Lista do Patrimônio Mundial na América do Sul

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) propôs um plano de proteção aos bens culturais do mundo, através do Comité sobre a Proteção do Património Mundial Cultural e Natural, aprovado em 1972.[1] Esta é uma lista do Patrimônio Mundial existente na América do Sul, especificamente classificada pela UNESCO e elaborada de acordo com dez principais critérios cujos pontos são julgados por especialistas na área. A América do Sul, uma região de grande legado histórico e cultural marcado pelo florescer de diversas civilizações mesoamericanas e de grande diversidade natural, é uma das sub-regiões classificadas pela UNESCO, sendo parte integrante da região América Latina e Caribe.[2]

A sub-região da América do Sul é composta pelos Estados-membros: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela.[3] O sítio Ihas Galápagos (que integra o Patrimônio Mundial no Equador) foi o primeiro local da América do Sul reconhecido pela UNESCO, em 1978. Em contrapartida, o Brasil é o país da sub-região com o maior número de bens listados, totalizando 23 bens listados desde a mais recente adesão.

A sub-região conta ainda com três sítios compartilhados: Missões Jesuíticas dos Guaranis (entre Brasil e Argentina), O Trabalho Arquitetônico de Le Corbusier (que inclui uma propriedade na Argentina) e Qhapaq Ñan, Caminhos Incas (entre Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador e Peru).

Sítios do Patrimônio MundialEditar

A região da América do Sul possui atualmente com os seguintes lugares declarados como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO:

  † Em perigo
Sítio Imagem País Localização Critério Ano Descrição Ref.
Serra do Mar     Brasil Paraná / São Paulo / Rio de Janeiro
24° 10′ S, 48° 00′ O
Natural:
(vii), (ix), (x)
1999 O sítio compreende alguns dos últimos remanescentes de Mata Atlântica e apresenta uma diversidade muito alta com muitas espécies raras e endêmicas. Como tal, é de grande interesse tanto para os cientistas quanto para a conservação. [4]
Plano Piloto de Brasília     Brasil Distrito Federal
15° 47′ S, 47° 54′ O
Cultural:
(i), (iv)
1987 Planejada por Lúcio Costa e Oscar Niemeyer em 1956, Brasília foi criada ex nihilo para transferir a capital do Rio de Janeiro para uma região mais central. Juntamente com Chandigarh na Índia, é o único lugar onde os princípios de urbanismo de Le Corbusier foram aplicados em larga escala. [5]
Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha e Atol das Rocas     Brasil Pernambuco / Rio Grande do Norte
3° 51′ 29″ S, 32° 25′ 30″ O
Natural:
(vii), (ix), (x)
2001 Como um dos poucos habitats insulares do Atlântico Sul, o local é essencial como área de alimentação e espaço de reprodução para organismos marinhos, incluindo espécies ameaçadas de extinção, principalmente a tartaruga-de-pente. [6]
Parque Nacional Canaima     Venezuela Bolívar
5° 20′ N, 61° 30′ O
Natural:
(vii), (viii), (ix), (x)
1994 O parque é caracterizado por mesetas (tepui) que cobrem 65% da área e são de interesse geológico e biológico, proporcionando habitat a um grande número de espécies endêmicas. Salto Ángel, a cachoeira mais alta do mundo, está situada na propriedade. [7]
Complexo de Conservação da Amazônia Central     Brasil Amazonas
2° 20′ 00″ S, 62° 00′ 30″ O
Natural:
(ix), (x)
2000
Como a maior área protegida da bacia amazônica, o sítio se destaca por sua alta biodiversidade, variedade de habitats como florestas de várzea e igapós e espécies ameaçadas de extinção. Foi reconhecida por várias agências de conservação como uma região de alta prioridade. [8]
Reserva Natural do Suriname Central     Suriname Sipaliwini
4° 00′ N, 56° 30′ O
Natural:
(ix), (x)
