Lista de mulheres neurocientistas

Segue-se a seguinte lista de mulheres neurocientistas por nacionalidade – mulheres notáveis que são bem conhecidas pelo seu trabalho no campo da neurociência.

Mulheres na Neurociência

PaísesEditar

África do SulEditar

  • Frances Ames (1920-2002), neurologista, psiquiatra e ativista dos direitos humanos que estudou os efeitos da cannabis no cérebro;

AlemanhaEditar

ArgentinaEditar

  • Cecilia Bouzat (nascida em 1961), bioquímica reconhecida pelos seus estudos no campo dos distúrbios neurológicos;[1][2]

AustráliaEditar

ÁustriaEditar

BrasilEditar

CanadáEditar

CazaquistãoEditar

Chéquia/República ChecaEditar

ChinaEditar

Coreia do SulEditar

  • Gloria Choi, neurocientista que estuda modelos de ativação imune materna do transtorno do espectro do autismo;

DinamarcaEditar

EspanhaEditar

  • Susana Martinez-Conde (nascida em 1969), neurocientista e escritora de artigos científicos que investiga como o cérebro humano cria ilusões perceptivas e cognitivas;
  • Carmen Sandi, investigadora sobre os mecanismos neurobiológicos de como o estresse altera o cérebro;

Estados Unidos da AméricaEditar

  • Kristin Baldwin, neurocientista com foco em células tronco pluripotentes reprogramadas e induzidas para estudar as mudanças epigenéticas do genoma e do cérebro;
  • Tracy Bale (nascida em 1969), neurocientista e bióloga molecular com foco no estresse pré-natal dos pais e seu efeito na prole;
  • Cornelia Bargmann (nascida em 1962), neurobióloga conhecida pelo seu trabalho sobre os mecanismos genéticos e de circuito neural do comportamento utilizando C. elegans;
  • Carol A. Barnes, neurocientista com foco nas mudanças neurofisiológicas e comportamentais que ocorrem no cérebro durante o envelhecimento;
  • Lisa Feldman Barrett (nascida em 1963), psicóloga e neurocientista que estuda a emoção, autora da obra Como as emoções são feitas: a vida secreta do cérebro;
  • Susan R. Barry, neurobióloga e médica reconhecida por ter publicado a obra Fixing My Gaze: A Scientist's Journey into Seeing in Three Dimensions;
  • Danielle Bassett (nascida em 1981), física e neurocientista de sistemas utilizados na ciência de rede e no estudo da aprendizagem no cérebro humano;
  • Amy Bastian (nascida em 1968), neurocientista que contribuiu para a neurociência do controle sensório-motor;
  • Diana Bautista, neurocientista conhecida pelo seu trabalho sobre os mecanismos moleculares subjacentes à coceira, toque e dor;
  • Elaine Bearer, neurocientista, patologista e compositora, investigadora de ressonância magnética de conexões neurais e atividade cerebral em modelos de roedores transgênicos de distúrbios humanos;
  • Marlene Behrmann (nascida em 1959), psicóloga especializada na neurociência cognitiva da percepção visual;
  • Ursula Bellugi (nascida em 1931), neurocientista germano-americana que pesquisa sobre as bases biológicas da linguagem;
  • April A. Benasich, neurocientista reconhecida pelo seu trabalho na área dos primeiros processos neurais necessários para o desenvolvimento cognitivo e da linguagem normal;
  • Joanne Berger-Sweeney, neurocientista que pesquisa a neurobiologia da aprendizagem e da memória, com aplicações em distúrbios do neurodesenvolvimento;
  • Heather A. Berlin, neurocientista conhecida pelo seu trabalho na comunicação e divulgação científica;
  • Mayim Bialik (nascida em 1975), atriz, autora e neurocientista;
  • Eliza Bliss-Moreau, neurocientista cujo trabalho tem em foco a biologia das emoções em humanos e animais;
  • Brenda Bloodgood, neurocientista que estuda a plasticidade sináptica;
  • Jill Bolte Taylor (nascida em 1959), neuroanatomista, autora e oradora, conhecida por estudar doenças mentais graves e pela obra My Stroke of Insight, A Brain Scientist's Personal Journey;
  • Susan Y. Bookheimer, neurocientista conhecida pelo seu trabalho no desenvolvimento de técnicas de imagem cerebral para ajudar pacientes com Alzheimer e outras doenças relacionadas;
  • Nancy Bonini (nascida em 1959), neurocientista e geneticista, pioneira no uso de Drosophila para estudar a neurodegeneração do cérebro humano;
  • Mary Brazier (1904-1995), neurocientista nascida na Grã-Bretanha conhecida pela sua fundamental contribuição no estudo das alterações do EEG sob anestesia;
  • Louann Brizendine (nascida em 1952), neurocientista que pesquisa sobre p humor e os hormônios das mulheres;
  • Katja Brose, neurocientista conhecida por identificar o receptor Robo e p seu ligante Slit como uma nova família de moléculas de orientação axônica;
  • Linda B. Buck (nascida em 1947), vencedora do Prémio Nobel, reconhecida pelo seu trabalho sobre o sistema olfativo;
  • Mary Bartlett Bunge (nascida em 1941), neurocientista que pesquisa sobre a cura para a paralisia;
  • Staci Bilbo, neuroimunologista que estuda como a ativação imunológica precoce causa desregulação neuroimune contribuindo para doenças relacionadas ao cérebro na idade adulta;
  • Megan Carrey, neurocientista cujos estudos são sobre a coordenação do movimento pelo cérebro;[91]
  • Patricia Carpenter, neurocientista com foco na organização dos sistemas cognitivos no pensamento imediato;
  • C. Sue Carter, bióloga e neurobióloga comportamental especializada em neuroendocrinologia comportamental;
  • Vivien Casagrande (1942–2017), neurocientista conhecida pela sua pesquisa sobre a compreensão de como o tálamo visual e o córtex interagem para construir nosso mundo perceptivo;
  • Constance Cepko, neurocientista que pesquisa sobre os vectores retrovirais no estudo do desenvolvimento da retina;
  • Anne Churchland, neurocientista que estuda a função do córtex parietal posterior em processos cognitivos:
  • Patricia Churchland (nascida em 1943), filósofa canadense-americana cujos estudos têm em foco a interface entre neurociência e filosofia;
  • Martha Constantine-Paton, neurocientista com foco em plasticidade sináptica e desenvolvimento cerebral, particularmente no desenvolvimento visual;
  • Suzanne Corkin (1937–2016), neurocientista conhecida pelo seu estudos na área da memória humana, tendo desenvolvido grande parte da sua pesquisa em pacientes com doença de Alzheimer, doença de Parkinson e amnésia;
  • Jacqueline Crawley, neurocientista conhecida por desenvolver testes, incluindo o teste de três compartimentos para avaliar o comportamento social dos ratos;
  • Molly J. Crockett, neurocientista que estuda o papel dos neurotransmissores na tomada de decisões;
  • Elizabeth C. Crosby (1888–1983), neuroanatomista conhecida pelas suas contribuições na neuroanatomia comparativa e humana;
