Lista de sultões de Zanzibar

artigo de lista da Wikimedia

Esta é uma lista dos sultões de Zanzibar, que ocuparam o cargo seguindo as regras do Sultanato de Zanzibar, criado oficialmente em 19 de outubro de 1856, após a morte de Saíde ibne Sultão, o qual governou tanto a Zanzibar quanto a Omã como sultão de ambos os territórios.[1]

Bandeira oficial do Sultanato de Zanzibar

Em 1698, Zanzibar deu entrada nas participações no exterior de Omã, estando assim sob o controle do Sultão de Omã.[2] Em 1832 (algumas fontes tendem a afirmam que foi em 1840), Saíde ibne Sultão moveu-se da capital de Omã, Mascate, para a Cidade de Pedra de Zanzibar.[3] Assim, ele estabeleceu uma elite árabe governamental e incentivou o desenvolvimento de plantações de cravo, utilizando como mão de obra os escravos daquela ilha.[4] O comércio de Zanzibar foi cada vez mais caindo nas mãos de comerciantes do subcontinente indiano, a quem Said os encorajava para permanecerem na ilha. Depois da sua morte, em 1856, dois de seus filhos, Majide ibne Saíde e Tuaini ibne Saíde, entraram em discussão pela ordem de sucessão, fazendo com que Omã e Zanzibar se dividissem em dois principados: Tuaini se tornou Sultão de Omã, enquanto Majide foi o primeiro Sultão de Zanzibar.[5] Durante seu reinado de 14 anos como Sultão, Majide consolidou seu poder em torno do comércio de escravos no Leste Africano. Seu sucessor, Bargaxe ibne Saíde, aboliu a escravidão em Zanzibar e impulsionou em grande parte o desenvolvimento da infraestrutura do país.[6] O terceiro Sultão, Califa ibne Saíde, se consagrou ao abolir completamente a escravidão.[7]

Em dezembro de 1963, foi concedida a independência de Zanzibar ao Reino Unido e deu-se início a uma monarquia constitucional no país em superioridade ao Sultão.[8] Quem ocupava o cargo naquele momento era Janxide ibne Abedalá, e que acabou sendo derrubado um mês depois durante a Revolução de Zanzibar.[9] Janxide então foi exilado, e o Sultanato foi substituído por uma República, sendo que em 1964, se uniu com a Tanganica para formar a República de Tanganica e Zanzibar, a qual posteriormente se chamaria Tanzânia.[3]

Sultões de ZanzibarEditar

No. Sultão Nome completo Retrato Início Fim Notas
1 ibne Saíde, MajideMajide ibne Saíde[A] Saíde Majide ibne Saíde Abuçaíde   19 de outubro de 1856[10] 7 de outubro de 1870 Bargaxe ibne Saíde tentou usurpar o trono de seu irmão em 1859, porém sem sucesso. Ele foi exilado para Bombaim por dois anos.[11]
2 ibne Saíde, BargaxeBargaxe ibne Saíde Saíde Sir Bargaxe ibne Saíde Abuçaíde   7 de outubro de 1870 26 de março de 1888 Principal responsável pelo desenvolvimento da infraestrutura em Zanzibar (especialmente na Cidade da Pedra), com a construção de canos de água potável, cabos telegráficos, edifícios, estradas, etc. Também ajudou a abolir a escravidão em uma parte de Zanzibar após assinar um acordo com a Grã-Bretanha em 1870, fechando o mercado de escravos em Mkunazini.[6]
3 ibne Saíde, CalifaCalifa ibne Saíde Saíde Sir Califa I ibne Saíde Abuçaíde   26 de março de 1888 13 de fevereiro de 1890 Apoiou o abolicionismo, assim como o seu predecessor, e conseguiu abolir a escravidão por completo do país.[7]
4 ibne Saíde, AliAli ibne Saíde Saíde Sir Ali ibne Saíde Abuçaíde   13 de fevereiro de 1890 5 de março de 1893 Durante seu reinado, o Império Alemão e o Reino Unido assinaram o Tratado de Heligolândia–Zanzibar, que tornou Zanzibar um protetorado britânico.[B]
5 ibne Tuaini, HamadeHamade ibne Tuaini Saíde Sir Hamade ibne Tuaini Abuçaíde   5 de março de 1893 25 de agosto de 1896 [12]
6 ibne Bargaxe, CalideCalide ibne Bargaxe Saíde Calide ibne Bargaxe Abuçaíde   25 de agosto de 1896 27 de agosto de 1896[C] Participou da Guerra Anglo-Zanzibari, o conflito mais curto da história, que durou apenas 38 minutos.[7]
7 ibne Maomé, HamudeHamude ibne Maomé Saíde Sir Hamude ibne Maomé Abuçaíde   27 de agosto de 1896[13] 18 de julho de 1902 Emitiu o decreto do final da abolição em 6 de abril de 1897, reconhecido pela Rainha Vitória.[13]
8 ibne Hamude, AliAli ibne Hamude Saíde Ali ibne Hamude Abuçaíde   20 de julho de 1902[14] 9 de dezembro de 1911[D] O Primeiro Ministro Britânico Mr. A. Rogers atuou como regente até Ali completar 21 anos de idade em 7 de junho de 1905.[15]
9 ibne Harube, CalifaCalifa ibne Harube Saíde Sir Califa II ibne Harube Abuçaíde   9 de dezembro de 1911 9 de outubro de 1960 Meio-irmão de Ali ibne Hamude. Supervisionou a construção do porto na Cidade da Pedra e das estradas em Pemba.[6]
10 ibne Califa, AbedaláAbedalá ibne Califa Saíde Sir Abedalá ibne Califa Abuçaíde 9 de outubro de 1960 1 de julho de 1963[E] [16]
11 ibne Abedalá, JanxideJanxide ibne Abedalá Saíde Sir Janxide ibne Abedalá Abuçaíde 1 de julho de 1963 12 de janeiro de 1964[F] Em 10 de dezembro de 1963, Zanzibar recebeu sua independência da Grã-Bretanha e o reinado de Janxide se tornou uma monarquia constitucional.[8]