2000 O sítio compreende uma grande área intocada de floresta tropical com alta biodiversidade, muitas espécies endêmicas e ameaçadas. Devido à topografia e à variedade de condições do solo, possui várias ecorregiões. [9]
Áreas Protegidas do Cerrado: Parques Nacionais da Chapada dos Veadeiros e das Emas     Brasil Goiás
14° 00′ 20″ S, 47° 41′ 05″ O
Natural:
(ix), (x)
2001 Os dois parques são característicos do cerrado, um dos ecossistemas tropicais mais antigos do mundo e um importante refúgio para espécies em tempos de mudanças climáticas. [10]
Zona Arqueológica de Chan Chan     Peru La Libertad
8° 06′ S, 79° 05′ O
Cultural:
(i), (iii)
1986 A cidade de Chan Chan serviu como capital da cultura Chimú. O Reino de Chimú desenvolveu-se ao longo da costa norte do Peru. Chan Chan é dividida em nove unidades muradas indicando divisão política e social. Os chimús foram conquistados pelos Incas em 1470. O local foi listado como Patrimônio Mundial em Perigo, pois as construções de adobe são facilmente danificadas por fortes chuvas. [11]
Chavín     Peru Huari / Ancash
9° 35′ 34″ S, 77° 10′ 42″ O
Cultural:
(iii)
1985 A cultura Chavín se desenvolveu no altiplano andino entre 1500 e 300 a.C., e o local agora conhecido como Chavín de Huantar serviu como seu centro. O local é composto por um complexo de terraços e praças escavadas na rocha. [12]
Igrejas de Chiloé     Chile Chiloé / Los Lagos
42° 30′ 00″ S, 73° 46′ 00″ O
Cultural:
(ii), (iii)
2000 As igrejas de Chiloé são o exemplo mais proeminente da arquitetura de madeira da região, fundindo tradições europeias e indígenas. São fruto das missões jesuítas dos séculos XVII e XVIII. [13]
Parque Nacional Chiribiquete - A Maloca do Jaguar     Colômbia Caquetá / Guaviare
0° 31′ 31″ N, 72° 47′ 50″ O
Misto:
(iii), (ix), (x)
2018 Localizado no noroeste da Amazônia colombiana, o Parque Nacional Chiribiquete é a maior área protegida do país. Uma das características que definem o parque é a presença de tepuis, planaltos de arenito que dominam a floresta. Mais de 75.000 pinturas, abrangendo mais de 20.000 anos até o presente, podem ser vistas nas paredes dos 60 abrigos de pedra ao redor das bases dos tepuis. Acredita-se que esteja ligada ao culto da onça, símbolo de poder e fertilidade, essas pinturas retratam cenas de caça, batalhas, danças e cerimônias. As comunidades indígenas, que não estão diretamente presentes no local, consideram a região sagrada. [14]
Cidade de Cuzco     Peru Cuzco
13° 31′ 20″ S, 71° 59′ 00″ O
Cultural:
(iii), (iv)
1983 Cuzco foi desenvolvida pelo rei inca Pachacuti, que governou o Reino de Cuzco à medida que se expandia para se tornar o Império Inca no século XV. Tornou-se a cidade inca mais importante, dividida em áreas distintas para uso religioso e administrativo e cercada por um sistema organizado de usos agrícolas, artesanais e industriais. [15]
Cidade de Potosí     Bolívia Potosí
19° 35′ 01″ S, 65° 45′ 11″ O
Cultural:
(ii), (iv), (vi)
1987 Após a descoberta das maiores reservas de prata do Novo Mundo em meados do século XVI, Potosí foi considerado o maior complexo industrial do mundo. O sítio abriga as instalações industriais do Cerro Rico, arquitetura colonial pública e residencial. [16]
Cidade de Quito     Equador Quito / Pichincha
0° 00′ 14″ N, 78° 30′ 00″ O
Cultural:
(ii), (iv)
1978 Construída em estilo colonial espanhol, a antiga capital da Real Audiência de Quito. O Centro Histórico de Quito é o centro histórico mais original e mais bem preservado do gênero na América Latina. [17]
Cidade Universitária de Caracas     Venezuela Distrito Capital
10° 29′ 27″ N, 66° 53′ 26″ O
Cultural:
(i), (iv)
2000 Projetado por Carlos Raúl Villanueva, o campus universitário é considerado uma obra-prima da arquitetura e do planejamento urbano do início do século XX. Deriva das tradições coloniais, proporcionando uma solução arejada e adequada ao clima tropical. [18]