  • Meaghan Creed, neurocientista cujas pesquisas foram pioneiras na compreensão e aplicação de estimulação cerebral profunda para tratar doenças relacionadas ao cérebro;
  • Jessica Cardin, neurocientista que estuda circuitos locais dentro do córtex visual primário para entender como as interações celulares e sinápticas se adaptam de forma flexível a diferentes estados e contextos comportamentais para dar origem a percepções visuais e conduzir comportamentos motivados;
  • Merit Cudkowicz, neurologista, neurocientista e especialista mundial no estudo da esclerose lateral amiotrófica (ELA);
  • Mary Fenner Dallman (1935-2021), neuroendocrinologista conhecida por elucidar a função ao longo do eixo hipotalâmico, pituitário e adrenal;
  • Muriel Davisson, geneticista conhecida por desenvolver no modelo de roedores Ts65Dn síndrome de Down;
  • Valina L. Dawson (nascida em 1961), neurocientista que pesquisa os mecanismos moleculares que levam à morte de células neuronais em doenças neurodegenerativas;
  • Adele Diamond (nascida em 1952), co-fundundaora do campo da neurociência cognitiva do desenvolvimento;
  • Marian Diamond (1926–2017), cientista e educadora pioneira, considerada uma das fundadoras da neurociência moderna;
  • Lindsay M. De Biase, neurocientista que explora a diversidade de microglia que existe dentro do circuito dos gânglios da base para atingir microglia regional ou específica do circuito na doença;
  • Zoe R. Donaldson, neurocientista americana que explora os mecanismos neurobiológicos e genéticos de vínculo social e comportamento social em roedores;
  • Gillian Einstein (nascida em 1952), neurocientista com foco na anatomia do cérebro feminino;
  • Lise Eliot, neurocientista e autora do livro sobre diferenças de gênero, Pink Brain, Blue Brain: How Small Differences Grow into Troublesome Gaps and What We Can Do About It;
  • Emily Falk, neurocientista de comunicação que estuda a mudança de comportamento e a disseminação de ideias, com foco em vincular a atividade neural ao comportamento individual, grupal e populacional;
  • Eva Feldman, neurologista que contribui para várias áreas de pesquisa, incluindo o diagnóstico da neuropatia diabética e a aplicação da terapia com células-tronco no tratamento de doenças humanas, como Alzheimer;
  • Shelly Flagel, neurocientista comportamental que estuda as diferenças individuais em transtornos de dependência e controle de impulsos, aprendizado de recompensa e neurobiologia de comportamento motivado;
  • Alice Weaver Flaherty, neurologista que pesquisa como os cérebros humanos representam os seus corpos em relação à depressão, Parkinson e distúrbios somatoformes;
  • Melina Hale, neurocientista que estuda o peixe-zebra para entender como o cérebro comunica com os músculos para gerar movimento;
  • Kristen Harris (nascida em 1954), neurocientista que estuda a estrutura e função das sinapses usando microscopia eletrônica 3D;
  • Mary Hatten, neurocientista que pesquisa como os neurônios migram no cérebro;
  • Kiralee Hayashi, atriz, dupla, ginasta, cientista e coautora da obra Brain surface parameterization using Riemann surface structure;
  • Rachel Sarah Herz, psicóloga e neurocientista cognitiva conhecida como especialista em psicologia do olfato;
  • Melissa Hines, neurocientista que estuda o desenvolvimento do gênero e como a interação da experiência pré-natal e pós-natal molda o desenvolvimento e o comportamento do cérebro;
  • Susan Hockfield (nascida em 1951), neurocientista conhecida por ser pioneira no uso da tecnologia de anticorpos monoclonais na pesquisa do cérebro;
  • Julianne Holt-Lunstad, psicóloga e neurocientista cujos estudos têm em foco os efeitos a longo prazo das conexões sociais e da solidão na saúde;
  • Yasmin Hurd, neurocientista que estuda o vício em pessoas e modelos animais, incluindo alterações causadas pela cannabis;
  • Dorothea Jameson (1920-1998), psicóloga cognitiva conhecida pela sua contribuição no campo da cor e da visão;
  • Lily Jan (nascida em 1947), neurocientista chinesa-americana conhecida pelos seus estudos nos avanços na neurogênese, na especificação de destino celular e nos canais iônicos;
  • Patricia Janak (nascida em 1965), psicóloga e neurocientista que contribui para a base biológica do comportamento no contexto da aprendizagem associativa;
  • Charlene Drew Jarvis (nascida em 1941), pesquisadora científica e política;
  • Amishi Jha, psicóloga e neurocientista que demostrou como o treino da atenção plena melhora vários aspectos da saúde cognitiva e emocional;
  • Theresa A. Jones (nascida em 1964), neurocientista cujos estudos têm em foco a plasticidade neural em toda a vida útil da conectividade sináptica em animais adultos após danos cerebrais durante o aprendizado de habilidades;
  • Nancy Kanwisher (nascida em 1958), neurocientista cognitiva conhecida por ter descoberto a área da face fusiforme e a área do lugar arahipocampal;
  • JacSue Kehoe (nascida em 1935), neurocientista que estuda os neurônios da Aplysia californica e a resposta do nervo pós-sináptico;
  • Ann E. Kelley (1954-2007), neurocientista especializada na neurociência de recompensa e do comportamento;
  • Mary B. Kennedy (nascida em 1947), bioquímica e neurocientista com foco nos mecanismos moleculares da plasticidade sináptica;
  • Catherine Kerr, neurocientista que investiga os efeitos de práticas de atenção baseadas no corpo, como Tai Chi e mindfulness, no cérebro e no sistema nervoso;
  • Kristen Knutson, neurologista reconhecida por pesquisar as taxas de mortalidade dos tipos noturnos e matinais;
  • Nancy Kopell (nascida em 1942), matemática conhecida por aplicar modelos matemáticos para analisar os mecanismos fisiológicos da dinâmica cerebral;
  • Nina Kraus, neurocientista que investiga a codificação neural da fala e da música e sua plasticidade;
  • Mary Jeanne Kreek (1937-2021), neurobiologista especializada no estudo e tratamento do vício;
  • Leah Krubitzer, neurocientista que investiga como os cérebros complexos em mamíferos evoluem de formas mais simples;
  • Patricia K. Kuhl, neurocientista que investiga a linguagem precoce e o desenvolvimento do cérebro e como as crianças aprendem;
  • Marta Kutas (nascida em 1949), neurocientista cognitiva conhecida por descobrir o N400, um componente potencial relacionado a eventos tipicamente provocado por estímulos linguísticos inesperados;
  • Story Landis, neurobióloga e ex-diretora do National Institute of Neurological Disorders and Stroke no National Institutes of Health;