NotasEditar

  • A Majide ibne Saíde, o filho mais novo de Saíde ibne Sultão, se tornou sultão de Omã após a morte de seu pai em 19 de outubro de 1856. No entanto, seu irmão mais velho Tuaini ibne Saíde, contestou sua ascensão ao poder. Após várias discussões entre ambos, foi decidido que Zanzibar e Omã se dividiriam em dois principados diferentes, e que Majide seria o Sultão de Zanzibar enquanto Tuaini governaria Omã.[17]
  • B Desde 1886, o Reino Unido e a Alemanha conspiravam para poder obter partes do Sultanato de Zanzibar para seus próprios impérios.[11] Em outubro de 1886, uma comissão de fronteira germano-britânica estabilizaram por 19 quilômetros de territórios no Leste Africano e a partir de então a maioria dos territórios desta área foi perdido para os dois impérios.[11]
  • C Hamude ibne Maomé, o genro de Majide ibne Saíde, era supostamente escolhido para se tornar o Sultão de Zanzibar após a morte de Hamade ibne Tuaini. No entanto, Calide ibne Bargaxe, filho de Bargaxe ibne Saíde, invadiu o palácio do Sultanato e se auto-declarou como o governante de Zanzibar. O Reino Unido, que apoiava Hamude, respondeu em 26 de agosto com uma carta para Calide sair do recinto em no máximo uma hora. Após a resposta ser uma negação, a Marinha Real Britânica começou a atirar no palácio e em outras localidades de Cidade de Pedra. Calide montou um exército de 2800 homens e os distribuiu por toda a cidade. Trinta e oito minutos após, Calide recuou para a Alemanha, em um conflito que ficou conhecida como Guerra Anglo-Zanzibari, a mais curta na história do mundo. Calide mais tarde foi enviado para um asilo em Dar es Salã até ser capturado pelo Reino Unido em 1916.[18][19]
  • D Após participar da coração do rei Jorge V, Ali decidiu abdicar o trono para poder viver na Europa.[6][14]
  • E Abedalá ibne Califa morreu no cargo devido à complicação de diabetes.[6]
  • F Janxide ibne Abedalá foi derrubado em 12 de janeiro de 1964 durante a Revolução de Zanzibar.[20] Janxide então fugiu para a Grã-Bretanha juntou com seus familiares e ministros.[21]

Referências

  1. «Zanzibar (Sultanato)». Henry Soszynski. 5 de março de 2012. Consultado em 30 de setembro de 2012 
  2. Ingrams 1967, p. 162.
  3. a b Appiah & Gates 1999, p. 2045.
  4. Ingrams 1967, p. 163.
  5. Ingrams 1967, pp. 163–164.
  6. a b c d e Michler 2007, p. 37.
  7. a b c Ingrams 1967, p. 172.
  8. a b United States Department of State 1975, p. 986.
  9. Ayany 1970, p. 122.
  10. Ingrams 1967, pp. 162–163.
  11. a b c Appiah & Gates 1999, p. 188.
  12. Ingrams 1967, p. 173.
  13. a b Ingrams 1967, p. 175.
  14. a b Ingrams 1967, p. 176.
  15. Turki 1997, p. 20.
  16. Ingrams 1967, p. 178.
  17. Keane 1907, p. 483.
  18. Ingrams 1967, pp. 174–175.
  19. Owens 2007, pp. 1–5.
  20. Conley, Robert (13 de janeiro de 1964), «African Revolt Overturns Arab Regime in Zanzibar», The New York Times: 1, 8 
  21. «London Cuts Support For Rent-Poor Sultan», The New York Times: 2, 26 de janeiro de 1964 

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar