Abrir menu principal

Lista de condes de Portucale

artigo de lista da Wikimedia
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Presumível bandeira do condado portucalense, derivada do pendão do conde Henrique da Borgonha.

Esta lista tem os condes de Portucale, da Unificação de Portucale a Leão e Castela e do Condado Portucalense.

Condado de Portucale (868-1071)Editar

Casa de Vímara PeresEditar

Foram condes da Casa de Vímara Peres (nem sempre em linha recta, mas recorrendo às vezes à sucessão congnática):[1]

# Nome Início do governo Fim do governo Notas
1 Vímara Peres[1]   868 873
2 Lucídio Vimaranes[1] 873 922 Filho de Vímara Peres.
4 Hermenegildo Gonçalves
(esposo da condessa Mumadona Dias)[1]
  926 943 Filho de Gonçalo Betotes,[1] depois da sua morte, sua viuva governou o condado até 950.
5 Gonçalo Mendes 950 999 Filho de Hermenegildo Gonçalves e Mumadona Dias.[1] Em 997 intitula-se magnus dux portucalensium.
6 Mendo II Gonçalves 999 1008 Filho de Gonçalo Mendes, sucedeu seu pai no governo do condado.[2]
7 Alvito Nunes 1008 1016 Descendente de Vímara Peres, governou o condado conjuntamente com Tutadona, a viuva do conde Mendo II Gonçalves.[3]
8 Nuno Alvites 1016 1028 Filho de Alvito Nunes, governou conjuntamente com a esposa, Ilduara Mendes, filha do conde Mendo II Gonçalves.[2] Segundo José Mattoso, "...as duas linhas que podiam reivindicar a sucessão no condado unem-se, em virtude do casamento do conde Nuno Alvites (1017-1025) [descendente de Vimara Peres] com a condessa Ilduara Mendes, filha de Mendo II Gonçalves... Os destinos das duas famílias, uma procedente de Vímara Peres, o presor do Porto, e outra de Afonso Betote, o presor de Tuy, estão, portanto, intimamente vinculados pela sua participação no governo do condado portucalense."[2]
9 Mendo Nunes[2] 1028 1050 Filho de Nuno Alvites governou o condado com sua mãe Ilduara Mendes e por conta propria a partir do ano 1043.
10 Nuno Mendes 1050 1071 Filho de Mendo Nunes, foi o último conde da família de Vímara Peres; derrotado pelo rei Garcia da Galiza na batalha de Pedroso.[2]

Unificação de Portucale a Leão e Castela (1065-1096)Editar

Em 1065, o Condade de Portucale e a Galiza fizeram parte do território atribuído por Fernando I para o seu filho mais novo Garcia II, que se tornou o primeiro monarca a usar o título de "Rei de Portugal". No entanto, ele lutava por controlar os seus nobres irascíveis. Com a sua vitória em 1071, na Batalha de Pedroso, onde derrota Nuno II Mendes, o Condado de Portucale é extinto.

Mais tarde, em 1071, os seus irmãos Afonso VI e Sancho II tomaram o reino da Galiza (incluindo Portugal), expulsando Garcia. Na primavera seguinte, Sancho, por sua vez, expulsou Afonso, juntando Galiza (incluindo Portugal) a Castela e Leão. Sancho apareceu como rei num documento português de 1072. Com o assassinato de Sancho, mais tarde, no mesmo ano, D. Afonso VI sucedeu à coroa, solidificando a posição de Portugal como parte integrante do maior reino unificado.

Reino de Portugal e GalizaEditar

Com a derrota de Nuno II Mendes, em 1065, por Garcia da Galiza, este passou a intitular-se Rei de Portugal.

Mais tarde, em 1071, Garcia é expulso por Afonso VI de Leão e Castela e Sancho II de Leão e Castela.

Sancho II , de seguida, expulsa também o irmão, Afonso VI, e torna-se sucessor de Garcia, mas com o seu assassinato, em 1072, faz com que Afonso lhe suceda em todos o tronos: Leão, Castela, Galiza e Portugal.

Dinastia JiménezEditar

# Nome Início do governo Fim do governo Cognome(s) Notas
1 Garcia II da Galiza 1065 1071
2 Sancho II de Leão e Castela   1071 7 de Outubro de 1072 o Forte Também rei de Castela (1065-1072) e da Galiza, irmão de Afonso VI.
3 Afonso VI de Leão e Castela   7 de Outubro de 1072 1093 o Bravo Também rei de Leão, Castela (1065-1109) e Galiza, utilizando o título de imperador a partir de 1073

Em 1093, Afonso VI oferece o condado ao seu genro, Raimundo, que o cederá, em 1096, a Henrique, que restaura a independência do condado.

Condado Portucalense (1096-1139)Editar

Casa de BorgonhaEditar

Casa reinante: Borgonha
# Nome Início do governo Fim do governo Cognome(s) Notas
1 D. Raimundo   1093 1096
2 D. Henrique   1096 1112 Pai de D. Afonso Henriques.
3 D. Teresa   1112 1128 regente na menoridade do filho (r. 1112 - 1128), com o título de regina («rainha»). Mãe de D. Afonso Henriques.
4 D. Afonso Henriques   1128 27 de Julho de 1139 O Conquistador
O Fundador
O Grande
Conde de Portucale e depois primeiro Rei de Portugal

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c d e f Mattoso 1983, p. 20.
  2. a b c d e Mattoso 1983, p. 21.
  3. Mattoso 1983, pp. 20–21.

BibliografiaEditar