  • Lynn T. Landmesser (nascida em 1943), cientista biológica conhecida pela sua pesquisa no ramo da neurociência do desenvolvimento, particularmente relacionada à medula espinhal e à formação de circuitos motores espinhais;
  • Jerre Levy (nascida em 1938), psicóloga e neurocientista que estuda a relação entre os hemisférios cerebrais e as tarefas orientadas para a visão versus a linguagem;
  • Christiane Linster (nascida em 1962), neurocientista comportamental luxemburguesa-americana conhecida pela sua pesquisa no ramo da neuromodulação relacionada à aprendizagem e memória;
  • Judy Liu, neurocientista que trabalha em malformações corticais que causam epilepsia;
  • Margaret Livingstone (nascida em 1950), neurobióloga conhecida pelo seu livro Vision and Art: The Biology of Seeing;
  • Jeanne Loring (nascida em 1950), neurobiologista de desenvolvimento e geneticista que estuda vários campos, incluindo a genómica e epigenética de células-tronco pluripotentes;
  • Victoria Luine, psicóloga, neuroquímica e escritora;
  • Misha Mahowald (1963-1996), neurocientista computacional que trabalhou no campo da engenharia neuromórfica;
  • Eve Marder, neurocientista experimental e computacional reconhecida pelo seu trabalho em circuitos neurais no sistema nervoso estomatogástrico de crustáceos:
  • Deborah Mash (nascida em 1952), neurologista que estuda as capacidades de parar o vício da ibogaína;
  • Mara Mather, psicóloga que pesquisa o envelhecimento com foco no efeito da emoção e do estresse na memória;
  • Helen S. Mayberg (nascida em 1956), neurologista conhecida por delinear a função cerebral anormal em pacientes com depressão profunda usando neuroimagem funcional;
  • Susan McConnell, neurobióloga que estuda o desenvolvimento de circuitos neurais no córtex cerebral de mamíferos;
  • Louise McCullough, neurologista envolvida na pesquisa de acidente vascular cerebral;
  • Ann McKee (nascida em 1953), neuropatologista e especialista em doenças neurodegenerativas;
  • Edith Graef McGeer (nascida em 1923), neurocientista conhecida por estudar a prevenção e tratamento da doença de Alzheimer e outras doenças neurodegenerativas;
  • BethAnn McLaughlin (nascida em 1968), neurologista que pesquisa respostas ao estresse neural e lesão cerebral;
  • Sara Mednick, psicóloga que pesquisa a relação entre a sesta e o desempenho;
  • Vivienne Ming, neurocientista teórica e especialista em Inteligência Artificial;
  • Nancy Minshew, psiquiatra e neurologista conhecida por trabalhar nas bases cognitivas, neurológicas e genéticas do autismo;
  • Michelle Monje, neurologista que investiga os mecanismos moleculares para o neurodesenvolvimento e neuroplasticidade;
  • Lisa Monteggia, neurocientista que investiga os mecanismos moleculares subjacentes às interações da neurotrofina com antidepressivos;
  • Bita Moghaddam, neurocientista iraniano-americana que investiga os processos neuronais subjacentes à emoção e cognição como um primeiro passo para projetar estratégias para tratar e prevenir doenças cerebrais;
  • Lisa Mosconi, neurocientista ítalo-americana que analisa as conexões entre a perimenopausa e a doença de Alzheimer;
  • Elly Nedivi, neurocientista conhecida por investigar os mecanismos moleculares da neuroplasticidade;
  • Helen Neville (1946-2018), neurocientista reconhecida por investigar o desenvolvimento do cérebro humano, incluindo neuroplasticidade e neurolinguística;
  • Sharlene Newman, neurocientista cognitiva cujo trabalho se foca na área de neuroimagem, usando técnicas de ressonância magnética para estudar a função cerebral complexa;
  • Mary Lawson Neff (1862-1945), neurologista pioneira responsável por investigar os efeitos da fadiga na saúde mental e emocional;
  • Sheila Nirenberg, neurocientista que trabalha na codificação neural e no desenvolvimento de dispositivos protéticos capazes de se comunicar diretamente com o cérebro;
  • Audrey S. Penn (nascida em 1934), neurologista conhecida pelas suas pesquisas na bioquímica da fraqueza muscular, nomeadamente na miastenia gravis;
  • Susan Perlman (nascida em 1949), neurologista e neurogeneticista que investiga a ataxia de Friedreich;
  • Candace Pert (1946-2013), neurocientista e farmacologista conhecida por ter descoberto o receptor opiáceo, o local de ligação celular para endorfinas no cérebro;
  • Laura-Ann Petitto (nascida em 1954), neurocientista cognitiva conhecida pela sua pesquisa neurolinguística, incluindo o trabalho sobre a capacidade de linguagem dos chimpanzés;
  • Marina Picciotto (nascida em 1963), neurocientista conhecida pelo seu trabalho sobre o papel da nicotina no vício, memória e comportamentos de recompensa;
  • Nicole Prause, neurocientista que pesquisa o comportamento sexual humano, vício e a fisiologia da resposta sexual;
  • Caroline Palavicino-Maggio, neurocientista que explora como a expressão gênica em neurônios de amina e circuitos neurais leva a mudanças no comportamento social, especificamente agressão, em Drosophila;
  • Gina Poe, neurocientista que estuda o sono e como a atividade neural durante o sono REM é crucial para a memória e a aprendizagem;
  • Priya Rajasethupathy, neurocientista que pesquisa o desenvolvimento da memória ao longo do tempo, observando e manipulando circuitos neurais;
  • Isabelle Rapin (1927–2017), neurologista e pediatra suíço-americana cujas contribuições cientifícas desmistifcaram para a compreensão do autismo e dos distúrbios da linguagem;
  • Judith L. Rapoport, psiquiatra conhecida por estudar a fenomenologia clínica, neurobiologia e o tratamento da esquizofrenia de início na infância;
  • Brenda Rapp, neurocientista e editora da Cognitive Neuropsychology, conhecida pelas suas pesquisas sobre a produção de palavras escritas e disgrafia;
  • Lorna Role (nascida em 1953), neurofisiologista que estuda o papel dos circuitos colinérgicos e sinalização na memória do desenvolvimento ao envelhecimento;
  • Kaitlyn Rarick(nascida em 2000), neurocientista e criadora do Brainsplain, um podcast criado para explorar o potencial do cérebro e do sistema nervoso;
  • Linda Restifo, neurocientista que estuda as mudanças no desenvolvimento do cérebro que levam a distúrbios cognitivos;
  • Barbara Rothbaum, psicóloga e pioneira no tratamento de transtornos relacionados à ansiedade;
  • Vanessa Ruta, neurocientista conhecida por investigar circuitos quimiossensoriais por trás de comportamentos inatos e aprendidos na mosca Drosophila melanogaster;
  • Carolyn I. Rodriguez, neurocientista e psiquiatra que desenvolve terapias rápidas para transtorno obsessivo-compulsivo e o transtorno de acumulação;
