começou a ser construído em 1854, por ocasião de uma epidemia que assolou a vila, e se destaca pelo conjunto de mausoléus reproduzindo fachadas de igrejas e capelas.[84]
Nazaré
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Igreja de Nossa Senhora da Conceição (ou Capela de Nossa Senhora da Conceição) 1962 Edificação e acervo Situada em uma colina na margem do rio Jaguaripe, no bairro mais antigo de Nazaré. O edifício atual data de meados do século XVIII, e foi erguido no mesmo local onde havia sido edificado o Engenho e Capela de São Bento por Fernão Cabral de Ataíde, no século XVI. Possui planta híbrida, com elementos de transição em "T" com corredores laterais, nave com coro, capela-mor e um alpendre na fachada, fechado por gradil sobre mureta.[85]
Igreja de Nossa Senhora de Nazaré de Camamu (ou Capela de Nossa Senhora de Nazaré) 1962 Edificação e acervo Situada no centro do Largo do Camamu (Praça Almirante Muniz) e tem sua fachada voltada para o rio Jaguaripe. Foi erguida com a ajuda de populares no século XVII, motivada, segundo a tradição popular, pela aparição da Virgem de Nazaré, provocando romarias para a região. Possui elementos raros na sua planta, como o frontão triangular embrechado por azulejos.[86]
Igreja Matriz de Nossa Senhora de Nazaré 1962 Edificação e acervo Situada às margens do rio Jaguaripe, a Matriz de Nossa Senhora de Nazaré teve sua construção iniciada no último quartel do século XVIII, sendo concluída somente oitenta anos depois. Alterações viárias no século XIX eliminaram a escadaria que dava acesso ao templo, desarticulando-o do sítio.[87]
Sobrado na Travessa da Capela, nº. 2 (ou Solar Ataíde) 1962 Edificação Residência de Fernão Cabral de Ataíde, servia de casa-grande à fazenda, em 1819 (data gravada na fachada). Suas feições primitivas estão hoje desaparecidas em função das muitas alterações que sofreu.[88]
Palmeiras
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Conjunto paisagístico do Morro do Pai Inácio 2000 Patrimônio natural Monumento natural de grande beleza, o Morro do Pai Inácio é parte integrante da Chapada Diamantina, servindo também como um popular mirante natural, por sua maior acessibilidade em relação aos demais acidentes geográficos similares na região. O nome do morro faz referência à história de Pai Inácio, um escravo que, encurralado por feitores, teria preferido pular do alto do morro do que retornar à condição de cativo.[89]
Porto Seguro
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Conjunto arquitetônico e paisagístico da Cidade Alta de Porto Seguro 1968 Conjunto urbano Local de desembarque dos portugueses no Brasil, conforme a historiografia oficial, Porto Seguro foi também o local onde se ergueu a primeira igreja do Brasil, no Outeiro da Glória, da qual não há mais vestígios. Em 1534, o donatário da capitania, Pero de Campos Tourinho, funda a Vila de Nossa Senhora da Pena, atual Porto Seguro. Na Cidade Baixa, localizavam-se o porto, o comércio e o casario. A Cidade Alta, núcleo histórico do município, congregava as funções administrativas e as habitações das classes mais abastadas, bem como os principais edifícios religiosos e civis.[90]
  Município de Porto Seguro, em especial, o Monte Pascoal 1974 Conjunto urbano Marco do nascimento do Brasil, o município de Porto Seguro foi elevado à categoria de Monumento Nacional por decreto em 1973 e tombado pelo IPHAN no ano seguinte. O tombamento incide sobre a área inteira do município — englobando o Monte Pascoal, ou Marco do Descobrimento (a primeira porção de terra avistada por Pedro Álvares Cabral quando da chegada dos portugueses em 22 de abril de 1500), e mais de 800 edificações, destacando-se o Paço Municipal, o Fortim ou Bateria da Costa, a Igreja da Misericórdia, o Cemitério dos Jesuítas, a Igreja da Glória, a Igreja de Nossa Senhora da Ajuda, etc.[91]
Rio de Contas
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Antiga Casa de Câmara e Cadeia (ou Paço Municipal de Rio de Contas) 1959 Edificação Localizada na na Praça Senador Tanajura. Atualmente, abriga o Fórum Barão de Macaúbas. Construção de meados do século XVIII ou início o século XIXI. Possui dois pavimentos rcobertos por telhado de quatro águas, em planta retangular. Apresenta como particularidade o sino-do-povo, instalado na ombreira de uma das janelas do segundo pavimento.[92]
Casa na Rua Barão de Macaúbas, nº. 11 1958 Edificação Presume-se que o imóvel date de meados do século XIX, seguindo uma tipologia arquitetônica (vivenda e loja) comum na vertente oriental da Chapada Diamantina e Serra Geral durante o Ciclo do diamante.[92]
Casa natal de Abílio César Borges (ou Casa do Barão de Macaúbas) 1958 Edificação Imóvel onde nasceu e viveu Abílio Cesar Borges, o Barão de Macaúbas, médico e educador. Erguida no início do século XX, é exemplar das residências diamantíferas de uso misto (residencial e comercial).[92]
  Conjunto arquitetônico da cidade de Rio de Contas 1980 Conjunto urbano Criada em 1724 por Pedro Barbosa Leal, por incumbência do Vice-Rei Dom Vasco Fernandes, com o nome de Vila de Nossa Senhora do Livramento do Rio de Contas ordem do Vice-Rei Dom Vasco Fernandes, atingiu seu apogeu no século XVIII, graças á exploração do ouro. Seu acervo arquitetônico é composto por edifícios da segunda metade do século XVIII e início do`século XIX. As características arquitetônicas das construções são as mesmas do litoral baiano, com os monumentos religiosos e públicos em pedra, enquanto a arquitetura civil é de adobe. O tombamento engloba diversos bens, logradouros e imóveis, tais como o Teatro São Carlos, a Orquestra Filarmônica Lira dos Artistas, o Mercado Público Municipal, o Clube Rio-Contense, a Casa de Fundição, Igreja e Cemitério de São Sebastião, entre outros.[92]
  Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento 1958 Edificação e acervo Considerada o mais relevante exemplar da arquitetura religiosa no sertão baiano, a Matriz do Santíssico Sacramento foi erguida na segunda metade do século XVIII. Possui interior ricamente decorado, destacando-se a carpintaria das sanefas, guarda-corpos do coro, tribuna, escada do púlpito e o forro da capela, com pinturas ilusionistas. O tombamento engloba o acervo, em especial as peças descritas no processo: dois pares de tochas (grandes pequenas), uma cruz processional, seis varas de pálio, dois turíbulos, uma custódia

grande, dourada, e uma custódia pequena, de prata.[92]