Paisagem Cultural do Café da Colômbia     Colômbia Caldas / Quindío / Risaralda
5° 28′ N, 75° 41′ O
Cultural:
(v), (vi)
2011 O cultivo centenário de café é emblemático da cultura colombiana e têm impactado tradições culturais e sociais na música, arquitetura, culinária e educação. [19]
Coro e seu porto     Venezuela Falcón
11° 24′ N, 69° 41′ O
Cultural:
(iv), (v)
1993 Fundada em 1527, Coro foi uma das primeiras cidades coloniais das Américas. Suas construções de terra são o único exemplo existente de fusão da arquitetura caribenha com a mudéjar espanhola e holandesa. O local está listado como Patrimônio Mundial em perigo desde 2005, após danos causados por fortes chuvas e a construção de várias estruturas na zona de amortecimento. [20]
Caverna das Mãos, Rio Pinturas     Argentina Santa Cruz
47° 09′ 00″ S, 70° 40′ 00″ O
Cultural:
(iii)
1999 [21]
Reservas de Mata Atlântica da Costa do Descobrimento     Brasil Bahia / Espírito Santo
16° 30′ S, 39° 15′ O
Natural:
(ix), (x)
1999 O sítio compreende alguns dos últimos remanescentes de Mata Atlântica e apresenta uma diversidade muito alta com muitas espécies raras e endêmicas. Como tal, é de grande interesse tanto para os cientistas quanto para a conservação. [22]
Paisagem cultural e industrial de Fray Bentos     Uruguai Río Negro
33° 07′ 04″ S, 58° 19′ 54″ O
Cultural:
(ii), (iv)
2015 [23]
Forte de Samaipata     Bolívia Florida / Santa Cruz
18° 10′ S, 63° 49′ O
Cultural:
(ii), (iii)
1998 Samaipata consiste em ruínas de uma cidade e, mais proeminentemente, uma grande rocha esculpida (séculos XIV a XVI) que se acredita ter sido o centro cerimonial de uma cultura pré-hispânica. [24]
Ilhas Galápagos     Equador Galápagos
0° 40′ S, 90° 30′ O}}
Natural:
(vii), (viii), (ix), (x)
1978 Este arquipélago remoto de ilhas vulcânicas é famoso pelo alto grau de endemismo e está associado a Charles Darwin, cujas observações aqui contribuíram para a concepção de sua teoria da evolução. O local foi listado como Patrimônio Mundial em perigo por múltiplas condições. [25]
Centro Histórico da Cidade de Arequipa     Peru Arequipa
16° 24′ 00″ S, 71° 32′ 00″ O
Cultural:
(i), (iv)
2000 Arequipa foi construída principalmente sobre rocha sillar, uma rocha vulcânica branca, produto do vulcão El Misti. A arquitetura da cidade é notória pela combinação de estilos tradicionais indígenas com as novas técnicas trazidas por colonizadores europeus. [26]
Centro Histórico de Salvador     Brasil Bahia
12° 58′ 00″ S, 38° 30′ 00″ O
Cultural:
(iv), (vi)
1985 Antiga capital colonial brasileira e sede do primeiro mercado de escravos no Novo Mundo, Salvador preservou um grande número de casas renascentistas de cores vivas decoradas com trabalhos em estuque dos séculos XVI a XVIII. [27]
Centro Histórico de Santa Ana de los Ríos de Cuenca     Equador Azuay
2° 53′ 00″ S, 78° 59′ 00″ O
Cultural:
(ii), (iv), (v)
1999 Fundada em 1557 seguindo um traçado ortogonal urbano, a cidade de Cuenca possui uma paisagem urbana resultante da fusão de diferentes sociedades e culturas, sendo uma vitrine do projeto urbano renascentista na América Latina. [28]
Centro Histórico de Lima     Peru Lima
12° 03′ 05″ S, 77° 02′ 35″ O
Cultural:
(iv)
1988
[nb 1]
Lima foi fundada por Francisco Pizarro em 1535 como La Ciudad de los Reyes (Cidade dos Reis). Até meados do século XVIII, era a cidade mais importante da América do Sul espanhola. A arquitetura combina o estilo local e europeu, como no Mosteiro de São Francisco, que foi tombado originalmente em 1988, antes de ser ampliado em 1991. [29]
Centro Histórico de Santa Cruz de Mompox     Colômbia Bolívar
9° 14′ 00″ N, 74° 26′ 00″ O