  • Eleanor Saffran (1939-2002), neurocientista conhecida como pesquisadora no campo da neuropsicologia cognitiva;
  • Cara Santa Maria (nascida em 1983), comunicadora de ciência e psicóloga;
  • Rebecca Saxe, neurocientista cognitiva que trabalha na teoria da mente, a plasticidade do córtex e os substratos neurais da empatia e atribuição de emoção;
  • Amita Sehgal, neurocientista celular e molecular que trabalha em ritmos circadianos e sono;
  • Dorothy P. Schafer, neurobiologista com foco no papel da microglia no desenvolvimento de sinapses e circuitos cerebrais;
  • Carla J. Shatz (nascida em 1947), uma das pioneiras que determinou alguns dos princípios básicos do desenvolvimento inicial do cérebro;
  • Erin M. Schuman (nascida em 1963), neurobióloga que estuda sinapses neuronais;
  • Rosalind A. Segal (nascida em 1958), neurobióloga que estuda como a ruptura do cérebro dos mamíferos leva à formação de malignidades cerebrais;
  • Pamela Sklar (1959-2017), psiquiatra e neurocientista conhecida pelos seus estudos e descoberta de genes em larga escala no transtorno bipolar e esquizofrenia;
  • Esther Somerfeld-Ziskind (1901-2002), neurologista e psiquiatra conhecida pelas suas pesquisas pioneiras sobre o uso de insulina, lítio e terapia eletroconvulsiva para o tratamento de distúrbios psiquiátrico;
  • Tara Spires-Jones, neurocientista com foco na degeneração das conexões sinapses entre as células cerebrais neuronais na doença de Alzheimer;
  • Beth Stevens (nascida em 1970), neurocientista conhecida por trabalhar no papel da microglia e proteínas do complemento na remoção de células sinápticas durante o desenvolvimento do cérebro;
  • Wendy Suzuki, neurocientista que pesquisa a neuroplasticidade e como o cérebro é capaz de mudar e se adaptar ao longo da vida de uma pessoa;
  • Susan Swedo, neurocientista que realiza pesquisas sobre as causas e tratamento de distúrbios neuropsiquiátricos pediátricos;
  • Anne Schaefer, neurocientista e neuroimunologista que investiga os mecanismos epigenéticos da plasticidade celular e seu papel na regulação das interações microglia-neurônio;
  • Carsen Stringer, neurocientista computacional e líder de grupo Janelia Research Campus da Howard Hughes Medical Institute, sendo reconhecida pelos métudos que utiliza com aprendizado de máquina e redes neurais profundas para visualizar gravações neurais em larga escala e, em seguida, sondar os cálculos neurais que dão origem ao processamento visual em ratos;
  • Viviane Tabar, neurocirurgiã que pesquisa sobre biologia de células-tronco e estratégias para terapias baseadas em células para o reparo de lesão cerebral induzida por radiação;
  • Paula Tallal (nascida em 1947), neurocientista que pesquisa sobre dislexia e outros distúrbios de codificação de palavras;
  • Carol Tamminga, psiquiatra e neurocientista com foco no tratamento de doenças psicóticas, como esquizofrenia, transtorno bipolar psicótico e transtorno esquizoafetivo;
  • Jill Bolte Taylor (nascida em 1959), neuroanatomista e autora do livro My Stroke of Insight;
  • Sally Temple, neurocientista com foco em células-tronco neurais e terapias relacionadas a distúrbios oculares, cerebrais e da medula espinhal;
  • Sujata Tewari (1938–2000), neurocientista indiana-americana conhecida pelo seu trabalho na demonstração de que o consumo crônico de álcool inibe o metabolismo de proteínas no cérebro dos roedores;
  • Lin Tian (nascida em 1978), bioquímica e neurocientista com foco no desenvolvimento de ferramentas moleculares e aplicação para sondagem neuroquímica;
  • Doris Tsao, neurocientista de sistemas conhecida por ser uma das pioneiras na fMRI ao utilizar gravações eletrofisiológicas de unidade única e por descobrir o sistema de remendo facial de macaco para percepção facial;
  • Gina G. Turrigiano, neurocientista que pesquisa redes corticais e função de rede estromográstica;
  • Kay Tye (nascida em 1981), neurocientista com foco em optogenética para identificar conexões no cérebro envolvidas na emoção inata, motivação e comportamentos sociais:
  • Malú G. Tansey, neurocientista que investiga o papel das interações neuroimunes no desenvolvimento e progressão de doenças neurodegenerativas e neuropsiquiátricas;
  • Leslie Ungerleider (nascida em 1946), psicóloga experimental e neurocientista conhecida por introduzir os conceitos das correntes dorsal e ventral;
  • Ashley Van Zeeland (nascida em 1982), neurocientista com foco em genômica, genética e biotecnologia nas áreas de autismo e anorexia nervosa;
  • Joan Venes (1935-2010), neurocirurgiã conhecido por ajudar a desenvolver a prática da neurocirurgia em crianças;
  • Nora Volkow (nascida em 1956), psiquiatra mexicano-americana e neurocientista que realiza estudos de imagem do cérebro de pessoas viciadas em drogas;
  • Leslie B. Vosshall (nascida em 1965), neurobióloga conhecida pelas suas contribuições no estudo do olfato, particularmente a descoberta e caracterização da família de receptores olfativos de insetos;
  • Joni Wallis, neurofisiologista que investiga como o córtex frontal do cérebro é funcionalmente organizado para ajudar as pessoas a definir e atingir metas no nível de neurônios individuais;
  • Jade Wang (nascida em 1983), programadora de computador e neurocientista conhecida como uma das co-fundadoras do projeto de código aberto Sandstorm;
  • Heather Williams (nascida em 1955), neurocientista, ornitóloga e autora conhecida pelo seu livro Neurobiologia comportamental do canto dos pássaros;
  • Rachel Wilson, neurobióloga que trabalha nas áreas de eletrofisiologia, neurofarmacologia, genética molecular e anatomia funcional;
  • Catherine Woolley (nascida em 1965), neuroendocrinologista que estuda a neurociência celular e molecular em relação ao cérebro e comportamento;
  • Sarah MN Woolley, neurocientista que estuda a neurociência da comunicação, usando pássaros canoros para entender como o cérebro aprende e entende a comunicação vocal;
  • Ilana B. Witten, neurocientista que estuda os circuitos de recompensa dopaminérgicos do mesencéfalo, com foco nos mecanismos do circuito neural estriatal que conduzem o aprendizado de recompensas e a tomada de decisões;
  • Anne B. Young, médica e neurocientista que trabalha com doenças neurodegenerativas, incluindo a doença de Huntington e a doença de Parkinson;
  • Phyllis Zee, neurologista que pesquisa sobre o sono básico e translacional e ritmo circadiano;
  • Huda Zoghbi (nascida em 1954), geneticista americana nascida no Líbano que estuda sobre o MECP2 e descobriu que a superexpressão da proteína em roedores levava a um distúrbio neurológico semelhante ao autismo.
 
Riitta Hari, neurocientista finlandesa, no Science Forum 2011 em Helsinque

FinlândiaEditar

FrançaEditar

GréciaEditar

 
Elizabeth Roboz Einstein (1904-1995), bioquímica pioneira e neurocientista da Hungria

HungriaEditar

ÍndiaEditar

IrlandaEditar

IsraelEditar

ItáliaEditar

  • Maria Luisa Gorno-Tempini, neurocientista com foco na neurologia comportamental, particularmente no substrato neural da linguagem e da memória;
  • Rita Levi-Montalcini (1909-2012), laureada com o Prémio Nobel pelo seu trabalho no campo da neurobiologia;
  • Raffaella Rumiati, neurocientista cognitiva;
  • Maria Grazia Spillantini, investigadora dos mecanismos que levam à neurodegeneração;
  • Camilla Bellone (nascida em 1975), neurocientista que explora os mecanismos moleculares e os circuitos neurais subjacentes ao comportamento social e investiga como os defeitos no nível molecular e de circuito dão origem a estados de doença psiquiátrica;

JapãoEditar

  • Noriko Osumi, especialista em neuroembriologia e neurociência do desenvolvimento para revelar o esquema da mente humana em termos de desenvolvimento do cérebro;

LíbanoEditar

LituâniaEditar

  • Urtė Neniškytė (nascida em 1983), investigadora na interação de neurônios e células imunes no cérebro;[120]

MéxicoEditar

Nova ZelândiaEditar

  • Marianne Fillenz (1924-2012), neurocientista nascida na Roménia, reconhecida pela sua pesquisa sobre a fisiologia do sistema nervoso autônomo;
  • Jenny Morton, neurobiologista especializada em doenças neurodegenerativas;

NoruegaEditar

Países BaixosEditar

  • Astrid Linthorst, neurocientista especializada em neuroquímica e neuroendocrinologia de estresse e comportamento;
  • Sabine Spijker, neurocientista que pesquisa sobre o efeito de doenças neuropsiquiátricas na cognição;
  • Eveline Crone (nascida em 1975), professora de neurociência cognitiva e psicologia do desenvolvimento, reconhecida pelo seu trabalho sobre a função de comportamentos de risco em adolescentes púberes;

PaquistãoEditar

  • Aafia Siddiqui (nascida em 1972), neurocientista condenada por sete acusações de tentativa de homicídio e agressão de pessoal dos EUA;
 
Nathalie Zand

PolóniaEditar

  • Łucja Frey (1889–c.1942), neurologista reconhecida por descrever a síndrome do nervo auriculotemporal, agora amplamente conhecida como "síndrome de Frey"
  • Małgorzata Kossut (nascida em 1950), neurocientista especializada em neuroplasticidade e mecanismos neurais de aprendizagem e memória;
  • Liliana Lubińska (1904–1990), neurocientista conhecida pela sua pesquisa sobre o sistema nervoso periférico e a descoberta do transporte axoplasmático bidirecional;
  • Irena Nalepa (nascida em 1951), neurocientista, farmacologista e bioquímica;
  • Nathalie Zand (c.1884–1942), neurologista reconhecida por ter estudado o plexo coróide e ter publicado a obra Les plexus coroides: Anatomie, physiologie, pathologie;

PortugalEditar

Reino UnidoEditar

RoméniaEditar

RússiaEditar

  • Natalia Bekhtereva (1924-2008), neurocientista e psicóloga conhecida por ter desenvolvido várias abordagens neurofisiológicas para a psicologia;
  • Svetlana Dambinova (nascida em 1949), neurocientista reconhecida pela sua pesquisa sobre receptores de glutamato;
  • Angelina Guskova (1924-2015), neurologista, neurocirurgiã e especialista em proteção contra radiação;
  • Ol'ga Leonova (c.1851- c.1890–1910), embriologista e médica reconhecida por pesquisar distúrbios congênitos e a conexão entre danos no sistema nervoso central e doenças oculares;
  • Taisiya Sergeevna Osintseva (1923-2008), neurologista cujos estudos focavam-se em infecções nidal selvagens crônicas do sistema nervoso;
  • Tatiana Rosenthal (1885-1921), psicanalista, médica e especialista em neurologia;
  • Olga Vinogradova (1929-2001), neurocientista cognitiva;

SuéciaEditar

  • Annica Dahlström (nascida em 1941), neurocientista com foco de pesquisa em como as células nervosas armazenam e transportam sinais;
  • Isabelle Dussauge, neurocientista cognitiva que cofundou a Rede NeuroGenderings;
  • Mouna Esmaeilzadeh (nascida em 1980), neurocientista e empresária iraniana-sueca conhecida pela sua clínica de longevidade, a qual utiliza análises genéticas como parte de exames avançados de saúde em seus pacientes;
  • Pam Fredman (nascida em 1950), neurocientista, presidente da Associação Internacional de Universidades (International Association of Universities);