  Ruínas da Igreja de Santana 1958 Ruína Construída na primeira metade do século XVIII, em alvenaria de pedra, nunca chegou a ser concluída e teve suas obras paralisadas em função do êxodo da população local para outra região mineradora, por volta de 1850.[92]
Salvador
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Basílica do Bonfim 1938 Edificação e acervo Um dos mais populares santuários de peregrinação da Bahia, a Igreja ou Basílica de Nosso Senhor do Bonfim foi construída a partir de 1740, por iniciativa de Teodório Rodrigues de Faria, capitão da Marinha Portuguesa, e teve suas obras concluídas em 1754. Erguida em alvenaria de pedra e tijolo, possui planta típica do início dos setecentos: em nave e coro ladeada por corredores e tribunas superpostas, capela-mor flanqueada pela sacristia e sala de ex-votos. A fachada é revestida de azulejos portugueses. As duas torres em bulbo datam do fim do século XIX. O interior possui decoração neoclássica, destacando-se a pintura do teto da nave, executada por Franco Velasco.[93]
  Capela da Ajuda 1938 Edificação e acervo A edificação atual encontra-se nas imediações da antiga Igreja d'Ajuda, primitiva Sé de Palha do Governo de Tomé de Sousa. Foi projetada pelo arquiteto italiano Júlio Conti, em estilo neo-gótico manuelino e inaugurada em 1932. O interior é decorado com pinturas de Oreste Sercelli, auxiliado por seu filho, Bruno.[94]
  Capela de Nossa Senhora da Escada 1962 Edificação e acervo A capela foi erguida por Lázaro Aérvolo, em terras de sua propriedade, e doada aos jesuítas em 1572. É construída em alvenaria de pedra e tijolo, possuindo alpendre, nave, coro, capela-mor, sacristia e sineira em arco. A planta do edifício apresenta características de transição entre o as antigas capelas rurais e aquelas com partido em "T". O altar mór é do século XIX. Destaca-se, no acervo sacro, uma imagem de Nossa Senhora, do século XVIII.[95]
Capela do Corpo Santo 1938 Edificação e acervo Fundada em 1711, pelo marinheiro espanhol Pedro Gonçalves, a igreja serviu de matriz à Freguesia de Conceição da Praia entre 1736 e 1756, durante a construção da matriz atual. Possui planta em tipo arcaico, típica da arquitetura religiosa rural, com nave e capela-mor em um único corpo. O forro da nave, provavelmente único elemento da época da sua inauguração, é composto por caixotões guarnecidos por moldura com ornatos em talha. No acervo, destacam-se a imagem do Senhor dos Passos, o crucifixo do altar-mor e a estátua do Senhor da Redenção, atribuída a Chagas, "o Cabra".[96]
  Capela e Mosteiro de Monte Serrat 1938 Edificação e acervo A capela primitiva foi erguida no século XVI, embora não haja consenso quanto aos responsáveis por sua construção e, no século XVII, foi doada aos beneditinos. O mosteiro data de 1679. A capela, de estilo semelhante às capelas rurais da Bahia, tem o desenho da planta atribuído ao arquiteto italiano Baccio de Filicara e torre de terminação piramidal, revestida de azulejos. O alpendre da igreja foi reconstruído em 1969, pelo IPHAN. No interior, destaca-se o altar-mor do século XVIII, proveniente da Igreja de São Bento, e a imagem de São Pedro Arrependido, de Frei Agostinho da Piedade, e de Nossa Senhora do Monte Serrat, de autoria desconhecida.[97]

CearáEditar

Itarema
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Igreja de Nossa Senhora da Conceição de Almofala e seu acervo 1980 Edificação e acervo Erguida no século XVIII, em tijolo, areia e cal, em substituição à capela anterior em taipa. A igreja foi soterrada pela areia em 1897, quando iniciou-se a formação de uma duna em torno da mesma, tendo sido descoberta somente quatro décadas depois. Pertencente ao município de Acaraú na época de seu tombamento, atualmente está situada na cidade de Itarema.[98]

Distrito FederalEditar

Brasília
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Catedral Metropolitana de Brasília 1967 Edificação Projetada por Oscar Niemeyer, a Catedral Metropolitana foi o primeiro monumento a ser erguido em Brasília, tendo sua pedra fundamental lançada em 1958 e sua estrutura pronta em 1960.[99]
  Catetinho 1959 Edificação Primeira residência oficial do presidente Juscelino Kubitschek durante a construção de Brasília.[100]
Coleção arqueológica João Alfredo Rohr - Academia Nacional de Policia 1986 Coleção ou acervo Parte da valiosa coleção arqueológica constituída pelo padre João Alfredo Rohr na primeira metade do século XX. Outras partes dessa coleção encontram-se em exposição no Museu do Homem do Sambaqui/Colégio Catarinense (Florianópolis) e no Museu Arqueológico (Balneário Camboriú), no estado de Santa Catarina.[3]
  Conjunto urbanístico de Brasília 1990 Conjunto urbano Projeto de Lúcio Costa, em colaboração com Oscar Niemeyer, apresentado em 1957 durante o concurso para a escolha do projeto urbanístico da nova capital. Trata-se do primeiro conjunto urbano do século XX a ser reconhecido pela UNESCO, em 1987, como Patrimônio Mundial.[101]
Placa de ouro oferecida a Rui Barbosa pelo Senado por sua participação na Convenção de Haia em 1907 1986 Bem móvel ou integrado Localiza-se no edifício do Congresso Nacional.[102]

Espírito SantoEditar

Anchieta
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Igreja de Nossa Senhora da Assunção e residência anexa 1943 Edificação e acervo Construção em pedra e cal, de fachada simples, localizada no mesmo local onde São José de Anchieta havia erigido a igreja original, em 1579. Destaca-se, no colégio anexo, a cela de Anchieta, única parte do imóvel remanescente do século XVI. O tombamento engloba todo o acervo.[103]

GoiásEditar

Bela Vista de Goiás
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Casa do Senador Canedo e terreno 1986 Edificação Erguida no início da década de 1870 pelo senador Antônio Amaro da Silva Canedo, fundador do antigo Arraial de Bela Vista de Goiás, possui estrutura em madeira, paredes de adobe e telhado em telha de barro canal.[104]

MaranhãoEditar


Imagem Bem/ Inscrição[105] Ano de tombamento Tipologia Localidade Outras informações
Conjunto Arquitetônico de Alcântara 1948 Conjunto urbano Alcântara
Antiga Fábrica Santa Amélia 1987 Edificação São Luís
Canoa Costeira Dinamar 2012 Bem móvel ou integrado São Luís
Capela de São José da Quinta das Laranjeiras 1940 Edificação e acervo São Luís
Casas Av. Pedro II, nº 199 e 205 1961 Edificação São Luís
Engenho Central São Pedro 1998 Conjunto arquitetônico Pindaré-Mirim
Fonte das Pedras 1963 Edificação São Luís
Fonte do Ribeirão 1950 Edificação São Luís
Fortaleza de Santo Antônio 1975 Ruína São Luís
Igreja do Desterro 1955 Conjunto arquitetônico São Luís
Palacete Gentil Braga 1978 Edificação São Luís
Portão da Quinta das Laranjeiras 1940 Infraestrutura ou equipamento urbano São Luís
Praça Benedito Leite 1955 Conjunto arquitetônico São Luís
Praça Gonçalves Dias 1955 Conjunto arquitetônico São Luís
Praça João Francisco Lisboa 1955 Conjunto arquitetônico São Luís
Retábulo da Igreja Nossa Senhora da Vitória 1954 Bem móvel ou integrado São Luís
Ruínas do Forte Vera Cruz 2009 Ruína Rosário
Sambaqui do Pindaí 1940 Sítio arqueológico Paço do Lumiar
Sede da Academia Maranhense 1962 Edificação São Luís
Sítio do Físico 1981 Ruína São Luís
Terreiro Casa das Minas Jeje 2005 Terreiro São Luís
Centro Histórico de São Luís 1974 Conjunto urbano São Luís

Mato GrossoEditar

Cáceres
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Marco do Jauru 1978 Bem móvel ou integrado Erigido em 15 de janeiro de 1754, às margens do Rio Paraguai, para demarcar os limites dos domínios português e espanhol estabelecidos pelo Tratado de Madri. Em 1883, foi transferido para a Praça Barão do Rio Branco.[106]

Mato Grosso do SulEditar

Bonito
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Grutas de Bonito (Gruta do Lago Azul e Gruta de Nossa Senhora Aparecida) 1978 Patrimônio natural Monumentos naturais tombados pelo IPHAN em 1978. O tombamento visa preservar as estruturas calcárias nos interiores das grutas, bem como seus lagos e ecossistemas aquáticos.[107]