Cultural:
(iv), (v)
1995 Mompox, fundada em 1540 às margens de um grande rio, preservou em seu centro histórico o passado colonial com muitos edifícios ainda desempenhando sua função original. [30]
Centro Histórico de São Luís     Brasil Maranhão
2° 30′ 51″ S, 44° 18′ 09″ O
Cultural:
(iii), (iv), (v)
1997 Fundada originalmente por franceses no século XVIII, São Luís preservou a planta retangular completa da cidade colonial e um grande número de edifícios históricos tornando-se um excelente exemplo de uma cidade colonial portuguesa. [31]
Centro Histórico de Diamantina     Brasil Minas Gerais
18° 40′ 00″ S, 43° 36′ 00″ O
Cultural:
(ii), (iv)
1999 Um exemplar bem preservado da arquitetura barroca, esta cidade colonial do século XVIII foi fundada em um ambiente inóspito de montanhas rochosas e se tornou um centro de mineração de diamantes nos séculos XVIII e XIX. [32]
Centro Histórico de Goiás     Brasil Goiás
15° 56′ 00″ S, 50° 08′ 00″ O
Cultural:
(ii), (iv)
2001 Fundada em 1727 pelo bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva, Goiás conservou grande parte de sua herança colonial e é um exemplo de povoamento europeu no interior da América do Sul. [33]
Centro Histórico de Olinda     Brasil Pernambuco
8° 00′ 48″ S, 34° 50′ 42″ O
Cultural:
(ii), (iv)
1982 Fundada em 1537, a cidade prosperou como centro de produção de cana-de-açúcar. Após saques pelos holandeses no século XVII, o centro histórico data em grande parte do século XVIII com uma combinação harmoniosa de edifícios, jardins, igrejas, conventos e capelas. [34]
Cidade Histórica de Sucre     Bolívia Oropeza
19° 02′ 35″ S, 65° 15′ 33″ O
Cultural:
(iv)
1991 Fundada pelos espanhóis em 1538, Sucre manteve muitos de seus edifícios religiosos do século XVI, mostrando a fusão de estilos arquitetônicos locais e europeus. [35]
Centro Histórico da Cidade de Paramaribo     Suriname Paramaribo
5° 49′ 34″ N, 55° 09′ 00″ O
Cultural:
(ii), (iv)
2002 Fundada como uma cidade colonial holandesa no século XVII, Paramaribo preservou sua planta de ruas única com edifícios que mostram a influência gradual das tradições arquitetônicas holandesas. [36]
Bairro histórico de Colônia do Sacramento     Uruguai Colônia
34° 28′ 04″ S, 57° 51′ 12″ O
Cultural:
(iv)
1995 Fundada em 1680 pelos portugueses, a cidade mudou de mãos entre espanhóis e portugueses várias vezes durante os séculos XVII e XVIII e finalmente foi perdida para os espanhóis. Sua paisagem urbana bem preservada testemunha a fusão dos estilos coloniais espanhóis e portugueses. [37]
Bairro Histórico da Cidade Portuária de Valparaíso     Chile Valparaíso
33° 02′ 26″ S, 71° 37′ 41″ O
Cultural:
(iii)
2003 No final do século XIX, Valparaíso prosperou como ponto de escala para navios que viajavam entre o Atlântico e o Pacífico através do Estreito de Magalhães. O seu bairro histórico, situado em encostas íngremes, é testemunho desta fase inicial da globalização. [38]
Santuário Histórico de Machu Picchu     Peru Cuzco,
13° 07′ 00″ S, 72° 35′ 00″ O
Misto:
(i) (iii), (vii), (ix)
1983 A 2,340 metros acima do nível do mar, o sítio de Machu Picchu foi construído como uma extensa propriedade montanhosa em meados do século XV e abandonado aproximadamente 100 anos depois. Inclui paredes, terraços e edifícios construídos em rocha. A cidade abrigava cerca de 1.200 pessoas, a maioria padres, mulheres e crianças. Foi abandonado antes da chegada dos espanhóis a Cuzco, provavelmente devido à varíola. [39]
Cidade Histórica de Ouro Preto     Brasil Minas Gerais
20° 23′ 20″ S, 43° 30′ 20″ O
Cultural:
(i), (iii)
1980 A prosperidade da cidade como centro do ciclo do ouro brasileiro no século XVIII se reflete em um grande número de igrejas, pontes e fontes preservadas, muitas delas projetadas pelo escultor barroco Aleijadinho. [40]
