Abrir menu principal

Lista de regentes de Portugal

artigo de lista da Wikimedia

Regentes de PortugalEditar

Dinastia de BorgonhaEditar

Foto Nome Título Início da regência Fim da regência Regente em nome de Relação com o monarca Notas
  D. Sancho Infante de Portugal 1169 1185 D. Afonso Henriques filho e herdeiro Associados ao trono por seu pai após o Desastre de Badajoz (1169), exerceram co-regência devido à incapacidade física do progenitor. Sancho sucede-lhe no trono após a morte.
  D. Teresa Infanta de Portugal 1184 filha
  D. Afonso Infante de Portugal,
Conde de Bolougne-sur-Mer
1245 1247 D. Sancho II irmão Assume a regência com o título de Visitador, Procurador e Defensor do Reino, após a deposição do irmão do trono; assume a realeza após a sua abdicação e exílio.
  D. Leonor Teles de Meneses Rainha de Portugal 1383 1384 D. Beatriz mãe Exerce nominalmente a regência em nome de sua filha, casada com o rei de Castela, Juan I.

Dinastia de AvisEditar

Foto Nome Título Início da regência Fim da regência Regente em nome de Relação com o monarca Notas
  D. João Mestre de Avis 1384 1385 D. Fernando/D. Leonor Teles meio-irmão do defunto D. Fernando Exerce formalmente a regência, sob o título de Regedor e Defensor do Reino, primeiro em nome de seu meio-irmão, o homónimo infante D. João, e depois em seu nome até à sua aclamação nas Cortes de Coimbra de 1385.
  D. Duarte Infante de Portugal 1412 1433 D. João I filho e herdeiro Associado ao trono por seu pai em 1412, exerceu uma espécie de co-regência, subscrevendo vários diplomas, sucendo-lhe após a sua morte.
  D. Leonor de Aragão Rainha de Portugal 1438 1439 D. Afonso V mãe Regente em nome do filho menor, acaba por ser afastada da regência nas Cortes de Lisboa de 1439, na iminência de uma guerra civil com os apoiantes do cunhado, exilando-se em Castela.
  D. Pedro Infante de Portugal,
Duque de Coimbra
1439 1446 D. Afonso V tio Designado regente em nome do sobrinho nas Cortes de Lisboa de 1439, mantém-se em funções até este alcançar a maioridade
  D. Joana Infanta de Portugal 1471 1471 D. Afonso V filha Exerceu funções de regente durante a deslocação de seu pai e do príncipe herdeiro D. João II.
  D. João Príncipe de Portugal 1477 1481 D. Afonso V filho e herdeiro Entronizado nas Cortes de Santarém de 1477 por renúncia de seu pai, abdicou do trono em seu favor quando regressou ao reino, tendo no entanto, a pedido do monarca, conservado alguns poderes decisórios e subscrevendo, juntamente com o pai, vários diplomas régios.
  D. Leonor Rainha de Portugal 1497 1499 D. Manuel I irmã Exerceu funções de regente durante a deslocação do monarca às Coroas de Castela e Aragão, a fim de aí ver jurado seu filho, D. Miguel da Paz, como herdeiro das três coroas da Península.
  D. Catarina de Áustria Rainha de Portugal 1557 1562 D. Sebastião avó Regente na menoridade de seu neto, foi substituída pelo cunhado, cardeal-infante D. Henrique, nas Cortes de Lisboa de 1562.
  D. Henrique Infante de Portugal,
Cardeal da Igreja Católica,
Arcebispo de Lisboa e Évora,
Inquisidor-Mor do Reino
1562 1568 D. Sebastião tio-avô Regente na menoridade de seu sobrinho-neto, substituiu a sua cunhada, a rainha-viúva D. Catarina, nas Cortes de Lisboa de 1562.
  D. Henrique Infante de Portugal,
Cardeal da Igreja Católica,
Arcebispo de Lisboa e Évora,
Inquisidor-Mor do Reino
1578 1578 D. Sebastião tio-avô Regente durante a deslocação do monarca a Alcácer Quibir, acabaria por assumir o trono ao saber da notícia da morte do sobrinho.
Conselho de Governadores do Reino de Portugal 1580 1580 Nomeado pelo cardeal-rei ainda com as Cortes de Almeirim (1580) em funcionamento, era composto por D. Jorge de Almeida, arcebispo de Lisboa, D. Francisco de Sá de Meneses, camareiro-mor do reino; D. João Telo; D. João de Mascarenhas e D. Diogo Lopes de Sousa; exerceu funções até à aclamação de D. António, Prior do Crato, como rei de Portugal em Santarém, data em que se ausentaram de Lisboa e declararam sucessor do trono Filipe II de Espanha.