Minas GeraisEditar

Abre-Campo
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Imagem de São Francisco de Paula, do Aleijadinho 1971 Bem móvel ou integrado Imagem de procedência ignorada, atribuída por suas características formais a Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. Localiza-se na Igreja Matriz de Abre-Campo.[108]

ParáEditar

Belém
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Palácio Lauro Sodré 1974 Edificação Antigo Palácio do Governo, projeto de Antônio José Landi. Sua construção foi iniciada e 1767 e concluído em 1771, no mesmo local onde havia sido erguido na década de 1670 o palácio primitivo. Atualmente, abriga o Museu Histórico do Estado do Pará.[109][110]

ParaíbaEditar

Cabedelo
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Forte de Santa Catarina do Cabedelo 1938 Edificação É uma construção em alvenaria de pedra e cal concluída em 1597, sob a invocação de Santa Catarina de Alexandria, padroeira da Capela do Forte, e em homenagem a Dona Catarina de Portugal, Duquesa de Bragança. O imóvel, de propriedade da União, é administrado, desde 1992, pela Fundação Fortaleza de Santa Catarina.[111]
João Pessoa
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Centro Cultural São Francisco 1952 Edificação e Acervo; Conjunto Arquitetônico Considerado um dos melhores exemplares da chamada "escola franciscana" no Brasil. Sua construção teve origem em 1588.[112]
  Igreja de Nossa Senhora da Misericórdia (João Pessoa) 1938 Edificação e Acervo O arco que separa a capela-mor do resto da igreja, apresenta o emblema das quinas da antiga corôa portuguesa, e sobre a capela do Salvador do Mundo, outro emblema semelhante aos das moedas espanholas do tempo de Felipe II.[112]
  Convento e Igreja de Nossa Senhora do Carmo (João Pessoa) 1938 Edificação e Acervo No final do século XVI os carmelitas começaram a construção de uma moradia própria na Paraíba. A conclusão da obra foi demorada, incluindo o Convento do Carmo, a igreja de Nossa Senhora do Carmo, a capela de Santa Teresa e a casa dos exercícios dos Irmãos Terceiros.[113] [114]
  Mosteiro de São Bento (João Pessoa) 1957 Edificação e Acervo O Mosteiro de São Bento, localizado no Centro Histórico de João Pessoa, é um conjunto em estilo barroco, construído pelos monges Beneditinos, formado pelo mosteiro e a igreja, considerado um dos mais importantes do Brasil.[115]
  Centro Histórico de João Pessoa 2009 Conjunto Urbano Uma das cidades mais antigas do Brasil, João Pessoa, capital da Paraíba, teve seu centro histórico tombado. O tombamento abrange 502 edificações, a maior parte dos bairros do Varadouro (Cidade Baixa) e Cidade Alta, em uma área de 370 mil m², em 25 ruas e seis praças, bem como o antigo Porto do Capim(Porto do Varadouro), local de fundação da cidade. Na área demarcada, o traçado urbano ainda se mantém original. As edificações protegidas são representativas dos vários períodos da história de João Pessoa: o barroco da Igreja da Ordem Terceira de São Francisco, o rococó da Igreja de Nossa Senhora do Carmo, o estilo maneirista da Igreja da Misericórdia, a arquitetura colonial e eclética do casario civil, e o art nouveau e o art déco das décadas de 1920 e 1930, predominantes na Praça Anthenor Navarro e no Hotel Globo. [116]
Fábrica de Vinhos Tito Silva 1982 Edificação Seu tombamento representou uma inovação nessa área, pois não só o monumento, a maquinaria e o equipamento foram preservados, como também a técnica industrial. O prédio se constitui por três blocos independentes, interligados por pátios internos. A empresa possui entre outros objetos raros, 20 tonéis de madeira de lei de 1892, prensas manuais e uma máquina de rotular alemã de 1930.[117]
  Fonte do Tambiá no Parque Arruda Câmara 1941 Edificação Mandada edificar por ordem da Provedoria da Fazenda Real, em 1782. Foi reconstruída em 1889, na administração de Gama Rosa, então presidente da Província da Paraíba. Em 1921, a Prefeitura transformou a Bica do Tambiá num parque com o nome de Arruda Câmara, em homenagem ao botânico paraibano. A fonte possui três bicas, tendo ao alto frontão lavrado em volutas e concha. Abaixo dos ornatos há duas placas com as datas da construção e reconstrução. [118] [119]
Lucena (Paraíba)
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Igreja de Nossa Senhora da Guia 1949 Edificação e Acervo Construída pelos frades carmelitas, entre o final do século XVI e a segunda metade do século XVII, a igreja, além de servir como importante centro de catequização indígena, foi erguida no topo de um platô para vigiar a foz do rio Paraíba contra embarcações inimigas. Sua arquitetura segue o estilo barroco tropical, com destaque para as figuras de anjos deformados, armas do império e até uma caveira, tudo esculpido em sua fachada de pedra calcária.[120]

PiauíEditar

Campo Maior
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Portal da Batalha do Jenipapo na BR-343 1938 Memorial fúnebre e edificação Local onde aconteceu a Batalha do Jenipapo, em 1823, uma das batalhas pela Independência do Brasil e onde atualmente tem um conjunto cemiterial rústico, um monumento,um museu e o obelisco de 1922.[121][122][123]

Rio de JaneiroEditar

Rio de Janeiro
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Acervo do Museu de Imagens do Inconsciente 2005 Coleção ou acervo Acervo de cerca de 350 mil peças, amealhado por iniciativa de Nise da Silveira, médica psiquiatra que coordenou a Seção de Terapia Ocupacional do antigo Hospício Pedro II, visando a implantação de novos métodos terapêuticos por meio da arte.[124]
  Antiga Estação de Hidroaviões 1957 Edificação Projeto de Attilio Corrêa Lima, com a colaboração dos arquitetos Jorge Ferreira, Renato Mesquita, Renato Soeiro e Tomás Estrela, apresentado em 1937. A estação, inaugurada por Getúlio Vargas em 1938, foi desativada com o desaparecimento dos hidroaviões e cedida para uso do Clube da Aeronáutica. Atualmente, abriga o Instituto Histórico-Cultural da Aeronáutica (INCAER).[125]
  Aqueduto da Carioca (ou Arcos da Lapa) 1938 Infraestrutura ou equipamento urbano Construído durante o governo de Aires de Saldanha (1719-1725), o aqueduto trazia água das nascentes do Rio Carioca até o Largo da Carioca. O trecho ligando os morros de Santa Teresa e de Santo Antônio, executada em dupla arcada, é considerada a mais notável obra arquitetônica do Brasil no período colonial. Posteriormente, passou a ser utilizado como viaduto para os bondes do bairro de Santa Teresa.[126]
  Aqueduto da Colônia de Psicopatas 1938 Infraestrutura ou equipamento urbano Aqueduto do fim do século XVIII. Transportava água para um dos antigos engenhos de Jacarepaguá. O nome deriva de sua localização nas terras da Colônia Juliano Moreira, instituição criada no início do século XX para recolher doentes mentais e indivíduos tidos como indesejáveis.[127]
  Arco do Teles (ou Beco do Comércio) 1938 Edificação O nome deriva da família Telles de Meneses, proprietária dos prédios ao lado da Praça XV de Novembro onde foi construído o arco no século XVIII, ligando a Praça do Carmo à Rua da Cruz (atual Rua do Ouvidor), projeto do Brigadeiro Engenheiro José Fernandes Pinto Alpoim.[128]

