Lista de couraçados da Áustria-Hungria

A Marinha Austro-Húngara construiu uma série de couraçados entre o início do século XX e 1915. A Áustria-Hungria tinha anteriormente construído embarcações menores, como barcos torpedeiros e navios de defesa de costa, a fim de proteger seu litoral no Mar Adriático.[1] A nomeação do almirante Hermann von Spaun em 1898 para o comando da marinha e o apoio do arquiduque Francisco Fernando, herdeiro do trono austro-húngaro, fizeram com que a Áustria-Hungria iniciasse um programa de expansão naval. Isto levou rapidamente à construção dos pré-dreadnoughts da Classe Habsburg e da Classe Erzherzog Karl.[2]

Couraçados austro-húngaros em formação, c. 1912–13

A nomeação de Francisco Fernando como almirante em 1902,[3] aliado ao estabelecimento da Liga Naval Austríaca e nomeação do almirante Rudolf Montecuccoli como o sucessor de Spaun, ambos em 1904, levaram a Marinha Austro-Húngara a um programa de expansão e modernização naval ainda maior, um que fosse digno de uma Grande Potência. Montecuccoli elaborou em 1905 um plano para uma marinha expandida com um número elevado de couraçados.[4] Ele conseguiu convencer os parlamentos austríaco e húngaro em 1906 pela aprovação de um orçamento para novos couraçados,[5] que tornaram-se a Classe Radetzky.[6]

O lançamento do britânico HMS Dreadnought em 1906 revolucionou a construção de couraçados, deixando obsoletos muitos dos navios construídos até então.[3] Montecuccoli revisou seus planos e conseguiu a aprovação do imperador Francisco José I em 1909 para a construção de quatro novos couraçados dreadnought.[7][8] Após uma crise orçamentária decorrida no parlamento húngaro durante vários meses, o financiamento do que se tornaria a Classe Tegetthoff foi aprovado em 1910.[9] A marinha não muito depois começou a elaborar ideias e projetos para uma segunda classe de dreadnoughts, chamada provisoriamente de Classe Ersatz Monarch, que tinha a intenção de substituir os antigos navios de defesa costeira da Classe Monarch.[10] Os projetos foram aprovados em 1914, porém o início de suas obras foi suspenso por causa do começo da Primeira Guerra Mundial alguns meses depois.[11] A classe foi inicialmente adiada para depois da guerra,[12] entretanto acabou cancelada em 1917.[13]

Os couraçados austro-húngaros tiveram uma carreira tranquila nos anos que precederam a Primeira Guerra Mundial, participando de exercícios no Mar Mediterrâneo.[14] Os navios da Classe Radetzky participaram em 1913 de demonstração naval internacional em protesto às Guerras dos Balcãs.[15] Todas as embarcações serviram na Primeira Guerra Mundial, porém pouco fizeram devido a uma escassez de carvão e um bloqueio do Mar Adriático promovido pelas forças Aliadas. Todos ainda assim participaram do Bombardeio de Ancona em maio de 1915, depois da declaração de guerra da Itália.[16] Os couraçados da Classe Habsburg foram descomissionados pouco depois disso.[17] As embarcações das classes Erzherzog Karl e Tegetthoff participariam de um ataque contra o Estreito de Otranto em junho de 1918, porém a ação foi abortada após o naufrágio do SMS Szent István.[18] Depois da guerra, os couraçados restantes foram entregues à França, Reino Unido e Itália e desmontados na década de 1920.[16]

Legenda
Armas principais Número e tamanho dos canhões da bateria principal
Deslocamento Deslocamento do navio totalmente carregado
Propulsão Número e tipo do sistema de propulsão e velocidade máxima
Batimento Data em que o batimento de quilha ocorreu
Lançamento Data em que o navio foi lançado ao mar
Comissionamento Data em que o navio foi comissionado em serviço
Destino Fim que o navio teve

Couraçados pré-dreadnoughtEditar

Classe HabsburgEditar

 Ver artigo principal: Classe Habsburg
 
O SMS Habsburg em 1901

Os navios da Classe Habsburg foram os primeiros couraçados da Marinha Austro-Húngara, tendo sido construídos entre 1899 e 1902. Eles marcaram o início da expansão naval da Áustria-Hungria e foram as primeiras embarcações do país capazes de navegarem em alto mar desde 1876. Eram armados com três canhões de 240 milímetros, dois em uma torre de artilharia dupla e o terceiro em uma torre simples.[19] A classe consistia em três navios: SMS Habsburg, SMS Árpád e SMS Babenberg.[20]

