Abrir menu principal
Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa informativa ou a usada não é a mais adequada.

Liu Bingzhong (chinês: 劉秉忠) (1216–1274) ou Liu Kan (chinês: 劉侃), foi um conselheiro e arquiteto da corte da dinastia Yuan. Nasceu na perfeitura de Ruizhou, durante a dinastia Jin. Em 1233, começa a fazer parte do sistema burocrático Jin. Era ainda oficial até que a dinastia mongol Yuan sucedesse a dinastia Jin após a conquista mongol, e mais tarde tornou-se monge. Entretanto, ciente da sua vocação, o seu mestre recomendou Liu Bingzhong a Kublai Khan para que se tornasse seu conselheiro. Durante este período, Liu Bingzhong foi exaltado como um dos Cinco Talentos de Xintai. Foi creditado com poderes ocultos o que lhe permitiria prever o futuro e assim apoiar as operações militares mongóis.[1] Liu teve fundamental influência sobre projetos da cidade da era Yuan, e ficou conhecido por pelos seus planeamentos tanto da capital Yuan de Dadu como a sua capital de verão Xanadu (Shangdu).[2][3]

Liu Bingzhong e Yao Shu conceberam um plano "para apurar todas as suas qualidades para poder dar as melhores sugestões ao governador". Vários confucionistas como Xu Heng, Wang Xun, Zhang Yi, causaram tamanho ardil a Kublai Khan, que este mais tarde se tornou fundador da dinastia Yuan.

Após a batalha da vila piscatória da cidade de Hechuan (chinês: 釣魚城, pinyin: Diàoyúchéng), Möngke Khan morre e Kublai Khan sucede o seu lugar. Liu Bingzhong sugere nomear a nova dinastia de "Yuan" (chinês: 元) com referência ao Livro das Mutações, recebendo a aprovação de Kublai Khan, em 1271. Liu sugere também a Kublai a adopção da lei chinesa e fecha algumas portas ao anterior desgoverno e corrupção mongol.

Kublai Khan reconhece a capital de Jin como a nova capital de Yuan e rebatiza-a de Dadu (chinês: 大都). Liu Bingzhong foi o principal projetista e arquiteto do levantamento da capital de Dadu. Liu também projetou o arranjo da capital de verão de Yuan em Xanadu (Shangdu).[4][5] Formulou o tempo de calendário de serviço com Guo Shoujing. Quando se tornou professor de Zhenjin, que mais tarde se tornaria príncipe herdeiro (chinês: 皇太子), ele montou o Colégio Zishan na Montanha de Wuon para ensinar o confucionismo e Ciência Natural.

Em 1274, morre em Nanbing Mountain Villa.

Obras literáriasEditar

  • Spring Corpus 藏春集 (6 volumes);
  • Spring Poetry Anthology 藏春词;
  • Poetry Anthology 诗集 (22 volumes);
  • Corpus 文集 (10 volumes);
  • Pingsha Jade Ruler 平沙玉尺 (4 volumes);
  • Jade Ruler and New Mirror 玉尺新镜 (2 volumes).

Ver tambémEditar

Referências

  1. Perry Link, The scholar's mind 
  2. China archaeology and art digest, Volume 4, Issues 2-3. [S.l.]: Art Text (HK) Ltd., original da Universidade de Michigan. 2001 (digitalizado em 2009). p. 35  Verifique data em: |ano= (ajuda)
  3. Nancy Shatzman Steinhardt (1999). Chinese imperial city planning. [S.l.]: University of Hawaii Press. p. 153. ISBN 0-8248-2196-3 
  4. Frederick W. Mote (2003). Imperial China 900-1800. [S.l.]: Harvard University Press. p. 457. ISBN 0-674-01212-7 
  5. Ainslie Thomas Embree (1988). Encyclopedia of Asian history, Volume 2. [S.l.]: Scribner, original da Universidade de Michigan. p. 366. ISBN 0-684-18899-6