Parque Nacional de Huascarán     Peru Ânchache
9° 20′ S, 77° 24′ O
Natural:
(vii), (viii)
1985 O Parque Nacional de Huascarán está localizado na Cordilheira Branca dos Andes e envolve o Huascarán, o pico mais alto do Peru. O ambiente físico inclui geleiras, ravinas e lagos, enquanto o parque abriga várias espécies de animais regionais. [41]
Fábricas de beneficiamento de salitre de Humberstone e Santa Laura     Chile Tarapacá
20° 12′ 30″ S, 69° 47′ 40″ O
Cultural:
(ii), (iii), (iv)
2005 Situadas no Deserto do Atacama, as duas salitreiras são representativas da indústria do salitre que floresceu no norte do Chile no século XIX e início do século XX e reuniu pessoas de diferentes partes da América do Sul e da Europa criando uma cultura única com língua e costumes próprios. [42]
Parque Nacional do Iguaçu     Brasil Paraná
25° 41′ S, 54° 26′ O
Natural:
(vii), (x)
1986 Juntamente com o Parque Nacional Iguazú (Argentina), o parque protege as Cataratas do Iguaçu, uma das maiores cascatas do mundo, e abriga muitas espécies raras e ameaçadas de extinção, como o tamanduá-bandeira ou a ariranha. O local esteve listado como Patrimônio Mundial em perigo entre 1999 e 2001 devido a uma estrada aberta ilegalmente pelo parque, barragens no rio Iguaçu e voos de helicóptero. [43]
Parque Nacional Iguazú     Argentina Misiones / Mesopotamia
25° 31′ 05″ S, 54° 08′ 00″ O
Natural:
(vii), (x)
1984 Juntamente com o Parque Nacional do Iguaçu (Brasil), o parque protege as Cataratas do Iguaçu, uma das maiores cascatas do mundo. Sua floresta subtropical abriga mais de 2.000 espécies de plantas vasculares e grandes mamíferos, como a anta, tamanduá-bandeira, bugio e jaguatirica. [44]
Parques Naturais de Ischigualasto e Talampaya     Argentina San Juan / La Rioja
30° 00′ S, 68° 00′ O
Natural:
(viii)
2000 Como o sítio fóssil continental mais completo do período Triássico (245-208 milhões de anos atrás), os restos de mamíferos, dinossauros e plantas da propriedade revelam a evolução dos vertebrados. [45]
Quarteirão Jesuíta e Estâncias de Córdoba     Argentina Córdova
31° 25′ 14″ S, 64° 11′ 28″ O
Cultural:
(ii), (iv)
2000 Fundada no início do século XVII, esta redução jesuíta preservou a universidade, igreja, residências e cinco fazendas (estâncias), ilustrando as atividades missionárias e econômicas desenvolvidas pelos jesuítas durante um período de 150 anos no Novo Mundo. [46]
Missões Jesuítas de La Santísima Trinidad de Paraná e Jesús de Tavarangue     Paraguai Itapúa
27° 08′ S, 55° 42′ O
Cultural:
(iv)
1993 As ruínas dessas reduções jesuíticas testemunham as atividades missionárias, sociais e econômicas dos jesuítas na Bacia do rio da Prata nos séculos XVII e XVIII. [47]
Missão Jesuítica de Chiquitos     Bolívia Santa Cruz
16° 00′ S, 60° 30′ O
Cultural:
(iv), (v)
1990 Seis povoados de Chiquitos foram preservados como herança viva de seu passado como reduções jesuíticas nos séculos XVII e XVIII. Suas igrejas amplamente restauradas no final do século XX são uma fusão de tradições arquitetônicas indígenas e europeias. [48]
Missões Jesuíticas Guarani: San Ignacio Miní, Santa Ana, Nossa Senhora de Loreto, Santa Maria, a Maior e Ruínas de São Miguel das Missões     Argentina
  Brasil
Misiones / Rio Grande do Sul
28° 32′ 36″ S, 54° 15′ 57″ O
Cultural:
(iv)
1983 Cada uma das cinco missões jesuíticas em ruínas fundadas em meio a uma floresta tropical na terra do povo guarani nos séculos XVII e XVIII é caracterizada por um projeto específico. [49]
Linhas e Geóglifos de Nasca e das Pampas de Jumana     Peru Ica
14° 43′ 33″ S, 75° 08′ 55″ O
Cultural:
(i), (iii), (iv)