Os três estavam designados para a III Divisão no início da Primeira Guerra Mundial em 1914,[21] porém passaram para a IV Divisão algum tempo depois. Todos participaram do Bombardeio de Ancona em maio de 1915, porém pouco fizeram pelo restante do conflito e atuaram principalmente como navios de defesa costeira.[22] Eles foram descomissionados em 1916 com o objetivo de permitir que suas tripulações servissem na força aérea e como membros de tripulações de u-boots.[20] Os três membros da Classe Habsburg foram cedidos para o Reino Unido depois do fim da guerra, sendo então vendidos para a Itália e desmontados em 1921.[22]

Navio Armas
principais[19][23]
Deslocamento[20] Propulsão[19] Serviço[19][24][25][22]
Batimento Lançamento Comissionamento Destino
SMS Habsburg 3 × 240 mm 8 232 t 2 motores de tripla-expansão;
19 nós (36 km/h)
março de 1899 setembro de 1900 dezembro de 1902 Desmontados em 1921
SMS Árpád junho de 1899 setembro de 1901 junho de 1903
SMS Babenberg janeiro de 1901 outubro de 1902 abril de 1904

Classe Erzherzog KarlEditar

 Ver artigo principal: Classe Erzherzog Karl
 
O SMS Erzherzog Karl

A Classe Erzherzog Karl foi a segunda de couraçados pré-dreadnoughts da Marinha Austro-Húngara e foi construída entre 1902 e 1905. Os navios da classe foram considerados modernos, apesar de seu pequeno tamanho, resultado de pouco espaço em docas e restrições orçamentárias. Mantiveram o mesmo sistema de propulsão da Classe Hasburg, dois motores de tripla-expansão, porém eram armados com um canhão a mais de 240 milímetros. Eles ficaram obsoletos pouco tempo depois de seu lançamento com a chegada de embarcações dreadnought, que tinham blindagem, armamentos e propulsão superiores. A classe era formada por três navios: SMS Erzherzog Karl, SMS Erzherzog Friedrich e SMS Erzherzog Ferdinand Max.[10]

Os membros da Classe Erzherzog Karl formaram a III Divisão de Couraçados durante a maior parte da Primeira Guerra Mundial. Assim como os outros couraçados da Áustria-Hungria, tiveram carreiras praticamente inativas durante o conflito, porém auxiliaram na fuga dos cruzadores alemães SMS Goeben e SMS Breslau para o Império Otomano em agosto de 1914 e também participaram do Bombardeio de Ancona em maio de 1915.[10] Em fevereiro de 1918, os três ajudaram na supressão de um motim das tripulações de vários cruzadores em Cátaro.[26] Depois da guerra, o Erzherzog Karl e o Erzherzog Friedrich foram entregues à França, enquanto o Erzherzog Ferdinand Max foi entregue para o Reino Unido. O Erzherzog Karl encalhou em Bizerta em 1921 e foi desmontado no local. As duas embarcações restantes foram desmontadas em 1921 na Itália.[27]

Navio Armas
principais[10][23]
Deslocamento[10] Propulsão[10] Serviço[10][23]
Batimento Lançamento Comissionamento Destino
SMS Erzherzog Karl 4 × 240 mm 10 472 t 2 motores de tripla-expansão;
20 nós (38 km/h)
julho de 1902 outubro de 1903 junho de 1906 Encalhou em Bizerta;
desmontado em 1921
SMS Erzherzog
Friedrich
outubro de 1902 abril de 1904 janeiro de 1907 Desmontados em 1921
SMS Erzherzog
Ferdinand Max
março de 1904 maio de 1905 dezembro de 1907

Classe RadetzkyEditar

 Ver artigo principal: Classe Radetzky
 
O SMS Radetzky

Os navios da Classe Radetzky foram os terceiros e últimos grupo de couraçados pré-dreadnought construídos para a Áustria-Hungria.[28] As principais diferenças entre a Classe Radetzky e sua predecessora estava em uma bateria principal e secundária muito mais poderosas, com a nova classe sendo armada com quatro canhões principais de 305 milímetros em duas torres de artilharia duplas.[23][29] A classe tinha três embarcações: SMS Erzherzog Franz Ferdinand, SMS Radetzky e SMS Zrínyi.[29]