SuíçaEditar

PeruEditar

ReferênciasEditar

  1. «Argentina es el país de América Latina con más científicas premiadas por la UNESCO». Billiken (em espanhol). Consultado em 8 de julho de 2022 
  2. «Cecilia Bouzat, la reconocida científica que se convirtió en referente mundial». La Brújula 24 (em espanhol). Consultado em 8 de julho de 2022 
  3. «Neuroscientist Lyn Beazley is WA's Australian of the Year». ABC News (em inglês). 15 de novembro de 2014. Consultado em 8 de julho de 2022 
  4. «Australia's top scientists elected as Fellows of the Academy | Australian Academy of Science». www.science.org.au (em inglês). Consultado em 8 de julho de 2022 
  5. Carey, Leeanne M. (28 de junho de 2012). Stroke Rehabilitation: Insights from Neuroscience and Imaging (em inglês). [S.l.]: OUP USA 
  6. Lucy)), Gregor T. POPA (and FIELDING (Una (1934). Studies on Hypophysis and Its Relations. [With Plates, and a Bibliography.]. (em inglês). [S.l.: s.n.] 
  7. Shepherd, Roberta B. (20 de setembro de 2013). Cerebral Palsy in Infancy: targeted activity to optimize early growth and development (em inglês). [S.l.]: Elsevier Health Sciences 
  8. Sousa, Nuno (21 de julho de 2021). Frontiers in Behavioral Neuroscience - Editor’s Pick 2021 (em inglês). [S.l.]: Frontiers Media SA 
  9. Meeting, Australian Neuroscience Society (1987). Australian Neuroscience Proceedings: Abstracts of the Seventh Meeting of the Australian Neuroscience Society, Newcastle, Australia, February 3-5, 1987 (em inglês). [S.l.]: Elsevier Scientific Publishers Ireland 
  10. Meeting, Cognitive Neuroscience Society (2007). Cognitive Neuroscience Society ... Annual Meeting Abstract Program (em inglês). [S.l.]: MIT Press 
  11. Tawil, Rabi; Venance, Shannon (7 de setembro de 2011). Neuromuscular Disorders (em inglês). [S.l.]: John Wiley & Sons 
  12. North, Kathryn; Association, International Child Neurology (30 de janeiro de 1997). Neurofibromatosis Type 1 in Childhood (em inglês). [S.l.]: Cambridge University Press 
  13. «My Father's Beautiful Brain: How a Traumatic Brain Injury Changed Our Family Forever». CNET (em inglês). Consultado em 8 de julho de 2022 
  14. Ponsford, Jennie (23 de janeiro de 2004). Cognitive and Behavioral Rehabilitation: From Neurobiology to Clinical Practice (em inglês). [S.l.]: Guilford Press 
  15. Pettigrew, J. D.; Sanderson, K. J.; Levick, W. R. (18 de dezembro de 1986). Visual Neuroscience (em inglês). [S.l.]: CUP Archive 
  16. Lagercrantz, Hugo; Hanson, M. A.; Ment, Laura R.; Peebles, Donald M. (7 de janeiro de 2010). The Newborn Brain: Neuroscience and Clinical Applications (em inglês). [S.l.]: Cambridge University Press 
  17. Rockland, Kathleen (21 de novembro de 2015). Axons and Brain Architecture (em inglês). [S.l.]: Academic Press 
  18. The Journal of Neuroscience. [S.l.: s.n.] 
  19. «Sleep disturbance in autism spectrum disorders: Recent advances in research and practice | APS». psychology.org.au (em inglês). Consultado em 8 de julho de 2022 
  20. Rinehart, Nicole J.; Bradshaw, John L.; Enticott, Peter G. (14 de outubro de 2016). Developmental Disorders of the Brain (em inglês). [S.l.]: Psychology Press 
  21. Centre for Transformative Innovation, Swinburne University of Technology. «Rogers, Lesley Joy - Person - Encyclopedia of Australian Science and Innovation». www.eoas.info (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  22. «'We need disruptive systemic change': Professor Renae Ryan on diversity in STEMM». Women's Agenda (em inglês). 24 de abril de 2019. Consultado em 9 de julho de 2022 
  23. Johnston, Michael V.; Adams, Harold P.; Fatemi, Ali (2016). Neurobiology of Disease (em inglês). [S.l.]: Oxford University Press 
  24. Bui, Esther; Klein, Autumn; Klein, Autumn M. (31 de julho de 2014). Women with Epilepsy: A Practical Management Handbook (em inglês). [S.l.]: Cambridge University Press 
  25. «Alexandra Adler, 99, was one of Harvard's first women neurologists». Harvard Gazette (em inglês). 18 de janeiro de 2001. Consultado em 9 de julho de 2022 
  26. Fink, George (24 de outubro de 2020). Stress: Genetics, Epigenetics and Genomics: Volume 4: Handbook of Stress (em inglês). [S.l.]: Academic Press 
  27. Kloet, E. Ronald de; Oitzl, Melly S.; Vermetten, Eric (18 de dezembro de 2007). Stress Hormones and Post Traumatic Stress Disorder: Basic Studies and Clinical Perspectives (em inglês). [S.l.]: Elsevier 
  28. Kato, N.; Kawata, M.; Pitman, R. K. (3 de julho de 2007). PTSD: Brain Mechanisms and Clinical Implications (em inglês). [S.l.]: Springer Science & Business Media 
  29. «Mulher Cabeça - Tpm». Trip. Consultado em 9 de julho de 2022 
  30. «A mulher que encolheu o cérebro humano». O Globo. 24 de maio de 2013. Consultado em 9 de julho de 2022 
  31. «Suzana Herculano-Houzel: "Fazemos ciência no Brasil em condições miseráveis"». epoca.globo.com. Consultado em 9 de julho de 2022 
  32. Nobre, Anna C.; Nobre, Kia; Coull, Jennifer Theresa (2010). Attention and Time (em inglês). [S.l.]: Oxford University Press 
  33. Jennings, Carolyn Dicey (5 de março de 2020). The Attending Mind (em inglês). [S.l.]: Cambridge University Press 
  34. Kirmayer, Laurence J.; Lemelson, Robert; Barad, Mark (15 de janeiro de 2007). Understanding Trauma: Integrating Biological, Clinical, and Cultural Perspectives (em inglês). [S.l.]: Cambridge University Press 
  35. Cicchetti, Dante (3 de fevereiro de 2016). Developmental Psychopathology, Developmental Neuroscience (em inglês). [S.l.]: John Wiley & Sons 
  36. «Community Newsletter: Lab collaborations, interneuron network expansion, DDX3X». Spectrum | Autism Research News (em inglês). 3 de julho de 2022. Consultado em 9 de julho de 2022 
  37. Windhorst, Uwe; Johansson, Hakan (6 de dezembro de 2012). Modern Techniques in Neuroscience Research (em inglês). [S.l.]: Springer Science & Business Media 
  38. Pain Neuroethics and Bioethics (em inglês). [S.l.]: Academic Press. 27 de setembro de 2018 
  39. Network, The Learning (29 de abril de 2021). «From Babbling to Birdsong: What Finches Can Teach Us About Vocal Learning». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 9 de julho de 2022 
  40. «The cultural lives of birds». Knowable Magazine | Annual Reviews (em inglês). 19 de janeiro de 2022. doi:10.1146/knowable-011922-1. Consultado em 9 de julho de 2022 
  41. Llewellyn, Kristina R.; Ng-A-Fook, Nicholas (12 de setembro de 2019). Oral History, Education, and Justice: Possibilities and Limitations for Redress and Reconciliation (em inglês). [S.l.]: Routledge 
  42. Trace Amines. [S.l.: s.n.] 
  43. Greaves, Lorraine; Poole, Nancy; Boyle, Ellexis (10 de abril de 2015). Transforming Addiction: Gender, Trauma, Transdisciplinarity (em inglês). [S.l.]: Routledge 
  44. «InteraXon knows what the pandemic did to our brains | BetaKit» (em inglês). 12 de março de 2021. Consultado em 9 de julho de 2022 
  45. «Muse meditation device melds science and style for Toronto co-creator». thestar.com (em inglês). 3 de janeiro de 2016. Consultado em 9 de julho de 2022 