Rio Grande do SulEditar

Porto Alegre
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Antigo Prédio dos Correios e Telégrafos 1981 Edificação Projetado por Rudolph Ahrons e Theodor Wiederspahn, teve sua construção iniciada em 1910 e concluída em 1913. Atualmente abriga o Memorial do Rio Grande do Sul.
  Coleções arqueológicas, etnográficas, históricas e artísticas do Museu Júlio de Castilhos 1938 Coleção ou acervo Coleção eclética, com mais de 10.000 itens, do mais antigo museu do Rio Grande do Sul.
  Igreja Nossa Senhora das Dores 1938 Edificação e acervo Mais antiga igreja remanescente de Porto Alegre, teve sua construção iniciada em 1833 e somente concluída quase um século depois, em 1904. O tombamento incide sobre todo o seu acervo, incluindo as pinturas de Germano Traub.
  Pórtico central e armazéns do cais do porto 1983 Conjunto arquitetônico O pórtico, de origem francesa, foi construído entre 1911 e 1922.
  Solar dos Câmara 1963 Edificação Erguido entre 1818 e 1824, em estilo colonial português, para servir de residência a José Feliciano Fernandes Pinheiro. Uma reforma em 1874 lhe conferiu o atual aspecto neoclássico. É considerado o imóvel residencial mais antigo de Porto Alegre.
Rio Grande
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Igreja Matriz de São Pedro e Capela da Ordem Terceira de São Francisco 1938 Edificação e acervo "Primeira igreja portuguesa no Rio Grande do Sul, a Matriz de São Pedro foi fundada em 25 de agosto de 1755. Mais tarde, construiu-se uma capela para a Ordem Terceira de São Francisco de Assis em sua parte posterior, com acesso pela rua de trás."[129][130]

São PauloEditar

Atibaia
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Antiga Casa da Câmara e Cadeia de Atibaia 1955 Edificação Antiga Casa de Câmara e Cadeia, construída após 1834, em taipa de pilão. Atualmente abriga o Museu Municipal João Batista Conti.
Bananal
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Casa da Fazenda Resgate 1969 Edificação Sede da Fazenda Resgate, erguida por volta de 1820 em taipa de pilão e pau-a-pique. Conserva pinturas murais de José Maria Villaronga.
Barueri
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Imagem de Nossa Senhora da Escada, da Capela da Aldeia de Barueri 1980 Bem móvel ou integrado Imagem seiscentista com coroa de prata, originária de Portugal, em cerâmica policromada, de autoria desconhecida.
Batatais
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Catorze quadros da Via Sacra de Cândido Portinari, da Igreja Matriz do Bom Jesus da Cana Verde 1974 Bem móvel ou integrado Conjunto de catorze telas representando a Via Sacra, executados por Cândido Portinari em 1954, para decorar as capelas laterais e a nave da Igreja Matriz do Bom Jesus da Cana Verde.
Bertioga
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Forte de São João da Bertioga (ou Forte de São Tiago) 1940 Edificação O Forte de São João da Bertioga encontra-se no sítio onde fora erguido, em meados do século XVI, o Fortim de São Tiago, primeira fortaleza do Brasil. Passou por diversas reformas e reconstruções, sobretudo no século XVIII. Atualmente, abriga o Museu João Ramalho.
Brodowski
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Casa de Cândido Portinari 1968 Edificação Casa onde residiu o pintor Cândido Portinari, decorada com seis afrescos e nove obras a têmpera de sua autoria. Abriga o Museu Casa de Portinari.
Campinas
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Palácio dos Azulejos 1967 Edificação Inaugurado no ano de 1878, antiga residência de Joaquim Ferreira Penteado, o barão de Itatiba. Atualmente, sedia o Museu da Imagem e do Som de Campinas.
Cananéia
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Sambaqui da Barra do Rio Itapitangui 1967 Sítio arqueológico Sítio arqueológico com testemunho de bandos recoletores e pescadores do litoral. Tem a forma de uma pequena elevação arredondada, constituída exclusivamente por carapaças de moluscos.
Carapicuíba
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Capela de São João Batista 1941 Edificação e acervo A capela, em taipa de pilão, foi erguida em 1736, em substituição à de Nossa Senhora da Graça, construída em 1615. Abriga imagens antigas e um altar singelo. O tombamento inclui todo o seu acervo.
  Conjunto arquitetônico e urbanístico da Aldeia de Carapicuíba 1940 Conjunto urbano O conjunto tombado se situa nas terras da primitiva Aldeia de Carapicuíba, utilizada pela Companhia de Jesus para o confinamento de índios. Foi reconstruída em 1727, a partir dos remanescentes das antigas instalações.
Cotia
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Casa do Sítio Mandu 1961 Edificação Habitação bandeirista em taipa de pilão e pau a pique, construída provavelmente no início do século XVIII.
  Casa do Sítio do Padre Inácio 1951 Edificação Construção rural em taipa de pilão, erguida no fim do século XVII .
Embu das Artes
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Igreja de Nossa Senhora do Rosário e residência anexa 1938 Edificação e acervo Conjunto arquitetônico em taipa de pilão composto pela Igreja de Nossa Senhora do Rosário, erguida no início do século XVIII, e pelo convento anexo, que teve sua construção iniciada após 1740. O tombamento inclui todo o seu acervo. Atualmente, abriga o Museu de Arte Sacra dos Jesuítas.
Guararema
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Igreja de Nossa Senhora da Escada e residência anexa 1941 Edificação e acervo Igreja construída em taipa de pilão e pau-a-pique, no início do século XVIII. O tombamento inclui todo o seu acervo.
Guaratinguetá
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Casa de Rodrigues Alves 1969 Edificação Imóvel em taipa de pilão que serviu de residência ao ex-presidente Rodrigues Alves. Atualmente, abriga o Museu Histórico e Pedagógico Conselheiro Rodrigues Alves.
Guarujá
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Forte da Barra Grande, Fortim da Praia do Góis e Portão Espanhol 1964 Conjunto arquitetônico A fortaleza foi edificada em 1723, em substituição ao primitivo Forte da Barra Grande, erguido na segunda metade do século XVI. Atualmente, abriga o Museu Histórico da Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande.
Ruínas do Forte de São Filipe da Bertioga 1965 Edificação O tombamento abrange toda a área pertencente ao forte erguido em 1765, incluindo os restos da antiga armação de pesca de baleias, também chamada Santo Antônio do Guaibé.
Iguape
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Conjunto histórico e paisagístico da cidade de Iguape 2011 Conjunto urbano O tombamento incide sobre um conjunto de edificações e logradouros públicos no núcleo histórico de Iguape.
Ilhabela
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Casa da Fazenda Engenho D'Água 1951 Edificação A sede da fazenda, erguida no final do século XVIII, possui técnica construtiva mista: alvenaria de pedra no pavimento térreo e divisórias de pau-a-pique e pilares de pedra no piso superior.
Iperó
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Remanescentes da Real Fábrica de Ferro São João do Ipanema 1964 Conjunto arquitetônico Berço da siderurgia nacional, a Fábrica de Ferros Ipanema foi criada em 1810, por ordem de D. João IV.
Itanhaém
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Igreja e Convento de Nossa Senhora da Conceição 1941 Edificação e acervo Presume-se que o conjunto já existisse no século XVI, em função da presença de paredes muito antigas. A construção atual data do século XVIII. O convento, erguido por volta de 1713, é decorado com vitrais de Benedito Calixto. O tombamento inclui todo o seu acervo.
  Igreja Matriz de Sant'Anna 1941 Edificação e acervo A primitiva matriz de Sant'Anna teve sua construção iniciada em 1654. O atual edifício foi entregue em 1761, e utilizou alguns elementos da estrutura anterior.
Itu
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Conjunto de oito painéis de autoria de Frei Jesuíno do Monte Carmelo, no edifício conventual das Irmãs de São José, anexo à Igreja de Nossa Senhora do Patrocínio 1999 Bem móvel ou integrado O tombamento incide sobre um conjunto de oito pinturas executadas por Frei Jesuíno do Monte Carmelo para decorar a residência anexa da Igreja de Nossa Senhora do Patrocínio, igualmente projetada por si e inaugurada em 1819.
  Edifício-sede do Museu Republicano Convenção de Itu 1967 Edificação Edifício erguido por José Vasconcellos de Almeida Prado, provavelmente em 1867, para uso residencial. Abrigou a primeira convenção republicana, em 1873.
Igreja e Convento de Nossa Senhora do Carmo 1967 Edificação e acervo O convento, erguido por Frei João Batista de Jesus, foi concluído em 1719. O tombamento incide ainda sobre as pinturas e obras de arte abrigadas no complexo.
  Igreja Matriz de Nossa Senhora da Candelária 1938 Edificação e acervo A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Candelária foi inaugurada em 1780, sob a mesma invocação da capela demolida. A fachada foi concluída em 1831.
Jundiaí
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Conjunto de edificações da Companhia Paulista de Estradas de Ferro 2004 Conjunto arquitetônico Remanescentes da primeira linha ferroviária em território paulista, conectando o planalto ao litoral. O tombamento incide sobre um grupo de 34 edifícios. O conjunto abriga atualmente diversas instituições (Museu da Companhia Paulista, Faculdade de Tecnologia de Jundiaí, Poupatempo, etc.).
Mairinque
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Estação Ferroviária de Mairinque 2004 Edificação Edifício projetado por Victor Dubugras, entre 1902 e 1907, para substituir a primeira estação em madeira, erguida em 1895.
Mogi das Cruzes
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Casarão do Chá 1985 Edificação O casarão, inaugurado em 1942, foi construído pelo imigrante japonês Fukashi Furihata, que se beneficiou do plantio do chá durante a alta dos preços ocorrida em função da Segunda Guerra Mundial.
  Igreja da Ordem Primeira do Carmo e Igreja da Ordem Terceira do Carmo 1967 Conjunto arquitetônico A igreja da Ordem Primeira do Carmo foi edificada no século XVIII por ordem do religioso Manuel Pereira, substituindo a construção primitiva do século XVII. Posteriormente, a Confraria Leiga de Nossa Senhora do Carmo construiu a sua igreja em 1762, ao lado da Igreja de Nossa Senhora do Carmo. O tombamento todo o acervo do conjunto arquitetônico.
Paraibuna
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Sede da Fazenda Conceição 1982 Edificação Em ruínas, era um edifício assobradado, situado sobre uma elevação do terreno, em pau-a-pique, construído por Manuel Correia de Mesquita em 1841.
Piracicaba
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Casa de Prudente de Moraes 1982 Edificação e acervo Imóvel adquirido pelo presidente Prudente de Moraes em 1869, na qual residiu até sua morte. O tombamento engloba parte do acervo. Abriga o Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes.
Rio Claro
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Sobrado do Barão de Dourados 1963 Edificação Erguido em 1863, com cinquenta cômodos, tem como técnica construtiva a taipa de pilão e o pau-a-pique. Residência de Amália Carolina de Mello e Oliveira Borges e de seu marido José Luiz Borges, barões de Dourados. É sede do Museu Histórico e Pedagógico Amador Bueno da Veiga.