Eles foram designados para servir na II Divisão de Couraçados, tendo participado de treinamentos no Mar Mediterrâneo durante os tempos de paz.[29] Em 1913, fizeram parte de uma demonstração naval internacional no Mar Jônico em protesto às Guerras dos Balcãs.[30] Assim como os outros couraçados austro-húngaros, os três tiveram uma carreira limitada na guerra, raramente deixando o porto. Eles bombardearam posições francesas durante a invasão austro-húngara de Montenegro em outubro de 1914,[28] enquanto em maio de 1915 tomaram parte do Bombardeio de Ancona.[31] Suas participações no conflito depois disso foram mínimas. Após a derrota da Áustria-Hungria, todos os três navios foram entregues a Itália e desmontados entre 1920 e 1926.[29]

Navio Armas
principais[23][29]
Deslocamento[29] Propulsão[29] Serviço[23][29]
Batimento Lançamento Comissionamento Destino
SMS Erzherzog
Franz Ferdinand
4 × 305 mm 14 508 t 2 motores de tripla-
expansão; 20 nós (38 km/h)
setembro de 1907 setembro de 1908 junho de 1910 Desmontado em 1926
SMS Radetzky novembro de 1907 julho de 1909 janeiro de 1911 Desmontados em 1920–21
SMS Zrínyi novembro de 1908 abril de 1910 novembro de 1911

Couraçados dreadnoughtEditar

Classe TegetthoffEditar

 Ver artigo principal: Classe Tegetthoff
 
O SMS Viribus Unitis em 1912

Os navios da Classe Tegetthoff foram os únicos couraçados dreadnought construídos pela Áustria-Hungria. A Marinha Austro-Húngara precisou atualizar sua frota depois do lançamento do britânico HMS Dreadnought em 1906, algo que se tornou ainda mais urgente depois da Marinha Real Italiana ter iniciado, em 1909, a construção de seu próprio dreadnought, o Dante Alighieri.[32] As embarcações foram as primeiras do mundo a serem armadas com torres de artilharia triplas.[33] A classe foi construída entre 1910 e 1914 e consistia em quatro navios: SMS Viribus Unitis, SMS Tegetthoff, SMS Prinz Eugen e SMS Szent István.[32]

Os couraçados foram designados para integrarem a I Divisão. Eles tiveram um serviço limitado durante a Primeira Guerra Mundial devido à Barragem de Otranto, que fez com que os navios ficassem presos no Mar Adriático, raramente deixando sua base naval em Pola.[32] Eles ainda assim participaram da fuga do Goeben e do Breslau em agosto de 1914 e do Bombardeio de Ancona em maio de 1915, depois disso não participaram de mais nenhuma grande operação.[16] As embarcações da Classe Tegetthoff estavam planejadas para tomar parte em um grande ataque contra a Barragem de Otranto em junho de 1918, porém o Szent István foi torpedeado e afundou, fazendo com que a operação fosse cancelada.[34][35] O Viribus Unitis foi afundado em novembro por explosivos italianos, enquanto atracado em Pola.[29] Depois da guerra, o Tegetthoff foi cedido à Itália e desmontado em 1924, enquanto o Prinz Eugen foi entregue para a França e afundado como alvo de tiro em 1920.[32]

Navio Armas
principais[23][36]
Deslocamento[36] Propulsão[23][32] Serviço[23][29][32][35]
Batimento Lançamento Comissionamento Destino
SMS Viribus Unitis 12 × 305 mm 21 670 t 4 turbinas a vapor;
20 nós (38 km/h)
julho de 1910 junho de 1911 dezembro de 1912 Afundado em novembro de 1918
SMS Tegetthoff setembro de 1910 março de 1912 julho de 1913 Desmontado em 1924
SMS Prinz Eugen janeiro de 1912 novembro de 1912 julho de 1914 Afundado em agosto de 1920
SMS Szent István 2 turbinas a vapor;
20 nós (38 km/h)
janeiro de 1914 dezembro de 1915 Afundado em junho de 1918

Classe Ersatz MonarchEditar

 Ver artigo principal: Classe Ersatz Monarch

A Classe Ersatz Monarch foi projetada como uma série de quatro couraçados que teriam sido construídos para a Marinha Austro-Húngara entre 1914 e 1919.[13] Eram, em essência, versões maiores da Classe Tegetthoff e tinham a intenção de substituir a antiga Classe Monarch de navios de defesa costeira. As obras foram suspensas antes mesmo de começarem devido ao início da Primeira Guerra Mundial; suas construções foram inicialmente adiadas para depois da guerra, porém acabaram cancelados em 1917.[12][13] Os quatro couraçados da classe receberam apenas nomes provisórios de "Couraçado VIII" a "Couraçado XI". Apesar de suas construções nunca terem começado, quatro dos canhões principais de 350 milímetros chegaram a ser construídos e foram depois transferidos para o Exército Austro-Húngaro e usados no Fronte Italiano.[13][37]