  46. Gauthier, Isabel (30 de junho de 2022). «People vary a lot in how well they recognize, match or categorize the things they see – researchers attribute this skill to an ability they call 'o'». Chron (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  47. «What Is "O"? The Ability That Could Explain Differences In Our Perceptual Skills». IFLScience (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  48. Gauthier, Professor of Psychology Isabel; Tarr, Professor of Cognitive and Linguistic Sciences Michael (4 de fevereiro de 2010). Perceptual Expertise: Bridging Brain and Behavior (em inglês). [S.l.]: Oxford University Press, USA 
  49. «Dennis and Mireille Gillings Foundation donation unites funders for £1.35 million program». EurekAlert! (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  50. Brown, G. (10 de março de 2015). The Independent Director: The Non-Executive Director’s Guide to Effective Board Presence (em inglês). [S.l.]: Springer 
  51. Politis, Marios; Natale, Edoardo Rosario de; Wilson, Heather (1 de novembro de 2022). Neuroimaging in Parkinson’s Disease and Related Disorders (em inglês). [S.l.]: Academic Press 
  52. «Como o cheiro do escritório pode melhorar (ou atrapalhar) seu desempenho». www.uol.com.br. Consultado em 9 de julho de 2022 
  53. Herz, Rachel Sarah (1992). The Relationship Between Odor and Emotional Memory (em inglês). [S.l.: s.n.] 
  54. Illes, Professor of Neurology Canada Research Chair in Neuroethics and Director of the National Core for Neuroethics Judy (2006). Neuroethics: Defining the Issues in Theory, Practice, and Policy (em inglês). [S.l.]: Oxford University Press 
  55. Gaskell, Gareth; Mirković, Jelena (4 de outubro de 2016). Speech Perception and Spoken Word Recognition (em inglês). [S.l.]: Psychology Press 
  56. Pressnitzer, Daniel; Cheveigne, Alain de; McAdams, Stephen; Collet, Lionel (14 de março de 2006). Auditory Signal Processing: Physiology, Psychoacoustics, and Models (em inglês). [S.l.]: Springer Science & Business Media 
  57. University, Carnegie Mellon. «Sheena Josselyn To Receive Andrew Carnegie Prize in Mind and Brain Science - News - Carnegie Mellon University». www.cmu.edu (em inglês). Consultado em 9 de Julho de 2022 
  58. «Engramas podem ser a unidade básica da nossa memória». Diário da Saúde. 17 de janeiro de 2020. Consultado em 9 de julho de 2022 
  59. «Women in Medicine Conference Celebrates Gender Equity». News Center (em inglês). 25 de abril de 2022. Consultado em 9 de julho de 2022 
  60. Simner, Julia; Hubbard, Edward M. (23 de outubro de 2018). The Oxford Handbook of Synesthesia (em inglês). [S.l.]: Oxford University Press 
  61. Maurer, Charles; Maurer, Daphne (22 de agosto de 2019). Pretty Ugly: Why We Like Some Songs, Faces, Foods, Plays, Pictures, Poems, Etc., and Dislike Others (em inglês). [S.l.]: Cambridge Scholars Publishing 
  62. «La percepción y la memoria son claves para evitar enfermedades cerebrales». La Vanguardia (em espanhol). 22 de junho de 2022. Consultado em 9 de julho de 2022 
  63. McGaugh, James L.; Shaw, Gordon L. (1990). Neurobiology of Learning and Memory (em inglês). [S.l.]: World Scientific 
  64. Murphy, Kathryn Mary (1989). Threatened Perinatal Loss: Defining and Managing Strategies Used by Parents of Critically Ill Infants (em inglês). [S.l.]: University of Illinois at Chicago 
  65. Glannon, Walter (31 de agosto de 2021). Neural Prosthetics: Neuroscientific and Philosophical Aspects of Changing the Brain (em inglês). [S.l.]: Oxford University Press 
  66. Opris, Ioan; Lebedev, Mikhail A.; Casanova, Manuel F. (25 de agosto de 2021). Modern Approaches to Augmentation of Brain Function (em inglês). [S.l.]: Springer Nature 
  67. Bella, Simone Dalla; Penhune, Virginia Burdet; Kraus, Nina; Overy, Katie; Pantev, Christo; Snyder, Joel S. (setembro de 2009). The Neurosciences and Music III: Disorders and Plasticity, Volume 1169 (em inglês). [S.l.]: John Wiley & Sons 
  68. Higgins, Kathleen Marie (junho de 2012). The Music Between Us: Is Music a Universal Language? (em inglês). [S.l.]: University of Chicago Press 
  69. Dubé, Karine; Kanazawa, John; Patel, Hursch; Louella, Michael; Sylla, Laurie; Sheehy, Jeff; Dee, Lynda; Taylor, Jeff; Adair, Jen (9 de abril de 2022). «Ethical and practical considerations for cell and gene therapy toward an HIV cure: findings from a qualitative in-depth interview study in the United States». BMC Medical Ethics (1). 39 páginas. ISSN 1472-6939. PMC 8994300  Verifique |pmc= (ajuda). PMID 35397551 Verifique |pmid= (ajuda). doi:10.1186/s12910-022-00780-1. Consultado em 9 de julho de 2022 
  70. Kaneez, Fatima Shad (26 de setembro de 2011). Underlying Mechanisms of Epilepsy (em inglês). [S.l.]: BoD – Books on Demand 
  71. Bury, Louis; Bury, Louis (2 de fevereiro de 2022). «Reaching Beyond the Human». ARTnews.com (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  72. Fan, Deboleena Roy,Jes; Roy, Deboleena; Fan, Jes (2 de abril de 2021). «God is the Microsphere». ARTnews.com (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  73. June 28, Michael Egnor; Mind, 2022 7 Philosophy of (29 de junho de 2022). «Is Consciousness the Sort of Thing That Could Have Evolved?». Mind Matters (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  74. Davidson, Richard J.; Hugdahl, Kenneth (1996). Brain Asymmetry (em inglês). [S.l.]: MIT Press 
  75. American Men and Women of Science: Physical and biological sciences (em inglês). [S.l.]: Bowker. 1976 
  76. Soh, Debra (4 de agosto de 2020). The End of Gender: Debunking the Myths about Sex and Identity in Our Society (em inglês). [S.l.]: Simon and Schuster 
  77. Elster, Jon (28 de outubro de 1999). Addiction: Entries and Exits (em inglês). [S.l.]: Russell Sage Foundation 
  78. «Indre Viskontas: What Can Neuroscience Teach Us About Music?». NPR.org (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  79. «Folha de S.Paulo - Ciência - Cérebro de Einstein era mais complexo que o normal - 19/11/2012». Folha online. Consultado em 9 de julho de 2022 
  80. Ferreira, Marta Leite. «Einstein. Mais de 60 anos a explorar o cérebro de um génio». Observador. Consultado em 9 de julho de 2022 
  81. «Albert Einstein's brain continues to fascinate — in Hamilton». thestar.com (em inglês). 15 de outubro de 2015. Consultado em 9 de julho de 2022 
  82. Laming, Peter R.; Syková, Eva; Reichenbach, Andreas; Hatton, Glenn I.; Bauer, Herbert (28 de junho de 1998). Glial Cells: Their Role in Behaviour (em inglês). [S.l.]: Cambridge University Press 
  83. Yamaguchi, Takenori; Mori, Etsuro; Minematsu, Kazuo; DelZoppo, Gregory J. (6 de dezembro de 2012). Thrombolytic Therapy in Acute Ischemic Stroke III (em inglês). [S.l.]: Springer Science & Business Media 
  84. Knudsen, Gitte Moos (1999). Brain '99: Copenhagen, Denmark, June 13 - 17, 1999 (em inglês). [S.l.]: Lippincott Williams & Wilkins 
  85. Bigos, Kristin L.; Hariri, Ahmad R.; Weinberger, Daniel R. (3 de fevereiro de 2016). Neuroimaging Genetics: Principles and Practices (em inglês). [S.l.]: Oxford University Press 
  86. Pang, Alex Soojung-Kim (6 de dezembro de 2016). Rest: Why You Get More Done When You Work Less (em inglês). [S.l.]: Penguin Books Limited 
  87. Kohler, William C.; Kurz, Peter J. (6 de julho de 2017). Hypnosis in the Management of Sleep Disorders (em inglês). [S.l.]: Taylor & Francis 
  88. McCook, Author Alison (12 de setembro de 2017). «Copenhagen revokes degree of controversial neuroscientist Milena Penkowa». Retraction Watch (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  89. Callaway, Ewen (7 de janeiro de 2011). «Fraud investigation rocks Danish university». Nature (em inglês). ISSN 1476-4687. doi:10.1038/news.2011.703. Consultado em 9 de julho de 2022 