Santana de Parnaíba
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Capela de Nossa Senhora da Conceição, em Voturuna 1941 Edificação e acervo Erguida em 1687, a mando do capitão Guilherme Pompeu de Almeida. Muito deteriorada, foi praticamente reconstruída, pouco restando da construção original. O tombamento incide sobre todo o acervo.
  Casa do Anhanguera 1958 Edificação Único remanescente de casa bandeirista urbana, o imóvel do século XVII pertenceu a Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhanguera. É sede do Museu Histórico e Pedagógico Casa do Anhanguera.
  Sobrado do Anhanguera, ou Casarão Monsenhor Paulo Florêncio da Silveira Camargo 1958 Edificação Imóvel do século XVIII, exemplar típico das construções residenciais paulistas do período colonial, com paredes estruturais em taipa de pilão cobertas com telhas capa e canal, portas altas e elevado pé direito. Abriga o Centro Cultural e Artístico Professor Celso Diniz de Braga.
Santo André
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Vila Ferroviária de Paranapiacaba 2008 Conjunto urbano A Vila Ferroviária de Paranapiacaba distingue-se por suas características urbanísticas e arquitetônicas peculiares, marcadas por influência da presença inglesa na Serra do Mar durante a construção da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí, na segunda metade do século XIX.
Santos
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Antiga Casa de Câmara e Cadeia de Santos 1959 Edificação Sua construção foi iniciada em 1839 e concluída somente três décadas mais tarde. O tombamento se estende à área arborizada envolvendo o imóvel, na Praça dos Andradas.
Casa do Trem 1940 Edificação Construída em 1734 para a guarda de material bélico.
  Edifício da Bolsa de Café e seu acervo 2012 Edificação Projetado pela Companhia Construtora de Santos, sob a direção do engenheiro Roberto Simonsen, o edifício foi concluído em 1922. Abriga o Museu do Café.
  Sobrado com frontaria azulejada, na Rua do Comércio 1973 Edificação Construído em 1865 para abrigar a Casa de Comércio Ferreira Netto e Companhia, além de servir como residência e armazém.
  Ruínas do Engenho dos Erasmos 1963 Ruína Trata-se do primeiro engenho de açúcar construído no Brasil por iniciativa de Martim Afonso de Sousa, donatário da Capitania de São Vicente, juntamente com Jan Van Hielst, Francisco Lobo e Vicente Gonçalves, que constituíam a Sociedade Armadores do Trato e deram início às atividades em 1533.
Igreja da Ordem Terceira de Nossa Senhora do Carmo 1941 Edificação e acervo A construção da Igreja de Nossa Senhora do Carmo deu-se provavelmente em meados do século XVIII.
Igreja e Mosteiro de São Bento 1979 Edificação e acervo Construída em alvenaria de pedra, a igreja mantém as mesmas características adquiridas na reforma de 1725. O tombamento incide sobre parte do acervo, incluindo imagens de Frei Agostinho de Jesus. Abriga atualmente o Museu de Arte Sacra de Santos.
Retábulo da Capela da Venerável Ordem Terceira de São Francisco da Penitência, da Igreja de Santo Antônio do Valongo 2003 Bem móvel ou integrado
São Carlos
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Fazenda do Pinhal 1987 Fazenda edificação e acervo Fazenda do Pinhal, situada no quilômetro 4,5 da Estrada da Broa, com 45 hectares e 1 acre, incluindo vegetação e benfeitorias, tais como: sede da fazenda, senzala, tulha, terreiros de café, cachoeiras e pomar murado.[131]
São Paulo
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
  Acervo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo 1980 Coleção ou acervo Acervo de relevância internacional, doado à USP pelo Museu de Arte Moderna de São Paulo em 1963, ao qual foram integradas as coleções particulares de Ciccillo Matarazzo e Yolanda Penteado.
  Acervo do Museu de Arte de São Paulo 1980 Coleção ou acervo A coleção do Museu de Arte de São Paulo (MASP), reunida a partir de 1947, por iniciativa de Assis Chateaubriand, perfila-se entre os mais relevantes acervos de arte ocidental do continente.
  Acervo do Museu de Arte Sacra de São Paulo 1969 Coleção ou acervo Uma das mais importantes coleções de arte sacra do Brasil, proveniente do extinto Museu de Arte Sacra da Cúria Metropolitana, criado pelo bispo Duarte Leopoldo e Silva.
  Acervo histórico da Discoteca Oneyda Alvarenga 2008 Coleção ou acervo Acervo composto por documentos, objetos, discos, mobiliário, filmes e fotografias amealhados durante os primeiros projetos desenvolvidos após a criação da Discoteca Pública Municipal em 1935. Inclui a coleção da Missão de Pesquisas Folclóricas de Mário de Andrade (1938).
  Casa do Sítio Mirim 1973 Edificação Em ruínas. Ignora-se a data de construção do imóvel. A referência mais antiga remonta a 1750, quando residiu na casa o guarda-mor Francisco de Godoy Preto.
  Casa do Sítio Morrinhos (ou "Chácara de São Bento") 1948 Edificação Imóvel do início do século XVIII, em taipa de pilão, com acréscimos em alvenaria de tijolos. Possivelmente construído a mando de José de Góis Morais, minerador paulista.
  Casa do Sítio Tatuapé 1951 Edificação Erguida em taipa de pilão entre os anos de 1668 e 1698, pelo administrador Mathias Rodrigues da Silva.
  Casa Modernista da Rua Santa Cruz (ou Casa Modernista da Vila Mariana) 1987 Conjunto arquitetônico Residência de grandes dimensões, projetada por Gregori Warchavchik e concluída em 1930.
  Casa Modernista da Rua Bahia (ou Casa Modernista do Pacaembu) 1986 Edificação Primeira edificação a empregar os princípios da arquitetura racionalista no Brasil, a Casa Modernista de Vila Mariana foi projetada por Gregori Warchavchik e construída entre 1927 e 1928.
Coleção Mário de Andrade do Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo 1996 Coleção ou acervo A Coleção Mário de Andrade é composta por mais de 30.000 itens de tipologias diversas. O tombamento incide sobre quatro sub-coleções: artes visuais, arte religiosa e popular, Revolução Constitucionalista de 1932 e acervo bibliográfico e arquivístico.
  Coleções arqueológicas, etnográficas, artísticas e históricas do Museu Paulista (ou "do Ipiranga") 1938 Coleção ou acervo As coleções arqueológicas e etnográficas encontram-se atualmente conservadas no Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, permanecendo no Museu Paulista somente os acervos histórico e artístico.
  Conjunto do Ipiranga: Museu Paulista, Monumento à Independência, Casa do Grito e Parque da Independência 1998 Conjunto arquitetônico O conjunto do Ipiranga engloba o edifício-sede do Museu Paulista, projetado por Tommaso Gaudenzio Bezzi como monumento comemorativo da independência do Brasil, a Casa do Grito, construção em pau a pique do século XIX, e o Monumento à Independência, de Ettore Ximenes, além dos jardins e bosques que circundam o complexo.
  Edifício e acervo móvel do Museu de Arte de São Paulo 2008 Edificação e acervo Projetado em 1958 por Lina Bo Bardi para ser a sede do MASP, o edifício, ícone da arquitetura brutalista brasileira, tem como peculiaridade o fato de possuir o bloco superior suspenso a oito metros do chão, por meio de quatro pilastras. O tombamento incide sobre os cavaletes de concreto e cristal, também desenhados por Lina.
  Estação da Luz 1996 Edificação Inaugurada em 1901, em substituição à estação primitiva da São Paulo Railway, erguida em 1867. Desde 2006, abriga o Museu da Língua Portuguesa em parte das instalações. Abriga o Museu da Língua Portuguesa.
  Igreja da Ordem Terceira do Carmo (ou "Capela da Venerável Ordem Terceira do Carmo") 1999 Edificação e acervo Erguida em taipa de pilão entre os anos de 1747 e 1758 como uma capela contígua à Igreja de Nossa Senhora do Carmo, demolida em 1928. O templo foi parcialmente reconstruído em 1929. O tombamento engloba a frontaria, nave, capela-mor, sacristia, biblioteca e o acervo artístico, incluindo as pinturas de Frei Jesuíno do Monte Carmelo e os painéis do antigo Recolhimento de Santa Teresa.
  Igreja de São Miguel 1938 Edificação e acervo Erguida em taipa de pilão, foi inaugurada em 1622, em substituição à primitiva capela, construída por volta de 1580. Sofreu diversas intervenções ao longo dos séculos.
Imagem de Nossa Senhora da Purificação, atribuída a Frei Agostinho de Jesus 1969 Bem móvel ou integrado Imagem de barro cozido procedente da Bahia, representando Nossa Senhora da Purificação, com 48 centímetros de altura, datada de 1641. É atribuída a Frei Agostinho de Jesus. Encontrava-se, em 1979, na coleção Raul de Sousa Dantas Forbes.
Imagem de Nossa Senhora das Dores, atribuída ao Aleijadinho 1969 Bem móvel ou integrado Imagem sacra representando Nossa Senhora das Dores, atribuída com base em comparações estilísticas a Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho.
Imagem de Nossa Senhora do Rosário, atribuída ao Aleijadinho 2003 Bem móvel ou integrado Imagem sacra representando Nossa Senhora do Rosário, atribuída com base em comparações estilísticas a Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho.
Imagem de São José, do Aleijadinho 1969 Bem móvel ou integrado Imagem do século XVIII, com 35 centímetros de altura, representando São José, de autoria de Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho.
  Mosteiro da Luz 1943 Edificação e acervo Erguido no local onde se encontrava, desde meados do século XVI, a ermida da Luz, o mosteiro teve suas obras iniciadas em 1774, seguindo projeto de Frei Galvão, sepultado no local. É um dos mais importantes exemplares da arquitetura colonial no estado de São Paulo. O tombamento incide sobre o Parque do Mosteiro, única chácara conventual urbana do Brasil.