Navio Armas principais[13][38] Deslocamento[38] Propulsão[39] Serviço
Batimento Lançamento Comissionamento Destino[39]
"Couraçado VIII" 10 × 350 mm 24 500 t 4 turbinas a vapor;
21 nós (39 km/h)
Cancelados em 1917
"Couraçado IX"
"Couraçado X"
"Couraçado XI"

ReferênciasEditar

  1. Noppen 1912, pp. 4–5
  2. Henderson 2014, cap. 2
  3. a b Sokol 1968, p. 68
  4. Vego 1996, pp. 38–39
  5. Sondhaus 1994, pp. 179–180
  6. Sokol 1968, p. 67
  7. Sondhaus 1994, p. 183
  8. Vego 1996, pp. 62, 69
  9. Sondhaus 1994, pp. 191–192, 194–195
  10. a b c d e f g Hore 2006, p. 123
  11. Vego 1996, pp. 173–174
  12. a b Sondhaus 1994, p. 269
  13. a b c d e Fitzsimons 1978, p. 854
  14. Sondhaus 1994, p. 158, 244
  15. Hore 2006, p. 84
  16. a b c Halpern 1995, p. 54
  17. Sieche 1985, p. 330
  18. Halpern 1995, p. 174
  19. a b c d Gardiner, Chesneau & Kolesnik 1979, p. 272
  20. a b c Hore 2006, p. 91
  21. Tucker 2005, p. 560
  22. a b c Sieche 1985, p. 330
  23. a b c d e f g h i Sokol 1968, pp. 150–151
  24. Sieche 1985, p. 333
  25. Greger 1976, p. 21
  26. Halpern 1994, pp. 170–171
  27. Greger 1976, p. 23
  28. a b Halpern 1995, p. 14
  29. a b c d e f g h i j Sieche 1985, p. 332
  30. Hore 2006, p. 84
  31. Noppen 2012, p. 28
  32. a b c d e f Sieche 1985, p. 334
  33. Sieche 1991, p. 143
  34. Sieche 1991, pp. 127, 131
  35. a b Sokol 1968, p. 161
  36. a b Sieche 1991, p. 133
  37. Greger 1976, p. 26
  38. a b Sokol 1968, p. 71
  39. a b Vego 1996, p. 174

BibliografiaEditar

  • Fitzsimons, Bernard (1978). The Illustrated Encyclopedia of 20th Century Weapons and Warfare. 8. Milwaukee: Columbia House. OCLC 4515654 
  • Gardiner, Robert; Chesneau, Roger; Kolesnik, Eugene M. (1979). Conway's All the World's Fighting Ships: 1860–1905. Londres: Conway Maritime Press. ISBN 978-0-85177-133-5 
  • Greger, René (1976). Austro-Hungarian Warships of World War I. Ann Arbor: University of Michigan Press. ISBN 978-0-7110-0623-2 
  • Halpern, Paul G. (1995). A Naval History of World War I. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 978-1-55750-352-7 
  • Henderson, Jon K. (2014). Crisis in the Mediterranean: Naval Competition and Great Power Politics, 1904–1914. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 978-1-61251-476-5 
  • Hore, Peter (2006). Battleships. Londres: Lorenz Books. ISBN 978-0-7548-1407-8 
  • Noppen, Ryan (2012). Austro-Hungarian Battleships 1914–18. Oxford: Osprey Publishing. ISBN 978-1-84908-688-2 
  • Sieche, Erwin F. (1985). «Austria-Hungary». In: Gardiner, Robert; Gray, Randal. Conway's All the World's Fighting Ships: 1906–1921. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 978-0-87021-907-8 
  • Sieche, Erwin F. (1991). «S.M.S. Szent István: Hungaria's Only and Ill-Fated Dreadnought». Warship International. XXVII (2). ISSN 0043-0374 
  • Sokol, Anthony (1968). The Imperial and Royal Austro-Hungarian Navy. Annapolis: Naval Institute Press. OCLC 462208412 
  • Sondhaus, Lawrence (1994). The Naval Policy of Austria-Hungary, 1867–1918: Navalism, Industrial Development, and the Politics of Dualism. West Lafayette: Purdue University Press. ISBN 978-1-55753-034-9 
  • Tucker, Spencer C. (2005). World War I: Encyclopedia. I. Santa Barbara: ABC-CLIO. ISBN 978-1-8510-9-4202 
  • Vego, Milan N. (1996). Austro-Hungarian Naval Policy: 1904–14. Londres: Routledge. ISBN 978-0-7146-4209-3