  90. «Penkowa opgiver forsøg på at vinde doktorgrad tilbage». DR (em dinamarquês). 16 de janeiro de 2020. Consultado em 9 de julho de 2022 
  91. «Neurocientista norte-americana do Centro Champalimaud recebe bolsa europeia de dois milhões euros». www.sapo.pt. Consultado em 9 de julho de 2022 
  92. Nummenmaa, Lauri; Glerean, Enrico; Hari, Riitta; Hietanen, Jari K. (14 de janeiro de 2014). «Bodily maps of emotions». Proceedings of the National Academy of Sciences (em inglês) (2): 646–651. ISSN 0027-8424. PMC PMC3896150  Verifique |pmc= (ajuda). PMID 24379370. doi:10.1073/pnas.1321664111. Consultado em 9 de julho de 2022 
  93. Grönvall, Ursula. «Aivotutkija Riitta Hari sai Tiedeakatemian arvostetuimman tunnustuksen». Mediuutiset (em finlandês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  94. «Professor Miia Kivipelto awarded 2021 Melvin R. Goodes Prize | Imperial News | Imperial College London». Imperial News (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  95. Medicine, UBC Faculty of (18 de junho de 2022). «How the Brain Changes During Depression Treatment». SciTechDaily (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  96. «Sophia Frangou appointed UBC President's Excellence Chair in Brain Health». UBC Faculty of Medicine (em inglês). 22 de outubro de 2019. Consultado em 9 de julho de 2022 
  97. Moss Bendtsen, Kristian; Jensen, Mogens H.; Krishna, Sandeep; Semsey, Szabolcs (14 de setembro de 2015). «The role of mRNA and protein stability in the function of coupled positive and negative feedback systems in eukaryotic cells». Scientific Reports (em inglês) (1). 13910 páginas. ISSN 2045-2322. doi:10.1038/srep13910. Consultado em 9 de julho de 2022 
  98. Special Issue Dedicated to Elizabeth Roboz-Einstein (em inglês). [S.l.]: Plenum Press. 1984 
  99. Einstein, Elizabeth Roboz (1982). Proteins of the Brain and CSF in Health and Disease (em inglês). [S.l.]: Thomas 
  100. Krstić, Djordje (2004). Mileva & Albert Einstein: Their Love and Scientific Collaboration (em inglês). [S.l.]: Didakta d.o.o. Radovljica 
  101. Reporter, Staff (15 de novembro de 2018). «Asia's first woman neurosurgeon, T.S. Kanaka, dies at 86». Chennai. The Hindu (em inglês). ISSN 0971-751X. Consultado em 9 de julho de 2022 
  102. Wangchuk, Rinchen Norbu (16 de novembro de 2018). «Asia's 1st Woman Neurosurgeon Dies: Remembering the Chennai Lady Who Created History». The Better India (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  103. Patel, Tanvi (11 de maio de 2020). «600+ Scientists Create Online Platform to Debunk Rumours, Hoaxes About COVID-19». The Better India (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  104. Desikan, Shubashree (4 de agosto de 2018). «Traffic jams in the brain». The Hindu (em inglês). ISSN 0971-751X. Consultado em 9 de julho de 2022 
  105. Balasubramanian, D. (25 de dezembro de 2021). «Using music to better manage dementia». The Hindu (em inglês). ISSN 0971-751X. Consultado em 9 de julho de 2022 
  106. Prasad, R. (10 de fevereiro de 2018). «IISc team identifies an early-stage biomarker for Alzheimer's». The Hindu (em inglês). ISSN 0971-751X. Consultado em 9 de julho de 2022 
  107. «Everyone is predicting a third wave: Dr M V Padma Srivastava of AIIMS». ANI News (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  108. «Neurologist Prof M V Padma Srivastava is new director of Nimhans». Deccan Herald (em inglês). 26 de dezembro de 2020. Consultado em 9 de julho de 2022 
  109. «International Day of Women and Girls in Science: In India, old hurdles, new solutions for gender equality in STEM». The Indian Express (em inglês). 15 de fevereiro de 2022. Consultado em 9 de julho de 2022 
  110. «Lack of support, not 'likeable' — why India doesn't have more women in science». ThePrint (em inglês). 11 de fevereiro de 2021. Consultado em 9 de julho de 2022 
  111. «Asia's Rising Scientists: Vidita Vaidya». Asian Scientist Magazine (em inglês). 29 de agosto de 2016. Consultado em 9 de julho de 2022 
  112. «City briefs : Shashi Wadhwa is new dean of AIIMS». The Indian Express (em inglês). 5 de maio de 2012. Consultado em 9 de julho de 2022 
  113. Singh, R. Naresh; Strausfeld, Nicholas J. (11 de novembro de 2013). Neurobiology of Sensory Systems (em inglês). [S.l.]: Springer Science & Business Media 
  114. «Real-world spatial memory following temporal-lobe surgery in humans. - ProQuest». www.proquest.com. Consultado em 9 de julho de 2022 
  115. UCL (29 de maio de 2018). «Professor Eleanor Maguire becomes Honorary Member of the Royal Irish Academy». UCL Queen Square Institute of Neurology (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  116. «World-first guidelines for children with common inherited nerve disorder». EurekAlert! (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  117. Clarke, Charles; Howard, Robin; Shorvon, Simon; Rossor, Martin (9 de setembro de 2011). Neurology: A Queen Square Textbook (em inglês). [S.l.]: John Wiley & Sons 
  118. MacDonald, Evan (15 de junho de 2022). «Texas Children's Hospital, Baylor neurologist Dr. Huda Zoghbi wins prestigious Kavli Prize». Houston Chronicle (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  119. Media, Scientific American Custom. «The Kavli Prize Presents: Understanding Neurodevelopment and Neurodegeneration [Sponsored]». Scientific American (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  120. Barker, Roger A.; Cicchetti, Francesca (3 de novembro de 2014). Innate immunity and neurodegenerative disorders (em inglês). [S.l.]: Frontiers E-books 
  121. «Necesario incrementar presencia femenina en centros de investigación, dice la doctora Mónica Andrea López». Códice Informativo (em espanhol). 11 de fevereiro de 2021. Consultado em 9 de julho de 2022 
  122. Innovaspain (4 de dezembro de 2017). «Mónica Andrea López Hidalgo, de la Universidad Autónoma de Querétaro (México)». innovaspain (em espanhol). Consultado em 9 de julho de 2022 
  123. Digital, Bismuto Labs-Web Design e Marketing (18 de fevereiro de 2022). «Música e neurociências cruzam-se no Porto e em Lisboa com a estreia nacional do Quarteto Hermès e uma intervenção do cientista Nuno Sousa». Comunidade Cultura e Arte. Consultado em 9 de julho de 2022 
  124. Damasio, Hanna; Damasio, Antonio R. (1989). Lesion Analysis in Neuropsychology (em inglês). [S.l.]: Oxford University Press 
  125. Weiss, G.; Wodak, R. (18 de outubro de 2007). Critical Discourse Analysis: Theory and Interdisciplinarity (em inglês). [S.l.]: Springer 
  126. Opris, Ioan; Casanova, Manuel F. (1 de dezembro de 2017). The Physics of the Mind and Brain Disorders: Integrated Neural Circuits Supporting the Emergence of Mind (em inglês). [S.l.]: Springer 
  127. Fillenz, Marianne (25 de maio de 1990). Noradrenergic Neurons (em inglês). [S.l.]: Cambridge University Press 
  128. «Temperature, reproduction link holds promise for insect control». Cornell Chronicle (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022 
  129. «Chemical engineer, animal scientist win 2022 Schwartz awards». Cornell Chronicle (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2022