TocantinsEditar

Natividade
Imagem Bem / Inscrição Ano de tombamento Tipologia Outras informações
Conjunto arquitetônico, paisagístico e urbanístico da cidade de Natividade 1987 Conjunto urbano Fundada em 1734 por Antônio Ferraz de Araújo, sob o nome inicial de Arraial de São Luís, a cidade de Natividade surgiu em função da expansão da atividade mineradora no Centro-Oeste. O tombamento incide sobre diversos logradouros, monumentos e imóveis.[132]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Decreto Lei nº. 25 Casa Civil da República - acessado em 1 de maio de 2019
  2. «Bens Tombados». IPHAN. Consultado em 8 de março de 2014 
  3. a b c d «Lista dos Bens Culturais Inscritos nos Livros do Tombo (1938-2012)». IPHAN. Consultado em 8 de março de 2014. Arquivado do original em 2 de junho de 2013 
  4. Lei nº 11.483/07 Casa Civil da República - acessado em 1 de maio de 2019
  5. «Casa de Chico Mendes, no Acre, recebe reforço na proteção e preservação». IPHAN. Consultado em 25 de julho de 2016 
  6. «Iphan tomba Marechal Deodoro como Patrimônio Histórico Nacional». IPHAN. Consultado em 8 de março de 2014. Arquivado do original em 8 de dezembro de 2014 
  7. «Convento e Igreja de São Francisco (Marechal Deodoro, AL)». IPHAN. Consultado em 8 de março de 2014 
  8. «Casa natal do Marechal Deodoro da Fonseca (Marechal Deodoro, AL)». IPHAN. Consultado em 8 de março de 2014 
  9. «Casa de Graciliano Ramos (Palmeira dos Índios, AL)». IPHAN. Consultado em 8 de março de 2014 
  10. «Penedo, AL: conjunto arquitetônico, paisagístico e urbanístico (Penedo, AL)». IPHAN. Consultado em 8 de março de 2014 
  11. «Convento e Igreja Santa Maria dos Anjos (Penedo, AL)». IPHAN. Consultado em 9 de março de 2014 
  12. «Igreja Nossa Senhora da Corrente». Biblioteca do Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista. Consultado em 8 de março de 2014 
  13. «Igreja de São Gonçalo Garcia (Penedo, AL)». IPHAN. Consultado em 9 de março de 2014 
  14. «Piranhas – AL inaugura obras de requalificação da orla». IPHAN. Consultado em 9 de março de 2014 
  15. «Vila colonial de Porto Calvo, AL: remanescentes (Porto Calvo, AL)». IPHAN. Consultado em 9 de março de 2014 
  16. «Serra da Barriga - Berço da Liberdade». Quilombo dos Palmares. Consultado em 9 de março de 2014. Arquivado do original em 13 de agosto de 2013 
  17. «Fortaleza de São José». Governo do Amapá. Consultado em 9 de março de 2014. Arquivado do original em 3 de dezembro de 2014 
  18. «Vila modernista na selva amazônica é tombada pelo Iphan». IPHAN. Consultado em 9 de março de 2014 
  19. «Porto de Manaus, AM: conjunto arquitetônico (Manaus, AM)». IPHAN. Consultado em 9 de março de 2014 
  20. «Mercado Municipal (Manaus, AM)». IPHAN. Consultado em 9 de março de 2014 
  21. «Reservatório de Mocó (Manaus, AM)». IPHAN. Consultado em 9 de março de 2014 
  22. «Teatro Amazonas (Manaus, AM)». IPHAN. Consultado em 9 de março de 2014 
  23. SANTA, Egi e MACHADO, Ingrid Maria. «Minc anuncia tombamento do saveiro baiano Sombra da Lua». G1 - Bahia. Consultado em 9 de março de 2014 
  24. AUGUSTO, Carlos. «IPHAN entrega obras de restauração na Chapada Diamantina». Jornal Grande Bahia. Consultado em 10 de março de 2014. Arquivado do original em 15 de dezembro de 2014 
  25. «Capela da Ajuda (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 10 de março de 2014 
  26. «Capela de Nossa Senhora da Pena e ruínas do sobrado anexo (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 10 de março de 2014 
  27. «Hospital São João de Deus: jardim (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 10 de março de 2014 
  28. «Casa de oração da Ordem Terceira do Carmo (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 10 de março de 2014 
  29. «Casa à Praça Dr. Aristides Milton, 23-A (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 11 de março de 2014 
  30. «Casa à Rua Ana Nery, 4 (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 11 de março de 2014 
  31. «Casa à Rua Benjamin Constant, 1 (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 11 de março de 2014 
  32. «Casa à Rua Benjamin Constant, 2 (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 10 de março de 2014 
  33. «Casa à Rua Benjamin Constant, 17 (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 11 de março de 2014 
  34. «Casa natal de Ana Nery (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 13 de março de 2014 
  35. «Casa natal de Teixeira de Freitas (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 13 de março de 2014 
  36. «Chafariz da Praça Dr. Mílton (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 11 de março de 2014 
  37. «Cachoeira, BA: conjunto arquitetônico e paisagístico (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 11 de março de 2014 
  38. «Convento de Nossa Senhora do Carmo (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 11 de março de 2014 
  39. «Igreja da Ordem Terceira do Carmo (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 11 de março de 2014 
  40. «Conjunto do Carmo». Universidade Federal Rural da Bahia. Consultado em 12 de março de 2014 [ligação inativa]
  41. «Igreja de Nossa Senhora do Carmo (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 12 de março de 2014 
  42. «Igreja do Seminário de Belém (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 12 de março de 2014 
  43. «Convento de Santo Antônio de Paraguassú: igreja e ruínas (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 12 de março de 2014 
  44. «Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 12 de março de 2014 
  45. «Obras da Igreja Matriz de Cachoeira estão atrasadas». Universidade Federal Rural da Bahia. Consultado em 12 de março de 2014. Arquivado do original em 15 de dezembro de 2014 
  46. «Igreja Matriz de Santiago (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 12 de março de 2014 
  47. «Hospital São João de Deus: jardim (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 12 de março de 2014 
  48. «Escultura roubada em hospital de Cachoeira é recuperada». IPHAN. Consultado em 12 de março de 2014 [ligação inativa]
  49. «Lavabo do Convento de Santo Antônio de Paraguassú (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 12 de março de 2014 
  50. «Paço Municipal (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 12 de março de 2014 
  51. «Engenho Vitória: sobrado, capela, crucifixo, senzala e banheiro (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 12 de março de 2014 
  52. «Engenho Embiara: sobrado (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 13 de março de 2014 
  53. «Sobrado à Praça da Aclamação, 4 (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 11 de março de 2014 
  54. «Sobrado à Rua Ana Nery, 1 (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 13 de março de 2014 
  55. «Sobrado à Rua Ana Nery, 2 (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 13 de março de 2014 
  56. «Sobrado à Rua Ana Nery, 25 (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 10 de março de 2014 
  57. «Casas da Moeda». Receita Federal. Consultado em 13 de março de 2014 
  58. «Sobrado à rua Treze de Maio, 13 (Cachoeira, BA)». IPHAN. Consultado em 11 de março de 2014 
  59. «Terreiro Roça do Ventura é tombado como Patrimônio Cultural do país». Agência Brasil. Consultado em 24 de julho de 2016 
  60. «Convento e Igreja de Santo Antônio (Cairu, BA)». IPHAN. Consultado em 16 de dezembro de 2014 
  61. «Fonte Grande do Morro de São Paulo (Cairu, BA)». IPHAN. Consultado em 16 de dezembro de 2014 
  62. «Fortaleza do Morro de São Paulo (Cairu, BA)». IPHAN. Consultado em 16 de dezembro de 2014 
  63. «Engenho Freguesia: sobrado, fábrica de açúcar e Capela de Nossa Senhora da Piedade (Candeias, BA)». IPHAN. Consultado em 16 de dezembro de 2014 