1994 Acredita-se que os grandes desenhos no deserto de Nazca foram criados pela Cultura nasca entre 400 e 650 d.C. Os desenhos de linhas gigantes no solo representam animais como macaco e beija-flor, plantas e formas geográficas em grande escala. Acredita-se que serviram a um propósito ritualístico. [50]

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

Referências

  1. «Convenção para a Proteção do Património Mundial, Cultural e Natural» (PDF). UNESCO. 21 de novembro de 1972 
  2. «Regional overview : Latin America and the Caribbean». UNESCO 
  3. «States Parties - UNESCO World Heritage Centre». UNESCO 
  4. «Serra do Mar». UNESCO 
  5. «Plano Piloto de Brasília». UNESCO 
  6. «Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha e Atol das Rocas». UNESCO 
  7. «Parque Nacional Canaima». UNESCO 
  8. «Complexo de Conservação da Amazônia Central». UNESCO 
  9. UNESCO https://whc.unesco.org/en/list/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  10. UNESCO https://whc.unesco.org/en/list/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  11. «Zona Arqueológica de Chan Chan». UNESCO 
  12. «Chavín». UNESCO 
  13. UNESCO https://whc.unesco.org/en/list/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  14. UNESCO https://whc.unesco.org/en/list/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  15. «Cidade de Cuzco». UNESCO 
  16. «Cidade de Potosí». UNESCO 
  17. «Cidade de Quito». UNESCO 
  18. «Cidade Universitária de Caracas». UNESCO 
  19. UNESCO https://whc.unesco.org/en/list/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  20. «Coro e seu porto». UNESCO 
  21. «Caverna das Mãos, Rio Pinturas». UNESCO 
  22. «Reservas de Mata Atlântica da Costa do Descobrimento». UNESCO 
  23. UNESCO https://whc.unesco.org/en/list/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  24. «Forte de Samaipata». UNESCO 
  25. «Ilhas Galápagos». UNESCO 
  26. «Centro Histórico da Cidade de Arequipa». UNESCO 
  27. «Centro Histórico de Salvador». UNESCO 
  28. «Centro Histórico de Santa Ana de los Ríos de Cuenca». UNESCO 
  29. «Centro Histórico de Lima». UNESCO 
  30. UNESCO https://whc.unesco.org/en/list/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  31. «Centro Histórico de São Luís». UNESCO 
  32. «Centro Histórico de Diamantina». UNESCO 
  33. «Centro Histórico de Goiás». UNESCO 
  34. «Centro Histórico de Olinda». UNESCO 
  35. «Cidade Histórica de Sucre». UNESCO 
  36. UNESCO https://whc.unesco.org/en/list/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  37. UNESCO https://whc.unesco.org/en/list/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  38. UNESCO https://whc.unesco.org/en/list/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  39. UNESCO https://whc.unesco.org/en/list/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  40. «Cidade Histórica de Ouro Preto». UNESCO 
  41. UNESCO https://whc.unesco.org/en/list/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  42. UNESCO https://whc.unesco.org/en/list/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  43. «Parque Nacional do Iguaçu». UNESCO 
  44. UNESCO https://whc.unesco.org/en/list/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  45. «Parques Naturais de Ischigualasto e Talampaya». UNESCO 
  46. «Quarteirão Jesuíta e Estâncias de Córdoba». UNESCO 
  47. «Missões Jesuítas de La Santísima Trinidad de Paraná e Jesús de Tavarangue». UNESCO 
  48. «Missão Jesuítica de Chiquitos». UNESCO 
  49. «Missões Jesuíticas Guarani: San Ignacio Miní, Santa Ana, Nossa Senhora de Loreto, Santa Maria, a Maior e Ruínas de São Miguel das Missões». UNESCO 
  50. «Linhas e Geóglifos de Nasca e das Pampas de Jumana». UNESCO 


Erro de citação: Existem etiquetas <ref> para um grupo chamado "nb", mas não foi encontrada nenhuma etiqueta <references group="nb"/> correspondente