Dinastia de BragançaEditar

Foto Nome Título Início da regência Fim da regência Regente em nome de Relação com o monarca Notas
  D. Luísa de Gusmão Rainha de Portugal 1656 1662 D. Afonso VI mãe Designada regente durante a menoridade de seu filho segundo as disposições testamentárias do rei defunto.
  D. Pedro de Bragança Infante de Portugal,
Duque de Beja,
Senhor do Infantado
1668 1681 D. Afonso VI irmão e herdeiro Assume o poder após um golpe de Estado, sendo indigitado regente pelas Cortes de Lisboa de 1668.
  D. Catarina de Bragança Infanta de Portugal,
Rainha-viúva de Inglaterra
1701 1701 D. Pedro II irmã Assumiu a regência durante a doença prolongada que vitimou o rei nos seus últimos anos.
  D. Catarina de Bragança Infanta de Portugal,
Rainha-viúva de Inglaterra
1704 1705 D. Pedro II irmã Assumiu a regência durante a doença prolongada que vitimou o rei nos seus últimos anos.
  D. Mariana de Áustria Rainha de Portugal 1742 1750 João V esposa Assumiu a regência durante a doença prolongada que vitimou o rei nos seus últimos anos.
  D. Mariana Vitória de Bourbon Rainha de Portugal 1776 1777 D. José I esposa Assumiu a regência durante a doença que vitimou o rei nos seus últimos anos.
  D. João de Bragança Príncipe do Brasil,
Infante de Portugal
1792 1816 D. Maria I filho e herdeiro Assumiu o despacho em nome de sua mãe, entre 1792 e 1799, passando depois a assinar como príncipe regente até à morte de D. Maria I, em 1816.
Junta Provisional do Governo Supremo do Reino 1820 1821 D. João VI
  D. Isabel Maria de Bragança Infanta de Portugal 1826 1828 D. Pedro IV;
depois D. Maria II
irmã e tia Seu pai, D. João VI, designou-a presidente do conselho de regência enquanto o sucessor da Coroa não se pronunciasse; tendo escolhido seu irmão D. Pedro como rei, manteve-se em funções após a abdicação daquele em favor da filha, D. Maria da Glória.
  D. Miguel de Bragança Infante de Portugal,
Duque de Beja,
Senhor do Infantado
1827 1828 D. Maria II tio Designado por D. Pedro IV como seu lugar-tenente e regente do reino durante a menoridade de sua filha, em quem abdicara dos seus direitos à coroa portuguesa, D. Maria da Glória, com a obrigação de se casar com a mesma.
  D. Pedro de Bragança Duque de Bragança,
ex-Rei de Portugal e ex-Imperador do Brasil
1831 1834 D. Maria II pai Após abdicar do trono brasileiro em seu filho D. Pedro II, regressa à Europa e assume a presidência do Conselho de Regência que governava os territórios libertos do domínio miguelista em nome de sua filha, a rainha D. Maria II; resignou ao cargo pouco após o término da guerra civil, nas Cortes.
  D. Fernando II Rei-consorte de Portugal 1853 1855 D. Pedro V pai Regente durante a menoridade de seu filho.
  D. Fernando II Rei-consorte de Portugal 1867 1867 D. Luís I pai Regente durante a ausência do monarca na Exposição Universal de Paris (1867).
  D. Luís Filipe de Bragança Príncipe Real de Portugal,
Duque de Bragança
1907 1907 D. Carlos I filho e herdeiro Regente durante a ausência dos monarcas em visita de Estado a Espanha, junto de Afonso XIII.

Ver tambémEditar