  64. «Engenho Matoim: sobrado e fábrica de açúcar (Candeias, BA)». IPHAN. Consultado em 18 de dezembro de 2014 
  65. «Capela de São José de Jenipapo (Castro Alves, BA)». IPHAN. Consultado em 18 de dezembro de 2014 
  66. «Capela de Nossa Senhora de Santana (Ilhéus, BA)». IPHAN. Consultado em 18 de dezembro de 2014 
  67. «Itaparica, BA: conjunto arquitetônico, urbanístico e paisagístico (Itaparica, BA)». IPHAN. Consultado em 18 de dezembro de 2014 
  68. «Forte de São Lourenço (Itaparica, BA)». IPHAN. Consultado em 18 de dezembro de 2014 
  69. «Igreja de São Lourenço (Itaparica, BA)». IPHAN. Consultado em 18 de dezembro de 2014 
  70. «Gruta de Mangabeira (Ituaçu, BA)». IPHAN. Consultado em 23 de dezembro de 2014 
  71. «Igreja da Missão (Jacobina, BA)». IPHAN. Consultado em 25 de dezembro de 2014 
  72. «Igreja tombada pelo Iphan corre risco de desabar por causa de cupins na BA». G1 Bahia. Consultado em 25 de dezembro de 2014 
  73. «Casa dos Ouvidores (Jaguaripe, BA)». IPHAN. Consultado em 25 de dezembro de 2014 
  74. «Igreja Matriz de Nossa Senhora da Ajuda (Jaguaripe, BA)». IPHAN. Consultado em 26 de dezembro de 2014 
  75. «Paço Municipal (Jaguaripe, BA)». IPHAN. Consultado em 25 de dezembro de 2014 
  76. «Igreja Matriz de Santo Amaro (Lauro de Freitas, BA)». IPHAN. Consultado em 26 de dezembro de 2014 
  77. «Lençóis, BA: conjunto arquitetônico e paisagístico (Lençóis, BA)». IPHAN. Consultado em 6 de janeiro de 2014 
  78. «Fazenda de São Roque: casa grande e capela (Maragogipe, BA)». IPHAN. Consultado em 6 de janeiro de 2014 
  79. «Forte do Paraguassú (Maragogipe, BA)». IPHAN. Consultado em 6 de janeiro de 2014 
  80. «Igreja Matriz de São Bartolomeu (Maragogipe, BA)». IPHAN. Consultado em 6 de janeiro de 2014 
  81. «Paço Municipal (Maragogipe, BA)». IPHAN. Consultado em 6 de janeiro de 2014 
  82. «Casa da Torre de Garcia d'Ávila e Capela de Nossa Senhora da Conceição (Mata de São João, BA)». IPHAN. Consultado em 24 de julho de 2016 
  83. «Patrimônio Material - BA». IPHAN. Consultado em 24 de julho de 2016 
  84. «Mucugê (BA)». IPHAN. Consultado em 24 de julho de 2016 
  85. «Igreja de Nossa Senhora da Conceição (Nazaré, BA)». IPHAN. Consultado em 25 de julho de 2016 
  86. «Igreja de Nossa Senhora de Nazaré de Camamú (Nazaré, BA)». IPHAN. Consultado em 25 de julho de 2016 
  87. «Igreja Matriz de Nossa Senhora de Nazaré (Nazaré, BA)». IPHAN. Consultado em 25 de julho de 2016 
  88. «Sobrado à Travessa da Capela, 2 (Nazaré, BA)». IPHAN. Consultado em 25 de julho de 2016 
  89. «Morro do Pai Inácio completa 15 anos de tombamento». IPHAN. Consultado em 25 de julho de 2016 
  90. «Porto Seguro, BA: conjunto arquitetônico e paisagístico (Porto Seguro, BA)». IPHAN. Consultado em 25 de julho de 2016 
  91. «Porto Seguro (BA)». IPHAN. Consultado em 25 de julho de 2016 
  92. a b c d e f «Rio de Contas (BA)». IPHAN. Consultado em 26 de julho de 2016 
  93. «Igreja do Senhor do Bonfim (Salvador, BA)». Arquivo Noronha Santos - IPHAN. Consultado em 26 de setembro de 2016 
  94. «Capela da Ajuda (Salvador, BA)». Arquivo Noronha Santos - IPHAN. Consultado em 26 de setembro de 2016 
  95. «Capela de Nossa Senhora da Escada (Salvador, BA)». Arquivo Noronha Santos - IPHAN. Consultado em 27 de setembro de 2016 
  96. «Capela do Corpo Santo (Salvador, BA)». Arquivo Noronha Santos - IPHAN. Consultado em 27 de setembro de 2016 
  97. «Igreja e Mosteiro de Monte Serrat (Salvador, BA)». Arquivo Noronha Santos - IPHAN. Consultado em 15 de outubro de 2016 
  98. «Igreja de Nossa Senhora da Conceição de Almofala (Acaraú, CE)». IPHAN. Consultado em 8 de março de 2014 
  99. «Catedral Metropolitana (Brasília, DF)». IPHAN. Consultado em 16 de dezembro de 2014 
  100. «História do Catetinho». Secretaria de Estado de Cultura do Distrito Federal. Consultado em 16 de dezembro de 2014. Arquivado do original em 20 de dezembro de 2014 
  101. «Brasilia (DF)». IPHAN. Consultado em 16 de dezembro de 2014 
  102. «Placa comemorativa oferecida a Rui Barbosa / Senado Federal (Brasília, DF)». IPHAN. Consultado em 16 de dezembro de 2014 
  103. «Igreja Nossa Senhora da Assunção e residência (Anchieta, ES)». IPHAN. Consultado em 16 de dezembro de 2014 
  104. «Casa do Senador Canedo (Bela Vista de Goiás, GO)». IPHAN. Consultado em 16 de dezembro de 2014 
  105. «Bens tombados (2017): Maranhão» (PDF) 
  106. «Marco do Jaurú (Cáceres, MT)». IPHAN. Consultado em 16 de dezembro de 2014 
  107. «Preservar é Bonito» (PDF). IPHAN. Consultado em 16 de dezembro de 2014 
  108. «Imagem de São Francisco de Paula / Aleijadinho (Abre Campo, MG)» (PDF). IPHAN. Consultado em 16 de dezembro de 2014 
  109. «Palácio do Governo (Belém, PA)». IPHAN. Consultado em 16 de dezembro de 2014 
  110. CARRAZZONI, Maria Elisa (coord). Guia dos Bens Tombados Brasil. 2ª ed. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1987.página 355. ISBN 85-208-0092-0
  111. Predefinição:Citar web=http://portal.iphan.gov.br/noticias/detalhes/284
  112. a b Predefinição:Citar web=http://portal.iphan.gov.br/ans.net/tema consulta.asp?Linha=tc belas.gif&Cod=1493 Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "IPHAN" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  113. Predefinição:Citar web=https://turismo.joaopessoa.pb.gov.br/o-que-fazer/pontos-turisticos/igrejas/igreja-de-nossa-senhora-do-carmo/
  114. Predefinição:Citar web=http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Paraiba bens tombados novembro 2017.pdf
  115. Predefinição:Citar web=https://turismo.joaopessoa.pb.gov.br/o-que-fazer/pontos-turisticos/igrejas/mosteiro-de-sao-bento/
  116. Predefinição:Citar web=http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/349/
  117. Predefinição:Citar web=http://portal.iphan.gov.br/ans.net/tema consulta.asp?Linha=tc hist.gif&Cod=1494
  118. Predefinição:Citar web=http://portal.iphan.gov.br/ans.net/tema consulta.asp?Linha=tc hist.gif&Cod=1495
  119. Predefinição:Citar web=http://portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/Paraiba bens tombados novembro 2017.pdf
  120. Predefinição:Citar web=http://www.trilhasdospotiguaras.com.br/pt-br/destinos-e-trilhas/lucena/igreja-nossa-senhora-da-guia/
  121. GOMES, Laurentino. 1822: como um homem sábio, uma princesa triste e um escocês louco por dinheiro ajudaram D. Pedro a criar o Brasil, um país que tinha tudo para dar errado / Laurentino Gomes - Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 2010, ISBN 978-85-209-2409-9
  122. BARRETO, Paulo Thedim. O Piauí e sua arquitetura. Revista do IPHAN, n. 2, – 1940.
  123. CARRAZZONI, Maria Elisa (coord). Guia dos Bens Tombados Brasil. 2ª ed. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1987.página 355. ISBN 85-208-0092-0
  124. «Coleção Museu Imagens do Inconsciente no centro do Rio». IPHAN. Consultado em 17 de dezembro de 2014 [ligação inativa]
  125. «Estação de Hidroaviões (Rio de Janeiro, RJ)». IPHAN. Consultado em 17 de dezembro de 2014 
  126. «Rio de Janeiro (RJ)». IPHAN. Consultado em 17 de dezembro de 2014 
  127. «Aqueduto da Colônia de Psicopatas (Rio de Janeiro, RJ)». IPHAN. Consultado em 18 de dezembro de 2014 
  128. «Arco do Teles (Rio de Janeiro, RJ)». IPHAN. Consultado em 18 de dezembro de 2014 
  129. IPHAN, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. «Igreja Matriz de São Pedro e Capela da Ordem Terceira de São Francisco (Rio Grande, RS)». Consultado em 20 fev. 2019 
  130. IPHAN, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. «Lista de bens tombados e processos em andamento». Consultado em 20 fev. 2019 
  131. «São Carlos - Sede da Fazenda do Pinhal». Condephaat. Consultado em 9 de novembro de 2017 
  132. «Natividade (TO)». IPHAN. Consultado em 16 de dezembro de 2014 

BibliografiaEditar

  • Lista dos Bens Culturais Inscritos nos Livros do Tombo (1938-2012). Rio de Janeiro: IPHAN. 2012 

Ligações externasEditar