Literatura feminista

A literatura feminista é a escrita literária que marca a presença das mulheres como autoras, protagonistas e artistas, assim como se baseia na reivindicação de direitos, deveres, emancipação, (des)construção e liberdade. Isso se dá pelo fato das mulheres serem privadas de ocupar campos de produção cultural como: teatro, música, cinema, literatura etc. Entretanto, por volta dos anos de 1970, quando as mulheres reivindicam seus direitos nesses espaços de trabalho e lazer, surge, então, uma efervescência de escritoras que passam a colocar as problemáticas da sociedade nas belezas da literatura, a fim de questionar um lugar que não era dado. Por isso ela diverge em pontos com a literatura feminina .

HistoricidadeEditar

A literatura feminista foi, durante muito tempo, desconsiderada pelo fato do patriarcado considerar a inferioridade da mulher para com os homens, ainda mais no espaço artístico. Assim, a literatura feminista teve sua concretude de reconhecimento depois da quarta onda do feminismo, pois as mulheres passaram a trazer temas e problematizações que sempre foram silenciadas pelo contexto histórico, social e cultural. Fora que, as lutas travadas pelos movimentos feministas começaram a ter mais insistência no espaço fora do lar e isso contribuiu para que essas vozes fossem ouvidas. Isto não quer dizer que antes não tínhamos mulheres escritoras, mas que, na verdade, suas produções eram colocadas à margem da sociedade, ou seja, excluídas das escritas literárias e ignoradas pela critica literária. Desse modo, desde muitas décadas já havia diversas escritoras, mas por culpa das repreções sofridas nunca eram viabilizadas.

[...] A literatura dramática de autoria feminina ganha os palcos apenas na segunda metade do século XX, o que não significa afirmar que as mulheres durante esse período não escrevessem. Foi durante o século XIX que os periódicos, tanto dirigidos por homens como por mulheres contaram com a presença maior dessa literatura. De forma que se torna quase impossível estudar a literatura produzida pelas mulheres no século XIX sem se fazer um levantamento do que havia sido lançado durante aquela época. (Candido, 2017).

Portanto, a literatura feminista, no viés contemporâneo, é a escrita de mulheres, sobre mulheres e para mulheres que utilizam da arte como forma de arte, denuncia e resistência. Além de fazer com que os pontos de pauta dos movimentos feministas e da teoria feminista foram (re)locadas para a literatura e pudessem, dessa forma, buscar mudança social no que diz respeito ao patriarcado, machismo, sexismo e misógnia. Reafirmando, é claro, o lugar que sempre tiveram e por esses motivos elencados foi retirado.

BibliografiaEditar

  • CANDIDO Isamabéli Barbosa. Identidade feminina e sufragismo no teatro brasileiro do século XIX. In: SILVA. Natali Fabiana Costa e. CRUZ Lua Gill da. TATIM Janaína. PEREIRA Marcos Paulo Torres. (org.). Mulheres e a Literatura Brasileira – Macapá: UNIFAP, 2017.
  • DUARTE Constância Lima. Feminismo e literatura: discurso e história. Revista Estudos Avançados da USP. São Paulo, USP, volume 17, numero 49, setembro/dezembro 2003. p. 151-172.
  • DUARTE Constância Lima. Literatura feminina e critica literária. II Encontro Nacional, comunicação apresentada na ANPOLL - Rio de Janeiro, 1987. p. 15-23.